Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A Música Portuguesa

Em terras Em todas as fronteiras Seja bem vindo quem vier por bem Se alguém houver que não queira Trá-lo contigo também

A Música Portuguesa

Em terras Em todas as fronteiras Seja bem vindo quem vier por bem Se alguém houver que não queira Trá-lo contigo também

Casa da Música


Os festivais de verão podem ter acabado mas setembro, no Porto, é mês de reabertura da Casa da Música que oferece dois concertos à cidade, é mês de D' Bandada e do aniversário do Hard Club.

 

A Casa da Música que, como habitualmente, esteve encerrada para férias em agosto volta aos concertos na quinta-feira, com a Orquestra XXI, que reúne meia centena de músicos portugueses que tocam fora do país.

 

A Orquestra XXI é a vencedora do concurso de Ideias de Origem Portuguesa, promovido pela Fundação Calouste Gulbenkian e depois de tocar em Tibães, Braga, e no Porto, vai atuar nos dias seguintes no Mosteiro da Batalha e no Centro Cultural de Belém, em Lisboa.

 

Mas é na sexta-feira que a Casa da Música e Câmara do Porto oferecem o primeiro de dois concertos à cidade. Os Concertos 1ª Avenida decorrem em plena avenida dos Aliados, com entrada livre. No primeiro, o guitarrista Kurt Rosenwinkel junta-se à Orquestra Jazz de Matosinhos e o programa inclui a estreia de três novos arranjos de Pedro Guedes e Carlos Azevedo sobre temas do celebrado instrumentista norte-americano.

 

No sábado é a vez da Orquestra Sinfónica do Porto Casa da Música descer à praça para um programa bem popular que inclui clássicos como a Sinfonia nº5 de Beethoven ou “La Donna è mobile” de Verdi e que é também uma oportunidade para escutar como o compositor Cláudio Carneyro se inspirou em trechos tradicionais como o “Malhão” ou “Senhora do Almortão” , para as suas Portugalesas.

 

Mas setembro é também mês do Optimus D’ Bandada que no dia 14 se vai repartir por vários espaços do Porto para um sábado inteiro de música. António Zambujo, Best Youth, Samuel Úria, Miguel Araújo, Little Friend ou Blaya são alguns dos muitos nomes que compõem o cartaz deste ano.

 

Com o Clube Fenianos Portuenses como quartel-general, a edição deste ano também apresenta como pontos de destaque a estafeta e a maratona musical organizada pela produtora Lovers & Lollypops, um palco de jazz, um espaço dedicado à declamação a cargo de Capicua e um palco com música tradicional portuguesa.

 

Setembro também será data para comemorar o 3º aniversário do Hard Club que promete uma “festa com a programação de sempre”. Isto quer dizer que no espaço do Mercado Ferreira Borges, entre 24 e 29 de setembro, vai ser possível ver em formato concentrado as propostas que enchem com regularidade o calendário do Hard Club ao longo do ano.

 

Retirado de Noticias ao minuto

Quer ver a sua banda ou espectáculo divulgados aqui?,
envie um email para: olharparaomundo (arroba) sapo.pt
Se tem alguma letra que eu não tenha encontrado, pode enviar para o mesmo email

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.