Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A Música Portuguesa

Em terras Em todas as fronteiras Seja bem vindo quem vier por bem Se alguém houver que não queira Trá-lo contigo também

A Música Portuguesa

Em terras Em todas as fronteiras Seja bem vindo quem vier por bem Se alguém houver que não queira Trá-lo contigo também

 

Letra

 

Talvez a mãe fosse rameira de bordel

Talvez o pai um decadente aristocrata
Talvez lhe dessem à nascença amor e fel
Talvez crescesse aos tropeções na vida ingrata

 

Talvez o tenham educado sem maneiras
Entre desordens, navalhadas e paixões
Talvez ouvisse vendavais e bebedeiras
E as violências que rasgavam corações
Talvez ouvisse vendavais e beredeiras
E as violências que rasgavam corações

 

Talvez ardesse vagamente em várias chamas
Talvez a história fosse ainda mais bizarra
No desamparo teve sempre duas almas
Que se chamavam a viola e a guitarra

 

Pois junto delas já talvez o reconheçam
Talvez recusem dar-lhe o nome de enjeitado
E mesmo aqueles que não cantam não esqueçam
Nasceu assim, cresceu assim, chama-se fado
E mesmo aqueles que não cantam não esqueçam
Nasceu assim, cresceu assim, chama-se fado

 

Música Fernando Tordo

Letra Vasco Graça Moura

Quer ver a sua banda ou espectáculo divulgados aqui?,
envie um email para: olharparaomundo (arroba) sapo.pt
Se tem alguma letra que eu não tenha encontrado, pode enviar para o mesmo email

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.