Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A Música Portuguesa

Em terras Em todas as fronteiras Seja bem vindo quem vier por bem Se alguém houver que não queira Trá-lo contigo também

A Música Portuguesa

Em terras Em todas as fronteiras Seja bem vindo quem vier por bem Se alguém houver que não queira Trá-lo contigo também

28 Set, 2011

Caruma - Coitadinha

Letra

Tudo tão certinho, é tudo tão controlado
Saia curta justa e cinto a dar
Tanta ideia boa debaixo do penteado
E essa branca toda a destoar

 

És uma gaja diferente, não és como a gente
Que a grama está muito cara
Metes, mete anfetaminas, que já não és fina
E para atordoar a alma qualquer coisa dá

 

Ai que tristeza coitadinha
Andas enganada, mais uma linha
Vá ninguém dá por nada
Atravancado, salto alto me obriga a ser tão boa
Dá-me cabo da narina

 

Vais aligeirando bem a coisa
Creme anti-olheiras, guronsan e fio dental
O corpo que dói é só por dentro
E a prisão de ventre até se aguenta menos mal

 

És uma gaja diferente, não és como a gente
Que a grama está muito cara
Metes, mete anfetaminas, que já não és fina
E para atordoar a alma qualquer coisa dá

 

Ai que tristeza coitadinha
Andas enganada, mais uma linha
Vá ninguém dá por nada
Atravancado, salto alto me obriga a ser tão boa
Dá-me cabo da narina

 

Não sei se te embalo ou se te ajudo
E mesmo quando te estou a ajudar, este vazio
De crer tudo para nós, é impossível ser só dois
Quando és tão mimada

 

Saboroso só na cama vale
Aquilo que não vale para o resto o que é preciso
Ainda não te disse que te amo tanto tanto
E que sou tão mimada

 

Dizes que sou fria
Estou só embriagada
Nem sequer sofria
Nem sou apaixonada
Ao que parece, sou só demais para ti

 

Dizes que eu sou frio
Estás bem equivocada
Sempre aqui ao lado
E tu nem dás por nada
Ao que parece, sou perfeito para ti

 

Tudo tão certinho, é tudo tão controlado
Saia curta justa e cinto a dar
Tanta ideia boa debaixo do penteado
E essa branca toda a destoar

 

És uma gaja diferente, não és como a gente
Que a grama está muito cara
Metes, mete anfetaminas, que já não és fina
E para atordoar a alma qualquer coisa dá

 

Ai que tristeza coitadinha
Andas enganada, mais uma linha
Vá ninguém dá por nada
Atravancado, salto alto me obriga a ser tão boa
Dá-me cabo da narina

Quer ver a sua banda ou espectáculo divulgados aqui?,
envie um email para: olharparaomundo (arroba) sapo.pt
Se tem alguma letra que eu não tenha encontrado, pode enviar para o mesmo email

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.