Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A Música Portuguesa

Em terras Em todas as fronteiras Seja bem vindo quem vier por bem Se alguém houver que não queira Trá-lo contigo também

A Música Portuguesa

Em terras Em todas as fronteiras Seja bem vindo quem vier por bem Se alguém houver que não queira Trá-lo contigo também

Sétima Legião e Madredeus regressam aos palcos a assinalar os seus 30 e 25 anos de carreira

 

Sétima Legião e Madredeus regressam aos palcos a assinalar os seus 30 e 25 anos de carreira. Volta também a haver Clubbing, e Jane Birkin canta Gainsbourg na Primavera, no Porto

 

O regresso aos palcos de duas bandas que marcaram a música portuguesa nas últimas três décadas: os Sétima Legião e os Madredeus; concertos com Aloe Blacc e John Cale, a marcar o retomar das noites Clubbing em novos moldes; e a passagem pelo Porto da digressão Jane Birkin canta Gainsbourg são os pontos altos da programação não erudita da Casa da Música para o próximo trimestre, ontem anunciada no Porto.
Os Sétima Legião iniciam na Sala Suggia, a 29 de Abril, a digressão comemorativa dos 30 anos da banda fundada em 1982 por Rodrigo Leão, Pedro Oliveira e Nuno Cruz, e que viria a marcar o pop-rock nacional dessa década, deixando como património temas como Sete mares, Por quem não esqueci ou Glória. O concerto repete-se no Coliseu de Lisboa a 4 de Maio. Com a mesma sequência - no Porto, a 27 de Maio, e em Lisboa, no CCB, quatro dias depois -, os Madredeus, recém-regressados à cena musical depois da saída de Teresa Salgueiro, apresentam-se igualmente na Casa da Música com a digressão Essência, que assinala os 25 anos do grupo de Pedro Ayres Magalhães e Carlos Maria Trindade, agora também reforçado com a nova voz de Beatriz Nunes.
Mas haverá muito mais música portuguesa na Casa da Música nestes meses de Primavera: Sara Tavares canta já esta noite, seguindo-se-lhe Paulo de Carvalho (25 de Março) com o seu espectáculo de 50 anos de carreira; Mónica Ferraz (28 de Março), agora a solo com o concerto "Start Stop", depois de ter sido lançada com o projecto Mesa; Luísa Sobral (13 de Abril), com o disco "The Cherry on My Cake"; Rita Redshoes (5 de Maio), com o espectáculo "The Other Women - O Mundo nas Canções d"Elas". E também a banda Naifa, que amanhã inicia, na Casa das Artes de Arcos de Valdevez, a digressão nacional de apresentação do álbum "Não se deitam comigo corações obedientes", o primeiro desde a morte de João Aguardela, e que chegará ao Porto a 12 de Abril. 
O director artístico da Casa da Música, António Jorge Pacheco, acredita que este calendário de música portuguesa não só "reforça a diversidade como mantém a qualidade da programação", além de que a abre "a nichos da sociedade" que até agora não têm visto o seu gosto contemplado nos palcos da instituição.
Em contexto de crise - que, no entanto, não tem tido reflexo na afluência dos públicos à Casa da Música nos dois primeiros meses do ano, em que se têm registado "quase sempre casas cheias", nota António Jorge Pacheco -, o Clubbing vai também regressar, mas em novo formato. Assim, a partir de 5 de Abril, em que o músico e DJ francês Joakim (mais um momento do Ano França) anima o restaurante, o agora baptizado Optimus Clubbing vai ter 12 sessões até final do ano, mas que serão divididas entre uma versão mais minimal, apenas com animação no 7º piso da Casa, e outra centrada no grande concerto na Sala Suggia estendendo-se depois aos bares. Aqui, os acontecimentos serão os regressos ao Porto de Aloe Blacc, agora para um espectáculo só com voz e quinteto de cordas, e do ex-Velvet Underground John Cale, de novo em modo electrónico e a vogar entre o seu disco mais recente, "Extra Playful", e a revelação de temas do novo, anunciado para este ano.
E, a 16 de Maio, a cantora-actriz Jane Birkin traz à cidade o universo musical do genial compositor já desaparecido Serge Gainsbourg, na continuação da digressão musical iniciada no final de 2010 no Japão, com um quarteto dirigido pelo pianista Nobuyuki Nakajima. 
Quer ver a sua banda ou espectáculo divulgados aqui?,
envie um email para: olharparaomundo (arroba) sapo.pt
Se tem alguma letra que eu não tenha encontrado, pode enviar para o mesmo email

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.