Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A Música Portuguesa

Em terras Em todas as fronteiras Seja bem vindo quem vier por bem Se alguém houver que não queira Trá-lo contigo também

A Música Portuguesa

Em terras Em todas as fronteiras Seja bem vindo quem vier por bem Se alguém houver que não queira Trá-lo contigo também

 

Letra

 

Se ela vai sorriso morre
Se ela vai sorriso corre, para longe de mim

Se ela vai sorriso morre
Se ela vai sorriso corre, para longe de mim

Se ela vai embora
Eu fico sem chão
Fiquei sem certeza, de que foi em vão
Era o que eu queria, e ela não quis ver
Era tudo o que eu podia
E ela queria sem querer

Se ela vai sorriso morre
Se ela vai sorriso corre, para longe de mim

Se ela vai sorriso morre
Se ela vai sorriso corre, para longe de mim

Não, eu já não sei
No que é que eu errei
Contudo o que eu te dou
O que é que eu não te dei
Se te vais embora
Leva a estrela que á em mim
Deixa a lua comigo, para poder pensar em ti

Se ela vai sorriso morre
Se ela vai sorriso corre, para longe de mim

Se ela vai sorriso morre
Se ela vai sorriso corre, para longe de mim

 

Dia 29, 30 de Junho e 01 de Julho útlimos concertos da Temporada no O'culto da Ajuda

 
MÚSICA DE CÂMARA

banner_PauloChagas_MiguelMira.jpg

 

Suite para oboé e violoncelo - Paulo Chagas e Miguel Mira

 

29 de Jun. de 2017 21:30

O'culto da Ajuda
Lisboa, Portugal 

29 de Junho de 2017 | 21h30
O'culto da Ajuda | Lisboa


   

Suite para oboé e violoncelo de Paulo Chagas

 

Paulo Chagas oboé

Miguel Mira violoncelo

Suite para oboé e violoncelo de Paulo Chagas é uma composição onde se combinam elementos da escrita formal com grafismos não convencionais, cruzando-se material escrito com improvisação orientada. Estruturalmente a peça divide-se em oito secções com caracteres distintos entre si, onde a variedade estilística pode representar um desafio para os intérpretes, no sentido de alcançarem a coesão no somatório das partes. Trata-se pois de um exercício de transversalidade idiomática que evoca uma percepção sensorial global em diferentes dimensões – som, imagem, linguagem.

 

IMPROVISAÇÃO

O P E N 4 t e t - BECHEGAS | ESTEVES da SILVA | FAUSTINO | MITZLAFF

 

30 de Jun. de 2017 21:30

O'culto da Ajuda
Lisboa, Portugal 

30 de Junho de 2017 | 21h30
O'culto da Ajuda | Lisboa


 

O P E N 4 t e t

BECHEGAS | ESTEVES da SILVA | FAUSTINO | MITZLAFF

 

Carlos Bechegas flautas

João Paulo Esteves da Silva piano

Rui Faustino bateria

Ulrich Mitzlaff violoncelo

 

SINOPSE

open4tet BECHEGAS | ESTEVES da SILVA | FAUSTINO | MITZLAFF ::::::: estima  uma viagem  planeada, confirmando o itinerário familiar! Neste quarteto, de instrumentistas / compositores multifacetados, a espontaneidade opta por atalhos, não enjeitando a derrapagem controlada, para surpreender e ser surpreendido. No discorrer da improvisação aberta, em solos, duos... explorar ressaltos inusitados, é mote para seguir caminho indeterminado, propondo múltiplas possibilidades.

MÚSICA DE CÂMARA

Fersina, de Ricardo Guerreiro - estreia absoluta

 

1 de Jul. de 2017 21:30

O'culto da Ajuda
Lisboa, Portugal 

1 de Julho de 2017 | 21h30
O'culto da Ajuda | Lisboa


 

Fersina

 

Estreia absoluta de Fersina, de Ricardo Guerreiro, para clarinete baixo, saxofone tenor, eufónio, melódica, piano e electrónica (síntese sonora) gerada ao vivo, cuja composição foi inspirada pela leitura de “Veduta - Hörspiel” de Alberto Velho Nogueira.

Paulo Galão - clarinete baixo
Philippe Trovão - saxofone tenor
Pedro Frazão - eufónio
Manuel Guimarães - melódica
André Hencleeday - piano
Ricardo Guerreiro - computador

 
O’culto da Ajuda
Miso Music Portugal
art music centre
because sound matters
..............................................................
+ 351 213620382
 
Travessa das Zebras, nº 25/27, 
(à Calçada da Ajuda)
1300-589 Belém, 
GPS
Latitude=38.699070
Longitude=-9.198810
Lisboa, Portugal 

capitao fausto.jpg

 

 
Capitão Fausto contam histórias com música, no Festival Grant's Stand Together! 

Dias 1 e 2 de Julho no Porto -  Fundação de Serralves
  
 
Depois de duas noites esgotadas no Cinema São Jorge em Lisboa, o Festival Grant’s Stand Together volta ao Porto já este fim-de-semana, pela primeira vez naFundação de Serralves, para duas noites com sala esgotada.
 
À semelhança de Lisboa, uma série de personalidades cativantes aceitaram o convite do anfitrião Joaquim de Almeida e sobem a palco para partilhar histórias tão verdadeiras que nem vais acreditar: duas figuras míticas do cinema, António-Pedro Vasconcelos e Ricardo Trêpa; Capicua, a artista que mudou o panorama do Hip Hop; o carismático cantor Samuel Úria; o irreverente Tomás Wallenstein, vocalista de “Capitão Fausto” e o ator Jorge Corrula.

Depois da sessão de Storytelling, é altura dos DJ’s contarem histórias com a sua música.
O DJ Set de Capitão Fausto vai animar a festa com “UnBEATable Stories”, que é o mesmo que dizer – música que combina na perfeição com uma noite entre amigos e os cocktails deliciosos Grant’s.
 
Na segunda noite de Storytelling, Joaquim de Almeida já se sente em casa na Fundação de Serralves e desafia convidados especiais a virem ao palco partilhar histórias tão verdadeiras que nem vais acreditar.
O estilista Filipe Faísca já deixou a sua marca no mundo e vai revelar a sua experiência; o cozinheiro estrela Michelin Rui Paula; o comentador televisivo e promotor de moda Manuel Serrão também marca presença, assim como dois nomes incontornáveis da comédia nacional – o sensacional Eduardo Madeira e a grande Joana Marques. O comunicador e homem do norte Álvaro Costa completa o leque de storytellers numa noite imperdível
 
A segunda edição do Festival Grant’s Stand Together na magnífica cidade do Porto regista um cartaz imperdível, com a programação sempre a cargo da H2N Phenomena-Makers!
 
FUNDAÇÃO DE SERRALVES | PORTO 
 
|1 de Julho
Sala 1 | 21h30
Sessão de Storytelling - Joaquim de Almeida convida Samuel Úria, Tomás Wallenstein, Capicua, Ricardo Trepa, António Pedro Vasconcelos, Jorge Corrula

Duração: 120 mins

DJ Set Capitão Fausto | 23h30 - 03h00
"UnBEATable Stories” | Tomás Wallenstein, Salvador Seabra, Francisco Ferreira 

|2 de Julho
Sala 1 | 21h30
Sessão de Storytelling - Joaquim de Almeida convida Álvaro Costa, Eduardo Madeira, Chef Rui Paula, Filipe Faísca, Manuel Serrão, Joana Marques

Duração: 120 mins

festim.png

 

 

9ª edição do Festim já iniciou a viagem musical ao globo.


Depois de Yamandu Costa, seguem-se Bombino e Susana Baca no Festim!

O “violão” brasileiro de Yamandu Costa conquistou o público do Festim.
 

O Festim 2017 começou com toque de génio. O brasileiro Yamandu Costa fez a abertura da 9ª edição, com dois inesquecíveis concertos no Cineteatro Alba e no Quartel das Artes Dr. Alípio Sol, em Oliveira do Bairro. Esta semana, Bombino (29 e 30 de junho) e Susana Baca (1 e 2 de julho) levam o Festim para rua.

Depois de duas noites de abertura ao som do genial “violão” de Yamandu Costa, o Festim - festival intermunicipal de músicas do mundo prepara agora quatro dias de festa ao ar livre, a começar na próxima quinta-feira e até domingo, com dois grandes nomes: Bombino (Níger) e Susana Baca (Peru).
 
Bombino, um herói do povo tuaregue, traz o seu blues rock exótico ao Festim para dois concertos absolutamente mágicos. Na quinta-feira, 29 de junho, estará na Quinta do Torreão, em Albergaria-a-Velha. No dia seguinte, é a vez de Esmoriz (Município de Ovar), em plena Praça das Campanhas.
 
Depois, o Festim recebe a voz da diva peruana Susana Baca, levando-nos a uma viagem maravilhosa por séculos e continentes, com dois destinos: a 1 de julho, no Parque Urbano de Sever do Vouga; no domingo, 2 de julho, a canção afro-peruana volta a fazer-se ouvir na Praça das Campanhas, em Esmoriz (Ovar). Sempre pelas 22 horas.

Semana após semana, até 21 julho, o Festim leva o melhor das músicas do mundo aos Municípios de Águeda, Albergaria-a-Velha, Sever do Vouga, Ovar, Estarreja, Ílhavo e Oliveira do Bairro. Todos ao Festim!


http://www.festim.pt/
http://www.facebook.com/dorfeu.festim

Yamandu Costa (Brasil) | Bombino (Níger) | Susana Baca (Peru) | Hazmat Modine (EUA)  | Lura (Cabo Verde) | Les Violons Barbares (Mongólia, Bulgária, França) | Kočani Orkestar (Macedónia)
 
22 junho a 21 Julho 2017  |  9ª edição
ÁGUEDA * ALBERGARIA-A-VELHA * SEVER DO VOUGA
OVAR * ESTARREJA * ÍLHAVO * OLIVEIRA DO BAIRRO

 

Letra

 

SÓ ME LEMBRO DE TI
(Letra e música | Gonçalo Tavares)

EM CADA PASSO QUE TU DÁS, EM CADA GESTO TEU
QUERO ESTAR SEMPRE AO TEU LADO PRA TE VER
NAS RUAS DESSE LUGAR ONDE TUDO ACONTECEU
HÁ MILHÕES DE ESTRELAS PARA TE GUIAR

TU CHEGASTE DE UM PLANETA ASSIM
DE LUGARES QUE NÃO TÊM FIM
HOJE FICO A ESPERAR POR TI ATÉ DE MANHÃ

REFRAO

SÓ ME LEMBRO DE TI DE AMANHECER NO JARDIM
RIOS E MARES SEM FIM QUE VOU VOLTAR A PROCURAR
SÓ ME LEMBRO DE TI DE AMANHECER NO JARDIM
QUE AS PALAVRAS QUE OUVI DIZER, ALGUÉM ME FAÇA ENTENDER
SÓ ME LEMBRO DE TI

TU CHEGASTE DE UM PLANETA ASSIM
DE LUGARES QUE NÃO TÊM FIM
HOJE FICO A ESPERAR POR TI ATÉ DE MANHÃ

REFRAO

TENHO AS MÃOS CANSADAS DE ESCREVER
TENHO A VOZ CANSADA DE GRITAR
PONHO OS OLHOS NO AMANHECER
ESTES OLHOS QUE TE PODEM VER SÓ VÃO LEMBRAR

REFRÃO

 

the floyd.jpg

 

THE FLOYD PORTUGAL - TRIBUTO A PINK FLOYD

MÚSICA
29 JUL | 21:30H |6€
Classificação Etária M6
 
The Floyd Portugal são uma Banda Portuguesa de Tributo aos Pink Floyd, composta por músicos experientes, fãs de Pink Floyd, decididos a assumir uma qualidade indispensável que é requerida num espetáculo desta natureza, homenageando a banda britânica de Roger Waters, David Gilmour, Richard Wright, Nick Mason e Syd Barret, um dos mais bem sucedidos, importantes e inovadores grupos na história da música rock.

The Floyd Portugal, com o seu Tributo a Pink Floyd, pretende corresponder às expectativas da sua audiência com uma sonoridade muito aproximada à da banda original e uma componente cénica com vídeos, luzes e outros efeitos.
O repertório é composto pelos grandes sucessos de Pink Floyd, como: “Shine on you crazy diamond”, “Wish you were here”, “Another brick in the wall”, “Time”, “Money”, “ Learning to fly”, “ On the turning away”, “High Hopes”, “Run like Hell”, “Confortably numb”, entre outros inúmeros êxitos indo pois de encontro a quem assiste à performance de The Floyd Portugal.

 

Letra

 

[Refrão: Rael]
Por onde for, vivo a calçada
Transmite amor, mas ninguém viu nada
Que em cada calçada que eu estava, estava lá mudando o mundo
Muitos não percebiam que ali havia som de conteúdo

[Verso 1: Valete]
Errático como o Éder, tu és maçarico
Sou acrobático na batida, como o Frederico
Neneh Cherry com Paula Perry
A mescla daquele puro movimento anti-fashion
No rap podia ser John Legend ou Chuck Berry
Mas na verdade, eu quero ser Tigerman, o Legendary
O ativista que nunca se agacha
Pelo povo da Síria continuamos na marcha
Tu achas engraçado chachar lá no bar
E dizer que não tem portas, como Bashar Al Assad
Ele só difama a ordem lusitana do R.A.P
Difama mas nunca tira o pijama
Nunca trabalha, só joga na cama
Por isso é que não está no nosso organigrama
Eu represento o IKONO e rimo com idioma
Que destrona wannabes e deixa
Deixa o teu rap nas lonas
Não estás na caderneta, és só cromo da zona
Queres ser vedeta, então estuda os meus cromossomas
É música de encanto que te causa tanta dor
E como se este cantautor rimasse num matadouro

[Refrão: Rael]
Por onde for, vivo a calçada
Transmite amor, mas ninguém viu nada
Que em cada calçada que eu estava, estava lá mudando o mundo
Muitos não percebiam que ali havia som de conteúdo

[Verso 2: Emicida]
Eu tenho o que cães vadios têm: tudo
A eles, a fama, a nós, o mundo
Sarjeta de plateia, calça véia
Nessa dimensão, quebra a cabeça, monta os coração
Por isso as crianças dão atenção
Minha transa é com o som pasmo
Benze que sou Kendrick
Ou Hendrix fazendo a guita com orgasmo
Mente que independe de asno dispersa
Por isso eles visse, a gente versa
Sou rádio sem conversa
Ligo o extremo sem pedágio, igual a porra da Dersa
Sozinho no quarto, uma porrada dessa
É tipo trabalho de parto, mas fico e aqui começa
Gordo Rick Rozay, peso nas caneta
A pele preta estoca flow rei
Não é superficial estilo lá Dr. Ray
Calçadas e barulhos sacam hip-hop hooray

[Refrão: Rael]
Por onde for, vivo a calçada
Transmite amor, mas ninguém viu nada
Que em cada calçada que eu estava, estava lá mudando o mundo
Muitos não percebiam que ali havia som de conteúdo

[Ponte: Capicua]
Toda gente olhou a pedra
E ninguém viu o diamante
(Toda gente olhou a pedra
E ninguém viu o diamante)
Toda gente olhou a tela
E ninguém viu ali a arte
(Toda gente olhou a tela
E ninguém viu ali a arte)
Chapéu vazio no chão e um céu cheio de estrelas
(Chapéu vazio no chão e um céu cheio de estrelas)
E um milhão de sonhadores a tentar ser uma delas
(E um milhão de sonhadores a tentar ser uma delas)

[Refrão: Rael]
Por onde for, vivo a calçada
Transmite amor, mas ninguém viu nada
Que em cada calçada que eu estava, estava lá mudando o mundo
Muitos não percebiam que ali havia som de conteúdo

[Outro: Rael]
Ninguém viu, ninguém viu
Ninguém viu, ninguém viu
Ninguém viu, ninguém viu
Ninguém viu, ninguém viu
Ninguém

 

Quer ver a sua banda ou espectáculo divulgados aqui?,
envie um email para: olharparaomundo (arroba) sapo.pt
Se tem alguma letra que eu não tenha encontrado, pode enviar para o mesmo email