Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A Música Portuguesa

Em terras Em todas as fronteiras Seja bem vindo quem vier por bem Se alguém houver que não queira Trá-lo contigo também

A Música Portuguesa

Em terras Em todas as fronteiras Seja bem vindo quem vier por bem Se alguém houver que não queira Trá-lo contigo também

Zeca Medeiros e Tito Paris abrem Festival Raízes do Atlântico
Tito Paris ©José Sérgio/SOL

Os músicos Zeca Medeiros e Tito Paris vão actuar no primeiro dia do Festival Raízes do Atlântico, que decorre de 26 a 28 de Julho, no Jardim Municipal do Funchal, anunciou hoje a secretária regional da Cultura, Turismo e Transportes da Madeira.

 

«Julgamos que este é um festival que tem características muito especiais, que tem raízes muito fortes que estão integradas no panorama cultural da região», afirmou Conceição Estudante, na conferência de imprensa de apresentação do certame, na Casa-Museu Frederico de Freitas, no Funchal.

 

Considerando que o evento «não se confunde com nenhum outro» em matéria de «autenticidade e genuinidade da música tradicional», Conceição Estudante salientou que estas são garantias de «sucesso», a que acresce a «participação de convidados que trazem mais qualidade ao festival».

 

«É um festival que remonta a 1994, com alguma tradição e antiguidade, que se tem afirmado como um festival que tem um espaço e público próprios», declarou, realçando que a iniciativa «evidencia a música tradicional madeirense» num contexto de «cruzamento de culturas».

 

Este ano, cada dia do festival tem um tema, sendo o primeiro dedicado a «30 anos de canções».

 

O músico e compositor açoriano Zeca Medeiros e o cabo-verdiano Tito Paris, que a organização definiu como «os grandes expoentes da música das regiões» que representam, e que este ano celebram 30 anos de carreira, vão ser os primeiros a subir ao palco do 'Raízes do Atlântico', no dia 26.

 

No dia seguinte, com o tema 'Tribal Dance Raízes', o destaque é a «música de fusão entre a electrónica e os instrumentos mais ancestrais da memória humana, com um enfoque especial no didgeridoo e nas percussões», explicou a secretária regional da Cultura, Turismo e Transportes.

«A música de dança servirá de suporte aos espectáculos do projecto português Omiri e dos Olive Tree Dance», adiantou.

 

O último dia do evento, anunciado como o «mais antigo festival de ‘world music’ de Portugal», está reservado para grupos da região.

 

Na 'Noite da Madeira', a 28, actuam os Encontros da Eira e o grupo Xarabanda, sendo que este último convidou para o concerto artistas de outras áreas musicais.

 

Os concertos começam sempre às 21h30 e, no dia de abertura do festival, 26 de Julho, pelas 19h, na sala Cinemax, será projectado o filme 'Sinfonia Imaterial', realizado por Tiago Pereira.

 

O evento, organizado pela Agência de Promoção da Cultura Atlântica, tem um custo de cerca de 62 mil euros, sendo financiado pelo programa comunitário Intervir +, em 85 por cento.

 

Noticia do Sol

Quer ver a sua banda ou espectáculo divulgados aqui?,
envie um email para: olharparaomundo (arroba) sapo.pt
Se tem alguma letra que eu não tenha encontrado, pode enviar para o mesmo email