Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A Música Portuguesa

Em terras Em todas as fronteiras Seja bem vindo quem vier por bem Se alguém houver que não queira Trá-lo contigo também

A Música Portuguesa

Em terras Em todas as fronteiras Seja bem vindo quem vier por bem Se alguém houver que não queira Trá-lo contigo também

O agrupamento vocal “La Venexiana
O agrupamento vocal “La Venexiana" abre hoje o festival (Foto: DR)
Uma dezena de concertos ao longo de praticamente todo o mês de Julho no palco do Auditório de Espinho: assim tem sido e assim volta a ser este ano o Festival Internacional de Música de Espinho (FIME), um dos mais antigos festivais nacionais de Verão. A sua 38ª edição começa este domingo e alinha 11 eventos até 26 de Julho.

A abrir (1 de Julho), o agrupamento vocal “La Venexiana” – com a soprano Roberta Mameli e Cláudio Cavina na direcção musical – apresenta o espectáculo “Round M – Monteverdi meets “La Venexiana”, que se aventura numa inesperada fusão entre música barroca e jazz. O grupo acrescenta à música barroca instrumentos como o contrabaixo, a bateria ou o saxofone. Por isso mesmo, é uma das escolhas do director artístico do festival João Pedro Mendes dos Santos. 

A sua segunda escolha – entre muitas que faria dos 11 espectáculos – são os dois concertos (13 de Julho) do francês Romain Garioud, um violoncelista “absolutamente genial, com uma comunicação fantástica com o público”. No primeiro, Garioud tocará a sonata para violoncelo e piano (com Laurent Wagschal) de Luís Freitas Branco, naquilo que o director artístico do festival realça como o encontro feliz entre “um grande intérprete internacional e um compositor português”. 

A fechar o festival, dia 26 de Julho, a Orquestra Clássica de Espinho vai tocar música da América Latina “com duas obras para dois instrumentos improváveis” – harmónica e bandoneon, diz João Pedro Mendes dos Santos e esta é a sua terceira escolha. Trata-se do concerto do brasileiro Heitor Villa Lobos (1887-1959) para harmónica e orquestra e o concerto para bandoneon e orquestra do compositor argentino Astor Piazolla (1921-1992). 

Entre a abertura e o fecho, entre muitos outros eventos, haverá concertos com o clássico trio com piano, que junta os irmãos Renaud e Gautier Capuçon e o pianista Frank Braley, o recital de violino e piano com Sergei Khachatryan, o espectáculo do pianista norte-americano Uri Caine em trio de contrabaixo (John Hebert) e bateria (Clarence Penn), ou ainda o concerto da pianista da Venezuela Gabriela Montero, que, à semelhança do que tem feito ao longo da carreira, vai improvisar sobre temas dados pelo público. 

O festival propõe também espectáculos para as crianças – o Festival Júnior que terá contos de fadas por Alexandre Delgado (acompanhados ao piano) e “O que é uma ária?”, um espectáculo apresentado pelo tenor Mário João Alves. 

 

Retirado do Público

 

letra

 

Oh no, gone forever, a Richie

Can't be without you, I'm sorry that I faild you
Anything you want you can blame it on me. 
Didn't mean to hurt you, was meant to protect you 
That's why I haffi say you can blame it on me
Never really thought I'd miss you so much, 
Now I miss your voice and girl I miss your touch, 
A you me did a prefer, lost you forever, 
And you can blame it on me. 

She tell me she me nah go miss her cause me never really had her 
A lie that me can't live without her. 
And I'm out everynight because me know before 6 o'clock me nah go 

sleep 
Through how me thinking about her 
So please be, please be still in love with me, 
Cause I can't see no other future for me. 

Chorus 

So why have I been suffering for so long, 
Been a while since I knew something was wrong. 
Now you left me with nothing to hold on, 
And now my baby she's gone but... 
The other day she tell me seh she love me, 
The next day she get up and left me. 
I don't know what she want, but I nah stop chant, cause I just 

can't 

Carlos do Carmo canta em Coimbra, Galiza, Cascais e Guimarães em julho

Carlos do Carmo prossegue com a sua digressão no mês de julho. Depois de um concerto em São Tomé e Príncipe no passado dia 9 de junho, a convite da embaixada portuguesa, e de outras participações especiais em Portugal, Carlos do Carmo prepara-se agora para uma nova série de concertos.


Já na próxima terça-feira, 3 de julho, às 21:30, estará em Coimbra, no âmbito do concerto «Tanto Mar Tanta Música», uma celebração da lusofonia, na companhia do galardoado Coro dos Antigos Orfeonistas do Orfeon Académico de Coimbra e do compositor e intérprete Ivan Lins, nome de referência da música popular brasileira, com quem Carlos do Carmo tem colaborado ao longo dos anos.

 

De seguida, no dia 12, às 20:30, é a vez da Galiza (Espanha) receber o Fado de Carlos do Carmo numa das salas consideradas mais emblemáticas - o Palacio de La Ópera, na Corunha, por onde já passaram grandes figuras da música de todo o mundo, desde a clássica ao pop.

A 20 de julho regressa a Portugal, onde canta, pelas 22:00, no Hipódromo Manuel Possolo, enquadrado no cartaz do «Cascais Music Festival», evento que tem este ano a sua primeira edição.

 

Por último, Carlos do Carmo junta-se à Orquestra Chinesa de Macau, a 27 de julho, às 22:00, no Centro Cultural Vila Flor, um concerto especial no âmbito da programação «Guimarães 2012 Capital Europeia da Cultura».

 

Fundada pelo Instituto Cultural de Macau, em 1987, a Orquestra Chinesa de Macau cobre um largo espectro de géneros musicais, desde as melodias tradicionais chinesas a composições contemporâneas.

 

O programa apresentado em Guimarães inclui alguns dos mais emblemáticos temas de fado, como «Duas Lágrimas de Orvalho», «Gaivota», «Homem na Cidade» ou «Canoas do Tejo».

 

Noticia do Sapo Música

 

letra

 

Che cosa vuoi da me che lui non ti sa dare?
Che cosa vuoi da me che non si può comprare?
Che cosa cerchi da te a parte"quell'amore"?
Da cosa tenti di fuggire?
Guardami, quel sole non c'è più
Non può tornare
Guardati, tu non ci credi più
E non è uguale
Lasciati andare allora qui
Non sarà amore...ma
Credimi, è forte anche di più
E non parlare...
Tu adesso qui con me,non é proprio normale
O forse invece sì, se viene naturale
Non chiedere perchè, se si potrà rifare
Ma se ne hai voglia puoi restare...
Guarda li , c'è un sole ancora su
È un buon calore
Guarda che se non ci credi più
Non può far male
Lasciati andare allora qui
Non sarà amore..ma
Credimi, è forte anche di più
E vale anche di più!!!
E guardami, quel sole è ancora su
E' un buon calore
Guarda che se non ci credi tu
Non può far male
Lasciati andare allora qui
Non sarà amore...ma
Sai vale anche di più
E' forte anche di più.

Quer ver a sua banda ou espectáculo divulgados aqui?,
envie um email para: olharparaomundo (arroba) sapo.pt
Se tem alguma letra que eu não tenha encontrado, pode enviar para o mesmo email

Pág. 18/18