Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A Música Portuguesa

Em terras Em todas as fronteiras Seja bem vindo quem vier por bem Se alguém houver que não queira Trá-lo contigo também

A Música Portuguesa

Em terras Em todas as fronteiras Seja bem vindo quem vier por bem Se alguém houver que não queira Trá-lo contigo também

Letra

Cortesã das minhas noites
Donzela do sol a pino
Miúda a pedir açoites
Mulher do meu desatino

Menina das amoreiras
Peixeira da beira-mar
Todas são namoradeiras
É Lisboa a namorar


Aí Lisboa quem pudesse
Ser a proa da fragata
Que rompe quando anoitece
O seu vestido de prata

Afagar com dedos brandos
Como beijos na maré
A tua boca de morangos
Vendida no cais sodré

A primeira mostra o peito
A segunda a roupa branca
A terceira sem defeito
A quarta rebola a anca

Há Lisboa em todas elas
A mostrarem cada uma
As rendinhas amarelas
Do seu saiote de espuma

Aí Lisboa quem pudesse
Ser a proa da fragata
Que rompe quando anoitece
O seu vestido de prata
Afagar com dedos brandos
Como beijos na maré
A tua boca de morangos
Vendida no cais sodré
(x2)

Quer ver a sua banda ou espectáculo divulgados aqui?,
envie um email para: olharparaomundo (arroba) sapo.pt
Se tem alguma letra que eu não tenha encontrado, pode enviar para o mesmo email

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.