Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A Música Portuguesa

Em terras Em todas as fronteiras Seja bem vindo quem vier por bem Se alguém houver que não queira Trá-lo contigo também

A Música Portuguesa

Em terras Em todas as fronteiras Seja bem vindo quem vier por bem Se alguém houver que não queira Trá-lo contigo também

Festival Silêncio regressa a Lisboa para a quarta edição

 

O Festival Silêncio está de regresso à capital portuguesa. Entre os dias 26 de junho e 1 de julho, Lisboa volta a ser a capital da palavra. Dos concertos aos espetáculos multimédia, das conversas às leituras encenadas, do cinema à poesia, cruzam-se disciplinas, práticas e públicos num palco transversal aberto à reflexão e ao debate. Cinema São Jorge, Musicbox Lisboa, Povo, Pensão Amor e Fundação Saramago são os locais por onde o festival vai passar.


No cartaz desta quarta edição podem encontrar-se muitas estreias e aguardados regressos. Rodrigo Leão e Gabriel Gomes retomam o projeto «Os poetas – Entre nós e as palavras», com a introdução de novos temas e a inclusão de novos poetas. Adília Lopes e António Ramos Rosa juntam-se a Al Berto, Mário Cesariny, Helberto Helder, entre outros grandes poetas portugueses. O espetáculo decorre sexta-feira, 29 de junho, pelas 22:00, no Cinema São Jorge,Hélio Morais e Quim Albergaria (Paus), Filho da Mãe e Kalaf estreiam uma encomenda do Festival: «Irmão Demónio».

 

«É nossa intenção despir as palavras de ego e buscar confissões, mergulhando nas palavras de Allen Halloween, Phay Grand O Poeta, Rita Laranja Louca, entre outros ilustres anónimos, que, na sua atitude desprendida e despreocupada nos surpreenderam com o propósito maior da poesia - fazer-nos apaixonar pela língua de Camões novamente, agora e sempre», descreve Kalaf. «Irmão Demónio» vai ter lugar no Musicbox na quarta-feira, 27 de junho, pelas 23:00, no Musicbox.

 

João Peste e os Pop Dell’Arte prepararam em exclusivo para o Festival Silêncio o espetáculo “Neurotycon». Desenvolve-se em torno da personagem principal de Satyricon, Encólpio, e brinca com uma série de referências da história clássica grega, onde habita em harmonia entre o 'spoken word' e alguns dos clássicos da carreira do grupo. Acontece no sábado, 30 Junho, 22:00, no Cinema São Jorge.

 

André Gago e a Beat Hotel Band estreiam no Musicbox na quinta-feira, 28 de junho, às 22:30, o espetáculo «Beat Hotel», um percurso pela obra de cinco poetas essências da Beat Generation: Jack Kerouac, Allen Ginsberg, William S. Burroughs, Gregory Corso e Lawrence Ferlinghetti.

 

Uma hora depois, António Jorge Gonçalves apresenta pela primeira vez a performance «A invenção do dia claro», através da qual desenha ao vivo o seu livro de artista editado em 2009. Uma apropriação do livro com o mesmo nome de José de Almada Negreiros, montando excertos do texto original com desenhos de carácter autobiográfico. Flak construirá, ao vivo, a banda sonora.

 

No domingo, 1 de julho, pelas 22:00, no Cinema São Jorge, Mão Morta, a banda de Adolfo Luxuria Canibal, encerra o Festival Silêncio com uma seleção de temas do seu reportório focada no conceito do Festival, juntando uma intervenção com vinte estrofes e vintes imagens a partir da poesia e universo de Al Berto. Chamam-lhe “Bate-papo”.

 

«Words of Advice - William S. Burroughs», de Lars Movin e Steen Rasmussen, é a estreia nacional na programação de documentários sobre autores que o Festival apresenta no sábado, 30 de junho, 19:15, no Cinema São Jorge.

 

Estas são as estreias presentes no cartaz da quarta edição do Festival Silêncio. Da programação constam ainda outros espetáculos, conversas, leituras e filmes.

 

Retirado do sapo Música

Quer ver a sua banda ou espectáculo divulgados aqui?,
envie um email para: olharparaomundo (arroba) sapo.pt
Se tem alguma letra que eu não tenha encontrado, pode enviar para o mesmo email