Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A Música Portuguesa

Em terras Em todas as fronteiras Seja bem vindo quem vier por bem Se alguém houver que não queira Trá-lo contigo também

A Música Portuguesa

Em terras Em todas as fronteiras Seja bem vindo quem vier por bem Se alguém houver que não queira Trá-lo contigo também

Os Pontos Negros gravam em Abbey Road

O grupo Os Pontos Negros parte no final do mês para Londres, onde vai gravar nos estúdios Abbey Road o terceiro disco de originais, que será editado no final de Abril.

 

“Vamos estar em Londres de 25 a 30 de Janeiro para gravar o novo disco”, contou Jónatas Pires, adiantando que a oportunidade surgiu através do radialista Henrique Amaro, da Antena 3, que desafiou a banda a gravar nos míticos estúdios, por onde já passaram bandas como os Beatles e os Pink Floyd.

 

“Quem é que não quereria gravar um disco num estúdio tão emblemático como aquele? A partir do momento em que se tornou possível realizar isto fomos em frente”, disse.

 

Os músicos estão agora “na fase final [de preparação do disco], com ensaios regulares”, para quando chegarem a Londres fazerem as coisas como sabem e gostam.

 

“No estúdio todas as bandas têm um método, um processo diferente. O nosso passa por aproveitar a química que existe entre os membros da banda para fazermos as coisas como se fazia antigamente, todos juntos na mesma sala a tocar, todos a olhar uns para os outros, para conseguirmos aquela química de banda que numa gravação com todos separados é mais difícil”, afirmou Jónatas Pires.

 

Ainda sem título, o terceiro disco de Os Pontos Negros será “mais pesado” do que o anterior “Pequeno-Almoço Continental”, de 2010.

“Se quiseres adjectivar com uma palavra, vai ser um disco mais pesado, tanto a nível da música como a nível das letras, do conteúdo”, disse o músico.


A banda pop rock decidiu direccionar o novo trabalho “um pouco para um sentido oposto” do que tinha feito no disco anterior.


“Foi uma fórmula que funcionou na altura, mas é uma coisa da qual nos queremos distanciar um bocadinho, porque todas as canções têm o seu tempo e como forma de não repetirmos o que está a ser feito. E obviamente estamos a fazer um disco para portugueses e para Portugal e pensamos também um pouco no contexto daquilo que vamos vivendo hoje no país”, afirmou Jónatas Pires.

 

O terceiro trabalho de originais de Os Pontos Negros será “curto”, não terá mais de oito ou nove músicas, e “muito conciso”.


“Um bocadinho mais maduros”, mas ainda no “campeonato sub-25”, Os Pontos Negros chegaram a este disco com “uma perspectiva mais clara” daquilo que querem e “um bocadinho mais intencionais”.

 

A viagem dos músicos a Londres e as gravações nos estúdios Abbey Road podem ser acompanhadas pelos fãs através da Internet, através das actualizações e vídeos que a banda vai partilhar na rede social Facebook e na sua página oficial.

 

Antes de partirem, Os Pontos Negros disponibilizam no dia 17 para descarregamento gratuito no site oficial um “pequeno EP digital”, com lados B, remisturas e versões ao vivo de canções dos dois álbuns de originais que já editaram.

 

Este lançamento é, nas palavras de Jónatas Pires, “o fechar de um ciclo e partir para o novo disco e coisas novas”.


D'Os Pontos Negros fazem parte os irmãos Jónatas Pires e David Pires, Filipe Sousa e Silas Ferreira.

 

Via HardMúsica

Quer ver a sua banda ou espectáculo divulgados aqui?,
envie um email para: olharparaomundo (arroba) sapo.pt
Se tem alguma letra que eu não tenha encontrado, pode enviar para o mesmo email