Quarta-feira, 11.01.17

 

Letra

 

Meu pai vida
Não é novela
Nasceste numa barraca
Sem água e à luz das velas
Nunca tiveste nada a não
Ser o amor da favela
E andavas de porta em porta
Para dar uns trocos a velha
Os anos foram passado
E tu foste crescendo
Diariamente ias jogando o jogo
Que te enfiou la dentro
Eu só vejo cinzento
Mas o verde dos teus olhos
Para te ser sincero lamento
Mas tu é que plantas o que colhes
Foges da reta que te perde
Acaricas e perdes
A Carolina é pequenita
Mostra lhe um rumo diferente
Meu velho já sou crescido
Ao ver-te só peço que
Dures mais 4 Meses para
Conheceres o meu filho
Seguintes o teu caminho
Fizeste a tua cama
No teu olhar sinto frio
Já não esquenta nem com chama
O teu sorriso é um vazio
E a mim já não me engana
Doi me ver te perdido
Com a cabeça na lama
Tu já te queimaste tanto
Tens um palácio no sangue
Pai olha para mim
Tinhas um ar elegante
E no entretanto para o meu espanto
Não te vejo assim
Eu não lamento o que
Vivi, ver o que vi fez
De mim homem
Sei que para muitos ter muito
Muitos outros nem comem
Tu já não te importas que te olhem
Nem te olhas ao espelho
Enquanto uns nascem outros morrem
Eu rezo para o puto nascer primeiro
Com a fartura do dinheiro
Veio a loucura a tempo inteiro
A tua vida era um recreio
Hoje em dia choras
Velho não tens a visão
Daquilo que é correcto ou não
A mim parte me o coração dizer

A Vida é roda bota fora
E pai já ta mais que na hora
De eu olhar por mim
Dizem que um homem não chora
E eu não acredito
E aqui eu digo eu já chorei por ti sim
A Vida é roda bota fora
E pai já ta mais que na hora
De eu olhar por mim
A família não tem preço
Recolhesses e eu reconheço
Que nunca foi assim

Eu sou um puto que já viu muito
E sei que o tempo não sara
Vejo-te parado na vida pai
A vida não para
Mete a cabeça para cima e vai
Tem vergonha na cara
Se vires a porta de saída sai
Essa vida acaba
Quartas e meias fiadas
Guardas e meias rasgadas
Não cagas em quem te mata
E cagas em quem não te larga
É só garrafas chupadas
E partas todas queimadas
Com vacas todas quinadas
Trocaste tudo por nada
Foste a procura da loucura
E hoje és um louco na estrada
Mas o teu puto tem gana
De um bom Cubículo para a mana
Sou um bom menino capanga
É tão lindo ter grana
Eu cá vou indo no drama
Para comer fujo da cana
Rap corre atrás de mim
Eu corro a frente da fama
Eu quero é que a fama se foda
Quero é que a família coma.. sim
Mas como assim g não procuro o sucesso
Procuro encher o frigorífico
E saúde é o que eu peço
O estado está em estado critico
E não é nítido o processo
Quero um lugar pacifico
Longe da furia do universo
Meto o meu sangue em cada verso
E tento simplificar o que no fundo é tão complexo
A minha vida não tem nexo
Como é que eu não sabia
Eu não vou ter quem me criou
A criar a minha cria
Da vivenda para o anexo
Para ter as contas em dia
Ta tudo tão perplexo
E eu pergunto: Quem diria
A vida sobe e desce é a minha filosofia
Cota não importa a nota
O importante é a família
E agora que venha a Clarinha
Firme e com saúde eu tenho a cabeça para cima
Sou miúdo não interessa
Isso de ser puto é só conversa
Eu luto sem promessas, juntos os pontos
Monto as peças sem descontos
Tou na reta e não é narcotráfico
Dispensa quem precisa para conseguir ter o básico
Eu não sou praticante sou pratico ´
E ninguém me classifica
Pai hoje o teu filho é clássico
Tempo passa rápido e é trágico o sentimento
Vida acaba num ápice como disse eu vou vivendo
24 sobre 7 a batalhar no meu talento
Ao meu passo cá vou indo porque eu vingo me
E não me vendo

A Vida é roda bota fora
E pai já ta mais que na hora
De eu olhar por mim
Dizem que um homem não chora
E eu não acredito
E aqui eu digo eu já chorei por ti sim
A Vida é roda bota fora
E pai já ta mais que na hora
De eu olhar por mim
A família não tem preço
Recolhesses e eu reconheço
Que nunca foi assim

 



publicado por olhar para o mundo às 08:13 | link do post | comentar

Terça-feira, 10.01.17

 

Letra

 

Humildade a 100 sente-me na via
Dizem que eu não aguento a gente com mania
Eu não vou cair no esquecimento fuck para quem queria
4 Cantos na jogada mano quem diria?

Eu não mudo por nada mas há quem o diga e
O que eu tenho na cabeça é bancar a família
Tropa eu ando na batalha todo o santo dia
Se a música falha o que vai ser da minha vida?
A maria na barriga lá carrega a cria
Um puto á espera de um puto eu luto por mim
Ainda tenho 21 e há quem se ria
Mas quem se ri melhor é quem se ri no fim
Desculpa ser assim, não luto para ser aceite
Mano eu sou o que sou eu não quero ser perfeito
Minha vida mudou mas eu nunca mudei
Sou sempre o mesmo piruka meu rei
O mesmo piruka meu rei

E bem a minha mãe dizia
"tu toma cuidado"
O tempo traz sabedoria assenta o recado
Olho aberto fica atento sempre em todo o lado
E caminha pelo teu pé não queiras ser levado"
Eu nunca quis ser provocado
Eu nunca quis ser um pendura
Dizem que eu quero imitá-lo mas
Dillaz é dillaz, piruka é piruka

Hey wannabe o chaps é meu brotha
Não quero ser como ele são influências boca porca
Improviso é improviso com broka atrás de broka
Gargalhadas e sorrisos o resto do chão era a casota

E o que importa é madorna no mapa
Mother fucker a família não pápa
Se não gostas agarra na corda mete
Á volta do pescoço e dá-lhe um nó de gravata
Porque a dica é piruka na casa, eu não me envergonho
E exponho a minha raça faço-me á pista e vejo que
Há quem não faça muito
Passa a vida toda que se foda na fumaça

Mas tu tem calma miúdo
Puto a vida passa e baza a juventude
Abanco num canto á espera que isto mude
Sei que passei por muito mas não passei por tudo
Não passei por tudo
Não passei por tudo
Abanco num canto á espera que isto mude
Sei que passei por muito mas não passei por tudo

Mano a vida tá complicada
e a rapaziada emigra ou vai de saco
No bairro não se passa nada rotina é cansada
No meio das ratazana não queiras ser rato
Eu tou num mundo á parte
Fechado no meu quarto
um maluco no escuro a tentar fazer arte
E falo do estado da sociedade
quando devia era ficar calado

Escuta-me e pensa para ti
Porquê que tudo tem um fim?
Eu bem que tento ter noção
mas a razão não vem até a mim então
Tu escuta-me e pensa para ti
por que que tudo tem um fim?
Eu bem que tento ter noção
mas a razão não vem até a mim então
Tu escuta-me e pensa para ti
por que que tudo tem um fim?
Eu bem que tento ter noção
mas a razão não vem até a mim então
Tu escuta-me e pensa para ti
Tu escuta-me e pensa para ti
Escuta-me e pensa para ti

 



publicado por olhar para o mundo às 17:13 | link do post | comentar

Quinta-feira, 05.01.17

 

Letra

 

[Intro]
Será que tu sentes aquilo que eu sinto
Ao acordar de manhã
Olho-me ao espelho
Pressinto que talvez não chegue amanhã
Um obrigado à minha mamã
Guerreira da vida, meu talismã
Velha acredita, mudei de vida
Hoje sou Piruka que até tem uns fãs
Será que tu sentes aquilo que eu sinto
Ao acordar de manhã
Olho-me ao espelho
Pressinto que talvez não chegue amanhã
Um obrigado à minha mamã
Guerreira da vida, meu talismã
Velha acredita, mudei de vida
Hoje sou Piruka que até tem uns fãs
Tenho a minha turma, tenho o meu clã

[Verse 1]
Fam na back, tamos na via
Mãe eu agora só paro lá em cima
De norte ao sul na correria
Para dar um bem-estar a nossa família
Dou graças a Deus a vida que tenho hoje em dia
Olho pelos meus, mas o meu foco é a minha filha
Não quero que ela tenha a vida que eu tinha
Larguei a farinha, agarrei-me à caneta
Nunca rimei a pensar na paleta
Humildade em primeiro como diz a lenda
Nunca viram a dar para vedeta
Muito abre a boca e pensa que é estrela
Eu fico confuso, sou um Picasso que pinta
A minha vida em telas
E vem uma estrela e quer tirar abuso
Eu já vivi no bambam
Mas boy não quero isso para mim
Um obrigado mamã
Se não fosses tu eu já não estava aqui
Se não acordar amanhã
Mete a Clara a cantar o que escrevi
Olha-me na cara, foca me os olhos abana a cabeça
E diz me que sim

[Hook](x2)
Quando o corpo cai, a nossa alma vai
O espírito sai, não há mais nada a fazer
Era filho, hoje sou pai
Se eu não acordar mais
O que eu te ensinei faz a Clara aprender

[Verse 2]
Eu quero uma vida bela, mas Cinderela boy não tira pé
Não é por não tar com a mãe da minha filha
Que não vou tar com a minha bebé
E mantenho a cabeça para cima
A dica não muda já sabem qual é
Tenho a minha firma, tenho a minha turma
E tenho a minha estrela que é a minha fé
Muito prazer o meu nome é André
Podem dizer que sou repetitivo
Muito prazer o meu nome é André
Não invento o que escrevo, eu escrevo o que vivo
Querem-me na merda mas eu estou em pé
Não acreditam mas eu acredito
Até morrer, sempre o mesmo André
Mas nunca mais serei o mesmo contigo
Eu andei perdido e bati no fundo
Rotina de merda eu era apenas um puto
Hoje eu perco um minuto na vida
Para não ter de a perder num minuto
Hoje eu tenho a cabeça para cima
A minha velha já me vê com orgulho
Sou completo tenho uma família
Minha Clarinha que é o meu futuro
Eu tou na batalha assumi o bagulho
Piruka na casa para fazer barulho
Quero a minha velha com orgulho no filho
E quero a minha filha longe do entulho
Estudo no estúdio é estúpida e única
Deixa-me louco de forma tão única
Ando a pouco e pouco mas sabe-me a pouco
Deixa-me louco, chama-se música

[Hook](x2)
Quando o corpo cai, a nossa alma vai
O espírito sai, não há mais nada a fazer
Era filho hoje sou pai
Se eu não acordar mais
O que eu te ensinei faz a Clara aprender

 

Música e Letra: Piruka

 



publicado por olhar para o mundo às 22:13 | link do post | comentar

Quinta-feira, 15.12.16

 

Letra

 

Para mim música é a alma que me acalma na euforia
É poder desabafar e sentir que a pele arrepia
É o poder de partilhar a minha história, a minha vida
é sorrir, é chorar, é sentir a batida
É viver o sentimento e apurar a escrita
é partilhar o sentimento com quem se identifica
Por cá fora o que vem cá dentro e ter cabeça erguida
Saborear cada momento como se fosse magia
Dar uso à caligrafia duma forma suave
Saber ouvir na melodia os agudos e graves
Pra mim a poesia não é só uma fase
Pra mim a poesia não são apenas frases
Pra mim a poesia é expor o meu dia a dia adquirir sabedoria e tentar ensinar
Não só a minha cria, não só a minha família mas sim a todos aqueles que eu possa ajudar
Pra mim musica é amar, musica é trair
Musica é sonhar e lutar por conseguir
Pra mim musica é vida e eu quero fazer vida da musica
Tenho ambição, a minha paixão é única
Tenho ambição, a minha paixão é lúcida
Pra uns dedicação por uma paixão tão estúpida
Pra mim dedicação por uma paixão tão clássica
Poeta da rua, Madorna a minha máfia ...

Eu sei o que toda a gente quer de ti
E nunca o confesso
Musica eu só posso falar por mim
E sei bem que o que eu quero
Não é o que toda a gente quer de ti
E isso eu confesso
Mas eu só posso falar por mim
E pra ti ser sincero

Eu tento ser sincero agarrado a caneta
E espero pela minha vez no meu mundo a parte
Sentado num dos quatro cantos com a minha caderneta
Abordo a realidade com a minha arte
Abordo a verdade dentro do meu quarto
Musica não é vaidade, é necessidade
Musica é sinceridade, frieza e bondade
Musica não tem estatuto e não tem idade
Musica é a liberdade na minha mão
Musica é liberdade de expressão
Musica é liberdade dos irmãos
Tão trancados numa cela afastados da multidão
Musica é um misto de emoções
é escutar, falar, partilhar sensações
é sentar e sentir conversas com os meus botões
é escrever, gravar para se recordar depois
Musica sou eu e tu
Musica somos nós
Musica é o que eu faço com um beat e a minha voz
Musica é o que eu traço no meu caderno a sós
Musica é o que eu passo e o que passaram os meus avós
Musica é o mundo, não se define numa palavra
é um cota, é um puto, é tudo e não é nada
É o escuro da madrugada
é o inicio e o fim eu não sei nada
Mas sei o que toda a gente quer de ti

Eu sei o que toda a gente quer de ti
E nunca o confesso
Musica eu só posso falar por mim
E sei bem que o que eu quero
Não é o que toda a gente quer de ti
E isso eu confesso
Mas eu só posso falar por mim
E pra ti ser sincero

 

 



publicado por olhar para o mundo às 17:13 | link do post | comentar

 

Letra

 

Desde criança que eu ouço sirenes e não (não)
Não quero isso para a minha vida
A rua nunca foi saída
Desde criança que eu ouço sirenes e não (não)
Não quero isso para a minha filha
Por isso procurei mudar de vida, mas

Se a rua chama por mim eu não posso tirar o pé
Bandido desde de puto meu tropa tu queres o que?
Minha vida era loucura o meu futuro era a cana
Mas tirei o pé da lama e mantenho a minha fé
Agarrei me ao RAP com unhas e dentes
Fiz o que tinha a fazer e não falhei o compromisso
Todos diziam tu vais ser como o teu pai
E a minha cota dizia tu não podes papar disso
Vi lágrimas e sorrisos e vi muito subir montanhas
Para cair do precipício, vi tanto a ficar na merda
A cair sem para-quedas na rua a cravar moedas
Para poder matar o vicio
Ossos do oficio, eu na minha vida louca
Para o meu próprio beneficio
Não se passa nada hoje estou trancado no estúdio
Enquanto está de viagem com jarda no orifício
Manda vir, há muito na corrida 20 pacotes no bolso
E o homem pronto para a rotina
O que é que queres ? Sou o louco da família
Vais me apanhar no mato
A dar com os cornos na batida
A vida sobe e desce
Tu cresce com ela desde de puto que sou peste
Não pintes a minha tela
Tu sempre soubeste o que é uma vida bela
Não venhas para aqui dizer que saíste da favela boy
E é só naquela boy se a nossa vida doí
E há muito mother fucker que anda a fazer saber
Toma boy se a minha dica moí
É porque pinto o que sinto e não minto a escrever
Eu agora quero viver e como deves saber
Quem não deve não teme
Sempre o mesmo soldado
Mas sou um homem mudado
Cansei de ser acordado com o barulho da sirene tropa

Desde criança que eu ouço sirenes e não (não)
Não quero isso para a minha vida
A rua nunca foi saída
Desde criança que eu ouço sirenes e não (não)
Não quero isso para a minha filha
Por isso procurei mudar de vida, mas

Se eu não mudo o que sou e o meu som vem da rua
Não posso largar o mundo que me criou
Há muito que pensa que avança e não avança só recua
Quando vês a Lua é como o dia começou
O jogo que tu jogas o teu mano já jogou
Por isso tu não dês para player
Quando a coisa fica feia tu vais chamar a plateia
A plateia bazou, aqui é cada um por si
A vida é uma merda mas tens que viver
Tu olha por ti, agarra na tocha e tenta acendê-la
Andei na má vida e não era uma vida má
Se a guita comanda a vida, mano a guita tava cá
Era um malabarista na pista mas olha lá
Se não fizer aparecer a mim ninguém mo dá, boy
Índios e cowboys aos molhos lá na zona
No meu ghetto, mandamento é abre o olho
E fecha a boca e para tudo que ta lá dentro
Parado no tempo, brotha espera o teu momento
Porque a nossa vida é longa
O meu RAP é bomba, dizem que o meu RAP é bala, mau
Qualquer dia tou de cana a pala da merda da fama
Querem me fazer a cama mas mano eu digo xau
Na lama eu tive mal, és o social do bairro
Eu sou do bairro social
Hoje dou uso ao meu talento
Agora a Clara o sentimento
Ta na cara o momento do aumento capital
Repara a minha gente é diferente do igual
Na cara sentimento, senti menos que o normal
Sentes o meu batimento eu sinto o meu orçamento
E graças a nossa senhora a nossa gente não tá mal

Desde criança que eu ouço sirenes e não (não)
Não quero isso para a minha vida
A rua nunca foi saída
Desde criança que eu ouço sirenes e não (não)
Não quero isso para a minha filha
Por isso procurei mudar de vida, mas

 



publicado por olhar para o mundo às 08:13 | link do post | comentar

Quarta-feira, 14.12.16

 

Letra

 

Ca bu fla ma nau pamodi nsabi ma bu ta bem di surra
Ca bo da pa dodo pamodi nta pega bo qualquer altura
Nu sta na baixada, bu ca mesti procura
Fladu ma firma djan txiga pa atua
Nu camba na rap sem pedi licença, baixada bati continencia
Munti rapaz conta con nha presença, Mota JR tipo virus ou doença
Mano fla la, si bo bo para po pensa na tudo cenas ki abo bo txeca
Mo fladu ma nha rap é diferenti pamodi nha rap nta causa diferença

Querem falar de mim, falem à vontade
Quero é ouvir Piruka na boca do povo
Mano, falarem de mim é publicidade
Por isso vá, falem de novo
Tu achas que eu os ouço?
Boy eu tou na batida desde moço
Não me venhas tu falar de gravatas no pescoço
És mais um que vê os pirilampos e fica nervoso
Aclara-me as ideias e pensa de novo
Sou Piruka MC sim, mo dred tu vê bem
Madorna City G, aqui com Baixada, Cacém
Ando atrás do meu milhão, em notas quero um harém
Anda tudo a ver se pica, a ver quem é que imita quem
Aclara na batida e tu repara na batida, eu tou com Mota na corrida. (Piruka nu bai)
E no cúbico cheio de queridas, queimo brocas na piscina
Boy a vida que imaginas é a vida que a gente tem
Portanto tu repara, encara na cara a verdade
Pensam que o puto mara porque mara a sociedade
Pensam que o puto pára porque para esta gente
Andar na linha da frente é criar rivalidades
Fuck it...
Por isso eu fico no meu canto, com a minha Fam no banco a vê-los passar
E sinceramente só me espanto com tanto pato bravo q anda a patinar
Boy, tu tenta captar aquilo que eu falo
Se és daqueles que fala mas vai á procura
Manda vir o canhão, encosta ao gargalo
E assenta no caderno que a dica é Piruka

Firma djan txiga pa atua
E Eu sempre ouvi dizer que quem não avança recua
Xinti crioulo co Tuga
Crioulo ou português, é a mm cultura

Ca bu fla ma nau
Pamodi nsabi ma bu ta bem di surra
Ca bu da pa dodo
Pamodi nta pega bo qualquer altura
Nu sta na Baixada, bu ca mesti procura
Fladu ma firma djan txiga pa atua

Nu camba na rap sem pedi licença
Baixada bati continência
Munti rapaz conta com nha presença
Mota JR tipo vírus ou doença
Mano fla la, si abo bo para po pensa
Na tudo cenas ki abo bo tcheca
Mo fladu ma nha rap é diferenti
Pamodi nha rap nta causa diferença

Sou diferente, sou igual, sou o que tu quiseres
Mo dred, a verdade é que tou presente
A vida dá muita volta
E eu dou tanta volta à vida
Que a minha vida hoje em dia
É ser homem decente
Enquanto tu vais na corrida com essa gente que não presta
Tou na linha da frente com a minha gente a fazer festa
Hoje ganho a vida no palco
No palco largo a vida
Mostro o que é cabeça erguida e conseguir sair da merda
E já te disse, rap é compromisso
Nunca tirei o pé, mas tou de volta ao serviço
Não apareci de reboque, se o meu rap dá choque
Põe balas no tambor, eu aprendo a lidar com isso
Com um sorriso na cara disparo realidades
Tropa tu repara, não paro nem que me mates
Olha-me na cara e encara o que são verdades
Mota disse parte e eu parti as duas partes
O meu cota disse Smart é manobrar os rapazes
Tu ouve o que eu digo que eu só quero ver o que fazes
Tu ouve o teu filho, que eu segui o meu caminho
Pus as placas na gaveta e começei a vender frases

A vida é madrasta e arrasta-te para onde não deves ir
Diz basta e afasta-te disso enquanto consegues fugir
Porque muito homem-aranha fica preso na teia
Só quer andar à boleia, nunca chega cá
Fumo tanto, coisa feia, pensam que eu venho da Coreia
Porque ando com os olhos em bico de aqui pra acolá
Madorna virou Bagdad
Sente a bomba lírica, liricalmente digo:
"Dred, o bairro só mastiga"
Naturalmente sigo, a minha reta não fadiga
Deixo aqui um grande fuck pra todo fake nigga

Ca bu fla ma nau
Pamodi nsabi ma bu ta bem di surra
Ca bu da pa dodo
Pamodi nta pega bo qualquer altura
Nu sta na Baixada, bu ca mesti procura
Fladu ma firma djan txiga pa atua

Nu camba na rap sem pedi licença
Baixada bati continência
´Munti rapaz conta com nha presença
Mota JR tipo vírus ou doença
Mano fla la, si abo bo para po pensa
Na tudo cenas ki abo bo tcheca
Mo fladu ma nha rap é diferenti
Pamodi nha rap nta causa diferença

Ca bu fla ma nau...
Ca bu fla ma nau...
Ca bu fla ma nau...
Ca bu fla ma nau...

Ca bu fla ma nau
Pamodi nsabi ma bu ta bem di surra
Ca bu da pa dodo
Pamodi nta pega bo qualquer altura
Nu sta na Baixada, bu ca mesti procura
Fladu ma firma djan txiga pa atua

Nu camba na rap sem pedi licença
Baixada bati continência
Munti rapaz conta com nha presença
Mota JR tipo vírus ou doença
Mano fla la, si abo bo para po pensa
Na tudo cenas ki abo bo tcheca
Mo fladu ma nha rap é diferenti
Pamodi nha rap nta causa diferença

 



publicado por olhar para o mundo às 17:13 | link do post | comentar

Sexta-feira, 27.05.16

 

Letra

 


Duas da manha broca na mao caneta e caderno para fazer fusao ,
vivo no inferno mas dizem que nao palacio de chapa chamo barracao,
A matilha ataca corre atras do pao venho do bairro mas sou cidadao,
tropa tou calmo mas tenho visao e é claro que falo tenho opiniao,
Nao calo nao papo ingrato nao sou nao cuspo no prato que me alimentou,
de fala barato tou farto meu bro concordo é um facto a mim só me ajudou,
Piruka a perna passou na taberna nao tou a mim já nao me encontras,
a minha vida mudou eu caguei nos contos e agarrei me as contas,

MAS EU SÓ PENSO EM TAPAR A CARA E SAIR,
A RUA CHAMA POR MIM E EU SINTO ME A IR,
É SO CONTAS A CHEGAR UMA RENDA PARA PAGAR
E OUÇO UMA VOZ A FALAR.. TENS DE INTERVIR!!

MAS EU SÓ PENSO EM TAPAR A CARA E SAIR
A RUA CHAMA POR MIM E EU SINTO ME A IR,
É SO CONTAS A CHEGAR UMA RENDA PARA PAGAR
E OUÇO UMA VOZ A FALAR...

Eu nao faço nada cabeça na lua Piruka na estrada sou puto de rua,
madorna na casa se ve que é brasa nao passa recua,
Cabeça erguida a vida continua na esquina há chamira há cozida e há crua,
muito menino que adora aventura acaba na cana a pala da gula,
Mula nao sou nunca irei ser eu quando aposto nunca é para perder,
meu boy nao me vejo trancado a roer parado no tempo sem tempo para ver,
O dia a passar cria a crescer a dama a gritar por eu nao querer,
ir trabalhar e so escrever mas o meu trabalho é dar a entender,..

QUE AO MENOS EU TENTO
E NUNCA NINGUEM,
QUE NAO QUEIRA TENTAR
PODE DIZER QUE EU NAO TENTEI,
AGARREI ME AO QUE SONHEI
COM UNHAS E DENTES ,
E FELISMENTE
NAO ME ENGANEI, 2X

Eu fui apontado e falado porque? aquele que disse que viu na verdade nem ve,
aqui meu pi Piruka Mc Madorna linha c,
Tanto parlapier faça o favor de dizer eu tenho o prazer de tentar entender,
aqui o meu lema é parar é morrer mas fico parado sentado a escrever,
Tento perceber nao tou a ver aquilo que queriam que eu visse,
sinto me a tremer a desfalecer e querem dizer aquilo que eu disse,
Eu ando a correr de um lado para o outro pareço um aborto a ser mastigado,
tou a ficar louco já falta pouco eu nao quero troco eu tenho trocado,
Eu tou baralhado agarrado ao rap rap nao é charutos e caps,
rap nao é padradas e dreads para mim rap é Valetes e Sam's,
Tu fumas e bebes nao te apercebes que tombas e pedes para levar na boca,
nao é cobardia bazofaria um dia acaba a vida louca,
Na rua é pesado em casa passa pouca diz se tugh life á pala da roupa,
procura bife so come sopa diz se de elite e nem sabe o que é tropa,
Calo motherfuckerlarga a fofoca volta pá casota vai chorar prá mae,
nem sabe o que é mcas e fala de mocas como ninguem, Para mim tass bem!!


MAS EU SÓ PENSO EM TAPAR A CARA E SAIR,
A RUA CHAMA POR MIM E EU SINTO ME A IR,
É SO CONTAS A CHEGAR UMA RENDA PARA PAGAR
E OUÇO UMA VOZ A FALAR.. TENS DE INTERVIR!!

MAS EU SÓ PENSO EM TAPAR A CARA E SAIR
A RUA CHAMA POR MIM E EU SINTO ME A IR,
É SO CONTAS A CHEGAR UMA RENDA PARA PAGAR
E OUÇO UMA VOZ A FALAR...

QUE AO MENOS EU TENTO
E NUNCA NINGUEM,
QUE NAO QUEIRA TENTAR
PODE DIZER QUE EU NAO TENTEI,
AGARREI ME AO QUE SONHEI
COM UNHAS E DENTES ,
E FELISMENTE
NAO ME ENGANEI, 2X

 



publicado por olhar para o mundo às 17:13 | link do post | comentar

 

Letra

 

Nós estamos na via, a dica não muda
Tu para e pensa, a vida é tão curta
Eu tou na batida, eu tou na batalha, cabeça erguida
tou na disputa, mato pela cota e pela canuca
Hoje tenho uma filha Clarinha do pai,a carinha da mãe, o feitio é Piruka (a vida na rua, fadiga)
Rotina de merda te obriga, a tuga tá má
E se trabalho não há, como é que eu encho a barriga?

Muito que não sabe e opina, ninguém me alimenta a menina
Eu faço por mim, tropa mentaliza, cabeça para cima
Olha que a vida na esquina tem fim, filha olho por ti
Teu cota daqui não sai, eu quero que vejas em mim
O que eu nunca vi no meu pai, quero-te ensinar aquilo que aprendi
Quero lá tar para ti, ver cair
e quero lá tar para te levantar e direcionar um caminho a seguir

tu não vais passar aquilo que eu passei (iiiii)
eu tou cá para te apoiar aconteça o que acontecer
eu viro o mundo ao contrário para te ver bem (iiii)
e até Deus me levar eu faço o que tiver de fazer, yey
a vida tá foda, meu tropa falei, Piruka de borla, carrega no play
EP Para e pensa na rua meu rei
Quero dar à velhota o que ela não tem

A vida dá voltas e voltas, tu voltas para ver e nunca vês bem
Mas eu abro portas e só conto comigo, nuvem que não tem
Quero um Mercedes para a minha mãe
Com chaffeur privado é claro que combina
E se quero tudo para a minha mãe
Luto o dobro para a minha filha
Piruka com calma caminha, pouco “parle-a-pier”
Manda vir casher para os tropas da linha e passa-me o pica
Eu estou de passagem, se a dica pica mete a carapuça
Um ganda fuck para quem critica, nós estamos na fita e a dica é Piruka
Boy, tu deixa-os falar, o importante é palavra passar
Eu dou o meu sangue por tudo o que me ouves cantar (chora)

Refrão
Tropa eu vim para ficar, Quatro cantos, o início, vicio
Não me deixa parar, não me para à pala o vício
Início é para relembrar, música é o meu ofício
E então eu volto a citar:
Tropa eu vim para ficar, Tropa eu vim para ficar
Quatro cantos, o início, vicio
Não me deixa parar, não me para à pala o vício
Início é para relembrar, música é o meu ofício
E então eu volto a citar, Tropa eu vim para ficar

Eu vim para ficar, podem falar, fico no meu canto, sempre no controle
O mano circula, já tou como o gula “quero é correr ao encontro do sol”
Não acho bonito mano, na street há tanto stallone
É só jarda no corpo, não tarda tá morto, acaba na morgue à pala da Danone fuck it

Piruka em brasa, chapa tá quente
É fogo na casa, raça potente
Madorna no mapa em tinta permanente
Fuck editoras, sou independente, querem é coroas à pala da gente
Quatro Cantos é passado, Para e Pensa é o presente
É claro sou soldado e soldado serei sempre
Dread não mudo por nada, a dica foi dada
Piruka na estrada, prossiga, Madorna é minha parada
Até ao meu último dia, a vida dá muita chapada
E eu já levei muita chapada na vida, de boca calada, pestana aberta
Facadas levadas são sabedoria, sentes revolta na caligrafia
Escrevo num papel o que a boca não diz, canetas malucas que fazem magia
Poesia divina de um mero aprendiz
Da minha boca, não ouves dizer o que eu nunca fiz
Não sou vida loca mas acredita que fui e não era feliz
De facto combato pela raiz, Piruka para ti, para os meus é André
Recruta do gueto, conto pelos dedos aqueles que na brasa não tiram o pé
Olho pelos meus e ainda hoje tenho fé
Se eu me ficar olhem pela bebé
Não dou pa pesado nem sou pesado mas estou com os pesados sempre na rolé
Tropa, eu quero é nota para pôr no cubico, não quero ser rico
Quero viver e quero a velhota com orgulho no filho
De olho arregalado, sigo o meu caminho, família primeiro, o resto é acréscimo
Sou mais um puro a dar no duro para o meu futuro não ser assim tao péssimo
Tu para e pensa mas pensa a sério
A vida não é para brincar, ando na estrada em busca do meu prémio
Em casa há bocas para alimentar
Sente a corrente que me veio apanhar
Quero a minha gente comigo a brindar, quero a minha gente comigo a citar
“Piruka não papa, veio para ficar, boy”

Refrão

 



publicado por olhar para o mundo às 08:13 | link do post | comentar

Terça-feira, 24.05.16

 

Letra

 

se alguma coisa estiver mal, avisem

Não fiques para trás rapaz oh não fiques não fiques para trás
Não fiques para trás rapaz oh não fiques não fiques não não yeah (bis)

Eu não fico para trás e não tiro o pé
Mas falas que tens o piruka e chamas-me André
Não, já não sou o mesmo puto, dizes que mudei não é?
Mas não me canso na luta eu luto disputo o puto ao pontapé
Afinal então quem és?
Não sei podes ser o que quiseres porque eu sei quem sou também
Tu dizes que udaste por ti e eu mudei
Quando olhaste reparaste que olhei e reparei que
Se a vida são dois dias são para a aproveitar
Faz o que tens a fazer pensa que és capaz
A vida não é brincadeira mas vamos brincar
Mentaliza meu bem eu não fico para trás

Refrão

Eu não vou ficar pra trás
Mesmo que a distância seja curta
Há mulheres que vão e viram costas sem respostas prás perguntas
Não digas que não gostas, quando é em mim que pensas
E não me tires da tua vida
Senão me tiras da cabeça
Por isso tu pensa naquilo que eu digo
Mesmo estando distante além de amante sou amigo
Quero sorrisos e abraços queres beijos e amassos
Loucuras no meu quarto rendida nos meus braços
Despida no meu espaço faço-te sentir única
Acerto o compasso palmadas fazem música
Aqui a questão é queres o André ou o Piruka?
Porque eu não tiro o pé mas para trás não fico nunca


Não fiques não (umas 20x) para trás

 



publicado por olhar para o mundo às 22:13 | link do post | comentar


Quer ver a sua banda ou espectáculo divulgados aqui?,
envie um email para: olharparaomundo (arroba) sapo.pt
Se tem alguma letra que eu não tenha encontrado, pode enviar para o mesmo email
mais sobre mim




posts recentes

Piruka - Está na Hora

Piruka - Escuta-me e Pens...

Piruka - Se Eu Não Acorda...

Piruka - Música

Piruka - Sirenes

Piruka ft Mota Jr - Ca Bu...

Piruka - Tens De Intervir

Piruka - Vim para Ficar

Piruka - Não Fiques Para ...

arquivos

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

tags

todas as tags

links
comentários recentes
maravilhosa!!Adorei!
ynossa amei a musica Quem dera se aparecesse um ho...
Gostooo💜💜
Once you found mejust a stranger in the crowdcould...
http://luisasobral.com/pt/aqui tem as letras! :)
Adoro Cristina Branco :)
Muito fixe
Gostei da musica da Telma Lee (https://canalkizomb...
olha so parece que bebes mt agua
"Anel de noivado comprado"
blogs SAPO
subscrever feeds