Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A Música Portuguesa

Em terras Em todas as fronteiras Seja bem vindo quem vier por bem Se alguém houver que não queira Trá-lo contigo também

A Música Portuguesa

Em terras Em todas as fronteiras Seja bem vindo quem vier por bem Se alguém houver que não queira Trá-lo contigo também

 

 

Letra

 

E o mundo segundo, meu padrinho primeiro 
Pai electricista, mãe empregada de limpeza 
O amor não me faltava, comida abundava na mesa 
Mas nunca tive consolas, telemóveis, computadores, 
E só quando me tornei maior de idade uma televisão a cores 
Mas quando entrei na escola, já lia e escrevia 
Já tinha a perfeita noção do quanto a mais o pai bebia 
Seria a doença da mãe que interiormente o afectava 
Ou da sua dura infância que vezes sem conta retratava 
Fui educado a respeitar as pessoas muito para alem dos seus bens 
Na vida o que importa é quem tu és, e não aquilo que tu tens 
Já fui refém de relações mas isso para mim acabou 
Pois sinto me bem com quem estou, e com a pessoa que eu sou 
A cima de tudo a palavra foi ela que me trouxe ate aqui 
Foca te naquilo que tu vês e não aquilo que dizem por ai 

(refrao) 
Corrida contra o tempo, não há tempo a perder 
Nos temos de crescer, fazer acontecer 
Fazer acontecer, temos de crescer 
Não há tempo a perder na corrida contra o tempo 

Por mais amigos que tenha, sinto me sempre sozinho 
O pai partiu e a mãe também algures a meio do caminho 
Mudei quatro vezes de ninho, com a mobília as costas 
Na montanha russa da vida, desci múltiplas encostas 
Perdi varias apostas, ganhei mais experiência 
E recebi o dobro do que ofereci através desta ciência 
Muitos manos fodem a musica, não têm respeito por ela 
Bela e inocente, nas vossas mãos virou cadela 
Reles, desumana como um casaco de peles, 
Que te aquece por fora mas por dentro faz com que congeles 
Reveles, o pior de ti, querias esmola e extravagancia 
Mas eu era um homem simples apenas rico em substancia 
Não tem importância, sigo em frente, a vida continua 
E por muitas voltas que dê, volto sempre a mesma rua 
Para mim sonhar alto é estar a altura do nível do palco 
E caminhar para alem dos 100 nesta velha estrada de asfalto

Quer ver a sua banda ou espectáculo divulgados aqui?,
envie um email para: olharparaomundo (arroba) sapo.pt
Se tem alguma letra que eu não tenha encontrado, pode enviar para o mesmo email