Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A Música Portuguesa

Em terras Em todas as fronteiras Seja bem vindo quem vier por bem Se alguém houver que não queira Trá-lo contigo também

A Música Portuguesa

Em terras Em todas as fronteiras Seja bem vindo quem vier por bem Se alguém houver que não queira Trá-lo contigo também

 

 

 

Letra

 

(Luís Represas/João Gil) 

Foi sem mais nem menos 
Que um dia selei a cento e vinte e cinco azul 
Foi sem mais nem menos 
Que me deu para arrancar sem destino nenhum 

Foi sem graça 
Nem pensando na desgraça que entrei pelo calor 
Sem pendura 
Que a vida já me foi dura para insistir na companhia 

O tempo não me diz nada 
Nem o homem da portagem na entrada da auto-estrada 
A ponte ficou deserta 
Nem sei mesmo se Lisboa não partiu para parte incerta 

Viva o espaço 
Que me fica pela frente e não me deixa recuar 
Sem paredes 
Sem portas nem janelas nem muros para derrubar 

Refrão: 

Talvez um dia me encontre 
Assim, talvez me encontre 

Curiosamente 
Dou por mim pensando onde isto me ia levar 
De uma forma ou d'outra 
Há-de haver uma hora p'ra vontade de parar 

Só que à frente 
O bailado do calor vai-me arrastando p'ro vazio 
E com o ar na cara 
Vou sentido desafios que nunca ningém sentiu

 

Quer ver a sua banda ou espectáculo divulgados aqui?,
envie um email para: olharparaomundo (arroba) sapo.pt
Se tem alguma letra que eu não tenha encontrado, pode enviar para o mesmo email

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.