Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A Música Portuguesa

Em terras Em todas as fronteiras Seja bem vindo quem vier por bem Se alguém houver que não queira Trá-lo contigo também

A Música Portuguesa

Em terras Em todas as fronteiras Seja bem vindo quem vier por bem Se alguém houver que não queira Trá-lo contigo também

Festival Azure arranca quinta-feira na Terceira com música alternativa e workshops

O Festival Azure, que começa quinta-feira na ilha Terceira, nos Açores, deve bater este ano um novo recorde de assistência, apesar da crise no país, afirmou hoje Miguel Linhares, da organização do evento.

"Pela procura, parece-me que vai ser um ano com muitos visitantes", frisou Miguel Linhares, responsável pela produção executiva do festival, em declarações à Lusa, acrescentando que a venda antecipada de bilhetes correu melhor do que em anos anteriores.

Miguel Linhares reconheceu que "existem muitas dificuldades" e que "a cultura não é uma prioridade para as pessoas", mas salientou que a organização espera que passem pela Zona de Lazer de S. Brás mais do que as cerca de 2.000 pessoas que lá estiveram na edição do ano passado.

O palco principal do Azure vai receber, entre quinta-feira e sábado, os portugueses Fitacola e Amor Electro, o caboverdiano Dany Silva, o DJ alemão Lopazz e os californianos Skywalker 1nine, entre outros.

Miguel Linhares frisou que o festival "tenta primar pela diversidade e ir por caminhos mais alternativos", contrariando o que se faz nas festas concelhias, que têm uma filosofia diferente.

Por outro lado, salientou que o Azure procura trazer à Terceira bandas portuguesas "com boa qualidade e pouco divulgadas", que ainda não tenham passado pela ilha, como os Amor Electro ou os Beatbombers, que são os "campeões mundiais de scratch".

A realização de workshops foi também destacada por Miguel Linhares, referindo que o objetivo é "trazer algo de novo", como o que será dedicado ao trad-folk, uma novidade nos Açores.

Para esta edição do festival estão ainda previstos workshops sobre yoga, hip-hop, didgeridoo, dança contemporânea e street art.

Os bilhetes diários custam 15 euros e o passe para os três dias ascende a 30 euros, mas estão previstos descontos de 30 por cento para portadores do cartão Interjovem e de 50 por cento para moradores da freguesia de S. Brás. 

 

Noticia do Sapo Música

Quer ver a sua banda ou espectáculo divulgados aqui?,
envie um email para: olharparaomundo (arroba) sapo.pt
Se tem alguma letra que eu não tenha encontrado, pode enviar para o mesmo email