Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A Música Portuguesa

Em terras Em todas as fronteiras Seja bem vindo quem vier por bem Se alguém houver que não queira Trá-lo contigo também

A Música Portuguesa

Em terras Em todas as fronteiras Seja bem vindo quem vier por bem Se alguém houver que não queira Trá-lo contigo também

No estúdio de Noiserv cabe uma orquestra inteira

"Almost Visible Orchestra" promete ser um dos discos de cabeceira deste outono e traz-nos dez novas canções de Noiserv. No seu estúdio em Almada, David Santos selecionou três, interpretou-as e contou-nos as suas histórias.

"Today Is The Same As Yesterday But Yesterday Is Not Today", "It's Easy To Be A Marathoner Even If Your Are A Carpenter" e "I Was Trying To Sleep When Everyone Woke Up" são títulos de canções longos para um disco relativamente curto, mas nem por isso menos ambicioso. Noiserv não precisa de mais de meia hora para mergulhar num imaginário com tanto de melancólico como de infantil, evolução natural dos ambientes do álbum de estreia, "One Hundred Miles From Thoughtlessness" (2008), e do EP "A Day In The Day Of The Days" (2010).

Tal como esses antecessores, "Almost Visible Orchestra" nasce quase exclusivamente da escrita e voz de um homem dos sete instrumentos (aproximação que pecará por defeito) entregue a um novelo de camadas capaz de ser complexo sem se tornar ostensivo. Rita Redshoes, Luisa Sobral, Minta, Walter Benjamin, Afonso Cabral e Salvador Menezes (dos You Can't Win, Charlie Brown, que David Santos integra) e o escocês Esperi juntam-se num dos temas, mas são a exceção que confirma a regra: este é mais um relato pessoal marcado por memórias distantes e recentes (como as da avó, que morreu durante o processo de criação de um disco cujas iniciais do título a recordam) aliadas a uma atmosfera simultaneamente lúdica e meditativa (não por acaso, Sigur Rós ou Yann Tiersen são influências assumidas).

 

 

O lado cinematográfico de algumas destas paisagens está longe de ser novidade para quem tratou da música do filme "José e Pilar", de Miguel Gonçalves Mendes, e também já fez a ponte com experiências teatrais. E se as canções são há muito um caso sério para um engenheiro electrotécnico rendido a outra vocação, a capa de"Almost Visible Orchestra" propõe uma brincadeira quando nos obriga a (des)montar um puzzle - processo bem mais simples, ainda assim, do que a meticulosa conjugação de loops arriscada por David Santos no seu estúdio.

Concertos de apresentação de "Almost Visible Orchestra":

12 de outubro: Pátio do Castilho, Coimbra
18 de outubro: Tertúlia Castelense, Maia
26 de outubro: Cine Teatro João Verde, Monção
15 de novembro: Casa da Criatividade, São João da Madeira
29 de novembro: Vale Pandora, Vale de Cambra
30 de novembro: Espaço GNRation, Braga
12 de dezembro: Teatro do Campo Alegre, Porto
14 de dezembro: Plataforma das Artes e da Criatividade, Guimarães

@Gonçalo Sá e Inês Alves

 

Retirado do Sapo Música

Quer ver a sua banda ou espectáculo divulgados aqui?,
envie um email para: olharparaomundo (arroba) sapo.pt
Se tem alguma letra que eu não tenha encontrado, pode enviar para o mesmo email