Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A Música Portuguesa

Em terras Em todas as fronteiras Seja bem vindo quem vier por bem Se alguém houver que não queira Trá-lo contigo também

A Música Portuguesa

Em terras Em todas as fronteiras Seja bem vindo quem vier por bem Se alguém houver que não queira Trá-lo contigo também

A fadista Mariza celebra dez anos de carreira com a edição de uma caixa que reúne os cinco álbuns de estúdio, desde o premiado “Fado em mim” ao mais recente “Fado tradicional”, de 2010, revelou a editora EMI.

 

“Fado em mim”, editado pela holandesa World Connection, deu a conhecer em 2002 uma fadista que rapidamente ocupou a ribalta internacional na área das músicas do mundo. O álbum valeu-lhe o Prémio da Crítica Alemã e o European Border Breaker Award, que recebeu em 2004 no MIDEM, em Cannes (França), tendo vendido mais de 100 mil cópias.

 

O álbum foi editado em Abril de 2002 e entre os temas popularizaram-se “Chuva”, de Jorge Fernando (produtor do disco), e “Ó gente da minha terra”, de Amália Rodrigues musicado também por Tiago Machado.

 

A fadista recebeu, depois, o Prémio BBC Radio 3 para a Melhor Intérprete Europeia na World Music e editou o segundo álbum, “Fado Curvo”, produzido por Carlos Maria Trindade, dos Madredeus.

 

Deste álbum, “Cavaleiro Monge”, de Fernando Pessoa musicado por Mário Pacheco, foi um dos sucessos, assim como “O silêncio da guitarra”, “Feira de Castro”, “Os anéis do meu cabelo”, de António Botto com música de Tiago Machado, e o tema que título ao álbum “Fado Curvo”.

 

Seguiu-se “Transparente”, produzido pelo brasileiro Jaques Morelenbaum que participa musicalmente também no álbum, nomeadamente no tema “Duas lágrimas de orvalho”, música do fado Pedro Rodrigues para uma letra de Carlos Conde.

 

O álbum conheceu uma versão espanhola com a fadista a interpretar em castelhano, com o cantaor flamenco José Mercé, “Há um música do Povo”, de Fernando Pessoa, musicado por Mário Pacheco, e “Meu fado, meu fado”, de Paulo de Carvalho. O jornalista espanhol Carlos Galilea foi o responsável pela adaptação das letras.

 

Neste álbum, além da homenagem a Carlos do Carmo, com a interpretação de “Duas lágrimas de orvalho”, a fadista homenageou também Amália Rodrigues, interpretando “Medo”, de Reinaldo Ferreira musicado por Alain Oulman.

 

O espanhol Javier Limón é o produtor que se segue, e em 2008 Mariza editou “Terra”, que conta com a participação da espanhola Concha Buika em “Pequenas verdades”.


Neste álbum, Mariza recuperou a canção “Rosa Branca” (José Guimarães/Resende Dias) e a morna de B. Leza, “Beijo de saudade”. Volta a Florbela Espanca, poetisa presente desde o primeiro álbum da fadista, de quem canta “Vozes do mar”, com música de Diogo Clemente.

 

A caixa, editada pela EMI Music Portugal, inclui o mais recente álbum da fadista, saído o ano passado, em que Mariza quis enfatizar o seu compromisso com as melodias tradicionais de fado, intitulando-o “Fado tradicional”. 


Desta feita o produtor foi o músico e seu viola acompanhador Diogo Clemente.


Mariza gravou a solo e com Artur Batalha o fado Sérgio, “Promete, jura”, com letra de Maria José Dâmaso. O álbum inclui, entre outros, o Fado Alfacinha, “Meninas dos meus olhos”, com letra de Fernando Pinto Ribeiro, o Fado Bailarico para umas quadras de Fernando Pessoa, outro poeta recorrente na discografia da fadista, e ainda Fado Zé António para um poema de autoria de Amália, “Ai, esta pena de mim”.

 

Mariza foi nomeada embaixadora da candidatura do fado a Património da Humanidade e é a mais internacional e premiada voz portuguesa da actualidade.

 

Via HardMúsica

Quer ver a sua banda ou espectáculo divulgados aqui?,
envie um email para: olharparaomundo (arroba) sapo.pt
Se tem alguma letra que eu não tenha encontrado, pode enviar para o mesmo email

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.