Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A Música Portuguesa

Em terras Em todas as fronteiras Seja bem vindo quem vier por bem Se alguém houver que não queira Trá-lo contigo também

A Música Portuguesa

Em terras Em todas as fronteiras Seja bem vindo quem vier por bem Se alguém houver que não queira Trá-lo contigo também

A Naifa reinterpreta canções alheias no novo álbum

A Naifa edita a 4 de novembro um novo álbum, no qual revisita canções da música portuguesa, do pop rock ao fado, e cujas escolhas traçam também a identidade musical da banda.

"As canções d'A Naifa" reúne nove músicas, entre as quais "Libertação", gravada por Amália Rodrigues, "Inquietação", de José Mário Branco, "Sentidos Pêsames", dos GNR, e "Subida aos céus", gravada pelos Três Tristes Tigres.

"Desde 2004 que temos vindo a fazer versões de uma ou outra canção, para os espetáculos ao vivo. Como já tínhamos algumas, decidimos gravar, mas num registo que fosse mais ao vivo", afirmou à agência Lusa o guitarrista Luís Varatojo.

O álbum apresenta canções escolhidas "segundo o critério de gosto" dos músicos - "tinha de ser assim, músicas que gostamos de ouvir" - e que "corresponde também ao percurso da banda", explicou.

São canções que tanto os acompanham desde sempre como fazem parte de afinidades recentes: "No fundo, também são as nossas canções, emprestadas dos outros artistas".

Para primeiro tema a divulgar, A Naifa escolheu "A tourada", de Fernando Tordo, com letra de José Carlos Ary dos Santos, metáfora sobre situação social da ditadura do Estado Novo em 1973, que a censura deixou escapar. "Escolhemos por, entre outras razões, ter uma leitura mais exata do que se passa hoje no país", afirmou Luís Varatojo.

O quarteto apropriou-se ainda, por exemplo, de "Bolero do coronel sensível que fez amor em Monsanto", de Vitorino, com letra de António Lobo Antunes, "Imenso", de Paulo Bragança, e "Desfolhada portuguesa", que Simone de Oliveira interpretou com letra de Ary dos Santos e música de Nuno Nazareth Fernandes.

Para Luís Varatojo, o álbum poderá ser um exercício interessante para os que já conhecem as canções, mas também se dirige aos mais novos, que possivelmente desconhecem este repertório.

O disco, que será lançado oficialmente no dia 30, no Bar Popular, em Alvalde, Lisboa, é editado cerca de um ano depois do álbum "Não se deitam comigo corações obedientes".

Para os concertos, Luís Varatojo, Mitó Mendes (voz), Sandra Baptista (baixo) e Samuel Palitos (bateria) preparam um alinhamento focado sobretudo no novo álbum, ao qual adicionarão algumas canções do repertório original.

 

Retirado do Sapo Música

Quer ver a sua banda ou espectáculo divulgados aqui?,
envie um email para: olharparaomundo (arroba) sapo.pt
Se tem alguma letra que eu não tenha encontrado, pode enviar para o mesmo email