Sexta-feira, 21 de Março de 2014

 

Não encontrei a letra desta música



publicado por olhar para o mundo às 17:06 | link do post | comentar




"Isto aconteceu ontem na Rua Augusta! Vejam e percebam porque fazemos o que fazemos, vamos tornar isto viral, esta coisa de trazer a dança e a música portuguesa para a rua, para toda a gente!"




publicado por olhar para o mundo às 13:02 | link do post | comentar

Maior festival nacional de música extrema volta a Barroselas

A 17.ª edição do SWR Barroselas Metalfest vai decorrer entre 23 e 26 de abril na vila do distrito de Viana do Castelo, contando o cartaz deste ano com nomes como Gorguts, Discharge e In Solitude.

 

O festival arranca a 23 de abril com um “dia zero” de entrada livre, seguindo-se o primeiro dia em pleno do SWR Barroselas Metalfest, onde atuam grupos como os nacionais Ermo e In Tha Umbra, para além de muitos outros, tais como os romenos Negura Bunget, os norte-americanos Misery Index e os canadianos Gorguts, estes últimos que trazem a Portugal o recente “Colored Sands”.

 

Em palcos por onde já passaram Ratos de Porão e Kreator, os dias 25 e 26 de abril vão receber ainda bandas como Bölzer, Anaal Nathrakh, Black Witchery e Grave Miasma. A edição deste ano do festival vai voltar a contar com um palco dinamizado pela Lovers & Lollypops, com entrada gratuita.

 

“Quatro mil habitantes, um café a cada duas esquinas, um supermercado e um complexo desportivo torná-la-iam semelhante a tantas outras espalhadas por este país fora, não fosse todos os anos acorrerem ao local milhares de peregrinos, quase todos vestidos de preto, para o maior festival de música extrema da Península Ibérica”, recorda a organização do evento fundado pelos irmãos Ricardo e Tiago Veiga, nascidos em Barroselas.

 

Os bilhetes para o festival custam 65 euros até 15 de abril.

 

Retirado do Sapo Música



publicado por olhar para o mundo às 12:29 | link do post | comentar

Festival Musa Cascais: conheça as primeiras confirmações

Kabaka Pyramid e Jah9 estreiam-se nos palcos nacionais com uma atuação no festival Musa Cascais, que regressa à praia de Carcavelos nos dias 4 e 5 de julho.

 

Kabaka Pyramid é um artista de múltiplos talentos e pertence à nova geração da cena reggae jamaicana, que pratica Roots Consciente. Jah9, conhecida por ser a pioneira do estilo Jazz on Dub, é cantora, compositora e ativista. Uma mulher de energia cativante, que reúne a poesia consciente e contemporânea, apresentando em palco um estilo sofisticado e uma proposta única e refrescante.

 

Produzido pela associação sem fins lucrativos Criativa e assente numa base de voluntariado, o Musa Cascais ganhou, no ano passado, o prémio para Festival Mais Sustentável, no Portugal Festival Awards. “É intenção do festival promover uma sociedade mais consciente dos desafios globais, aliando música e criatividade numa experiência de cidadania global”, pode ler-se em comunicado.

 

Entretanto, a 22 de março, pelas 10h00, terá lugar no Parque Natural Sintra-Cascais o primeiro evento da experiência Musa Cascais, onde os participantes são convidados a plantar uma árvore, numa iniciativa que visa a compensação das emissões de carbono que serão geradas pelo festival.

 

Retirado do Sapo Música



publicado por olhar para o mundo às 10:32 | link do post | comentar

 

 

Letra

 

Trago minha voz cansada
Cansada de solidão;
Por cantar este meu fado
Que é teu corpo decepado
Dentro do meu coração

Peço ao vento essa coragem

 Que anda na tua memória
Sou maré alta no olhar
Porque é nos longes do mar

 Que roubam a nossa história

Na angústia do nosso quarto

 Cheio de sombras aflitas
Vivo as palavras paradas
As saudades esmagadas

 Que tu nas cartas me gritas

Anda o tempo devagar

Parece que se esqueceu
Ó meu amor, nesta espera 
Como eu sofro a primavera

 Que a tua vida me deu



publicado por olhar para o mundo às 08:23 | link do post | comentar

Quinta-feira, 20 de Março de 2014

António Zambujo apresenta álbum «Quinto» em Bruxelas

António Zambujo vai apresentar o seu álbum mais recente, "Quinto", em Bruxelas, num concerto marcado para 23 de abril, que terá lugar no Palácio de Belas-Artes, segundo a organização.

 

O fadista nascido em Beja, que ao longo da sua carreira tem "abraçado" sonoridades como o jazz ou a bossa-nova, atuou pela última vez na capital belga em maio de 2012.

 

O concerto de apresentação de "Quinto" no Palácio de Belas-Artes (conhecido por Bozar), no centro de Bruxelas, está marcado para as 20:00 do dia 23 de abril (menos uma hora em Lisboa).

 

Além de "Quinto", lançado no fim de 2012, António Zambujo lançou desde 2002 outros quatro álbuns: "O mesmo Fado", "Por meu Cante", "Outro Sentido" e "Guia".

 

Retirado do Sapo Música



publicado por olhar para o mundo às 23:34 | link do post | comentar

Espiral

 

Espiral - trio de música celta
Concerto solidário de angariação de fundos para a construção de uma escola na Guiné-Bissau.

Domingo 23 de Março | 15h
Teatro-Cine de Pombal 
Praça Manuel Henriques Júnior, 3100-500 Pombal
5€ | bilhetes à venda no Hotel Cardal 
Informações e reservas: Fátima Vaz - 915 919 937
Organização: Casa da Amizade de Pombal 

Sob a inspiração da música celta, o trio ESPIRAL conjuga as sonoridades do violino, da flauta transversal e da harpa celta na recriação de melodias que se destacam pela sua beleza e graciosidade. Uma formação musical que enleva os sentimentos mais românticos e faz de cada actuação um momento especial, com um reportório alegre e delicado, criteriosamente seleccionado. Uma autêntica espiral de emoções!



publicado por olhar para o mundo às 18:54 | link do post | comentar

 

Letra

 

(yo... ritmo amor e palavras.
é me'mo assim... doninha presente e AC a produzir um g'anda beat...
2005... quê?
sabes bem...
o quê?
check...)

O que seria do amarelo se tudo fosse azul?
Quem abanava esta merda se fossemos sempre cool?
Quem é quem para dizer o que é certo ou errado?
Antes não ser escutado a ser mal interpretado
Criticado por algum pseudo-músico frustrado
Julgado, condenado sem ser consultado
Não sei quem tu és, tu não sabes quem eu sou
Não sei onde estás, tu não sabes para onde vou
Onde estou, donde vim, o que faço, o que penso
Não me julgues, não rotules, etiquetas, eu dispenso
E o que é nem sempre parece à primeira vista
Não sei o que tu vês mas não me vejo artista
Sou igual e diferente, péssimo e excelente
Dou-me bem com toda a gente, conheço gente que conhece gente
Dou-lhe com a alma mas cansei-me desta porra
Cansado de vê-los sentados à espera que a cena morra

Eu não sei quem tu és
Tu não sabes quem sou
Só vês o que queres ver
O que é que vais fazer?

Eu não sei quem tu és
Tu não sabes quem sou
Só vês o que queres ver
O que é que vais fazer?

Se uma pancada no olho faz ver eu vejo bem melhor
Quando a situação tá pesada e todo nigga é hardcore
Mantenho um nível de eleição para toda a gente ouvir
Aquilo que me faz sentido sentir quando quero posso e mando fluir
Deixa-me explicar o que sou, donde vim, para onde vou
Experiencia genetica como Michael Franti falou
Luso-Africano ou Afro-Lusitano? Não sou cavalo, sou humano
Puro-sangue aqui é engano, Tenho tuga, bife e cabo-verdeano
A mistura é refinada, o resultado? Mulato bem bacano
Represento a união em carne e osso - a prova viva
Que é possível quebrar qualquer barreira
Com a saliva bem activa eu rimo tipo united colors of carlão
O som tem que ser fusão ou seria uma decepção
Rapper janado, gosto de punk e hardcore, mas dá-me bossa nova
E eu peço-te um encore
O espaço já foi criado a identidade é própria
A variedade é mais que muita chama-lhe panóplia
De estilos livres que abrem mundos neste mundo
A revolução é nossa puto, não pára por um segundo

Eu não sei quem tu és
Tu não sabes quem sou
Só vês o que queres ver
O que é que vais fazer?

Eu não sei quem tu és
Tu não sabes quem sou
Só vês o que queres ver
O que é que vais fazer?

A ideia é ser original e criar a nossa própria cena
Não movimento: movimentos, assim já vale a pena
Mantenho a diferença de ser igual a mim próprio, a mais ninguém
Já nasceu comigo, comigo irá até ao além
Há que respeitar para conhecer, conhecer para respeitar,
Aprender com aquilo que à partida se possa estranhar
A vida é curta para desperdicio de tempo precioso
E a inveja apenas o reflexo de um espírito ocioso

Ah pois é,
Toda a gente fala, toda a gente opina e sabe
Espetem o barrete onde ele cabe
Sem favores faço por merecer o meu espaço
E dou tudo o que tenho em cada novo compasso
Por onde passo, deixo a marca que marca o que faço
E o que faço, faço fazendo eu não ameaço
Ambiciono o amor, não ambiciono a fama
E acredito que só somos alguém quando alguém nos ama

Eu não sei quem tu és
Tu não sabes quem sou
Só vês o que queres ver
O que é que vais fazer?

Eu não sei quem tu és
Tu não sabes quem sou
Só vês o que queres ver
O que é que vais fazer?

 



publicado por olhar para o mundo às 17:11 | link do post | comentar

 

Letra

 

They’re breaking us down in the middle
But I can pick it up falling
The pieces that seemed so simple
Will turn into a song
 
Make this moment feel so strong
We won’t stay inside anymore
Come and scatter them high
The voices (pieces) in this song
Will last for everlong
 
We are the ones to make this work right
We are the ones to make this work right
Carry this word out into the light
We are the ones, we are the ones
 
We are the ones to make this work right
We are the ones to make this work right
United we can, together we might
We are the ones, we are the ones
 
We will sing it and shout it
 
They’re failing to see through the riddle
But we will go and they’ll follow
The flame in the heart of the people
That burns inside this song
 
We have been here for so long
They can’t tell us we are wrong
Come and scatter them high
Your voices in this song
Will last for everlong

 

 

Music written and composed by André Tentugal
Lyrics by John Almeida / André Tentugal
Aditional arrangements by Pedro Marques / Eurico Amorim
Recorded at Boom Studios / Soundhill Studios / Instituto Nun`Alvres by João Bessa / João André Piedade / Bruno Pereira
Mixed by João Bessa 
Mastered by Jamal Ruhe 



publicado por olhar para o mundo às 13:10 | link do post | comentar

Dead Combo

 

PORTUGAL ESTÁ RENDIDO AO NOVO
ÁLBUM DOS DEAD COMBO

«A BUNCH OF MENINOS» ENTROU DIRECTAMENTE PARA O Nº1 DO TOP NACIONAL

Nº 1 DO iTUNES E MEO MUSIC NA SEMANA DE ESTREIA

«A Bunch of Meninos» já conquistou Portugal: na semana da sua edição, o quinto álbum dos Dead Combo entrou directamente para o Nº1 do Top Nacional.

 

De uma banda única, não se podia esperar outra caminhada. Por isso, «A Bunch of Meninos» foi revelado de forma ímpar. Depois de uma pré-venda inovadora no mercado português – que incluía quatro «instant grats» –, antes da edição do novo álbum, os Dead Combolançaram-se à estrada e iniciaram uma digressão nacional. No regresso à Lisboa a que já chamaram Mulata, ocuparam os estúdios da SIC e tornaram o Jornal da Noite de domingo, dia 9 de Março, um evento inigualável, ao sonorizarem a totalidade do noticiário televisivo. Mas, se a sua música revela uma inspiração singular, ao longo da passada semana, os Dead Combo deram-se a conhecer, ainda, um pouco mais: ao serem os responsáveis pela primeira curadoria do canal do Ípsilon no Spotify, revelaram as obras que mais os inspiram. Diariamente, Pedro Gonçalves escolheu três canções e Tó Trips outras três, oferecendo, de forma genuinamente excepcional, as principais premissas condutoras para a paixão que motiva as canções por que todos já se deixaram seduzir. Tudo isto levou-os também a alcançar o nº 1 no iTunes e no Meo Music.

 

«A Bunch of Meninos» marca o regresso dos Dead Combo aos discos e dá mote para uma digressão que vai ter um momento muito especial: no dia 21 de Março, todos os caminhos vão, literalmente, dar ao palco do emblemático Coliseu dos Recreios, em Lisboa, o lugar onde a dupla e o seu público se vão reunir, de forma intimista e com lotação limitada. É certo que a jornada de «A Bunch of Meninos» já se tornou inesquecível mas esta será uma noite que todos vão querer recordar.

 

Com edição da Universal Portugal e composto por 13 novas canções, assinadas integralmente por Tó Trips e Pedro Gonçalves. Gravado em Setembro de 2013, nos Atlantic Blue Studios, o quinto álbum dosDead Combo foi produzido pela banda e por Hélder Nelson, contando com as participações especiais de Alexandre Frazão (bateria e percussão) e António Sérginho (percussão). 



publicado por olhar para o mundo às 12:19 | link do post | comentar

 

 

Letra

 

O da Vila!

Hey, hey, hey

Don Gula não pára, posse
Entrar no place com duas faces
Cara boss
Muitos tão a tentar me aplicar na cara um cross
Dizem que querem por as luvas
E ninguém separa sócio

As tuas queridas sabem que eu não tenho a vara soft
Umas das minhas da te umas pingas, Lara Croft
Quando eu rimo é easy boy, Lara Props
Na zona a tara é boxe, e outros querem é tara cokes
Mas ninguém para as fotos
Esteja eu onde estiver encara-me frente a frente, pára-choques
Já la vai o tempo em que o homem contava trocos
Quero ver tudo a abrir garrafas, larga os copos

Bar Aberto
(Porque quando eu abro garrafas tu também gozas
Mas aqui tu não te safas, vai vender rosas)
Ey oh mano Regula qual é a tua?
Olha bem pra mim achas que eu tou com medo?
Bar Aberto

Eu já fugi da bófia pro meio das silvas, Hermani (uns compromissos)
Porque eu tou envolvido em tudo que der money
Tou a ser sincero mommy, é o que eu quero money
Se não me cheira a nada disso, eu perco ânimo
Na altura em que apareceram os Da Weasel
Andava sempre com índios, é como se tivesse o patrocínio da Diesel
Chavalo não me venhas tu falar de cavalo, eu ouço o Pacman desde os tempos dele do casal
Sou duma geração sem sequelas estratega
Ficava em ginas com muitas tiras e com ela na prega até (mema bitch)
Ficar com a cara escaldada agora uma volta mal dada
É o suficiente pra me darem a palmada
Olha bem pra mim achas que eu tou com medo
Se olhares bem nos meus olhos vais ver que eu tou com sede
Eu fumo até cair boy, se eu não tou-te ouvir
Não é porque tou com a pedra é porque eu não tou com rede
(Policia) Olha os homens ma nigga
O meu papa liga a dizer pra eu sair da má vida
O meu quotidiano é só violência e narcotráfico
Mas não é influência, pergunta ao Marco, é prático

Dos Santos you know what it is, Rubim you know what it is, Scar you know what it is
Achas que eu estou a começar, pra vir-me embora teso?



publicado por olhar para o mundo às 08:41 | link do post | comentar

 

 

Letra

 

A contas com o bem que tu me fazes 
A contas com o mal por que passei 
Com tantas guerras que travei 
Já não sei fazer as pazes 

São flores aos milhões entre ruínas 
Meu peito feito campo de batalha 
Cada alvorada que me ensinas 
Oiro em pó que o vento espalha 

Cá dentro inquietação, inquietação 
É só inquietação, inquietação 
Porquê, não sei 
Porquê, não sei 
Porquê, não sei ainda 

Há sempre qualquer coisa que está pra acontecer 
Qualquer coisa que eu devia perceber 
Porquê, não sei 
Porquê, não sei 
Porquê, não sei ainda 

Ensinas-me fazer tantas perguntas 
Na volta das respostas que eu trazia 
Quantas promessas eu faria 
Se as cumprisse todas juntas 

Não largues esta mão no torvelinho 
Pois falta sempre pouco para chegar 
Eu não meti o barco ao mar 
Pra ficar pelo caminho 

Cá dentro inqueitação, inquietação 
É só inquietação, inquietação 
Porquê, não sei 
Porquê, não sei 
Porquê, não sei ainda 

Há sempre qualquer coisa que está pra acontecer 
Qualquer coisa que eu devia perceber 
Porquê, não sei 
Porquê, não sei 
Porquê, não sei ainda 

Cá dentro inqueitação, inquietação 
É só inquietação, inquietação 
Porquê, não sei 
Mas sei 
É que não sei ainda 

Há sempre qualquer coisa que eu tenho que fazer 
Qualquer coisa que eu devia resolver 
Porquê, não sei 
Mas sei 
Que essa coisa é que é linda



publicado por olhar para o mundo às 08:05 | link do post | comentar

Quarta-feira, 19 de Março de 2014

Jammim

 

 

 

Utilizando o espaço da Transforma na Praça do Município e a sua localização privilegiada no centro histórico da cidade de Torres Vedras, o Jammin divulga a sua programação para os próximos meses.

 

Já neste mês, no dia 29, os Capitão Fausto viajam até Torres Vedras, de forma a apresentar o seu mais recente álbum “Pesar o Sol“, numa noite com primeira parte do projecto Lionskin. Nos próximos meses subirão ainda ao palco da Transforma nomes como Filho da Mãe, Moe’s Implosion e Juba, entre muitos outros, em eventos com início às 22h, excepto o Jam Fest, que decorre no dia 17 de Maio e em breve terá mais informação sobre horários e preços.

 

Programação completa até Junho:


- 29 de Março: Capitão Fausto + Lionskin
- 4 de Abril: Filho da Mãe + Cordas Tribais
- 17 de Maio: Jam Fest (Palco Teatro-Cine: Dealema + Strugglaz Project + Airplay / Palco Transforma: Moe’s Implosion + Juba + O Quarto Fantasma)
- 7 de Junho: The Bourbon’s + Capitão Galvão

 

Evento: https://www.facebook.com/events/1388563258071434

Promo video:

 

Transforma - Associação Cultural 

 

www.facebook.com/Transforma

 



publicado por olhar para o mundo às 19:11 | link do post | comentar

 

 

Letra

 

PÊRA VERDE

Deste-me uma pêra verde
Estava a meio de amadurar
pêra verde minha verde pêra
Não me venhas enganar

Não me venhas enganar
A mim não me enganas não
pêra verde minha verde pêra
Amor do meu coração

pêra verde minha verde pêra
Amor do meu coração


O amor quando se perde
é como a nódoa da amora

O amor quando se perde
é como a nódoa da amora
é com outra amora verde
A nódoa se vai embora

é com outra amora verde
A nódoa se vai embora

 

Deste-me uma pêra verde
Estava a meio de amadurar
pêra verde minha verde pêra
Não me venhas enganar

 

Não me venhas enganar
A mim não me enganas não
pêra verde minha verde pêra
Amor do meu coração

pêra verde minha verde pêra
Amor do meu coração



publicado por olhar para o mundo às 17:59 | link do post | comentar

Festival Terras sem Sombra passa por Almodôvar, Grândola ou Sines com concertos de entrada livre

A 10.ª edição do Festival Terras sem Sombra começa no dia 29 deste mês, em Almodôvar, e apresenta um programa dedicado à polifonia dos séculos XI a XX, foi hoje divulgado.

 

O programa do Festival intitula-se "Metáforas do Infinito – A Espiritualidade nas Polifonias dos Séculos XI-XX" e é dedicado a Frei Manuel do Cenáculo, o primeiro bispo de Beja, que morreu há 200 anos. Esta 10.ª edição celebra também o 30.º aniversário do Departamento do Património Histórico e Artístico da Diocese de Beja.

 

O Festival, sob a direção artística de Paolo Pinamonti, prolonga-se até 5 de julho, e é constituído por sete concertos com entrada gratuita, que acontecem em Almodôvar, Grândola, Santiago do Cacém, Beja, Castro Verde, Sines e Moura, realizando-se, paralelamente, palestras, visitas guiadas e iniciativas em defesa da conservação da biodiversidade.

 

A coordenação do Festival é assumida por Sara Fonseca, cargo até aqui ocupado por José António Falcão, atual presidente do Conselho de Administração do Organismo de Produção Artística (OPART).

 

No comunicado enviado à Lusa, assinala-se o regresso de Beja “ao circuito do festival”, com dois eventos, assim como da vila de Moura, “terra de pergaminhos musicais”, referindo-se que o “alargamento a outros concelhos está sobre a mesa, já que existem insistentes pedidos nesse sentido”. O regresso de Moura concretiza, aliás, “um velho intuito local”.

 

A programação, a cargo de Paolo Pinamonti, inclui o agrupamento vocal inglês The Hilliard Ensemble, “que escolheu o Terras sem Sombra para se despedir de 40 anos de carreira nos palcos de todo o mundo”, a companhia teatral espanhola Nao d’amores e o ensemble italiano I Turchini, assim como os grupos nacionais Capella Duriensis, Sond’Ar-te Electric Ensemble, a Orquestra Gulbenkian e o Coro do Teatro Nacional de São Carlos.

 

A igreja de Santo Ildefonso, em Almodôvar, abre o Festival, com “Ein Deutsches Requiem” (“Um Requiem Alemão”), composto por Johannes Brahms, e que será interpretado pelo Coro do Teatro Nacional de S. Carlos, sendo solistas a soprano Raquel Alão e o barítono Luís Rodrigues, com acompanhamento pelos pianistas João Paulo Santos e Kodo Yamagoshi, sob a direção do maestro Giovanni Andreoli.

 

No dia seguinte, é proposto um percurso ao longo da ribeira do Vascão, afluente do rio Guadiana que “oferece um verdadeiro laboratório vivo”, uma caminhada que celebra a recente classificação deste curso de água como Zona Húmida de Importância Internacional (Convenção de Ramsar), na qual se observarão libélulas e libelinhas, “grupo que contribuiu para a integração da ribeira na Rede Natura 2000”.

 

A “Liturgia da Esperança: Misterio de lo Cristo de los gascones” que é apresentado no dia 12 de abril na igreja de N.S. da assunção, em Grêndola, pela Nao d’amores, com dramaturgia e encenação de Ana Zamora, é apontado pela organização como “um dos pontos altos do festival”.

 

O agrupamento The Hilliard Ensemble atua no dia 26 de abril, na igreja de Santiago Maior, em Santiago de Sines e, no dia 10 de maio, em Beja, na igreja de N.S. da Feira, a Capella Duriensis, sob a direção de Jonathan Ayerst, apresenta “O Sagrado e o Profano: Aliterações húngaro-portuguesas”.

 

O Festival volta a Beja no dia 31 de maio à tarde, quando o violetista, compositor e musicólogo Alexandre Delgado apresenta, na igreja de N.S. dos Prazeres, a conferência “A violeta: Perenidade de um instrumento injustiçado”.

 

I Turchini atuam no dia 17 de maio, na basílica real de N.S. da Conceição, em Castro Verde, onde apresentam “Theatrum Sacrum: Obras-primas do barroco napolitano”.

 

Sines, onde acontecerá este ano a entrega do Prémio Internacional do Festival, no dia 5 de julho, realiza-se, cerca de um mês antes, no dia 07 de junho, na igreja do Santíssimo Salvador, um concerto com o Sond’Ar-te Electric Ensemble e o Coro Terras Sem Sombra, sob a direção de Jonathan Brown.

 

Finalmente, no dia 28 de junho, na igreja de S. João Batista, a Orquestra Gulbenkian interpreta obras de Mozart e de Morton Feldman.

 

Retirado do Sapo Música



publicado por olhar para o mundo às 12:17 | link do post | comentar

estival HARMOS Classical com dezenas de concertos gratuitos em 11 cidades

A edição de 2014 do festival de música de câmara HARMOS Classical inclui 30 concertos, distribuídos por 11 cidades do norte de Portugal, e pretende estabelecer o "sentido de rede e de cooperação" entre instituições nacionais e internacionais.

 

Apresentada hoje aquela que vai ser a oitava edição do certame, o HARMOS levará às cidades de Barcelos, Cabeceiras de Basto, Fafe, Guimarães, Lousada, Mondim de Basto, Porto, Póvoa de Lanhoso, Vieira do Minho, Vila Nova de Famalicão e Vizela músicos das escolas "mais conceituadas" da Europa. O festival trará a Portugal "o melhor que se faz em todo o mundo", sublinharam os organizadores.

 

Segundo o diretor do certame, Bruno Pereira, o HARMOS "nasceu de um sonho" e continua a "crescer com sustentabilidade" com o objetivo de "responder a necessidades de municípios e músicos".

 

Em 2014, o "quartel-general" dos músicos que vão atuar no HARMOS vai ser Guimarães. Prova-se assim que a "aposta persistente" da cidade na cultura, "através da criação de infraestruturas e produção de conteúdos", teve "toda a razão de ser", defendeu o vereador da Cultura vimaranense, José Bastos.

 

Organizado pela Comunidade Intermunicipal do Ave (CIM-AVE), em parceria com "inúmeras entidades", o HARMOS quer "estabelecer o sentido de rede e de cooperação entre instituições, desde municípios a escolas de música", apontou Bruno Pereira.

 

Assim, nos cinco dias em que decorre o festival haverá 30 concertos com músicos de escolas portuguesas e de escolas da Holanda, Bélgica, Alemanha, Lituânia, Noruega e Reino Unido.

 

"O HARMOS afirma-se assim como um dos mais relevantes projetos artísticos e culturais da Europa", considerou o secretário-geral da CIM do Ave, Gabriel Pontes.

 

Os concertos do festival são gratuitos, com exceção para os espetáculos na Casa da Música.

 

O programa do HARMOS Classical está disponível para consulta em www.harmos.eu.

 

retirado Sapo Música



publicado por olhar para o mundo às 10:14 | link do post | comentar



publicado por olhar para o mundo às 08:53 | link do post | comentar

Terça-feira, 18 de Março de 2014

Like Us

 

O DISCO JÁ ESTÁ DISPONÍVEL EM PRÉ-VENDA NO iTUNES.

 

 A pré-compra de «Like Us» inclui um tema extra
e download antecipado de duas músicas.

 

Finalmente, a espera aproxima-se do fim! Apesar de só chegar às lojas a 28 de Abril, a partir de hoje, «Like Us», o homónimo álbum de estreia da mais promissora banda pop portuguesa, já está disponível, em pré-venda, no iTunes.

 

Estas não são as únicas boas notícias reveladas pelos Like Us. A pré-venda do seu primeiro registo surge repleta de surpresas: além de se tratar de uma edição exclusiva, com uma canção-extra, «Ela Sabe», um e-booklet digital, e o e-video do seu primeiro single, «You Mean The World To Me», inclui, também o download antecipado de duas músicas – «You Mean The World To Me», no acto da pré-compra, e «Longe», a 7 de Abril. E há mais: a pré-venda de  «Like Us»  terá um preço especial, que se manterá até à data da edição do álbum, no final do mês de Abril. Os downloads antecipados incluídos na pré-venda de  «Like Us» prometem levantar o véu para aquilo que será o álbum de estreia do quarteto português. Se «You Mean The World To Me» surge em inglês e contagiado por impulsos pop, «Longe» é cantado em português, único nas suas guitarras garridas, a mostrar que os Like Us também são apaixonados pelo rock. A conclusão é clara: eis quatro personalidades distintas, reunidas num projecto único – fazer música que marca pela diferença.

 

O Francisco tem 15 anos, o David tem 16, o Daniel tem 17 e o João 18 – e, juntos, formam os Like Us. Os quatro cantores, que chegam de vários pontos do país, foram os grandes vencedores de um casting organizado pelo canal Biggs. Aí, provaram ser os melhores e, agora, estão determinados a conquistar o lugar que lhes pertence. Os Like Us estão cá para ficar. Por isso, em  «Like Us», cantam as suas histórias, provando que vale a pena lutar pelos sonhos.



publicado por olhar para o mundo às 23:11 | link do post | comentar

Plaza

 

28 MARÇO | CINE TEATRO PARAÍSO | TOMAR

 

Depois das muito bem sucedidas apresentações do novo álbum de originais "All together" em Lisboa e Vila do Conde, com o segundo single "All together" a surpreender nas rádios e o álbum a atingir o 11 lugar no Top dos mais ouvidos do Deezer, os Plaza vão estar ao vivo no Tomar Jovem - Cine-Teatro Paraíso Tomar, dia 28 de Março pelas 22h00.

O disco foi colocado à venda no dia 10 de Fevereiro, nas principais plataformas de venda digital e exclusivamente nas lojas FNAC.

Produzido pela própria banda e gravado nos estúdios da Aguda com a colaboração especial de Rick Webster da banda britânica Unkle Bob, "All together" conta também com as participações vocais das lisboetas Anarchicks e Patrícias SA no tema "Give peace a dance".

Pedro Martins na bateria e Miguel Barros no baixo completam o naipe de participações do disco e integram também a nova formação dos Plaza ao vivo.

E nas palavras de Valter Hugo Mãe, "O pop português nunca esteve tão deliciado, nunca foi tão enamorado, não podia ser melhor indicado para ouvintes cuja preocupação maior seja o prazer, sim, em seus absolutos sentidos."
"All together", um disco do outro mundo

 

INFO DO ESPETÁCULO

  • Local: Cine teatro Paraíso | Tomar
  • Data: 18 de Março de 2014
  • Hora: 22h00
  • Preço do Bilhete: 7€  (Bilhetes á venda no Cine teatro Paraíso)


publicado por olhar para o mundo às 21:05 | link do post | comentar

 

 

Letra

 

No Fim Tudo Está Bem 
(Letra e Música: João Mota e Pedro Franco)

 

Eu não sei quem foi que sonhou com um tempo melhor, 
Que lutou por ter uma voz que há muito se calou. 
Fui tolo em pensar que existia um desejo em mudar, 
Que ainda haviam pernas para andar num mundo de pernas para o ar.

 

E no fim tudo está bem, assim se possa contar, 
Que ao menos sirva a alguém quando tudo acabar.

 

No ventre de Deus já não há lugar para os seus, 
Já não há divino nem pagão a colorir os céus. 
Resta-nos sorrir ao inferno que está para vir, 
Se o diabo teima em resistir aqui, seja assim.

 

E no fim tudo está bem, assim se possa contar, 
Que ao menos sirva a alguém quando tudo acabar. 
E no fim tudo está bem, assim se possa contar, 
Haja quem possa contar.



publicado por olhar para o mundo às 17:45 | link do post | comentar

Clark

 

Os Clark praticam uma música no cruzamento do rock e do pop de guitarras, indie, cantado em português e inglês.

 

Foi no estúdio Coutada do Som que se preparou, gravou e misturou o álbum “Bipolar”. Este é um álbum fisicamente realizado num meio absolutamente rural mas que gira à volta de estados emocionais antagónicos muitas vezes identificados e ligados à urbe ou aos subúrbios.

 

São 10 temas (oito cantados em português e dois em inglês) entregues à criatividade, sugestões e engenharia de Nuno Roque, experiente produtor/técnico que em Portugal já trabalhou entre outros com Diabo Na Cruz, Os Golpes, Tiago Bettencourt, Oi Oai, Sérgio Godinho, Mercado Negro entre outros… em Londres com Neil Hannon, Keane ou Death in Vegas e mais recentemente neste mesmo estúdio com os Capitães da Areia e Capitão Fausto. As teclas ficaram e bem a cargo do convidado Paulo Cavaco.

 

Os Clark submeteram à apreciação do público, com êxito, os temas de “Bipolar” num Cinema São Jorge cheio. Hoje, podemos escutá-los nas rádios e vê-los na TV, e confirmá-los como um projeto pop rock sólido da música portuguesa e vocacionado igualmente para os espetáculos ao vivo.

 

Os Clark depositam no álbum “Bipolar” a confiança de um 3º trabalho e o entusiasmo de um 1º!!



publicado por olhar para o mundo às 12:47 | link do post | comentar



publicado por olhar para o mundo às 08:11 | link do post | comentar

Segunda-feira, 17 de Março de 2014

Musa de guerra

Skills & The Bunny Crew apresentam álbum de estreia “Musa de Guerra” no B.Leza, em Lisboa

Apresentação do álbum “Musa de Guerra
19 de Março
Palco BLeza (Rua Cintura do Porto de Lisboa, Armazém B Cais do Sodré)
Horas: 22h30
Preço 4€

A espera chegou ao fim. Os Skills & The Bunny Crew apresentam, no palco do B.leza, o muito aguardado primeiro álbum “Musa de Guerra”, depois da estreia com o EP homónimo. ‘Musa de Guerra’ é o resultado de 5 anos de trabalho. Um disco feito de muitas cores. Uma explosão de equilíbrios e desequilíbrios, disputados entre o céu e a terra. Alfredo Costa (voz), Pedro Mourato (guitarra), José Garcia (baixo) e Paulo Silva (bateria) são os músicos por trás deste projecto que promete entregar um espectáculo memorável onde o pináculo será a palavra, sobre a forma de poema e a mestria instrumental.


"Grita Por Mim" - o primeiro videoclip do novo álbum “Musa de Guerra”, já está disponível no YouTube
 
"Como Tudo Começou" - Um dos singles do primeiro EP - http://youtu.be/2Q9MHJBZldU


publicado por olhar para o mundo às 23:42 | link do post | comentar

 

 

Letra

 

Não encontrei a letra desta música



publicado por olhar para o mundo às 20:46 | link do post | comentar

“ III Acto”, é o primeiro single de “3D”o novo disco dos Per7ume.

 

“ III Acto”, é o primeiro single de “3D”o novo disco dos Per7ume.

 

4 anos depois do último disco de originais, os per7ume vão finalmente editar o muito aguardado sucessor de “Per7ume” (2008) e “Mudo” 2010.  

 

“3D”, que tem edição prevista para o final de Março, resulta de um longo processo criativo e é uma natural evolução no som da banda – mais maduro e mais “musculado”, mas sempre focado nas canções.

 

Exímios escritores de canções Pop e uma das melhores bandas nacionais ao vivo, os Per7ume preparam cuidadosamente a nova Tour, que para além do novo disco “3D”, vai recordar os grandes sucessos da banda.

 

A partir do dia 17/03, o single ”III Acto” disponível nas plataformas digitais.

 



publicado por olhar para o mundo às 20:38 | link do post | comentar

 

 

Letra

 

Andrea
Neste bairro que é Lisboa
Bairro alto, estendo o meu não á solidão
Sem lei
Sou boémia na cidade
Só sei
Que hoje a noite acaba tarde

Sem ter rumo ou direcção
Sigo a voz desta cidade
O meu fado é caminhar
É cantar na confusão

Liliana
Muxima
Muxima de Angola
Muxima
Muxima de Angola
É p’ra ti que danço
É p’ra ti que canto
Até ao amanhecer

Meu coração está no semba
Da tua canção
O meu fado é não chorar
É sorrir em união

Chorus 

Muxima L
Sou boémia na cidade A
Muxima de Angola L
Hoje a noite acaba tarde A
(Sem lei)é p’ra ti que canto L
É p’ra ti que danço, até ao amanhecer L
O meu fado é caminhar A
O meu fado é não chorar L
é cantar em união L A

Chorus x1



publicado por olhar para o mundo às 19:58 | link do post | comentar







publicado por olhar para o mundo às 17:07 | link do post | comentar

General D

 

Rapper fundador volta a Portugal para concerto no festival Lisboa Mistura.

Mais de 15 anos depois da sua última atuação em Portugal, General D regressa para um concerto no festival Lisboa Mistura, diz o suplemento Ípsilon do jornal Público, na sua edição de hoje.

 

O espetáculo, em que General D, autor do primeiro disco de hip-hop publicado em Portugal, o EP Portukkkal É um Erro em 1994, terá lugar entre 18 e 28 de junho, datas em que decorre aquele evento.

 

General D desenvolveu uma carreira discográfica que inclui mais dois álbuns ( Pé na Tchon e Kanibambo ), tendo abandonado Portugal e a esfera pública no final dos anos 1990.

 

Foi o jornal Blitz quem primeiro deu conta do hip-hop português e das atividades do moçambicano Sérgio Matsinhe (seu verdadeiro nome), num artigo publicado em 1992 em que se incluía um manifesto assinado pelo próprio General D.

 

A última notícia da sua atividade musical, a gravação de um disco na Jamaica com a famosa dupla Sly Dunbar e Robbie Shakespeare, também foi publicado no BLITZ.

 

De acordo com o artigo hoje publicado, General D deixou Portugal e desde então esteve em Moçambique, Angola, Nigéria, Brasil e Inglaterra, onde tem vivido nos últimos anos, desenvolvendo atividade imobiliária em Londres.



Retirado do Blitz



publicado por olhar para o mundo às 12:32 | link do post | comentar



Letra


A letra está no vídeo


publicado por olhar para o mundo às 11:56 | link do post | comentar





publicado por olhar para o mundo às 08:05 | link do post | comentar

Quer ver a sua banda ou espectáculo divulgados aqui?,
envie um email para: olharparaomundo (arroba) sapo.pt
Se tem alguma letra que eu não tenha encontrado, pode enviar para o mesmo email
mais sobre mim
posts recentes

O Blog Mudou de casa

Fado Insulano - José Mede...

Cantiga da terra - Zeca M...

"Aprendiz de Feiticeiro -...

Milhafre das Ilhas - Luis...

Sara Tavares - Ter Peito ...

Banho Maria - Não Há Amor...

Sara Tavares - Fitxadu ft...

JUNGLE EVA - TT SYNDICATE

João Granola estreia vide...

arquivos

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

tags

todas as tags

links
comentários recentes
"Estou cheio de arrependimento, cheio de dorese tu...
E é "Não dizem duas quando estão ao pé de ti"...
com o soquete p'lo artelho, um soquete é uma meia.
Pena estes rapazes não terem mais popularidade. A ...
Nome do autor da letra?Não se escreve?Falta de res...
A LETRA É ASSIM!!!E NÃO ASSADO!!!!MaMãe, tu estás ...
As partes que não consegui perceber estão com reti...
https://www.google.pt/amp/s/www.musixmatch.com/pt/...
Vou adicionar nos meus favoritos, sou brasileira, ...
" Para que o tremoço o almoço e o alvoroço demorem...
Posts mais comentados
blogs SAPO
subscrever feeds