Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A Música Portuguesa

Em terras Em todas as fronteiras Seja bem vindo quem vier por bem Se alguém houver que não queira Trá-lo contigo também

A Música Portuguesa

Em terras Em todas as fronteiras Seja bem vindo quem vier por bem Se alguém houver que não queira Trá-lo contigo também

marta hugon.jpg

 

 
MARTA HUGON
 
 
Lisbon Living Room Sessions - 26 de Março
 
 
 Lisbon Living Room Sessions é um conceito criado por Joana Hecker e Ricardo Lopes, que desde Janeiro de 2015 organizam concertos em casas particulares. Em cada último Domingo do mês ocorre um destes concertos. Intimistas, estas sessões são inspiradas na tertúlia, para pessoas que gostam de fazer música e para pessoas que gostam de a ouvir. Tendo por base o jazz, o improviso é ilimitado, passando pelo flamenco, fado, folk, blues ou música clássica. Música de todo o mundo.
 
Sara Tavares, JP Simões, Carlos Barretto, Salvador Sobral ou Júlio Resende são alguns dos nomes nacionais, entre muitos, também internacionais, que já passaram pelas Lisbon Living Room Sessions.
 
No dia 26 de Março cabe a Marta Hugon apresentar-se ao vivo, numa sala de estar, em Lisboa, cujo espaço é limitado, e o acesso é aberto a quem se inscreva pelo endereço de mail lisbonlivingroomsessions@gmail.com. Entre as 17h00 e as 20h00, Marta Hugon irá estar acompanhada por  Oscar Graça no piano, Mário Delgado na guitarra, Nelson Cascais no contrabaixo e André Sousa Machado na bateria, e irá interpretar temas, não só, do seu último trabalho "Bittersweet" (2016), mas também dos anteriores "A Different Time" (2011), "Story Teller" (2008) e "Tender Trap" (2005), onde, certamente, não faltará uma boa dose de improviso.
 
Sobre Lisbon Living Room Sessions em
 
Sobre Marta Hugon em

 

Letra

 

LETRA : LOONY JOHNSON & LANDRICK

LOONY JOHNSON
1ºVERSO
OH NHA AMOR
OH NHA AMOR EH!
BO É TUDO NA NHA VIDA
DEZ KUANDO NO KONCHE
UM OIA LOG MÉ BO KI MI UN KRÉ

OH NHA AMOR
OH NHA AMOR
UN TA DA NHA VIDA PA BO
BO É DONA DI NHA CORÇÃO
BU TA POM DOENTI D'AMOR

OUAHH
SÓ DI TOKA NA BU BODY, BODY
HOJI UN KRÉ BEM DOB AMOR

COROS:

TONIGHT
SE BO FCA MA MI
UN TA PROMETEB
TONIGHT
UN TA FAZEB NHA RAINHA BABY
TONIGHT
SE BO FCA MA MI
UN TA DOB NHA AMOR
TONIGHT
UN TA SER BO REI
TONIGHT
E BO NHA RAINHA
TONIGHT

HOOK:
OUAHH
TXAM SER DI BO
OUAHH
DI BO EH!

LANDRICK
2º VERSO
CONTIGO É DIFERENTE
POR NINGUÉM TE TROCO
SENTIA NA CARNE
AGORA SINTO NO USO
OH! BABY
VOÇE TOCA LÁ
UH! BABY
VOÇE CHEGA LÁ
COMO NINGUÉM

OUAHH!
SÓ DE TOCAR NO TEU CORPO, CORPO ÉH
BABY VOU TE FAZER FELIZ

COROS:

TONIGHT
SE FICARES COMIGO
EU PROMETO
TONIGHT
VOU TE FAZER
MINHA RAINHA
TONIGHT
SE FICARES COMIGO
EU PROMETO UÉH
TONIGHT
EU VOU SER O TEU REI
TONIGHT
E TU MINHA
RAINHA
TONIGHT

HOOK:

OUAHH!
VOU SER SÓ TEU
OUAHH!
SÓ TEU UÉHH

PONTE:
LOONY JOHNSON

VEM FICAR COMIGO UÉH
TU ÉS A MULHER QUE HOJE VAI ME ENLOUQUECER
VAI ME ENLOUQUECER x2

HOOK:
LANDRICK

OUAHH!
VOU SER SÓ TEU
OUAHH!
SÓ TEU UÉHH

COROS:

TONIGHT
SE BO FCA MA MI U N TA PROMETEB LOONY JOHNSON
TONIGHT
VOU TE FAZER MINHA RAINHA LANDRICK
TONIGHT
SE FICARES COMIGO EU PROMETO UÉH LOONY & LANDRICK
TONIGHT
EU VOU SER TEU REI LANDRICK
TONIGHT E BO NHA RAINHA LOONYJOHNSON
TONIGHT

HOOK
LOONY JOHNSON & LANDRICK

OUAHH
TXAM SER DI BO
OUAHH
VOU SER SÓ TEU UÉH
OUAHH
TXAM SER DI BO
OUAHH
VOU SER SÓ TEU

 

municipios.png

 

 

CAMINHOS é um projeto de programação em rede que coloca a região do Médio Tejo na rota do turismo cultural. A filosofia do projeto assenta em três grandes momentos de programação anual que procuram divulgar e afirmar um Médio Tejo rico em património e acessível por diversas vias, que se entrecruzam e se desmultiplicam em inúmeras possibilidades de percurso e de experiências.

Assim, foram criados três roteiros que permitem conhecer os treze municípios associados, Abrantes, Alcanena, Constância, Entroncamento, Ferreira do Zêzere, Mação, Ourém, Sardoal, Sertã, Tomar, Torres Novas, Vila de Rei e Vila Nova da Barquinha.

Esta é uma iniciativa idealizada com a consciência de que os Caminhos são feitos por quem os percorre, seja numa base quotidiana seja pontualmente, cruzando-se com as paisagens, os monumentos, os espaços culturais, as casas, as praças e as ruas. E serão estes os espaços que acolhem os concertos, os espectáculos, os projetos de criação comunitária e os projetos criadores de percursos dos três roteiros.

O primeiro roteiro realiza-se de 11 a 16 de Abril com o Caminho do Ferro, onde estão em destaque municípios com estações ferroviárias (Abrantes, Entroncamento, Ferreira do Zêzere, Mação, Tomar, Vila Nova da Barquinha).

O ritmo da região vai ser marcado por atividades destinadas a todos os públicos, programadas de forma a que se caminhe por estas cinco cidades e se consiga, de forma gratuita, usufruir dos vários espectáculos multidisciplinares que o Caminhos oferece.

 
 
Programa Espetáculos
Quinta 13
12h00 Sopa Nuvem (Mação — Auditório Elvino Pereira)
15h00 Circo à Mostra, de Erva Daninha (Abrantes - Centro Histórico)
19h00 Xaral’s Dixie (Entroncamento - Est. Caminhos de Ferro)
21h30 Human Brush, de Vincent Glowinski    (Entroncamento - Museu Nac. Ferroviário)
23h00 Galandum Galundaina (Abrantes - Praça José Raimundo Soares)
Sexta 14
18h30 Andar, de Aldara Bizarro  (Tomar - Café Paraíso)
21h00 Baile dos Candeeiros, de Radar 360o (VN Barquinha – Castelo de Almourol)
Sábado 15
12h00 Sopa Nuvem (Mação - Auditório Elvino Pereira)
15h00 Circo à Mostra, de Erva Daninha (Tomar - Centro Histórico)
16h00 Olo, de Teatro de Ferro (VN Barquinha - Centro Cultural)
17h30 O cão que corre atrás de mim (e o avô Elísio à janela),  de Filipe Caldeira (Entroncamento - Centro Cultural)
18h30 Andar, de Aldara Bizarro (VN Barquinha - Parque Ribeirinho)
21h00 Baile dos Candeeiros, de Radar 360o (Mação - Centro Histórico)
21h30 Human Brush, de Vincent Glowinski   (Entroncamento - Museu Nac. Ferroviário)
Domingo 16
15h00 Circo à Mostra, de Erva Daninha (VN Barquinha - Parque Ribeirinho)
16h00 Olo, de Teatro de Ferro (VN Barquinha - Centro Cultural)
17h30 O cão que corre atrás de mim (e o avô Elísio à janela), de Filipe Caldeira (Entroncamento - Centro Cultural)
18h30 Andar, de Aldara Bizarro (Mação - Centro Histórico)
21h30 Ricardo Ribeiro (Tomar - Praça da República)

Num projeto concebido para o turistas e visitantes da região, mas também para os seus habitantes, os projetos comunitários de criação assumem particular relevância. Neste âmbito, cada roteiro valoriza uma área artística e, ao Caminho do Ferro, corresponde o momento da Dança. A Música e o Teatro surgem, respetivamente associados aos Caminhos da Água (Julho) e da Pedra (Outubro).
O espetáculo “Andar”, da coreógrafa Aldara Bizarro, será a marca da comunidade em Abril. É um grande projeto de criação que envolve 50 bailarinos amadores dos cinco municípios; juntos, vão criar um espectáculo que reúne a poesia de Ana Hatherly e o movimento de andar pelas ruas.

A dança é ainda reforçada pela presença de Vincent Glowinski, artista que ficou internacionalmente conhecido quando preencheu as paredes de Bruxelas com os seus desenhos gigantes. Apresenta no Museu Nacional Ferroviário "Human Brush", a sua primeira incursão em palco, que articula desenho, coreografia e tecnologia digital.

Também o "Baile dos Candeeiros" se propõe na área da dança. Um espetáculo mágico em que o corpo dos bailarinos dá vida à luz de belíssimos candeeiros de época e que envolve o público num baile espontâneo.

Os concertos realizam-se nas praças de Abrantes e Tomar com o grupo de música tradicional portuguesaGalandum Galundaina e o fadista Ricardo Ribeiro, respectivamente. E na estação do Entroncamento, poderá encontrar a Dixie Band dos Xaral´s Dixie.

Especialmente para pais e filhos, "Sopa Nuvem" e o "O cão que corre...", aliam em palco várias áreas, do cinema e música ao vivo, ao teatro físico e de objetos, propondo viagens emocionantes e poéticas pelas memórias de infância e interpelando-nos para as relações preciosas entre pais e filhos, avós e netos.

Paralelamente aos espetáculos, diversos criadores estão a realizar residências artísticas nestas cidades de modo a criarem percursos pedestres únicos que podem ser vivenciados nestes dias e posteriormente se tornarão um ativo para o turismo da região. São os "projetos criadores de percursos", através dos quais Marina Palácio, Paulo Carmona, o Teatro de Ferro, Violant e Yola Pinto proporcionam a habitantes e visitantes novos modos de caminhar pelo Médio Tejo.

Médio Tejo – Uma região a caminho

 

godinho.jpg

 

 

SÉRGIO GODINHO

PRÉMIO SOPHIA 2017

“SOBE O CALOR” RECEBE GALARDÃO DE “MELHOR CANÇÃO ORIGINAL” 

Em cerimónia ocorrida ontem no Grande Auditório do Centro Cultural de Belém, “Sobe o Calor” foi galardoada com o Prémio Sophia 2017 para “Melhor Canção Original”. O tema, interpretado por Sérgio Godinho, que contou com letra do próprio e música de Filipe Raposo, integrou a banda sonora do filme “Refrigerantes e Canções de Amor” realizado por Luis Galvão Teles para um argumento de Nuno Markl.

 

“Sobe o Calor” concorria com o original de Miguel Araújo “Será Amor” interpretado por Cesar Mourão para o filme “A Canção de Lisboa”; e, também do filme “Refrigerantes e Canções de Amor” - “Balada para uma dinaussaura” de João Tempera, interpretada por Ivo Canelas; e, algo inusitado, o tema “Sobe o Calor” mas na interpretação dos actores Lúcia Moniz e João Tempera.

A ligação de Sérgio Godinho à 7ª Arte é antiga e diversificada já que se traduziu nas variadas facetas da sua personalidade artística – como realizador, na série de três curtas “Ultimactos”; como co-argumentista em “Kilas, o mau da fita” de José Fonseca e Costa; ou até mesmo acumulando a contribuição para a banda-sonora e a participação como actor, nos filmes “Os Demónios de Alcácer-Quibir” de José Fonseca e Costa, “Nós por cá todos bem” de Fernando Lopes e ainda nas criações de Luis Galvão Teles “A Confederação” e neste último “Refrigerantes e Canções de Amor” em que interpretava o papel de “Navalhas”, um assassino a soldo. 

Entretanto, a par da preparação de um novo disco de originais com edição previsto para depois do Verão deste ano e da realização de concertos em Portugal e no estrageiro, Sérgio Godinho publicou muito recentemente o seu primeiro romance - “Coração Mais Que Perfeito” – que tem merecido por parte da media destaque de relevância. 

AGENDA CONCERTOS ABRIL:

01 ABR / AUDITÓRIO MUNICIPAL AUGUSTO CABRITA / BARREIRO
07 ABR / CONVENTO DE SÃO FRANCISCO / SANTARÉM
21 ABR / GONDOMAR
22 ABR / TEATRO MUNICIPAL / VILA DO CONDE
24 ABR / MOITA (“JUNTOS” com Jorge Palma)
25 ABR / MORA
29 ABR / “DIAS DA MÚSICA” / CENTRO CULTURAL DE BELÉM / LISBOA (com Filipe Raposo)

 

 

rodrigo serrao.jpg

 

 
Rodrigo Serrão apresentar-se-há dia 15 de Abril a solo neste espaço singular, carregado de simbolismo desde a sua construção em 1639, dedicado à prática eremítica dos Carmelitas Descalços.

O convento, situado no coração de um dos espaços de maior beleza natural em Portugal, a Mata Nacional do Buçaco, desde sempre reconhecido pelo convite à meditação e contemplação, é por isso o local ideal para um concerto intimista em que Rodrigo Serrão convidará o público a percorrer consigo os recantos emocionais mais profundos da alma, abordando temas como “Hei-de Amar-te a Vida Inteira”, “A minha Gente” ou “Regresso a Casa”.

O concerto terá início às 22h e as entradas poderão ser adquiridas no local, à chegada.
 
Preço – 5€

 

Letra

 

Diz-me o que queres, onde queres
Como e quando quiseres
Eu dou oh oh oh
Baby é só dizer

Sei bem o que queres
Ao fazeres
O sinal que é de nós dois
Baby é só dizer

Ya Ya Ya

Ao olhares para mim
No meio da multidão
Danças só p'ra mim e sabes que eu sei
Pode parecer que não mas estamos sozinhos
E quando acontecer ninguém vai perceber
Baby é só dizer

Ya Ya Ya

Ya Ya Ya

Baby é só dizer

Ya Ya Ya
Baby é só dizer
Ya Ya Ya

Sebastián Yatra

 

ty tienes mas 

de eso que you buscaba

yo voy a hablar

si te queda callada

tengo tantos besos para darte

pero tu no quieres ni mirarme

y al final voy a enamorarte

pero dejame hablarte

he intentado alejarme y no puedo

por estar en tus brazos me muero

tu me gustas tanto que no me aguanto

y estar sin ti no quiero

por amor me perdi tu mirada

con tus besos no hace falta nada

tu me gustas tanto que no me aguanto

y por siempre te buscaba

 

Ya Ya Ya

Baby é só dizer
Ya Ya Ya (Ya Ya Ya)

 

Ya Ya Ya

Baby é só dizer
Ya Ya Ya (Ya Ya Ya)

 

em qualquer lugar

basta tu dizeres o que queres fazer

em qualquer lugar

e quando acontecer ninguém vai perceber

baby é só dizer

 

Ya Ya Ya

Baby é só dizer
Ya Ya Ya (Ya Ya Ya)

 

Ya Ya Ya

Baby é só dizer
Ya Ya Ya (Ya Ya Ya)

north.jpg

 

 

North Music Festival, o primeiro grande festival do ano, anuncia cartaz nacional de luxo. 

É já no início de Junho que a cidade de Guimarães, mais precisamente o estádio D. Afonso Henriques, recebe o primeiro grande evento do calendário de festivais deste ano: o North Music Festival

Vocacionado para um público transversal, tem como objectivo proporcionar-lhes o melhor entretenimento possível num só local, nunca descurando o bem-estar e a segurança dos visitantes.

Estendendo-se por dois dias, terá mais de 20 atrações musicais, entre bandas e Djs, nacionais e internacionais, que subirão ao maior palco do norte. Dia 2 de Junho, o primeiro dia do festival, será mais vocacionado para o rock e o seguinte cheio das sonoridades mais pop, que habitualmente nos chegam pela rádio. 

Num claro manifesto de apoio ao que de melhor se faz na música nacional, o North Music Festival optou por anunciar em primeiro lugar os principais projectos portugueses a participar no evento.

Mas há muito mais surpresas para partilhar, por isso, o melhor mesmo é ficar atento a este que será, com toda a certeza, um dos maiores eventos de música do ano. 



 

Letra

 

Maria do Monte
Nascida e criada na encruzilhada
Que fica defronte da fonte sagrada
A lenda é antiga, mas há quem a conte
Que descia o monte, uma rapariga
Para beber na fonte

E àquela hora, por ela marcada de noite ou de dia
O Chico da Nora, na encruzilhada esperava a Maria
Seguiam depois, bem juntos os dois ao longo da estrada
Matar de desejos a sede com beijos, na fonte sagrada

Mas um certo dia
Como era esperada, na encruzilhada
Não veio a Maria à hora marcada
Seus olhos divinos, para sempre fechou
A aldeia rezou, tocaram os sinos
E a fonte secou

E àquela hora, por ela marcada de noite ou de dia
O Chico da Nora, na encruzilhada esperava a Maria
Mas oh Santo Deus, escureceram os céus, finou-se a beldade
E diz-se no monte, que a velhinha fonte secou de saudade

 

Quer ver a sua banda ou espectáculo divulgados aqui?,
envie um email para: olharparaomundo (arroba) sapo.pt
Se tem alguma letra que eu não tenha encontrado, pode enviar para o mesmo email