Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A Música Portuguesa

Em terras Em todas as fronteiras Seja bem vindo quem vier por bem Se alguém houver que não queira Trá-lo contigo também

A Música Portuguesa

Em terras Em todas as fronteiras Seja bem vindo quem vier por bem Se alguém houver que não queira Trá-lo contigo também

 

Letra

 

Morenas, ruivas, loiras querem muitas coisas.

Morenas, ruivas, loiras elas querem muitas coisas.
Morenas, ruivas, loiras querem muitas coisas.

Morenas, ruivas, loiras elas querem muitas coisas.
Morenas, ruivas, loiras querem muitas coisas.
Morenas, ruivas, loiras elas querem muitas coisas.

Morenas, ruivas, loiras querem muitas coisas.
Morenas, ruivas, loiras elas querem muitas coisas.

 

 

Elas, querem deitar-se no meu colchão

Na ilusão que tenho um milhão

Contar dinheiro na mansão

Não, não, não, não

Querem deitar-se na minha cama

Pelos euros e pela fama

Mas daqui não levam nada

Não, não, não, não

 

Algumas conhecem-me a anos
Outras seguem-me a anos
Mas só desde que tenho este skill
É que me querem nos seu quartos
Acham que eu sou o maior
Que movo o céu e a terra
Dizem que tenho o poder e a garra
Chamam-me fera
Tentam os meus amigos
Tudo o que me rodeia
Tudo o que me apoia
Tudo o que me vai na ideia
Querem falar comigo
Serem amigas do "P"
Só por uma vez com sorte
Pús os pés na TV
Umas quantas da escola
Outras tantas por moda
Mas a maior parte é mesmo pela status e a...
Uma vez, duas, três
Depende da disposição
Mas eu nem digo, nem falo
Calado o estilo é patrão
Não vos dou confiança
Nem tão pouco esperança
e não sinto mudanças
Por isso deixem-me crianças
Uma coisa é uma coisa
Outra coisa é outra coisa
Mas vocês querem-nas todas
Morenas, ruivas ou loiras

Morenas, ruivas, loiras querem muitas coisas.
Morenas, ruivas, loiras elas querem muitas coisas.
Morenas, ruivas, loiras querem muitas coisas.
Morenas, ruivas, loiras elas querem muitas coisas.

Elas, querem deitar-se no meu colchão
Na ilusão que tenho um milhão
Contar dinheiro na mansão
Não, não, não, não
Querem deitar-se na minha cama
Pelos euros e pela fama
Mas daqui não levam nada
Não, não, não, não

Elas querem muitas coisas
Outras querem as coisa todas
Mas no fundo levam zero
ou seja, nem uma coisa
É todo um jogo de interesses
em que a atração só aparece
quando tenho roupa, carro, casa
E pago em cash ou check
mas querida eu não sou famoso
Sou é fabuloso
Tenho é um estilo de vida pouco ortodoxo
Não rigoroso
Chamam-me pintas, convencido,
arrogante agresivo
Mas quem me conhece sabe bem
Que sou um produto do que vivo
Fujo a regra, eu sei
A cima da media, eu sei
Sou o teu ídolo, eu sei
Mas perseguires-me, não sei
Sabido que me preferem 
Com este ar criminal
O infame MC favorito,
do teu RAPPER ANUAL
A sensação de adrenalina 
com perigo em mistura
O limiar do ilegal
com conforto, loucura
Aquela senção de estar a partilhar
Um colochão com um patrão estilo escovar

Elas, querem deitar-se no meu colchão
Na ilusão que tenho um milhão
Contar dinheiro na mansão
Não, não, não, não
Elas, querem deitar-se na minha cama
Pelos euros e pela fama
Mas daqui não levam nada
Não, não, não, não

Elas, querem deitar-se no meu colchão
Na ilusão que tenho um milhão
Contar dinheiro na mansão
Não, não, não, não
Elas, querem deitar-se na minha cama
Pelos euros e pela fama
Mas daqui não levam nada
Não, não, não, não

Quer ver a sua banda ou espectáculo divulgados aqui?,
envie um email para: olharparaomundo (arroba) sapo.pt
Se tem alguma letra que eu não tenha encontrado, pode enviar para o mesmo email