Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A Música Portuguesa

Em terras Em todas as fronteiras Seja bem vindo quem vier por bem Se alguém houver que não queira Trá-lo contigo também

A Música Portuguesa

Em terras Em todas as fronteiras Seja bem vindo quem vier por bem Se alguém houver que não queira Trá-lo contigo também

marcorodrigues.jpg

 

MARCO RODRIGUES

REGRESSA COM «FADOS DO FADO»



QUARTO ÁLBUM MARCA HOMENAGEM AOS HOMENS DO FADO

«A Rosinha dos Limões» é a primeira amostra do disco que
chega às lojas a 10 de Julho, assinalando o arranque das edições mundiais à sexta-feira
 
 
Marco Rodrigues está de volta: «Fados do Fado», o seu quarto álbum, vai ser editado a 10 de Julho, com o selo da Universal Portugal. Com produção de Diogo Clemente (que já trabalhou, por exemplo, com Mariza ou Raquel Tavares), «Fados do Fado» é um registo genuinamente diferente num percurso, desde sempre, ímpar – pela primeira vez sem originais, é um disco dedicado aos homens do fado.
 
«O fado vive da criatividade dos intérpretes»: quem o afirma é o próprio Marco Rodrigues. No entanto, em «Fados do Fado», a reverência estende-se a outros homens - aos que cantaram o fado, sim, mas também aos que o compuseram e aos letristas que deram a palavra a «fados que fazem parte do meu crescimento, que ouvi ao vivo por vários intérpretes ou que aprendi a cantar com outros discos». «Ai Se os Meus Olhos Falassem» ou «Trigueirinha», «Vendaval» ou «A Rosinha dos Limões», o primeiro single, são pedras preciosas que remetem para nomes como Carlos do Carmo mas também para Tristão da Silva, Jorge Fernando ou Tony de Matos, entre tantos outros, e marcam a viagem de «Fados do Fado», que foi gravado no Estúdio 6, com Diogo Clemente na viola, e as guitarras portuguesas a ganharem vida com Ângelo Freire, Guilherme Banza e Luís Guerreiro.
 
Ao chegar às lojas a 10 de Julho, «Fados do Fado» carrega, ainda, uma novidade: foi essa a data escolhida, mundialmente, para a sincronização dos novos lançamentos. Em todo o globo, a partir de 10 de Julho, quando se pensar em edições, pensa-se em sexta-feira - tornando a despedida da semana uma espécie de dia oficial da música.
 
Vencedor da Grande Noite do Fado, em 1999, e do Prémio Revelação Amália Rodrigues, em 2007, ao longo de mais de década e meia de carreira, o fado de Marco Rodrigues já viajou pelo país e pelo mundo, com concertos em Londres, no Royal Festival Hall, com Mariza, ou no HSBC, em São Paulo, com Maria Gadu. Estreou-se nos discos em 2006, com «Fados da Tristeza Alegre», ao qual se seguiram «Tantas Lisboas» e «EntreTanto», álbuns que apresentaram um fadista sedento de conhecimento mas também numa constante senda por novas experiências. Ao quarto registo, no entanto, Marco Rodrigues dá um passo de gigante: «Fados do Fado» é, mesmo, o seu disco de afirmação.
 

 

 

 

Letra 

 

Quando ela passa, franzina e cheia de graça,
Há sempre um ar de chalaça, no seu olhar feiticeiro.
Lá vai catita, cada dia mais bonita,
E o seu vestido, de chita, tem sempre um ar domingueiro.

Passa ligeira, alegre e namoradeira,
E a sorrir, p'rá rua inteira, vai semeando ilusões.
Quando ela passa, vai vender limões à praça,
E até lhe chamam, por graça, a Rosinha dos limões. 

Quando ela passa, junto da minha janela,
Meus olhos vão atrás dela até ver, da rua, o fim.
Com ar gaiato, ela caminha apressada,
Rindo por tudo e por nada, e às vezes sorri p'ra mim... 

Quando ela passa, apregoando os limões,
A sós, com os meus botões, no vão da minha janela
Fico pensando, que qualquer dia, por graça,
Vou comprar limões à praça e depois, caso com ela

 

vozeguitarra.jpg

 

 

ENCERRAMENTO FESTAS DE LISBOA’15 - VOZ E GUITARRA

3 E 4 JULHO, TERREIRO DO PAÇO, 22H - ENTRADA LIVRE

 

Festas de Lisboa’15 encerram com duas noites, dois instrumentos – Voz e Guitarra - e 28 artistas portugueses, no Terreiro do Paço, dias 3 e 4 de Julho, às 22h.

Duas noites de música a céu aberto, no Terreiro do Paço, encer­ram um mês de fes­tas na cidade, con­vi­dando 28 artis­tas a inter­pre­tar um vasto reper­tó­rio de música por­tuguesa.

Voz e Guitarra nasce de um projecto discográfico com direcção artística de António Miguel Guimarães e Manuel Paulo e ganha forma nestes concertos com a direcção musical de Tim. Conta já com duas edições discográficas (1998 e 2013), tendo a primeira sido apresentada num grande concerto no Festival dos 100 Dias.

Além dos intérpretes de voz e guitarra, os concertos contam com António Jorge Gonçalves, responsável pela criação – ao vivo - da cenografia, com imagens e desenhos projectados, acrescentando uma nova dimensão a todo o espectáculo.

Três gerações de artistas mostram o que de melhor se tem feito na música portuguesa nos últimos 30 anos, numa harmonia entre voz e guitarra, em torno de versões e de temas originais.

 

3 de Julho

David Fonseca, Dead Combo, Filipe Cunha Monteiro, Gisela João, Jorge Palma, Kalu, Luísa Sobral, Luís Represas, Mafalda Veiga, Márcia, Mário Delgado, Norberto Lobo, Olavo Bilac, Tim, António Jorge Gonçalves

 

4 de Julho

Ana Bacalhau, Ana Deus, António Zambujo, Carlos Nobre, João Pedro Pais, Luís Varatojo, Miguel Araújo, Moz Carrapa, Rita Redshoes, Samuel Úria, Sara Tavares, Sérgio Godinho, Tim, Vitorino, António Jorge Gonçalves

flyer_FnacVasco_AR-DE-KOTA.png

 

 

O “Cais do Sodré” dos Ar De Kota Blues Band viaja por Lisboa

 

Os Ar De Kota Blues Band têm um novo álbum, “Cais do Sodré”, e, depois da festa de lançamento – que aconteceu no Fontória Blues Caffe, em Lisboa –, vão fazer dois showcases na FNAC do Centro Comercial Vasco da Gama (dia 4, às 17h00) e do Alegro Alfragide (dia 5, também às 17h00). Editado no passado dia 5 de junho com o selo da Music In My Soul, este trabalho promete consolidar a já longa carreira destes músicos.

 

Os Ar De Kota Blues Band apresentam, tal como o nome indica, um Blues cantado em português, que funde o acústico grave com pequenos solos agudos da guitarra elétrica. As notas cantadas numa frequência baixa e arranhada, altamente expressivas, transportam quem as ouve para o tempo em que o Blues era imperante nas noites das grandes capitais.

 

A banda nasceu em 2013 por iniciativa do cantor Sérgio Romano e o nome (“Ar de Kota”) surgiu em tom de brincadeira, já que os elementos mantêm um espírito jovial. Criado com o objetivo de gravar e acompanhar Sérgio Romano em espetáculos de apresentação do álbum “Fora da Lei”, o projeto apresenta agora um novo trabalho.

 

“Cais do Sodré”, o single de apresentação, ostenta-se de forma sedutora com uma estrutura agradavelmente repetitiva, típica do Blues old school, homenageando o melhor desta icónica zona de Lisboa. Todo este trabalho não seria possível sem a colaboração do produtor Fernando Abrantes, cujo trabalho e profissionalismo é amplamente reconhecido no seio da indústria musical nacional. Neste trabalho, Fernando foi o responsável pela coordenação técnica, produção e gravação.

 

Os Ar De Kota Blues Band vão além da música, assumindo também a missão de marcar a diferença ao nível da responsabilidade social. O projeto que tem como principal objetivo auxiliar os idosos mais carenciados, agregando-se a associações sem fins lucrativos cuja missão seja aumentar a qualidade de vida da população portuguesa sénior.

panda.jpg

 

PANDA E OS CARICAS

Novo CD e DVD já nas lojas



"Panda Style" é o novo grande sucesso

"Panda e os Caricas 3" é o novo disco do Panda e os seus amigos e chegou ontem às lojas em CD e DVD. O disco inclui sucessos "Aula de Inglês", "A Minha Família" e "O Areias", para além do êxito "Panda Style", cujo vídeo foi já visto mais de 500 mil vezes na Internet em pouco mais de duas semanas.
 
O disco chega ao mercado após uma digressão do Panda e os Caricas em África, onde deram espetáculos - todos eles esgotados - em Maputo, Benguela, Lubango e Luanda.
 
"Panda e os Caricas 3" promete fazer as delícias dos mais pequenos com músicas divertidas e alegres mas também com faixas educativas. O Panda e os amigos estão também a preparar uma nova digressão para o Natal deste ano.
 
O Matias, a Clarinha, a Pipa e o Pedro conquistaram a amizade do Panda - mas também cativaram a atenção e o carinho das crianças portuguesas. Foram esses meninos e meninas que tornaram o primeiro "Panda e os Caricas" um caso raro de sucesso: o CD e o DVD, que foi número 1 das tabelas durante meses, vendeu mais de 70 mil unidades.
 
Com cenários coloridos, coreografias divertidas e canções memoráveis, o Panda e os seus amigos estão agora de volta com mais um disco que vai animar as crianças neste verão.

tomdefesta.jpg

 

500 ANOS AO TOM D'ELA

Momento artístico único para celebrar os 500 anos do foral de Besteiros

Concerto Comemorativo dos 500 Anos do Foral de Besteiros

14 de julho a partir das 22:00h no Largo Dr. Ferraz de Carvalho

Ana Bacalhau + Filipe Melo + Samuel Úria

Orquestra e arranjos: A Cor da Língua ACERT

 

Três músicos de eleição, com a particularidade de serem tondelenses numa diáspora que, longe de os afastar das terras de besteiros, exerce em cada um deles um fascínio traduzido em regressos contínuos. Consta que foi o próprio Rei D. Manuel, monarca que outorgou o Foral a Tondela em 1515, que exigiu à Câmara de Tondela que, com a ACERT, produzisse um momento musical mágico com Ana Bacalhau, Samuel Úria e Filipe Melo e os  músicos d’A Cor da Língua ACERT. E como “palavra de rei não volta atrás”, reuniram-se os vassalos, arregaçaram-se as músicas e criou-se uma aventura que ficará na história, não sem antes ser o concerto de abertura do Tom de Festa — Festival de Músicas do Mundo ACERT’15. 

Contar o que vai acontecer neste concerto seria revelar o que continuamente a imaginação e a paixão aumentam de dia para dia. Podemos revelar que o espetáculo terá uma componente visual forte, tirando partido do edifício do Tribunal que lhe serve de fundo, mas que temas serão interpretados com a orquestra que está a criar versões novas? Como se estabelecerão os casamentos musicais desta mui nobre e talentosa realeza? Uma certeza poderão ter todos aqueles que se sentem empolgados com esta arrojada façanha: nada será como dantes em Tondela e no Mundo, a partir deste concerto que terá o tribunal como cenário e a Serra do Caramulo como inspiração. A todo o momento, os arautos darão conta da batalha, transmitindo as táticas e os convidados locais a que se juntarão para cantar “500 anos ao Tom D'ela”.  

Quer ver a sua banda ou espectáculo divulgados aqui?,
envie um email para: olharparaomundo (arroba) sapo.pt
Se tem alguma letra que eu não tenha encontrado, pode enviar para o mesmo email