Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A Música Portuguesa

Em terras Em todas as fronteiras Seja bem vindo quem vier por bem Se alguém houver que não queira Trá-lo contigo também

A Música Portuguesa

Em terras Em todas as fronteiras Seja bem vindo quem vier por bem Se alguém houver que não queira Trá-lo contigo também

Zuuzaa + Wellman_Flyer Concerto Musicbox.png

 

 

ZUUZAA E WELLMAN AO VIVO NO MUSICBOX

 

O Musicbox Lisboa abre as suas portas no próximo dia 25 de Janeiro para acolher dois dos mais entusiasmantes projectos emergentes nacionais da actualidade: os Zuuzaa, com afiliação ao blues rock, e os WellMan, a despontar nos maravilhosos terrenos da indie pop/rock, ambos com o suporte da Music For All.

 

Os primeiros acordes soarão por volta das 22h, sendo que os bilhetes apresentam um custo de 6€.

O ano de 2016 marca a estreia de um dos projectos mais promissores da actualidade. São portugueses, dão pelo nome de Zuuzaa e propõem uma infusão de Rock, Blues e Soul com particular destaque para um coro feminino que nos transporta para os saudosos anos 60.

Após um intenso período criativo Rafael Ribeiro, guitarrista e vocalista, assumiu a árdua tarefa de formar uma banda que desse corpo, vida e sentimento às canções por si habilmente escritas. Primeiro muniu-se da doce voz de Inês Carvalho, sua amiga de longa data. Depois da talentosa dupla Mariana Matoso e Rafaela Pereira. Este distinto trio, de vozes marcadamente femininas, começou por colaborar numa só faixa. Contudo, rapidamente, se tornou perceptível que parte da magia da banda residia na alma, garra e emoção que as três davam às canções de Rafael Ribeiro. Foi com esta formação, que os então intitulados Zuuzaa & The Last Jesters, viram finalizadas as suas dez primeiras composições originais.

Com a entrada do baixista francês Matt Seybald e do baterista Bernardo Jorge a banda ganhou experiência e versatilidade, enriquecendo o seu trabalho em estúdio assim como a performance em palco. Graças aos contributos dos novos membros o número de temas originais subiu para 13 e o mês de Setembro marcou a estreia nos palcos nacionais.

Depois do lançamento do primeiro álbum de originais, intitulado “MARA”, está a decorrer o processo de gravação dos videoclips dos primeiros singles. Esta é também a fase em que surgem mais concertos e performances ao vivo, alimentando assim a paixão pelo palco, e pelo contacto directo com o público, espalhando a música, e a mensagem, por detrás de tão astutas criações.

Por sua vez os WellMan nasceram ao mesmo ritmo da amizade de Afonso Teixeira (vocalista), Afonso Lima (guitarrista), José Miguel Saraiva (baixista) e Mateus Carvalho (saxofonista), recém-conhecidos estudantes do primeiro ano de Direito.

Afonso Teixeira apresentou aos restantes membros uma série de originais que desejava que tivessem outra roupagem. Inicialmente apenas com o intuito de conferir às músicas uma outra dimensão, os cinco acabaram por "recriar" as mesmas. Em Junho de 2016, surgiu a oportunidade de ir a estúdio gravar os temas e aquilo que começou por ser uma forma de descontração da vida universitária sem qualquer divulgação pública, passou a ser uma verdadeira banda, à qual Afonso Teixeira emprestou o seu nome artístico (WellMan).

O quinteto que se move nas férteis águas do pop/rock, assume com orgulho a sua sonoridade viciante, envergando sempre um sorriso cativante e uma alegria contagiante. Para o primeiro trimestre de 2017 está marcado o lançamento oficial do seu single de estreia.

22 Jan, 2017

Caelum - O Jogo

 

Letra

 

Diz-me o que queres de mim
Sem controlar
Esperava ver-te assim

Sem desejar
Queres arder neste jogo?
As regras ditam o fogo
Apostas pairam no ar
Quero arriscar
Não!
Eu não sei se fui eu que errei
Quando a noite esteve em nós
Se perder, eu não vou esquecer
Em segredo a tua voz
Diz-me o que queres de mim
Não vou deixar
No que resta de ti
Vou viciar
Queres arder neste jogo?
As regras ditam o fogo
Apostas pairam no ar
Quero arriscar
Não!
Eu não sei se fui eu que errei
Quando a noite esteve em nós
Se perder, eu não vou esquecer
Em segredo a tua voz
Eu não sei se fui eu que errei
Quando a noite esteve em nós
Se perder, eu não vou esquecer
Em segredo a tua voz
Quero sentir que somos iguais
Mas mesmo assim, eu quero mais
Quero sentir que somos iguais
Mas mesmo assim, eu quero!
Eu não sei se fui eu que errei
Quando a noite esteve em nós
Se perder, eu não vou esquecer
Em segredo a tua voz
Eu não sei se fui eu que errei
Quando a noite esteve em nós
Se perder, eu não vou esquecer
Em segredo a tua voz

 

antonio zambujo.jpg

 

António Zambujo esgota dois concertos na Gulbenkian e confirma terceiro para apresentação ao vivo de "Até Pensei Que Fosse Minha" 

A estreia em Portugal do espectáculo do último álbum de António Zambujo, "Até Pensei Que Fosse Minha", vai ter uma terceira data na Gulbenkian Música.
Assim, para além dos concertos dos dias 1 e 2 de Março, totalmente esgotados, será realizado um terceiro concerto no dia 3 de Março para apresentar ao vivo este álbum, inteiramente composto por temas de Chico Buarque e quem em Portugal já atingiu a marca de Platina.
 
Lançado em Outubro de 2016, o disco apresenta vários clássicos do compositor brasileiro, contando com a participação de Carminho, Roberta Sá e o Trio Madeira Brasil, entre muitos outros músicos de renome. “Valsinha”, que Zambujo já tinha por hábito interpretar nos seus concertos, é um dos temas incluídos em Até Pensei Que Fosse Minha.
 
Depois de, em 2012, ter estreado na Gulbenkian Música o repertório do seu álbum Quinto, António Zambujo está agora de regresso para revelar este disco especial na sua carreira. É já antiga a ligação de Zambujo à música brasileira, apresentando com frequência ao Brasil o seu fado muito particular, com um travo a samba e bossa nova. O mundo, aliás, despertaria em definitivo para o músico português depois de Caetano Veloso escrever que “é um jovem cantor de fado (…) que faz pensar em João Gilberto” e “é de arrepiar e fazer chorar”.

 

Letra

 

Won't deny
One last try
Would you risk everything

For a long shot?
Would you stay
Through night and day
For a life that you know
Would be worth it?
Rising sun
Life is waiting
You're the brightest light
A new run
You can make it
Give it one last try
Feel the ride
Deep inside
And it's fair that you get
What you wish for
Close your eyes
No more lies
On the go you will know
That is worth it
Rising sun
Life is waiting
You're the brightest light
A new run
You can make it
Give it one last try
Ooh ooh, ooh ooh
Ooh ooh, ooh ooh
Give it one last try
Rising sun
Life is waiting
You're the brightest light
A new run
You can make it
Give it one last try
Life is waiting
You're the brightest light
You can make it
Give it one last try

 

fernando marques.jpg

 

 

O Fernando Marques Ensemble é um projecto musical que se enquadra numa corrente de renovação da Canção de Coimbra.

 

O principal enfoque deste projecto centra-se, por um lado, na valorização da palavra, através de uma estreita ligação à poesia, e, por outro lado, na abertura a outro tipo de instrumentos e linguagens musicais.

 

Apesar de uma preocupação estética que tem como horizonte a busca de novos caminhos, a paisagem musical não esquece a essência do canto e da guitarra de Coimbra, elementos nucleares da sonoridade coimbrã. Assim, os músicos que constituem o Fernando Marques Ensemble têm, na sua maioria, um percurso musical ligado a diversos grupos de fado de Coimbra, cantando ou acompanhando vários artistas em espectáculos e edições discográficas.

 

Desde a sua constituição, nos finais de 2010, o projecto tem-se apresentado em diversos palcos, destacando-se a participação na final do Festival Cantar Abril de 2011 e os concertos realizados em Lima (Peru-2015). 

 

http://www.fernandomarques-ensemble.com/

 

https://pt-pt.facebook.com/fernandomarquesensemble/

 

 

 

Letra

 

Longe de ti

 

 

Cada dia que passa sempre tudo tão igual

Sinto que em mim perdi o desejo por ti

Para ti não olho nem faço um sorriso sentido

Vejo apenas o rasto de tanto tempo perdido

 

Longe de ti quero estar

Mas sem ti eu não sei viver

Longe de ti

 

Tudo valeu a pena enquanto não me perdi

Porque em ti encontrava uma parte de mim

Mas quando procuro a cor, a vida, a paixão

E não a encontro és a razão desta prisão

 

Longe de ti quero estar

Mas sem ti eu não sei viver

Longe de ti quero estar

Mas sem ti eu não sei viver…

 

Tantas coisas por contar tantos momentos por viver

Tantos dias por sonhar, tantas palavras por dizer

 

Longe de ti quero estar

Mas sem ti eu não sei viver

 

Longe de ti quero estar

Mas sem ti eu não sei viver

 

Longe de ti quero estar

Mas sem ti eu não sei viver

 

Longe de ti…

 

Música: Ivan Pedreira

Letra: Ivan Pedreira e Carla Entrudo

 

ivan.jpg

 

 

Depois do single “Ser Alguém”, Ivan Pedreira apresenta o novo single e vídeo “Longe de Ti”, tema que faz parte do álbum “Fuzamiura” editado em formato digital pela Farol Música em Outubro de 2016.

 

Fuzamiura é o seu  projecto (composição, produção, baixo e voz). Tem a colaboração de Bruno Nogueira (Nozes)  – guitarra e produção) e de Carla Entrudo (letras).

 

O nome do álbum assenta na dualidade masculino/feminino que reside no interior de cada um e no centro de todos os relacionamentos: Fuza, a sensibilidade, delicadeza e fragilidade do lado feminino; Miura, a força, robustez e determinação do lado masculino. A mensagem a retirar do disco é a de que todos têm valor, mesmo que ainda não o tenham descoberto em e para si próprio. Que cada dia é um novo dia, com uma nova energia, com uma nova oportunidade de se respeitarem e serem felizes.

 

 

 

Quer ver a sua banda ou espectáculo divulgados aqui?,
envie um email para: olharparaomundo (arroba) sapo.pt
Se tem alguma letra que eu não tenha encontrado, pode enviar para o mesmo email