Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A Música Portuguesa

Em terras Em todas as fronteiras Seja bem vindo quem vier por bem Se alguém houver que não queira Trá-lo contigo também

A Música Portuguesa

Em terras Em todas as fronteiras Seja bem vindo quem vier por bem Se alguém houver que não queira Trá-lo contigo também

 

Letra

 

Invernal

Porteño invierno tan puntual
Regressas una y outra vez
No sé desde qué mundo austral
Para llevarme a algún pais
En donde el frio mas glacial
Se viste siempre com el gris
En los vapores de alcohol
Menpañan al alma y el cristal
Y ya no puedo ver el sol.

 

Invernal,
Presiento tu sabor frutal
Igual a mi tristeza, igual Que quiere abrirse en flor
Y es quando todo duele
Sin saber porqué
Y es quando descobrimos
Siempre to que nadie ve
Quando sabemos bien que para bien o mal
Llevamos en la piel un algo de invernal.

 

Invernal,
Como la realidad de quien
Se queda con su adiós final
Después de ver partir el tren
Como una vida sin niñes
Como un Domingo en la ciudad
Pon pessadumbre de ciprés
Como essas gotas de dolor
De nuestra cruda soledad
Quando lloramos por amor.

 

Invernal,
Porteño invierno como vos
Suporto un frio cruel, atroz
Mi propria soledad
Y es quando todo duele
Sin saber porqué
Y es cuando descobrimos
Siempre lo que nadie ve
Quando sabemos bien que para bien o mal
Llevamos en la piel un algo de invernal.



Quer ver a sua banda ou espectáculo divulgados aqui?,
envie um email para: olharparaomundo (arroba) sapo.pt
Se tem alguma letra que eu não tenha encontrado, pode enviar para o mesmo email

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.