Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A Música Portuguesa

Em terras Em todas as fronteiras Seja bem vindo quem vier por bem Se alguém houver que não queira Trá-lo contigo também

A Música Portuguesa

Em terras Em todas as fronteiras Seja bem vindo quem vier por bem Se alguém houver que não queira Trá-lo contigo também

Dead Combo animam festa de passagem de ano na Fábrica do Braço de Prata

À dupla Dead Combo juntam-se os Penicos de Prata, Bastet & The Burlettes e outros nomes que a organização assevera anunciar para breve. A festa de passagem de ano na Fábrica de Braço de Prata, em Lisboa, chama-se ManiFESTA e o conceito do evento consiste em "fazer uma passagem de ano diferente de todas as outras" na capital portuguesa, refere a promotora.


A festa será "urbana, descontraída, baseada na diversidade cultural portuguesa, bem como em algumas caraterísticas da nossa portugalidade (as minis e os tremoços, para o brinde da meia-noite)", adianta.

 

O programa musical desta passagem de ano vai privilegiar artistas portugueses e outras formas de expressão artística, como as artes performativas em geral.

 

Os Dead Combo são Tó Trips e Pedro Gonçalves. Formaram-se em 2003 a convite do radialista Henrique Amaro para a gravação da faixa “Paredes Ambience”, incluída no disco de homenagem ao considerado génio da guitarra Portuguesa Carlos Paredes - “Movimentos Perpétuos – Música para Carlos Paredes”.

 

O coletivo "encarna duas personagens que poderiam ter saído de uma banda desenha: um gato-pingado e um gangster", indica a promotora.

 

A banda esteve em destaque no episódio sobre Lisboa do programa de televisão “No Reservations”, de Anthony Bourdain, e, fruto de tal exposição, três dos cinco álbuns do grupo entraram para o top dez do iTunes norte-americano.

 

Por seu lado, Penicos de Prata surge "na necessidade de valorizar a poesia portuguesa, sendo fonte de criação de uma estética musical refinada fortemente ligada à música tradicional portuguesa em cruzamentos com a música de câmara", contextualiza a promotora.

 

O quarteto existe desde 2005 e, até hoje, tem alegrado tertúlias e concertos, levando a poesia portuguesa de uma forma divertida a todos os que se deixam envolver por estas duas artes.

 

Alguns dos autores dos textos são António Botto, Ernesto Manuel de Melo e Castro, Fernando Pessoa, Adília Lopes, entre outros.

 

Já Bastet & The Burlettes é uma companhia de dança burlesca/inspiração 'vintage', na qual a "boa disposição" é o ambiente temático. "São divertidas, bem-dispostas, criativas e, acima de tudo, dançantes, levando a alegria das 'pin-ups' até onde a imaginação mandar", conta a promotora.

 

O espaço escolhido para o réveillon foi a Fábrica Braço de Prata, "pela variedade de salas de que dispõe", permitindo "criar ambientes (salas de concertos, espaço de dança, exposições, 'chill-out', projeções de vídeo e promovendo, ao mesmo tempo, a circulação do público e proporcionando o desfrute de experiências diversas", conta.

 

A entrada é paga. O livre-trânsito custa 20 euros, desde que adquirido até 30 de novembro; 25 euros, se adquirido entre os dias 1 e 30 de dezembro; 30 euros, no dia 31 de dezembro; e 15 euros, a partir das 01:00 do dia de janeiro de 2013 (só pode ser adquirido no local do evento).

De acordo com a promotora, a aquisição do livre-trânsito oferece um kit constituído por uma mini e 12 tremoços.

 

Retirado do Sapo Música

Quer ver a sua banda ou espectáculo divulgados aqui?,
envie um email para: olharparaomundo (arroba) sapo.pt
Se tem alguma letra que eu não tenha encontrado, pode enviar para o mesmo email