Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A Música Portuguesa

Em terras Em todas as fronteiras Seja bem vindo quem vier por bem Se alguém houver que não queira Trá-lo contigo também

A Música Portuguesa

Em terras Em todas as fronteiras Seja bem vindo quem vier por bem Se alguém houver que não queira Trá-lo contigo também

08 Dez, 2013

Rui Veloso - Nativa

 

Letra

 

Sorriste-me junto ao rio
Quando de febre eu morria
entre delirio palustres
e suores me consumia
eu ardia em fogo lento
quando me deste agasalho
passaste em mim um unguento
muito mais fresco do que orvalho

Redimiste-me nativa
as penas do meu degredo
mantiveste a minha alma viva
por ti voltei a ser ledo
adorei deus em heresia
dei-lhe outra façe sagrada
e a nossa volta no chao
foi crescendo uma erva mestiçada

Deste-me conchas do mar
e um sorriso na boca
e eu nada tinha pra dar
que se comparasse em troca

Dei-te os ferros da razão
dei-te o valor do metal
plo castigo e o perdão
e a gramática do mal
dei-te a dor no cruxifixo
dei-te a cinza do prazer
se não fosse eu era outro
e antes eu do que um qualquer

Dei-te a minha lingua mãe
na tarde desse vagar
o meu bem mais precioso
que eu tinha pra te dar

E esse meu falar antigo
de branco fez-se mulato
um dialecto criolo
um viço novo no mato

Quer ver a sua banda ou espectáculo divulgados aqui?,
envie um email para: olharparaomundo (arroba) sapo.pt
Se tem alguma letra que eu não tenha encontrado, pode enviar para o mesmo email