Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A Música Portuguesa

Em terras Em todas as fronteiras Seja bem vindo quem vier por bem Se alguém houver que não queira Trá-lo contigo também

A Música Portuguesa

Em terras Em todas as fronteiras Seja bem vindo quem vier por bem Se alguém houver que não queira Trá-lo contigo também

“Alma”, o novo álbum da fadista Carminho, é apresentado no dia 02 de Março em Sintra, no Centro Olga Cadaval e chega ao mercado três dias depois, informou a editora discográfica.

 

Além da edição tradicional em CD, o álbum, com a chancela da EMI Music Portugal, será publicado em edição digital e numa edição especial com 17 temas que inclui um DVD com o registo do concerto “Carminho no Lux”, realizado por João Botelho.

 

Os dois temas extra da edição especial são “Poema Original”, letra e música de Diogo Clemente, e “Praia Nua”, letra de António Calém e música de Helena Moreira Viana (Fado Lenitivo).

 

Tal como no álbum de estreia, “Fado”, Carminho assina um tema, “Folha” que interpreta na melodia do Fado Proença, de Júlio Proença.

 

O álbum, produzido por Diogo Clemente, que produziu o mais recente álbum de Mariza, “Fado Tradicional”, integra um total de 15 temas, alguns de repertórios de outros intérpretes, nomeadamente Vinicius de Moraes, Chico Buarque, Amália Rodrigues, Maria Amélia Proença e Fernanda Maria.

 

Entre as composições inéditas conta-se uma de Diogo Clemente, “Bom Dia, Amor (carta Maria José)", sobre Fernando Pessoa, uma outra de Mário Pacheco, para “Talvez”, letra de Vasco Graça Moura, e Vitorino assina a letra e música do “Fado Adeus”.

 

Diogo Clemente assina ainda a letra de “Ruas”, que a fadista gravou no Fado dos Sonhos, de Joaquim Frederico de Brito.

 

“Impressão Digital”, de António Gedeão, no Fado Helena, de Miguel Ramos, e “Disse-te adeus”, de Manuela de Freitas, na Marcha do Raul Pinto, são outros temas incluídos no CD.

 

Neste álbum a fadista, distinguida já com um Prémio Amália Revelação, em 2005, é acompanha por uma panóplia de músicos, nomeadamente Bernardo Couto, José Manuel Neto, Ângelo Freire, Luís Guerreiro e Mário Pacheco, na guitarra portuguesa, Diogo Clemente na viola e guitarra nylon, Marino de Freitas, no baixo acústico, Mário Franco, no contrabaixo, Ruben Alves, ao piano, e Quiné, na percussão.

 

A fadista, que gravou o “Fado das Queixas”, de Joaquim Frederico de Brito e Carlos Rocha, conta também com um ensemble de cordas constituído por Antonio Figueiredo e Katarina Majewska (violinos), Cecile Pays (viola de arco) e Daniela Gonçalves (violoncelo).

 

O álbum abre com “Lágrimas do céu”, de Carlos Conde na melodia do Fado Cravo de Alfredo Marceneiro. 


Outro “poeta popular” do fado que marcou a escrita fadista nas décadas de 1940 a 1960, escolhido por Carminho, é João Linhares Barbosa, falecido há 44 anos, de quem canta “Malva Rosa” e “Cabeça de vento”.

 

Entre outros temas repescados de repertórios de fadistas, cite-se “À beira do cais”, de Maria Amélia Proença, um tema assinado por António José e Manuel Viegas, “Saudades do Brasil em Portugal”, de Vinicius de Moraes que Amália Rodrigues também gravou, “As pedras da minha rua”, da dupla Eduardo Damas/Manuel Paião, uma criação de Fernanda Maria, e ainda "Meu namorado", de Chico Buarque e Edu Lobo.

 

“Alma” é o segundo álbum da carreira de Carminho, sucedendo a “Fado”, de 2009, e depois de ter gravado um dueto com Pablo Alborán que alcançou o primerio lugar no top de vendas espanhol e também no nacional.

 

Via HardMúsica

Quer ver a sua banda ou espectáculo divulgados aqui?,
envie um email para: olharparaomundo (arroba) sapo.pt
Se tem alguma letra que eu não tenha encontrado, pode enviar para o mesmo email