Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A Música Portuguesa

Em terras Em todas as fronteiras Seja bem vindo quem vier por bem Se alguém houver que não queira Trá-lo contigo também

A Música Portuguesa

Em terras Em todas as fronteiras Seja bem vindo quem vier por bem Se alguém houver que não queira Trá-lo contigo também

José Mário Branco recebe Prémio Tenco em outubro

O cantor, compositor e poeta José Mário Branco, de 72 anos, recebe em outubro, o Prémio Tenco 2014, atribuído pelo Clube Tenco, que procura homenagear a memória do cantor Luigi Tenco, que morreu em 1968.

”Esta distinção pretende destacar a carreira do cantautor português e a contribuição que a sua obra e ativismo tiveram no desenvolvimento das artes e da sociedade”, afirma em comunicado a promotora de José Mário Branco.

O músico recebe o prémio no próximo dia 2 de outubro, em San Remo, em Itália, e participará no espetáculo musical que se realiza no Teatro Del Casinò, e que contará ainda com a participação da cantora grega Maria Farantouri, do coletivo checo Plastic People Of Universe e do índio norte-americano John Trudell.

O Prémio Tenco existe desde 1974 e já foi entregue, em edições anteriores, aos portugueses Sérgio Godinho, em 1995, e Dulce Pontes, em 2004.

Leo Ferré, Vinicius de Moraes, Jacques Brel, Leonard Cohen, Sílvio Rodriguez, Tom Waits, Caetano Veloso e John Cale, são alguns dos nomes já distinguidos com este galardão.

José Mário Branco gravou o seu primeiro disco, "Seis Cantigas de Amigo", em 1967. A sua discografia inclui, entre outros trabalhos, "Mudam-se os Tempos, Mudam-se as Vontades" (1971), "A Cantiga é uma Arma" (1976), "Ser Solidário" (1982), "A Noite" (1985), "Correspondências" (1990) e "Canções Escolhidas" (1999).

José Mário Branco tem trabalhado com outros músicos e compositores, nomeadamente Amélia Muge, Gaiteiros de Lisboa, Camané, Rui Júnior e José Peixoto.

No álbum duplo "Maio Maduro Maio", gravado ao vivo e editado em 1995, surgiu ao lado de João Afonso e Amélia Muge a cantar temas de José Afonso. Dos seus concertos, há seis anos, no Centro Cultural de Belém, Teatro da Trindade, Coliseu do Porto e Teatro Académico Gil Vicenet surgiu o registo "José Mário Branco ao Vivo em 1997".

José Mário Branco apresentou-se, há muito tempo, como "português, pequeno burguês de origem, filho de professores primários, artista de variedades, compositor popular, aprendiz de feiticeiro".

Numa entrevista à Lusa afirmou-se como um “apaixonado por um ativismo intervencionista”.

 

Retirado do Sapo Música

 

 

Letra

 

JÁ FAZIA IDEIA MAS EU NUNCA IMAGINEI
SER POSSÍVEL AMAR ASSIM COMO NUNCA AMEI NINGUÉM
TER POR PERTO UMA PRINCESA QUE EU PRA JÁ SEMPRE SEREI
O PRÍNCIPE ENCANTADO, AMOR ETERNO, SEREI REI

SOMOS FEITOS UM DO OUTRO A TUA AURA É COMO A MINHA
NOSSA PELE É COMO TECIDO TIPO PEDAÇO DE SEDA FINA
TRANSPARENTE COMO A ÁGUA CINTILANTE E CRISTALINA
É BRILHO DOS TEUS OLHOS TÃO BRILHANTE E PURPORINA

E ACREDITA NO QUE DIGO PORQUE SIM TU ÉS A TAL
NOSSO MUNDO É FANTASIA MAS O MUNDO É BEM REAL
SÃO MOMENTOS TRANSFORMADOS EM DIAS DE CARNAVAL
E APRENDEMOS UM COM O OUTRO QUE CADA DIA É O IDEAL

CONSTRUÍMOS, DESENHAMOS BRINCADEIRAS NO PAPEL
COMPANHEIRA DOS MEUS SONHOS BEM PINTADOS A PINCEL
TEU SORRISO É A TUA ALMA E COMO O PÓLEN 'TÁ PRO O MEL
NOSSO AMOR É PRECIOSO COMO A HISTÓRIA DO ANEL

EU NUNCA TIVE MUITO MAS A TI NÃO VAI FALTAR
TUDO AQUILO QUE EU TE DOU NUNCA VAI NINGUÉM TIRAR
NÃO ENQUANTO EU ESTOU AQUI, POIS ENQUANTO AQUI ESTIVER
SERÁS SEMPRE A MINHA LUZ, PROTETORA E FIEL

PROTETORA E FIEL, PROTETORA E FIEL...

ESCUTA...

OLHOS QUE NÃO FALAM LOGO O CORAÇÃO NÃO OUVE
E OS MEUS OLHOS NÃO SE CALAM MINHA VIDA, MINHA LOVE

DESDE O DIA EM QUE NASCESTE NÃO PAREI DE OLHAR POR TI
SENTIMENTO APURADO DESDE O DIA EM QUE TE VI, SIM
ESPERO ACOMPANHAR-TE SEMPRE QUE DER PRA ESTAR AQUI
MESMO QUANDO A NOITE CAI, APROVEITO O QUE VIVI

TEMOS SEMPRE AQUELES MOMENTOS EM QUE O FÔLEGO VEM E VAI
MAS MAGIA É O QUE TU FAZES SEMPRE QUE ME CHAMAS PAI

SEMPRE QUE ME CHAMAS PAI...

MAS TU BEM SABES PAI, QUE EU PRA TI SEMPRE SEREI
UM SONHO DE CRIANÇA, O MAIS LINDO QUE SONHEI
VOU-TE DAR ALGUM TRABALHO MAS É MESMO ASSIM EU SEI
SEI QUE VAI VALER A PENA, TANTO SONO QUE TIREI

PAI TU DÁS-ME A LIBERDADE MAS SEM TI SINTO SAUDADE
EU NÃO QUERO SÓ UM MIMO, QUERO UM MIMO DE VERDADE
COMO SÓ TU SABES DAR, AMOR CARINHO E AMIZADE
ANDA LÁ BRINCAR COMIGO ANTES QUE SE FAÇA TARDE

NOSSO ELO VAI FICAR PARA ALÉM DA ETERNIDADE
E NO ESPAÇO PAIRARÁ ETERNA NUVEM DE SAUDADE
PORQUE O NOSSO MUNDO FILHA, É TÃO PURO E TÃO VERDADE
COMO SÓ QUEM SABE DISSO SOMOS NÓS EM IGUALDADE

GOSTARIA DE INVENTAR NOVA MÁQUINA DO TEMPO
PARA SEMPRE VIAJAR E VOAR ATRÁS DO VENTO
RECORDAR AQUELES TEMPOS QUE VIRARAM MONUMENTO
SÃO MEMÓRIAS DE UMA VIDA D'OUTRA VIDA EM CRESCIMENTO

TANTAS VEZES QUE SONHEI COM O TEU PRIMEIRO DESENHO
E CADA VEZ QUE RIS PRA MIM VOU ATÉ AO CÉU E VENHO
VEJO TANTA COISA EM TI, TANTA COISA COMO EU TENHO
COMO O TEU PRIMEIRO PASSO, DESDE CEDO O TEU EMPENHO

ENSINAR-TE E EDUCAR-TE ESTAR CONTIGO EM TODA A PARTE
E APRENDER COM UMA CRIANÇA PARA MIM NUNCA FOI TARDE
PORQUE DAR E RECEBER SEM COBRAR É UMA ARTE
NOSSOS LAÇOS SÃO ASSIM E SÓ DESEJO QUE NUNCA ACABE

MAS TU BEM SABES I, QUE EU PRA TI SEMPRE SEREI
SEREI COMO EU SEMPRE FUI MAS MUITO MAIS DO QUE PENSEI
VAIS-ME DAR ALGUM TRABALHO MAS É MESMO ASSIM EU SEI
SEI QUE VAI VALER A PENA, TUDO AQUILO QUE PASSEI

PAI TU DÁS-ME A LIBERDADE MAS SEM TI SINTO SAUDADE
EU NÃO QUERO SÓ UM MIMO, QUERO UM MIMO DE VERDADE
COMO SÓ TU SABES DAR, AMOR CARINHO E AMIZADE
ANDA LÁ BRINCAR COMIGO ANTES QUE SE FAÇA TARDE

Red Rose Motel

 

Red Rose Motel é uma banda com influências rock, indie, funk e blues formada em 2009.

 

Célia Ramos, Francisco de Macedo, João Loureiro e Rui Malvarez, compõem a formação que nasceu para criar de forma colaborativa, absorvendo um pouco de cada um.

 

As letras contam histórias em inglês e português, e os ritmos mais melancólicos coabitam no repertório com melodias vivas, porque a identidade do seu trabalho não se encerra num só estilo.

 

Depois de vários anos de concertos e crescimento enquanto grupo, os Red Rose Motel lançam em 2014 o seu primeiro álbum homónimo nas plataformas digitais. São 11 temas originais que expressam a sua dedicação à música, a criatividade na composição e, sobretudo, a vontade de partilhar esta arte única. 

 

“Here We Stand” é o single de apresentação.

 

Letra

 

Seguiu no seu caminho dourado
Escolheu a ilusão
Não percebeu que era arriscado
Viver na escuridão do dia

Tapou os olhos para não escolher
O que o destino desejava
Escondeu com folhos para não ver
O que a luz denunciava

E assim viveu na mentira
Com o futuro embargado
Presa ao presente que delira
Com a febre do passado

Escondida numa rocha invisível
Aos olhos da crueldade
Meio perdida na certeza
Da imutável realidade

Acomodou-se à vil rotina
De não ser para não sofrer
Ficou tapada pela cortina
Do dever e do parecer

Pensou não ser capaz
Ficou a olhar para trás
Não soube ser audaz à luz do dia

Esperou até que a sorte
Lhe indicasse o Norte
E o tão esperado corte nunca aconteceu...

Novo disco: Vatsun - Igual EP

 

Novo: Vatsun - Igual EP

Está agora disponível para download no Bandcamp.

"Tem moogs, violinos, e caixas de ritmos.
Fala das pessoas que respondem a telefonemas.
Fala das pessoas que não respondem a telefonemas.
Assume-se igual a tudo o resto."

Autor: Vatsun

Disco: Igual EP (14 min)

1. Igual (3:31)
2. Voltas (4:03)
3. A Mal ou a Bem (3:33)
4. Ginga (2:59)

Download (Bandcamp)
Uma edição da Grado

 

 

 

Letra

 

Como um porto de abrigo
Oásis em pleno deserto
Como um abraço amigo
É tão bom ter-te por perto

Como quem escreve um diário
Ou me sussurra ao ouvido
Como num gesto solidário
É tão bom ter-te comigo

Eu não sei como te dizer
Nem sequer como o demonstrar
Mas sei que nunca vou esquecer
O quanto eu gosto de aqui estar

O bom que é aqui chegar
O privilégio de sentir
Que também há neste lugar
Um pouco do meu existir

CHERRY  CHERRY ANUNCIA DATA E CAPA DE

 

CHERRY

CHERRY ANUNCIA DATA E CAPA DE "LONDON EXPRESS"

O álbum de estreia de Cherry já tem data marcada: "London Express" vai chegar às lojas e às plataformas digitais a 13 de Outubro, editado pela mão da Universal Music Portugal, em parceria com a Blim Records.
 
A apaixonante voz revelação nasceu em Lisboa, mas vive e trabalha actualmente em Londres. O disco é uma colecção de 11 canções, 11 histórias sobre mulheres (reais e do nosso imaginário), contadas e cantadas numa pop melódica, composta de momentos alegres e melancólicos, abertos a interpretações.
 
O primeiro cartão de visita do disco, "Five Knives", já tem vídeo, faz parte da banda sonora da novela O Beijo do Escorpião (TVI) e entrou em airplay em diversas rádios nacionais.

 

 

letra

 

High speed love 

High speed, high speed, 
high speed love. 

High speed love, 
high speed love 
is dead, 
is on my TV screen. 
I think I'll stay in bed 
so I don't have to see. 

High speed, high speed, 
high speed love. 

High speed love, 
high speed love, 
is strange, 
there are limits to being weird 
and limits for feeling sick. 
We don't even know what to do, 
the border is way behind 
and the police are after you. 

High speed love, 
high speed love. 
(I'm on high speed love, 
is this love at all? 
I'm on high speed love 
and I just don't want to go home)

credits

from The Imaginary Life of Rosemary and Me, released 21 April 2012 
Guitars, Farfisa organ, Hohner Clavinet, synthesizers, percussions and vocals by Walter Benjamin. 
Drums by João Correia. 
Bass by Nuno Lucas. 
More vocals by Márcia.

ROGÉRIO CHARRAZ | “ESPELHO” À VENDA 01 DE OUTUBRO

 

ROGÉRIO CHARRAZ | “ESPELHO” À VENDA 01 DE OUTUBRO

 

 

Espelho” é o título do segundo disco de Rogério Charraz, que explica assim a escolha:

 

“Quando olho para este disco, revejo-me na imagem sonora que ele reflete. As melodias, a harmonia, as palavras, os arranjos, tudo isto sou eu em forma de canções. Este é o meu espelho, espero que se revejam também nas emoções que nele partilho.”

 

O sucessor de “A Chave” confirma a maturidade e a versatilidade de um compositor que

aborda com o mesmo à vontade o amor ou a crítica social, e que explora vários ambientes musicais.

 

Do folk ao rock, da morna ao reggae, são muitas as cores que transparecem da música de Rogério Charraz, e que estão também refletidas nos convidados deste disco: a luso-brasileira Luanda Cozetti, o rapper Sensi, o cabo-verdiano Dany Silva e o cantautorMiguel Calhaz.

 

Porto de Abrigo” é o tema que antecipa o lançamento do disco, sendo que já há alguns meses roda nas rádios o tema “A febre do passado”, que fará parte da banda sonora da nova temporada da novela RTP “Os nossos dias”.

 

A apresentação ao vivo das canções de “Espelho” vai passar por palcos como o Centro

Cultural Olga Cadaval (Sintra), Casino da Figueira da Foz, Teatro Garcia de Resende (Évora), Coimbra e Cantanhede, tendo arrancado no prestigiado palco da Festa do Avante.

 

 

AGENDA:

03 Outubro | Cantanhede | Auditório São Pedro | 21h30 | 10 Euros 

25 Outubro | Centro Cultural Olga Cadaval | 21h30 | 10 Euros

01 Novembro | Casino Figueira | 22h00 | 10 Euros

22 Novembro |Coimbra |  Conservatório de Música de Coimbra |22h00 | 10 Euros

27 Novembro |  Évora | Teatro Garcia Resende | 22h00 | 10 Euros

Quer ver a sua banda ou espectáculo divulgados aqui?,
envie um email para: olharparaomundo (arroba) sapo.pt
Se tem alguma letra que eu não tenha encontrado, pode enviar para o mesmo email