Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A Música Portuguesa

Em terras Em todas as fronteiras Seja bem vindo quem vier por bem Se alguém houver que não queira Trá-lo contigo também

A Música Portuguesa

Em terras Em todas as fronteiras Seja bem vindo quem vier por bem Se alguém houver que não queira Trá-lo contigo também

Dizem os próprios que "Os Ena Pá 2000 estão a produzir musica em português em Portugal há mais de 2000 anos. Este é o seu último disco desde o último disco que apresentaram, há cerca de 69 anos.


Os rumores sobre a morte dos Ena Pá 2000 são pois largamente exagerados, segundo os próprios.

E com o humor verruminoso que lhes é característico continuam:"Este disco demorou 6 anos a produzir, dos quais cinco para produzir um novo alfabeto que está no libreto, 11 meses para o resto da capa, 28 dias em sandes de couratos, bagaceira e alegre confraternização com senhoras respeitáveis e dois dias para a gravação".

E explicam o nome estranho dado ao novo trabalho: "Porquê o Álbum Bronco? Porque o Álbum Branco já estava ocupado, sendo o título de um disco de uns tipos estrangeiros, os Voyage - Voyage".

 

O Bronco e o Branco são tão diferentes como o branco casca de ovo e o branco champanhe ou como o castanho -chocolate e o castanho -café.

 

E lembrando o período complicado que se vive, conjecturam: "Vivemos tempos de crise. E nos tempos de crise o melhor a fazer é ouvir música muito estúpida, abjecta, atrasada mental, infantil e grosseira. Por qualquer razão, essa pele (que se observa na capa do Álbum) grossa protege-nos dos micróbios, parasitas, sanguessugas e germes da crise".

 

Falando sobre os disco e as canções que o integram: "As canções só aparentemente não são sobre temas profundos e sérios. Um olhar mais atento identifica (através do eco e do código Morsa) o Zeitgeist da nossa época. Exemplos? O problema da acumulação de lixo electrónico e as suas substâncias tóxicas é evidente na canção 'PDF'. A problemática da identidade na C.E.E. e a crise do euro está patente na canção - Fétiche “Mulher Portuguesa”.

 

A homo – canino -fobia em “Lulu”, o Amor - Cão em “Querida Lassie”, a nostalgia de um Cabo Verde anos 80 em “Imbondeiro”, etc.

 

Francamente, muito mais haveria para dizer, como por exemplo que com o disco vem não só mas também um luxuoso libreto da autoria do artista contemporâneo Orgasmo Carlos, o mais sólido pilar dos pilares da arte portuguesa e lusófona.

 

Por tudo isto e também para ajudar as vítimas da moda, comprem e recomprem o CD “O Álbum Bronco”, dos Ena Pá 2000. Se não comprarem hoje, podem ser atropelados por um TGV amanhã ou bater com a cabeça, apanhar parasitas nas partes baixas, ou uma camada de amnésia e esquecerem-se de comprar o disco. Isto é muito importante. E têm que manter a cadeia; isto é, depois de comprar o disco enviar o recado para mais 10 amigos para comprar. Isto dará extraordinária boa sorte. Explicaremos o processo noutra nota imprensa".

 

E terminam: "Este CD tem a colaboração prestigiante de convidados espaciais como Phil Mendrix, Rui Reininho, Tim e  Tomás Pimentel"

Update: A apresentação é no dia 13 DEZEMBRO . 2011 às 22h00 . entrada livre

Quer ver a sua banda ou espectáculo divulgados aqui?,
envie um email para: olharparaomundo (arroba) sapo.pt
Se tem alguma letra que eu não tenha encontrado, pode enviar para o mesmo email

2 comentários

Comentar post