Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A Música Portuguesa

Em terras Em todas as fronteiras Seja bem vindo quem vier por bem Se alguém houver que não queira Trá-lo contigo também

A Música Portuguesa

Em terras Em todas as fronteiras Seja bem vindo quem vier por bem Se alguém houver que não queira Trá-lo contigo também

Marco Rodrigues


Marco Rodrigues nas FNAC – Fado Íntimo

 

Marco Rodrigues prepara-se para uma digressão pelos auditórios FNAC para apresentações especiais do último trabalho,“EntreTanto”. Os showcases revelam uma actuação íntima do músico, em que Marco Rodrigues apresenta-se em palco só com viola e voz.

Depois do Teatro Tivoli (Lisboa), Casa da Música (Porto) e dos teatros e auditórios percorridos um pouco por todo o país, Marco Rodrigues prepara momentos muito especiais para os auditórios FNAC. Munido apenas da sua viola e voz, o músico recria um ambiente de sala, numa performance cara-a-cara com o público presente.

“EntreTanto” é o mote para estes showcases e conta com temas como “Coração Olha o que Queres”, “A Rosa e o Narciso”, “Quando o fim volta ao início” e o seu mais recente single: “Do Chiado ao Bairro Alto”.

É o fado na sua versão mais nua e crua que Marco Rodrigues pretende levar a todas as apresentações de norte a sul do país.


Auditórios FNAC

25 Maio (17h00) FNAC Norteshopping
25 Maio (22h00) FNAC Braga
26 Maio (17h00) FNAC Guimarães
29 Maio (18h30) FNAC CC Colombo
31 Maio (18h00) FNAC Santa Catarina
31 Maio (22h00) FNAC Gaia
01 Junho (17h00) FNAC Mar Shopping
01 Junho (22h00) FNAC Coimbra
02 Junho (17h00) FNAC Leiria
09 Junho (17h00) FNAC Almada


Katia Guerreiro apresenta no CCB espetáculo idêntico ao realizado no Olympia

A fadista Katia Guerreiro atua no dia 1 de junho no grande auditório do Centro Cultural de Belém (CCB), em Lisboa, num espetáculo que segue o alinhamento do apresentado em janeiro do ano passado, no Olympia, em Paris.


"O alinhamento será o do concerto do Olympia, que foi uma viagem por toda a carreira de Katia Guerreiro, onde consta um tema novo nunca gravado, chamado 'Alegoria', criado de propósito para esse espectáculo, e que é um poema que joga com diversos títulos dos mais emblemáticos temas da sua carreira, uma letra de João Veiga na música tradicional do Fado Licas, de Armando Machado", disse à Lusa fonte da produtora da fadista.

 

Do alinhamento parisiense constaram temas do repertório de Amália Rodrigues, como "Amor de mel, amor de fel" e "Havemos de ir a Viana", ou do cantor Max, "Rosinha dos limões". Entre as suas criações, Katia Guerreiro cantou "Segredos", de Paulo Valentim.

 

A mesma fonte acrescentou que "os dois temas preparados para o público francês, 'Lisboa', de Charles Aznavour, e 'Ma plus belle Histoire d'Amour', de Barbara, serão substituídos por dois momentos com convidados, especialmente preparados para o público português".

 

"Querendo surpreender o público no CCB, não revelaremos que momentos e convidados serão", rematou a mesma fonte.

 

O concerto na sala parisiense foi registado, para ser o primeiro DVD da carreira da fadista, e "sairá brevemente, primeiro no mercado nacional e, em seguida, no mercado internacional", disse a mesma fonte.

 

No palco do CCB, a fadista será acompanhada por Luís Guerreiro e Pedro de Castro, na guitarra portuguesa, João Veiga, na viola, e Francisco Gaspar, no contrabaixo.

 

"E tal como aconteceu em Paris, Pedro de Castro irá acompanhá-la também ao piano", em alguns temas, disse a mesma fonte.

 

Katia Guerreiro começou a cantar há 12 anos. Médica de profissão, divide-se entre a prática clínica, como oftalmologista, e os palcos.

 

Editou o primeiro álbum, "Fado Maior", em julho de 2007, contando já com seis discos, tendo gravado duetos com Maria Bethânia, Martinho da Vila, Simone de Oliveira e Ney Matogrosso. Em 2011 recebeu o Prémio Amália para Melhor Intérprete.

 

Retirado do Sapo Música

Festim
21 Junho a 26 Julho 2013 |  5ª edição
ÁGUEDA * ALBERGARIA-A-VELHA * SEVER DO VOUGA * ESTARREJA * AVEIRO

Festim

OS 6 NOMES DA 5ª EDIÇÃO
Rabih Abou-Khalil e Ricardo Ribeiro (Líbano/Portugal)
Wazimbo (Moçambique)
Susheela Raman (Índia)
D'Callaos (Espanha)
The Klezmatics (EUA)
H'Sao (Chade)

O Cine-Teatro de Estarreja foi hoje palco da apresentação da 5ª edição do Festim - festival intermunicipal de músicas do mundo, numa Conferência de Imprensa conjunta dos vários parceiros. Com um total de 13 concertos em rede, o cartaz deste ano foi revelado na sua totalidade, contando com seis reconhecidos nomes das músicas do mundo e reiterando a habitual excelência e diversidade musical que o Festim tem assinalado ao longo dos anos.

A apresentação contou com as intervenções de Abílio Silveira (CM Estarreja), Elsa Corga (CM Águeda), Licínio Pimenta (CM Albergaria-a-Velha), António Coutinho (CM Sever do Vouga), Maria da Luz Nolasco (Aveiro) - Vereadores da Cultura dos Municípios parceiros - e do programador do festival, Luís Fernandes (d'Orfeu Associação Cultural). De 21 de Junho a 26 de Julho, faz-se mais um irresistível Festim, com Rabih Abou-Khalil (Líbano), Wazimbo (Moçambique), Susheela Raman (Índia), D'Callaos (Espanha), The Klezmatics (EUA) e H'Sao (Chade).

Único festival português a integrar a rede europeia “European Forum of Worldwide Music Festivals”, a edição deste ano do Festim inicia um novo ciclo de quatro anos, até 2016, numa cooperação entre os municípios parceiros e a Direcção-Geral das Artes. A partir de 21 de Junho, todo o mundo no Festim!

todo o programa está no sítio oficial
http://www.festim.pt/

conteúdos, fotos e materiais para imprensa:
http://www.festim.pt/promo.html 


http://www.dorfeu.pt/
http://dorfeu.blogspot.com/
http://www.facebook.com/dOrfeuAC

Denis

 

Denis apresenta o seu primeiro single “It’s Killing Me”, do álbum de estreia com lançamento marcado para dia 24 de Junho!

 

Registo de estreia do vencedor d’A Voz de Portugal tem edição agendada para 24 de Junho

«It’s Killing Me», o primeiro single, já chegou às rádios nacionais


Em Portugal, o rock tem um novo embaixador: o álbum de estreia de Denis, vai ser editado, pela Universal Music Portugal, a 24 de Junho. A primeira amostra é «It’s Killing Me», que já chegou às rádios nacionais.

O país conheceu Denis em A Voz de Portugal – o «concorrente rock» do programa da RTP, que teve Rui Reininho como mentor, arrasou nas várias provas, brilhou gala após gala e foi eleito, pelo público, como o grande vencedor. Um ano depois, eis a sua grande vitória: a edição do seu primeiro disco, um incrível documento da essência do rock, com produção de Armando Teixeira.

Em «It’s Killing Me», à semelhança do resto do álbum, foi Denis quem escreveu e gravou a maioria dos instrumentos.

O álbum é contagiado pelos blues e abraçado pelo jazz, é de 2013 mas recorda os clássicos. É moderno, sim, mas com um magnífico selo de qualidade: é vintage.

É Denis.


Ouvir o single:



 

 
Letra
 
Enquanto muito se inventa
Apontando para disparar
Enquanto muito se imita
Carregando para arrancar
Porque só sabe quem tenta
Porque só arde o que vem de ti
Porque só cede quem cega
Porque não finge quem é de si
E quando o teu sonho arder no temporal
Tenta-te descobrir
Tenta-te perceber
Guarda para lá do mar o que tentámos ser
Sei que há gente que nega
Sei que há gente sem direcção
Sei que há gente que ferra quando despe imitação
Mas é de ferro esta seta e há verdade noutro lugar
É eterno o poeta
E acredita quem navegar
E quando o teu sonho arder no temporal
Tenta-te descobrir
Tenta-te perceber
Guarda para lá do mar o que tentámos ser
Quando não se confia e quando o mundo nos cerca
Quando o olhar se desvia
Quando o deserto nos cerca
Canta o que te ergue
Que mãos dormentes não vão saber
Canta por quem te segue
Canta para quem te vê crescer
E quando o teu sonho arder no temporal
Tenta-te descobrir
Tenta-te perceber
Guarda para lá do mar o que tentámos ser
 
 
 
Letra gentilmente enviada pela Cristina T.
Muito obrigado

Orquestra Sinfónica do Porto Casa da Música vai descer à Avenida dos Aliados

Programação do evento Verão na Casa Super Bock vai decorrer de 1 de Junho a 7 de Setembro, e contar com mais de 70 concertos.

Porque está em Ano Itália, e porque acredita que este ano a meteorologia vai proporcionar um Verão tradicional aos portuenses, a direcção artística da Casa da Música (CdM) deu o subtítulo La Dolce Vita à programação da instituição para os meses de Junho, Julho, início de Agosto e primeiro fim-de-semana de Setembro. É um programa marcado pela “diversidade e pela diversão”, que António Jorge Pacheco, director artístico da CdM, hoje divulgou na presença de representantes dos três patrocinadores do evento: a Super Bock, o BPI e a Porto Lazer.

 

O concerto de abertura, a 1 de Junho, vai ser dedicado ao Dia Mundial da Criança, com a Orquestra Sinfónica do Porto a tocar Pedro e o Lobo e outras fábulas. A actriz e figura da televisão Catarina Furtado vai ser a narradara da história de Prokofieff, e o actor João Reis cumprirá idêntico papel na peça de Luís Tinoco Contos Fantásticos.

 

No encerramento deste Verão na Casa Super Bock, a 7 de Setembro, a mesma Orquestra Casa da Música, de novo dirigida pelo maestro português Pedro Neves, vai descer à Baixa portuense para um concerto em plena Avenida dos Aliados, integrado na programação do evento da Porto Lazer, 1ª Avenida. No programa, saliente-se a 5.ª Sinfonia de Beethoven, mas também árias de óperas de Puccini, Rossini e Verdi, interpretadas por Carlos Cardoso, “um promissor tenor português”, salienta António Jorge Pacheco.

 

Ainda cortesia Porto Lazer/1.ª Avenida, os Aliados vão acolher na véspera, dia 6, um concerto da Orquestra de Jazz de Matosinhos, dirigida por Pedro Guedes e Carlos Azevedo.

 

Entre estes dois fins-de-semana, o Verão na Casa Super Bock vai contar com mais de 70 concertos (quase metade dos quais na Sala Suggia), um terço deles de acesso gratuito – é o caso de tudo o que acontecer na tradicional esplanada ao ar livre, que hoje estava já a ser montada junto à escadaria do edifício de Rem Koolhaas.

 

A programação vai contemplar os vários géneros e envolver as diferentes estruturas da CdM. António Jorge Pacheco começou por destacar o elenco de “grandes vozes do mundo”, que começa pelo regresso ao Porto da cantora americana de jazz, Dee Dee Bridgewater (8 de Junho); a belga Selah Sue (3 de Julho), eleita artista revelação de 2012 pela Rolling Stone; Buika (7 de Julho), nascida em Maiorca filha de refugiados políticos da Guiné Equatorial, que associa o flamenco com o jazz e os blues, e que colaborou com Pedro Almodóvar no filme A Pele Que Eu Habito (2011).

 

Do lado dos portugueses, haverá Sérgio Godinho (15 de Junho), com o seu novo espectáculo Caríssimas Canções; Camané (29 de Junho), a cantar temas novos, acompanhado por convidados algo inesperados, o pianista Mário Laginha e a banda Dead Combo; e outra fadista, Cuca Roseta (11 Julho), com o seu novo disco, Raiz.

 

No campo da world music, o director artístico da CdM chamou a atenção para a presença do duo Amadou & Mariam (16 de Julho), vindo do Mali, e que actuou ao lado de Shakira e Alicia Keys na abertura do Mundial de Futebol da África do Sul (2010); do trio Arnaldo Antunes-Toumani Diabaté-Edgard Scandurra (21 de Julho), com o espectáculo A Curva da Cintura, que associa o rock brasileiro com as torrentes melódicas da kora do Mali; e o cantor paquistanês Asif Ali Khan (24 de Julho), com a música coral e hipnótica do seu país.

 

Outros nomes internacionais a reter na programação: a banda britânica PIL, cabeça de cartaz do próximo Optimus Clubbing (22 de Junho), que traz ao Porto um membro dos lendários Sex Pistols, John Lydon, figura do movimento pós-punk; o regresso do pianista e compositor inglês Michael O Piano Nyman (26 de Junho), para um concerto a solo; o norte-americano Devendra Banhart (2 de Agosto), com o seu novo álbum, Mala. E o DJ americano Jeff Mills (20 de Julho), que regressa ao Porto para um concerto com a Sinfónica para apresentar uma versão orquestrada da sua caixa de ritmos e sintetizadores.

 

Nos 18 concertos anunciados de música clássica, a presença mais constante será mesmo a da Orquestra Sinfónica, que, para além dos concertos já referidos, interpretará a obra de Luís de Freitas Branco Paraísos Artificiais, e a Sinfonia Manfred, de Tchaikovski (7 de Junho); voltará a este mestre russo, e também a Rachmaninoff (14 de Junho); e fará o tradicional (e gratuito) Concerto de São João (23 de Junho), com um programa dedicado à música italiana.

 

Destaque ainda para novo programa de música Made in Italy, contemporânea, com o Remix Ensemble (11 de Junho), e para a 3.ª edição do Prémio Internacional Suggia (23 e 24 de Junho).

 

A esplanada junto à Casa estará em actividade todas as semanas de quinta a sábado, e este palco será especialmente dedicado às bandas e nomes emergentes da música.

 

Seguindo também a tradição dos últimos anos, no último fim-de-semana de Julho realiza-se o Encontro de Bandas Filarmónicas, com sete concertos e um desfile com bandas vindas de todo o país.

 

Retirado do Público

 

Letra

 

Quis agarrar a ti o mar 
Quis agarrar a ti o Sol 
Quis que o mar fosse maior 
Quis que o mar tocasse o Sol 
Quis que a luz entrasse em nós 
inundasse o lado frio 
Quis agarrar a tua mão 
e descer o nosso rio 

Quero agarrar a ti o céu 
Quero agarrar a ti o chão 
Quero que a chuva molhe o campo 
e que o campo seja teu 
Para que eu cresça outra vez 
Quero agarrar a ti raiz 
Quero agarrar a ti o corpo 
E eu quero ser feliz... 

Quis agarrar a ti o barco 
Quis agarrar a ti os remos 
que usamos nas marés 
quando as ondas são de ferro 
Quero agarrar a ti a luta 
Quero agarrar a ti a guerra 
Quero agarrar a ti a praia 
e o sabor de chegar a terra 

Porque o mar tocou no Sol 
Inundou o lado frio 
Porque o Sol ficou em nós 
e desceu o nosso rio 
Por isso dá-me a tua mão 
Não largues sem querer 
Quero agarrar a ti o mar 
eu quero é viver. 

Se tens medo da dor 
Vem ver o que é o amor 
Se não sabes curar 
Vem ser o que é amar 

Quero ver-te amanhecer.

 

Letra

 

Maio maduro Maio, quem te pintou? 
Quem te quebrou o encanto, nunca te amou. 
Raiava o sol já no Sul. 
E uma falua vinha lá de Istambul.

 

Sempre depois da sesta chamando as flores. 
Era o dia da festa Maio de amores. 
Era o dia de cantar. 
E uma falua andava ao longe a varar.

 

Maio com meu amigo quem dera já. 
Sempre no mês do trigo se cantará. 
Qu'importa a fúria do mar. 
Que a voz não te esmoreça vamos lutar.

 

Numa rua comprida El-rei pastor. 
Vende o soro da vida que mata a dor. 
Anda ver, Maio nasceu. 
Que a voz não te esmoreça a turba rompeu.

Quer ver a sua banda ou espectáculo divulgados aqui?,
envie um email para: olharparaomundo (arroba) sapo.pt
Se tem alguma letra que eu não tenha encontrado, pode enviar para o mesmo email