Quarta-feira, 8 de Junho de 2011
Letra
Há perguntas que têm que ser feitas

Quem quer que sejas, onde quer que estejas
Diz-me se, é este o mundo que desejas?
Homens rezam acreditam, morrem por ti
Dizem que tás em todo o lado, mas não sei se já te vi
Vejo tanta dor no mundo, pergunto-me se existes
Onde está a tua alegria, neste mundo de homens tristes?
Se ensinas o bem, porque é que somos maus por natureza?
Se tudo podes, porque é que não pões comida à minha mesa?
Perdoa-me as dúvidas, tenho que perguntar
Sou o teu filho e tu me amas, porque é que me fazes chorar?
Ninguém tem a verdade, o que sabemos são palpites
Sangue é derramado, em teu nome é porque o permites
Se me deste olhos, porque é que não vejo nada?
Se sou feito à tua imagem, porque é que eu durmo na calçada?
Será que pedir a paz entre os Homens, é pedir demais?
Porque é que sou discriminado, se somos todos iguais?
Porquê?

REFRÃO:
Porque é que os Homens se comportam como irracionais?
Porque é que guerras doenças matam cada vez mais?
Porque é que a paz não passa de ilusão?
Como pode o Homem amar com armas na mão?
Porquê?
Peço perdão pelas perguntas que tem que ser feitas
E se eu escolher o meu caminho será que me aceitas?
Quem és tu? Onde estás? O que fazes? Não sei
Eu acredito é na paz e no amor

Por favor, não deixes o mal entrar no meu coração
Dou por mim a chamar o teu nome, em horas de aflição
Mas, tens tantos nomes, és Rei de tantos tronos
Se o Homem nasce livre, porque é que alguns são donos?
Quem inventou o ódio? Quem foi que inventou a guerra?
Às vezes acho que o inferno, é um lugar aqui na Terra
Não deixes crianças, sofrer pelos adultos
Os pecados são os mesmos, o que muda são os cultos
Dizem que ensinaste o Homem a fazer o bem
Mas no livro que escreveste, cada um só lê o que lhe convém
Passo noites em branco, quase sem dormir a pensar
Tantas perguntas, tanta coisa por explicar
Interrogo-me, penso no destino que me deste
E tudo o que me acontece, é porque Tu assim quiseste
Porque é que me pões de luto e me levas quem eu amo?
Será que é essa a justiça pela qual eu tanto reclamo?
Será que só percebemos quando chegar a nossa altura?
Se calhar desse lado está a felicidade mais pura
Mas se nada fiz, nada tenho a temer
A morte não me assusta, o que assusta é a forma de morrer

REFRÃO:
Porque é que os Homens se comportam como irracionais?
Porque é que guerras doenças matam cada vez mais?
Porque é que a paz não passa de ilusão?
Como pode o Homem amar com armas na mão?
Porquê?
Peço perdão pelas perguntas que tem que ser feitas
E se eu escolher o meu caminho será que me aceitas?
Quem és tu? Onde estás? O que fazes? Não sei
Eu acredito é na paz e no amor

Quanto mais tento aprender, mais sei que nada sei
Quanto mais chamo o teu nome, menos entendo o que chamei
Por mais respostas que tenha, a dúvida é maior
Quero aprender com os meus defeitos, acordar um homem melhor
Respeito o meu próximo, para que ele me respeite a mim
Penso na origem de tudo, e penso como será o fim
A morte é o fim ou é um novo amanhecer?
Se é começar outra vez, então já posso morrer


MADREDEUS:
Ao largo, ainda arde
A barca, da fantasia
O meu sonho acaba tarde
Acordar é que eu não queria



publicado por olhar para o mundo às 08:32 | link do post | comentar

Terça-feira, 7 de Junho de 2011
The Gift

Concertos realizam-se na Casa da Música e estão inseridos no Clubbing Optimus de Junho

O Clubbing de Junho apresenta na quinta-feira nos palcos da Casa da Música, no Porto, os novos álbuns de originais de The Gift e Jay-Jay Johanson, escreve a agência Lusa.

Sete anos depois de «AM-FM», os The Gift regressam com um novo álbum de originais, «Explode», cujas canções, inicialmente disponibilizadas através da internet, chegam na quinta-feira à Sala Suggia.

Também o sueco Jay-Jay Johanson apresenta um novo disco, «Spellbound», que combina o seu estilo melancólico com uma dose saudável de experimentação, num registo orgânico e vibrante com incursões em territórios indie.

Destaque ainda para o DJ set de Bjørn Torske, produtor norueguês associado ao space disco, e para a apresentação do novo álbum dos portugueses Dear Telephone.

 

Via Iol Música



publicado por olhar para o mundo às 22:00 | link do post | comentar

Letra
Acordei de manhã
Ainda meio baralhado
De teres sido tu a estrela
Daquele filme alugado

Deixámos o Bruce Lee
Entregue às artes marciais
Quando olhaste para mim
Sem efeitos especiais

A Marte, vou a Marte
Se é o que tu queres
Eu vou a Marte!

A Marte, vou a Marte
Se é o que tu queres
Eu vou a Marte!

Fui ter contigo ao café
Não me cansei de olhar para ti
Disseste mata-me a sede
Tira-me daqui

E o mercúrio subiu
E eu não sou de pedra
P'ra uma Vénus como tu
Não há água nesta terra!

A Marte, vou a Marte
Se é o que tu queres
Eu vou a Marte!

A Marte, vou a Marte
Se é o que tu queres
Eu vou a Marte!

Estou em terra
Se não me engano
Fizeste de mim
Um verdadeiro marciano

A Marte, vou a Marte
Se é o que tu queres
Eu vou a Marte!

A Marte, vou a Marte
Se é o que tu queres
Eu vou a Marte!

A Marte, vou a Marte
Se é o que tu queres
Eu vou a Marte!

A Marte, vou a Marte
Se é o que tu queres
Eu vou a Marte


publicado por olhar para o mundo às 17:34 | link do post | comentar

Miguel Gameiro

Centro Cultural Olga Cadaval recebe concerto da digressão «Dá-me Um Abraço» esta quinta-feira

O Centro Cultural Olga Cadaval, em Sintra, recebe esta quinta-feira a nova digressão de Miguel Gameiro. O vocalista dos Pólo Norte apresenta o seu disco a solo num concerto que contará com Boss AC como convidado especial.

«A Porta ao Lado» é o álbum de estreia a solo de Miguel Gameiro e foi lançado em 2010. O espectáculo em Sintra incluirá os temas do disco, com destaque para o single «Dá-me Um Abraço», e ainda algumas das canções mais conhecidas dos Pólo Norte.

 

Via IOL Música



publicado por olhar para o mundo às 13:58 | link do post | comentar

Letra
Não encontrei a letra desta música


publicado por olhar para o mundo às 08:29 | link do post | comentar

Segunda-feira, 6 de Junho de 2011
Letra
eu quero estar lá 
quando tu tiveres de olhar para trás.
sempre quero ouvir 
aquilo que guardaste para dizer no fim. 
eu não te posso dar 
aquilo que nunca tive de ti,
mas não te vou negar a visita às ruínas que deixaste em mim.
se o nosso amor é um combate 
então que ganhe a melhor parte. 
o chão que pisas sou eu. 
o nosso amor morreu quem o matou fui eu.



publicado por olhar para o mundo às 17:44 | link do post | comentar

Letra
Teima, a preguiça a tomar posse
Este corpo já pesado,
Belo vinho meu ele fosse,
Não estaria aqui plantado.
Mas já leva minha conta
Que ta demos, agradece
Mais dinheiro eu tivesse
E ficaria, ficaria todo cá.

REFRÃO:
Brinde a nós,
Brinde aos avós.
Que se houver céu não estão lá sós.
Brinde a vós,
E já sem vós.
Brinde a quem aí vier.

Teima, a preguiça a ser maior
e a vontade de abalar
mais um copo abaladiço
e outro pra recomeçar
Esta dança de balcão,
Que à parte os abraços
Nada deixa, nada fica
Nas histórias, nas histórias
Pra contar.

REFRÃO:
Brinde a nós,
Brinde aos avós,
Que se houver céu não estão lá sós.
Brinde a vós,
E já sem vós.
Brinde a quem aí vier. (Bis 2x)

Só.


publicado por olhar para o mundo às 08:35 | link do post | comentar

Domingo, 5 de Junho de 2011

“Aquela Cidade” marca a estreia discográfica dos MEU E TEU

 

A banda de Alcobaça chamou a atenção em 2010 depois de ganhar o concurso U Rock, por decisão de um júri composto por várias e ilustres figuras da industria musical portuguesa. Foram, ainda, finalistas do Festival de Música de Alcácer do Sal, do Rock Rendez Worten (categoria “Rock”) e mais recentemente do Festival de Música de Corroios.

 

Gravado nos Marduc Studios e produzido por Diogo Freire e Marco Jung (Dapunksportif; Os Dias de Raiva), “Aquela Cidade” alinha sete músicas originais e o videoclip do tema “Erros Estratégicos”  – primeiro single de apresentação - que integrará também a próxima compilação “Novos Talentos Fnac 2011”.

 

 

 

Esta é uma edição muito aguardada por todos os que têm acompanhado a banda. Nasceu da vontade de contar histórias em português e destaca-se pelo facto de todos os seus concertos serem uma entrega total.

 

Os Meu e Teu são: Diogo Freire (Voz, Guitarra e Teclas), Luís Ramos (Guitarra), Paulo Bispo (Guitarra), Bruno Cunha (Baixo) e André Santos (Bateria).

 

Concertos Oficiais de Apresentação:
- Dia 5 de Junho (dom) – 22:00 | Hard Rock (Lisboa)

Agenda Showcases Fnac (em actualização):
- Dia 10 de Junho (6ªf) – 16:00 | Fnac Alfragide (Lisboa)
- Dia 10 de Junho (6ªf) – 22:00 | Fnac CascaisShopping (Lisboa)
- Dia 12 de Junho (dom) – 17:00 | Fnac Vasco da Gama (Lisboa)
- Dia 17 de Junho (6ªf) – 21:30 | Fnac Algarve Shopping (Guia)
- Dia 18 de Junho (sab) – 22:00 | Fnac Coimbra
- Dia 22 de Junho (4ªf) – 21:30 | Fnac Colombo (Lisboa)
- Dia 24 de Junho (6ªf) – 22:00 | Fnac Leiria
- Dia 25 de Junho (sab) – 17:00 | Fnac Almada(Lisboa)
- Dia 30 de Junho (5ªf) – 18:00 | Fnac Sta. Catarina (Porto)
- Dia 30 de Junho (5ªf) – 22:00 | Fnac NorteShopping (Porto)
- Dia 1 de Julho (6ªf) – 22:00 | Fnac GaiaShopping
- Dia 2 de Julho (sab) – 17:00 | Fnac Guimarães
- Dia 2 de Julho (sab) – 22:00 | Fnac Braga
- Dia 3 de Julho (dom) – 17:00 | Fnac MarShopping (Matosinhos)
- Dia 3 de Julho dom) – 21:30 | Fnac Viseu
- Dia 15 de Julho (sex) – 18:30 | Fnac Chiado (Lisboa)

 

Em baixo poderás confirmar o alinhamento do “Aquela Cidade”

 

01 - Meu e Teu
02 - Erros Estratégicos (1º single)
03 - Difícil de Esquecer
04 - Canção de Embalar
05 - Fundo do Mar
06 - Transformação
07 - Espelhos Opacos 

 

Via Palco Principal



publicado por olhar para o mundo às 23:47 | link do post | comentar

Letra
Jurei ser eu o teu luar
Brilhar só eu no teu olhar

Paixão, paixão-ão não vais fugir de mim
Serás paixão-ão até ao fim (Paixão...)
...paixão-ão não vais fugir de mim
Serás paixão-ão até ao fim

Oh por favor vá lá sorri
Dou-te esta flor um beijo a ti

Paixão, paixão-ão não vais fugir de mim
Serás paixão-ão até ao fim (Paixão...)
...paixão-ão não vais fugir de mim
Serás paixão-ão até ao fim (Paixão...)

Paixão, paixão-ão não vais fugir de mim
Serás paixão até ao fim

Paixão, paixão-ão não vais fugir de mim
Serás paixão-ão até ao fim (Paixão...)
...paixão-ão não vais fugir de mim
Serás paixão-ão até ao fim


publicado por olhar para o mundo às 17:49 | link do post | comentar

Joana Amendoeira canta na Argentina e no Uruguai

 

A cantora irá apresentar em Montevideu e em Buenos Aires o mais recente álbum, “Sétimo Fado”, produzido por si e em que gravou poemas de João Fezas Vital, João Monge, Vasco Graça Moura, Rosa Lobato Faria, José Luís Peixoto, Pedro Tamen, Fernando Girão, Amélia Muge, Tiago Torres da Silva, Hélder Moutinho, Pedro Assis Coimbra e Pedro Rapoula.

 

Joana Amendoeira, acompanhada à guitarra portuguesa por Pedro Amendoeira, à viola por Pedro Pinhal e no contrabaixo por Paulo Paz, canta na próxima segunda-feira na sala Zitarrosa, na capital uruguaia, e no dia seguinte em Buenos Aires, no Teatro Coliseo.

 

Joana Amendoeira ganhou a Grande Noite do fado do Porto em 1995 e tem apostado numa carreira de compromisso "entre a tradição e a modernidade", considerando, segundo disse à Lusa, que é essencial dar "a cada um dos fados tradicionais um cunho e estilo" pessoais, mas também "criar novos fados".

 

"Há que entender o fado numa evolução natural que passa pela tradição, caminhando nos dias de hoje com as preocupações do presente", disse.

 

Com uma carreira de mais de dez anos, a fadista viu um dos seus álbuns, “Joana Amendoeira & Mar Ensemble”, distinguido com o Prémio Amália Rodrigues Melhor Álbum (2008).

 

Via Hard Musica



publicado por olhar para o mundo às 13:40 | link do post | comentar

 

 
Letra
 
Olha o robot
É prò menino e prà menina

Olha o robot
Trabalha muito e gasta pouco

Olha o robot
É muito útil pra quem manda

Olha o robot
Está pronto a ser programado


publicado por olhar para o mundo às 10:44 | link do post | comentar

Sábado, 4 de Junho de 2011

 

 

 

 

Foi perante uma Praça de Armas cheia que numa noite quente e calma de Primavera, que Ana Moura abriu a 8ª Festa do Fado com uma actuação agradavel com alguma mas tímida participação do público.

 

O concerto começou com a actuação do “Fado Ensemble Lisboa”, um agrupamento musical formado por David Leão e Rui Borges Maia, na flauta transversal, Joel Vaz no oboé, Ana Maria Santos no clarinete, Pedro Santos e António Correia no acordeão, Baltazar Molina na percussão, Denys Stetsenko e Raquel Cravino no violino, Lúcio Studer na violeta e Ana Raquel Pinheiro no violoncelo, que participa nesta Festa do Fado acompanhará os fadistas complementando os acompanhantes tradicionais, a guitarra e a viola.

 

Ana Moura entrou em palco, de negro vestida, silhueta elegante e começa a ouvir-se a sua voz rouca e sensual entoando temas do seu último disco “Leva-me aos Fados”.

 

O público vai acompanhando a fadista nos temas que melhor conhece, entusiasmado com a actuação de Ana Moura que encantou na sobriedade vocal com que cantou temas como “Sou do Fado” e terminou perante um público rendido com a “Casa da Mariquinhas”recordando Amália Rodrigues.

De salientar os acompanhates de Ana Moura com especial relevo para o guitarra Custódio Castelo que é também o seu director artístico.

A Festa do Fado continua hoje, 04 de Junho, peals 22:00, no Castelo de São Jorge, com a actuação de Raquel Tavares. 

 

Via Hard Musica



publicado por olhar para o mundo às 23:38 | link do post | comentar

Letra
"Sebastião cá voltasse
Se a moleza se cansasse
Se o Eusébio 'inda jogasse
Ai que fintas que ele faria um dia...

Se o imposto não subisse
Se o emprego não fugisse
Se o presidente sorrisse
Outro galo cantaria um dia...

Se cá nevasse fazia-se cá ski...
Se cá nevasse fazia-se cá ski...
Se cá nevasse fazia-se...fazia-se...

Há sempre um "se" no caminho
Que me deixa as mãos tão presas
Se eu cortasse o "se" daninho
Talvez me livrasse das incertezas...

Se cá nevasse fazia-se cá ski...
Se cá nevasse fazia-se cá ski...
Se cá nevasse fazia-se...fazia-se..."
Se cá nevasse fazia-se cá ski...
Se cá nevasse fazia-se cá ski...
Se cá nevasse fazia-se...fazia-se..."


publicado por olhar para o mundo às 10:35 | link do post | comentar

Sexta-feira, 3 de Junho de 2011
Letra
No céu cinzento sob o astro mudo
Batendo as asas pela noite calada

Vêm em bandos com pés de veludo
Chupar o sangue fresco da manada
Se alguém se engana com seu ar sisudo
E lhes franqueia as portas à chegada
Eles comem tudo eles comem tudo
Eles comem tudo e não deixam nada [bis]

A toda a parte chegam os vampiros
Poisam nos prédios poisam nas calçadas
Trazem no ventre despojos antigos
Mas nada os prende às vidas acabadas

São os mordomos do universo todo
Senhores à força mandadores sem lei
Enchem as tulhas bebem vinho novo
Dançam a ronda no pinhal do rei

Eles comem tudo eles comem tudo
Eles comem tudo e não deixam nada

No chão do medo tombam os vencidos
Ouvem-se os gritos na noite abafada
Jazem nos fossos vítimas dum credo
E não se esgota o sangue da manada

Se alguém se engana com seu ar sisudo
E lhe franqueia as portas à chegada
Eles comem tudo eles comem tudo
Eles comem tudo e não deixam nada

Eles comem tudo eles comem tudo
Eles comem tudo e não deixam nada


publicado por olhar para o mundo às 23:42 | link do post | comentar

Letra
Uma estrada colorida, uma história tão vivida, um livro aberto...
Foste tu!
A saudade a toda à hora, não me mata mas devora os meus sentidos...
Foste tu!

Não te vou esquecer, nem fugir de ti...
Amar, as vezes, faz doer...
Amor faz-me pensar em ti!

Eras pedra preciosa, sensatez, alguém que um dia despertou em mim...
Foste tu!
Tinhas o dom de seduzir-me,o dom de amar e persistir a minha ausência...
Foste tu!

Não te vou esquecer, nem fugir de ti...
Amar, as vezes, faz doer...
Amor faz-me pensar em ti!

Entre a paixão e o adeus foi tão difícil pra mim,
se te magoei n foi por mal... 
Ainda espero por ti,
talvez um dia um sinal...

É tão bom olhar para trás, recordar e passar em tantos sítios...
que eram nossos!
Ainda tenho o teu anel, da cor da tua pele e desse beijo...
que era meu!

Não te vou esquecer, nem fugir de ti...
Amar, as vezes, faz doer...
Amor faz-me pensar em ti!

Não te vou esquecer, nem fugir de ti...
Amar, as vezes, faz doer...
Amor faz-me pensar em ti!


publicado por olhar para o mundo às 17:27 | link do post | comentar

Letra
É o som nacional, Despe e Siga onda Ska
Ska, Ska, Ska
É o som nacional, Despe e Siga onda Ska
Ska, Ska, Ska

Despe, despe-te à Verão.
Enche, um copo ao teu irmão.
Siga, que quem dança tem mulher!
Dança Ska dança, de Lagos até Bragança.


Bom dia! Passam 7 minutos das 7
O calor aperta e o mercúrio já sobe:
Lisboa 30 graus, Porto 27, Faro 29.

Enquanto a música toca e o pais se move
Até cair no mar com a antena Despe e Siga no ar.
No topo da sequência aumentámos a potência
Com mais uma da nossa perferência:

ragga, reggae, rocksteady onde há reggae tem ska, 
kussondolola com a bola rola já:
rock, rock, rocksteady.

É o som nacional, Despe e Siga onda Ska
Ska, Ska, Ska
É o som nacional, Despe e Siga onda Ska
Ska, Ska, Ska

Com a batida forte a subir até às 10
Vieram primos do norte 100% em português,
Ornatos a abrir, táxi a seguir e os trabalhadores
Fecharam o comércio também quiseram vir.

Chamem a polícia.
Chamem a polícia.
Chamem a polícia.

E a policia apareceu onde não era chamada
rRbentou com a manif, correu tudo à chapada!
à porta do parlamento ficou a paz adiada.

Dez e meia da manhã, informação à meia hora:
Diz o nosso enviado especial de férias em Bora
Bora que está quente o ambiente
Lá no médio oriente
E em timor é o costume:

Tanto calor e ninguém apaga o lume,
Tanto calor e ninguém apaga o lume.
E nós cá em portugal temos destas às vezes
Estamos no top mundial à frente dos alemães,
Ingleses, japoneses,
Foram milhões de litros, flicks e flacks sem rede,
Que do choupal à lapa a gente nunca passa sede.

É o som nacional, Despe e Siga onda Ska
Ska, Ska, Ska
É o som nacional, Despe e Siga onda Ska
Ska, Ska, Ska

Despe, despe-te à Verão.
Enche, um copo ao teu irmão.
Siga, que quem dança tem mulher!
Dança Ska dança, de Lagos até Bragança.


publicado por olhar para o mundo às 08:32 | link do post | comentar

Quinta-feira, 2 de Junho de 2011
Letra
Falésia do amor
Vertigem, magia em mim
Falésia do amor
Vertigem, magia em mim
Lá, lá, lá...
Fui com o vento
E entrei num sol distante
A arder em cor
Lá, lá, lá...
Numa falésia encontrei
O alucinante sol do amor...

(RAP)
Fell the wind
There's a sun in the cliff!
Take your wings
Call your friends
And open up your heart
The sign of love
Is the soul of the cliff
And the sun is a gift
From the angel of truth

Don't give up
Everything is alright!
There's no fears
There's no tears
In the house of light
You will be the one
In that shiny sun
Coz everybody's happy
In the cliff of love...

(Refrão)/(RAP)
(Refrão)/(RAP)


publicado por olhar para o mundo às 17:24 | link do post | comentar

Letra
A letra desta música ainda não está disponivel


publicado por olhar para o mundo às 08:27 | link do post | comentar

Quarta-feira, 1 de Junho de 2011

Clubbing: The Gift

 

Foi com "Explode" que os Gift regressaram finalmente aos escaparates. E é com ele que se apresentam na Casa da Música, dia 9 de Junho, para comandar os destinos de mais um Clubbing.

 

De acordo com o single de avanço, "RGB", o novo álbum da banda de Alcobaça surge num registo mais cru, mas nem por isso foge totalmente aos arranjos em camadas que nos habituámos a reconhecer em temas como "My lovely mirror", "Ok! Do you want something simple?", "Front of", "Driving you slow" ou mesmo "Fácil de entender". As conclusões tiram-se na Sala Suggia.
Quem também tem novo trabalho é Jay-Jay Johanson, o "crooner" louco por electrónica, o músico "arty" que também é fã de Motorhead, o sueco do "look" andrógino. Chama-se "Spellbound" e é apresentado na Sala 2, a mesma que recebe as novidades dos portugueses Dear Telephone.
A pista do Restaurante é animada pelo "space disco" do norueguês Bjørn Torske, mas também há espaço para Social Disco Club e Hilarion. Nos bares, a função está entregue aos DJ Rui Trintaeum e Joana Blu. Álvaro Costa toma conta do espaço Cibermusica para falar de Perry Farrel (Jane’s Addiction), antes de entrar em cena o projecto Most People Have Been Trained To Be Bored, do portuense Gustavo Costa.
Via Guía do Lazer


publicado por olhar para o mundo às 19:53 | link do post | comentar

 

Letra

 

Eu já não sei quem sou
e nem tenho a certeza 
se é hoje que tu vais
despir-me desta tristeza

Tu deixas ir estas história assim
sem princípio, meio ou fim
sem uma saída
tu e os teus olhos infantis
e os sapatos pretos de verniz
tens tudo a belo prazer.

não me tentes evitar de mãos atadas à cintura
sem vires abaixo do teu vestido de alta costura

Tu deixas ir estas história assim
sem princípio, meio ou fim
sem uma saída
tu e os teus olhos infantis
e os sapatos pretos de verniz.
tens tudo a belo prazer.

sozinha, calada, não temas a amar nem ser amada!

Tu deixas ir estas história assim
sem princípio, meio ou fim
sem uma saída
tu e os teus olhos infantis
e os sapatos pretos de verniz
tens tudo a belo prazer.



publicado por olhar para o mundo às 17:36 | link do post | comentar

 

 

Zé Manel, ex-vocalista e letrista dos Fingertips, sobe, no próximo dia 6 de Junho, ao palco do Auditório dos Oceanos, no Casino Lisboa, para apresentar, em primeira-mão, “Borderline Personality Disorder”, o álbum de estreia do seu novo projecto, Darko. 

 

Nas lojas nacionais a 20 de Junho, o registo, gravado entre Junho e Dezembro de 2010, assume-se como “um trabalho extremamente pessoal e transparente”, nascido da vontade de Zé Manel em “se expressar livremente, através de músicas e letras que foi acumulando ao longo dos anos”.

 

Em palco será também revelado o videoclip do tema Define Joy, o primeiro single do disco, que já toca com insistência nas rádios nacionais e é um fenómeno nas redes sociais.

 

O concerto, exclusivo para convidados e fãs, tem início às 18h30.

Integram, também, o projecto Darko Jorge Oliveira (bateria), Jorge Loura (guitarras), Alexandre Leão (baixo) e Miguel Amorim (teclas).

 

Confere o alinhamento de “Borderline Personality Disorder”:

 

01. Define Joy
02. Let it die (I don't care)
03. Until the morning comes (a ghost...)
04. Reading your head
05. Crumbs of whatever
06. A part of my world
07. The waterwalker
08. The weirdest place I've been
09. Broke the clock again
10. Anymore (Jesus Christ)
11. The Death (It's over now)
12. Lonely Room
13. Para nunca mais (acordar) 

 

Via Sapo Música 

 

 



publicado por olhar para o mundo às 14:10 | link do post | comentar

Letra
Chegaste de passos apertados
Os olhos embargados
Cheios de medos teus
Pediste que te levasse a mágoa
E que te tocasse a alma olhando para os meus

Apertei-te contra ao peito, num abraço perfeito

A rua como companhia
Às vezes escura e fria
Pura realidade
Ninguém olha p'ra ti 
Com olhos de gente
Ate mesmo indiferente
A quem és de verdade
Esquece o teu mundo lá fora
É hora de ir dançar

Refrao:

Esta noite dança só p'ra mim
Que esta dança nunca tenha fim
São asas que me dás
Levam alto p'ra longe

Esqueçe o teu mundo lá fora
É hora de ir dançar

Esta noite dança só p'ra mim
Que esta dança nunca tenha fim
São asas que me dás
Levam alto

Esta noite dança só p'ra mim
Que esta dança nunca tenha fim
São asas que me dás
Levam alto p'ra longe
até de mim
até de mim



publicado por olhar para o mundo às 08:02 | link do post | comentar

Quer ver a sua banda ou espectáculo divulgados aqui?,
envie um email para: olharparaomundo (arroba) sapo.pt
Se tem alguma letra que eu não tenha encontrado, pode enviar para o mesmo email
mais sobre mim
posts recentes

O Blog Mudou de casa

Fado Insulano - José Mede...

Cantiga da terra - Zeca M...

"Aprendiz de Feiticeiro -...

Milhafre das Ilhas - Luis...

Sara Tavares - Ter Peito ...

Banho Maria - Não Há Amor...

Sara Tavares - Fitxadu ft...

JUNGLE EVA - TT SYNDICATE

João Granola estreia vide...

arquivos

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

tags

todas as tags

links
comentários recentes
Pena estes rapazes não terem mais popularidade. A ...
Nome do autor da letra?Não se escreve?Falta de res...
A LETRA É ASSIM!!!E NÃO ASSADO!!!!MaMãe, tu estás ...
As partes que não consegui perceber estão com reti...
https://www.google.pt/amp/s/www.musixmatch.com/pt/...
Vou adicionar nos meus favoritos, sou brasileira, ...
" Para que o tremoço o almoço e o alvoroço demorem...
Letra e música do SiulProdução do Siul Sotnas e Mi...
que puta de letra fdx
Epá, o que é isto?Borrei-me todo com este "Mal des...
Posts mais comentados
blogs SAPO
subscrever feeds