Terça-feira, 02.06.15

 

Letra

 

A crack appeared inside my heart
As you rushed it's final smile.
It's hanging by a thread
and it feels trapped.
It stumbles on itself
and it cracks faster than it beats.

Did I judge it wrong?
You shed my time and now I stand alone.
I'm not the one who poured salt in your wounds.
Deep down it never felt right as
you swore and you cursed.
I tried to hold it in but my heart was
as heavy as an asteroid.

You're not supposed to make fun of me.
You're not supposed to.

And now my shadow screams.
Can't you hear it in your sleep?
Held it's feelings for too long
but now you feel it's fists pressuring your chest.

I gave you my all, there's nothing left.
I'm ready to rewrite me.
My thoughts are made out of glass,
I'm ready to rewrite me.

I sense a huge blind spot that floats underneath,
streams like water.

You know it hurts, it hurts, it hurts
so badly I can hardly move.
I've melted on the floor of what used to be our home.
Though you can't see me I stand in front of you.

 

Rita Reis: Voz
João Pedro Coimbra: Piano, Teclas, Guitarra, Bateria e Baixo
Alexandre Soares: Guitarra Acústica



publicado por olhar para o mundo às 11:13 | link do post | comentar | ver comentários (2)

Domingo, 26.10.14

 

Letra

 

Não encontrei a letra desta música



publicado por olhar para o mundo às 08:51 | link do post | comentar

Sábado, 25.10.14

 

Letra

 

Se eu amo e não posso dizer
E sei que com esta canção tu nunca vais saber
Porque não ouves a rádio que eu oiço
É um pouco marginal

Se eu amo e sei que não é correto
Mas o amor não escolhe o que está certo
Eu não escolhi tanto esquecer
Sem saber como esconder

Mas fui eu quem forçou tudo a
Tudo a terminar
Sinto tua falta aqui
Sinto tua falta aqui

Sei que estás a escrever sobre nós
Não sabes falar, preferes escrever
E fá-lo tão bem, mas elas ficam aquém
Porque não saem da tua boca

O problema é que te achas superior
Em coisas tão simples como a dor
A tua é sempre mais forte
O teu cansaço militante
E isso é tão frustrante

Mas fui eu quem forçou tudo a
Tudo a terminar
Sinto a tua falta e não quero ser
Mais uma estranha para ti
Sinto tua falta aqui
Sinto tua falta aqui

Mas fui eu quem forçou tudo a
Tudo a terminar
Sinto a tua falta aqui e não quero ser
Mais uma estranha para ti
Para ti
Para ti

Sei que nós ficamos por aqui

 



publicado por olhar para o mundo às 17:47 | link do post | comentar

Terça-feira, 02.07.13

 

Letra

 

Não encontrei a letra desta música



publicado por olhar para o mundo às 17:17 | link do post | comentar | ver comentários (1)

Sexta-feira, 21.06.13

 

Letra

 

Não encontrei a letra desta música



publicado por olhar para o mundo às 17:21 | link do post | comentar

Domingo, 02.06.13

 

Letra

 

Gira, que gira e torna a girar.
O mundo mudou e não vai parar.
O sonho de alguns ficou para trás 
mas se ficares do meu lado acho que sou capaz.

Não adianta tentar controlar,
quanto mais se tenta, mais me deixo enrolar.
Estou como tu, pronta para a acção.
Diz-me que eu assino sem hesitação.

Faço, invento, crio ambições 
e tu já o sabes, não escondo ilusões, não.
São impossíveis de evitar,
um enorme desperdício se não as usar.

Gira, que gira e torna a girar,
dois dias e uma linha que te faça mudar.
Sofro a erosão mas só me falta um bocado.
De noite já não me lembro, é complicado!

No esplendor de Portugal,
deito ao sol o corpo a secar,
visto luvas de cartão
e penso se devo emigrar!

Faço, invento, crio ambições 
e tu já o sabes, não escondo ilusões, não.
São impossíveis de evitar,
um enorme desperdício se não as usar.

Não adianta tentar controlar,
quanto mais se tenta, mais me deixo enrolar.
Estou como tu, pronta para a acção.
Diz-me que eu assino sem hesitação

Faço, invento, crio ambições 
e tu já o sabes, não escondo ilusões, não.
São impossíveis de evitar,
um enorme desperdício se não as usar.



publicado por olhar para o mundo às 14:08 | link do post | comentar

Quinta-feira, 11.04.13

Mesa lançam novo álbum em maio

Os Mesa, agora compostos por João Pedro Coimbra e Rita Reis, regressam às edições em maio próximo, com o álbum “Pés que sonham ser cabeças”.

 

O disco, com lançamento previsto para dia 13, inclui 13 faixas e conta, na sua composição, com instrumentos clássicos, a cargo de um leque alargado de músicos convidados oriundos de áreas musicais diversas, como Sérgio Carolino, Pedro Guedes, Dimitris Adrikopoulos, Jorge Coelho, Marcos Cavaleira, Damien Cabaud, Miguel Ramos, Emanuel Salvador, Nuno Mendes, Teresa LLi Rumbau, Gileno Santana, Frederic Cardoso, Nelson Carvalho, Liliana Reis, Filipe Vieira e Ognian Valchev.

 

Alan Douches, colaborador dos Animal Collective, Grizzly Bear, Sufjan Stevens, Beirut e LCD Soundsystem, é o resposável pela masterização do disco, que apresenta uma nova identidade sonora, sem, contudo, “rasgar com o passado”.

 

“Pés que sonham ser cabeças” será apresentado ao vivo no dia 30 de abril, num concerto na Casa da Música, no Porto, com início previsto para as 22h00. Os bilhetes, à venda nas bilheteiras da Casa da Música, custam €8.
 

Sara Novais

 

Retirado do Sapo Música



publicado por olhar para o mundo às 12:03 | link do post | comentar

Quinta-feira, 26.07.12

 

 

Letra

 

Ele domina

quando se submete

mas logo ruge

se alguém se intromete

 eu acordo se ele acorda

 e só comoquando ele também come

 

Sou uma escrava que ele domina
sob um aparente manto de solidão
ele impõe a sua ordem
ele impõe  a sua ordem
sob um aparente manto de silêncio
ele impõe  a sua ordem

 

cedo ao impulso de querer dizer

com um olhar que me apaga

não sei o que fazer

o meu ego não encontra refugio

esbarra na parede mais bela de sempre

 

Sou uma escrava que ele domina
sob um aparente manto de solidão
ele impõe a sua ordem
ele impõe  a sua ordem
sob um aparente manto de silêncio
ele impõe  a sua ordem

 

não há saída

porque não quero sair

não quero mudar não

não quero largar

não há explicação é a copia original

a mão que me cria olhar que me embala 

 

Sou uma escrava que ele domina
sob um aparente manto de solidão
ele impõe a sua ordem
ele impõe  a sua ordem
sob um aparente manto de silêncio
ele impõe  a sua ordem
ele impõe  a sua ordem
ele impõe  a sua ordem

sob um aparente manto de silêncio

ele impõe  a sua ordem 

 

 

Uma ideia original de Nuno Markl que conta com o próprio e Ana Galvão nos papeis principais de um romance retro-futurista realizado por Jorge Vaz Gomes e produzido pela Longshot Production House.
Este video marca também a estreia de Rita Reis a dar voz aos temas dos Mesa.
Razões mais que suficientes para que "Ele Domina" seja um marco na carreira dos Mesa.

Ficha técnica:
Mesa
João Pedro Coimbra e Rita Reis
www.mesa.pt
www.facebook.com/mesaoficial



publicado por olhar para o mundo às 11:00 | link do post | comentar

Quinta-feira, 12.04.12

 

 

Letra

 

Ele domina

quando se submete

mas logo ruge

se alguém se intromete

 eu acordo se ele acorda

 e só comoquando ele também come

 

Sou uma escrava que ele domina

sob um aparente manto de solidão

ele impõe a sua ordem

ele impõe  a sua ordem

sob um aparente manto de silêncio

ele impõe  a sua ordem

 

cedo ao impulso de querer dizer

com um olhar que me apaga

não sei o que fazer

o meu ego não encontra refugio

esbarra na parede mais bela de sempre

 

Sou uma escrava que ele domina
sob um aparente manto de solidão
ele impõe a sua ordem
ele impõe  a sua ordem
sob um aparente manto de silêncio
ele impõe  a sua ordem

 

não há saída

porque não quero sair

não quero mudar não

não quero largar

não há explicação é a copia original

a mão que me cria olhar que me embala 

 

Sou uma escrava que ele domina

sob um aparente manto de solidão

ele impõe a sua ordem

ele impõe  a sua ordem

sob um aparente manto de silêncio

ele impõe  a sua ordem

ele impõe  a sua ordem

ele impõe  a sua ordem

sob um aparente manto de silêncio

ele impõe  a sua ordem 



publicado por olhar para o mundo às 08:43 | link do post | comentar

Domingo, 01.04.12

Mónica Ferraz deixou os Mesa

 

Mónica Ferraz foi dispensada dos MESA por João Pedro Coimbra, compositor e letrista da banda e substituída por Rita Reis.  A nova vocalista já regravou o tema «Ele Domina», próximo single a ser retirado do álbum «Automático», o mais recente a ser editado pela banda.

Em comunicado oficial, pode ler-se que João Pedro Coimbra «abdicou dos préstimos  de Mónica Ferraz, escusando-se a revelar as causas desta decisão». João Pedro Coimbra avança ainda: «Estou muito entusiasmado com esta nova fase dos MESA. Temos muitas novidades a acontecer e a Rita Reis trouxe outras possibilidades às músicas. Quero gravar um disco novo o mais depressa possível. Estou ansioso por voltar à estrada».

Mónica Ferraz tem vindo a apresentar o seu álbum a solo, «Start Stop», lançado originalmente em 2010 e reeditado este ano.

Os «novos» MESA prosseguem agora com a apresentação do álbum «Automático», com concertos em Lisboa e no Porto, que serão gravados para uma edição em DVD. Para breve está prometida uma edição especial de «Automático», com três novas músicas e um DVD.

 

Retirado de Antena3

 



publicado por olhar para o mundo às 21:49 | link do post | comentar

Quarta-feira, 23.11.11

 

Letra

 

eu nao quero ser
eu nao quero pedir
mas estou a perder
e nao sei o que fazer mais….

 

o que eu era
desapareceu…
e quando falo parece…
parece que não sou mais eu

 

tento encontrar-me
desenrascar-me…
já faço a cama
ando ocupada
a tentar fugir de ti

 

mas mais longe
é mais perto
mais dificil fazer o correcto
do que está certo

 

por isso…
cedo o meu lugar
a quem te mereça
que decore os teus planos
e que não se esqueça

 

cedo o meu lugar
a quem te mereça
que te dê tudo
e que nem pareça

 

cedo o meu lugar
a quem te mereça
que fique do teu lado
e que não esmoreça…

 

cedo o meu lugar…
mas a seguir peço para voltar

 

para mim nunca foi um jogo
foi apenas um retrato
quando ficavamos bem os dois
quando as dúvidas são para depois

 

gosto mesmo de ti
mas tu nunca estas
nunca estas aqui
por isso…

 

cedo o meu lugar
a quem te mereça
que decore os teus planos
e que não se esqueça

 

cedo o meu lugar
a quem te mereça
que te dê tudo
e que nem pareça

 

cedo o meu lugar
a quem te mereça
que fique do teu lado
e que não esmoreça…

 

cedo o meu lugar…
mas a seguir peço para voltar



publicado por olhar para o mundo às 21:44 | link do post | comentar

Segunda-feira, 17.10.11


 

Chega às lojas a 28 de novembro o quarto álbum de originais dos Mesa, “Automático”.


O registo, “que transcende barreiras e cruza universos musicais”, é composto por 11 temas da autoria de João Pedro Coimbra e interpretados por Mónica Ferraz. Acompanham-nos nesta aventura Nuno Mendes, na guitarra, Miguel Ramos, no baixo, e Rogério Santos, na bateria.

 

“Automático” conta ainda com três convidados especiais: Armando Teixeira, Filipe Palas e Jorge Coelho.

 

“’Automático’ é um cocktail pop onde se adivinham e descobrem paisagens sonoras de outros continentes, uma viagem sem paragens ou apeadeiros do primeiro ao último tema.  Um álbum verdadeiramente explosivo e viciante e uma nova vida para os Mesa, que aqui assumem querer ir mais longe no propósito de mostrar todo o talento que há muito lhes é reconhecido”, pode ler-se em comunicado, sobre o disco.

 

Sara Novais

 

Retirado de Sapo Música



publicado por olhar para o mundo às 15:11 | link do post | comentar

Terça-feira, 06.09.11

 

Letra

 

Não sei porque é que nada acontece.
é sempre a mesma vida, sempre o mesmo stress.
não sei porque é que sentes a minha falta.
cada dia que passa, um de nós arrefece.

Será do meu trabalho da foice e do martelo,
de estar cada vez mais ordinária e impossível.
é a vida que nos toca.
o relógio nunca para, o síndrome da repetição.

É o fogo que se apaga e o medo da solidão
o problema é da saída não estar aqui a mão.

É o fogo que se apaga e o medo da solidão
o problema é da saída não estar aqui à mão.

É a vida que nos foge, ou então é a sensação.
não vale sequer o número de apelar ao coração.
ser mal paga no trabalho, entupida por um sermão.
andar meio à deriva. mal por mal, não ter religião.

É o fogo que se apaga e o medo da solidão
o problema é da saída não estar aqui à mão.

É o fogo que se apaga e o medo da solidão
o problema é da saída não estar aqui à mão.

Passo o tempo a ir embora.
o corpo foi, eu demoro, eu demoro.
eu demoro.

É o fogo que se apaga e o medo da solidão
o problema é da saída nao estar aqui à mão.

É o fogo que se apaga e o medo da solidão
o problema é da saída não estar aqui à mão.

É o fogo que se apaga e o medo da solidão
o problema é da saída, o relógio nunca para, 
sindrome da repetição



publicado por olhar para o mundo às 17:17 | link do post | comentar

Domingo, 22.05.11
Letra
Se a chama chega,
E ninguém chega à chama
Do que vale arder?
Se o barco parte sem velas,
De que serve a maré?

Não se mostra o trajecto
A quem parte para se perder
Não se dá boleia
A quem precisa de ir a pé

E é como quando pensas que estás a chegar
E não deste um passo

Onde eu estou, nada mais pode crescer
Eu sou assim, uma fénix a arder
São só os meus erros, é toda a minha culpa
E é todo o meu cansaço

Hoje até o ar anda cansado
Preciso de um enigma
P'ra pôr fim ao torpor
Não sei o que me deu, não costumo estar assim
Desco a rua que passa, rente à boca do mundo

Sinto a vida que passa
E os rumores que circulam na boca do mundo

Onde eu estou, nada mais pode crescer
Eu sou assim, uma fénix a arder
São só os meus erros, é toda a minha culpa
E é tudo o que faço
E é todo o meu cansaço

Por fim, por fim...

Onde eu estou, nada mais pode crescer
Eu sou assim, uma fénix a arder

Onde eu estou, nada mais pode crescer
Eu sou assim, uma fénix a arder
São só os meus erros, é toda a minha culpa
É tudo o que faço
E é todo o meu cansaço

E é tudo o que faço
E é todo o meu cansaço

Por fim, por fim...

Sinto a vida que passa
Na boca do mundo, não se sabe quem é quem...




publicado por olhar para o mundo às 10:13 | link do post | comentar

Quinta-feira, 31.03.11

 

 

Letra

 

Luz vaga
luz vesga
a tua cruz
Já não sai
da cama a minha luz
Da sala, do quarto.

Pilha a palavra
Troca a quantidade do
Assunto modal
A tensão está normal
O lábio fora da boca
A boca fora do mal

Os teus olhos
não são de gente
O teu ar foge para cima.
Tens a perna no cimento,
tens a mão no pensamento.

Ciclope, cicloturismo
Na parte de fora
na nesga do abismo
Imaginário que remete, para onde
ainda não fui.

Convite ao universo
Com a tua própria câmara
Fecho a luz num olho
Prego a tábua à sensação.

Som da casa, quando não estás.

Dancei para te ver aqui,
eu sei que nada mais pode me ajudar.
É do nono andar?
Sim, quis pedir ajuda, mas a língua estava morta.
Sei lá! Parei de olhar,
tenho uma corda acesa,
prestes a queimar.
Não és capaz de me levar a sério.
Vou saltar em teu lugar.

Sei que nada mais pode me ajudar.

Atrasa o passo
Leva o lenço à boca
Fica na mira do choque frontal
Não é doença é um animal
Um ruído feito no acto de fingir
seres mau, mesmo a dormir.

Mónica Ferraz e Rui Reininho: Voz
Jorge Coelho: Guitarra
Eurico Amorim: Fender Rhodes
Miguel Ramos: Baixo
João Pedro Coimbra: Programação e teclados


 



publicado por olhar para o mundo às 08:03 | link do post | comentar

Sábado, 19.02.11

 

Letra

Amigos como sempre 
Dúvidas daqui pra frente
sobre os seus propósitos
é difícil não questionar.
Canto do telhado para toda a gente ouvir
os gatos dos vizinhos gostam de assistir.

Enquanto a musica não me acalmar
não vou descer, não vou enfrentar
o meu vício de ti não vai passar
e não percebo porque não esmorece
ao que parece o meu corpo não se esquece.

Não me esqueci, não antevi, não adormeci, o meu vício
de ti (2x)

Levei-te à cidade, mostrei-te ruas e pontes
Sem receios atrai-te as minhas fontes
Por inspiração passamos onde mais ninguém passou
Ali algures algo entre nós se revelou.

Enquanto a música não me acalmar
não vou descer, não vou enfrentar
o meu vício de ti não vai passar
não percebo porque não esmorece
será melhor deixar andar
Será melhor deixar andar

Não me esqueci, não antevi, não adormeci, o meu vício
de ti (3x)

Eu canto a sós pra cidade ouvir
e entre nós há promessas por cumprir
mas sei que nada vai mudar
o meu vício de ti não vai passar, não vai passar...

 



publicado por olhar para o mundo às 15:01 | link do post | comentar


Quer ver a sua banda ou espectáculo divulgados aqui?,
envie um email para: olharparaomundo (arroba) sapo.pt
Se tem alguma letra que eu não tenha encontrado, pode enviar para o mesmo email
mais sobre mim




posts recentes

"Asteroid" - MESA

MESA - Ser Urbano

MESA - SINTO

Moral - Mesa

MESA - Ritual de passagem

MESA - Independente Desco...

Mesa lançam novo álbum em...

MESA - ELE DOMINA

Mesa - Ele Domina

Mónica Ferraz já não é vo...

arquivos

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

tags

todas as tags

links
comentários recentes
Um clássico de Amália Rodrigues, e não do A.Marcen...
Mt fixe mano. Nao conhecia mas vou comecar a ouvir...
Www.instagram.com/fans_isaura_randomly
Esta música é lindíssima *.*
Tiamo Muito Meu Mundo
Olá gostava de saber quanto é o bilhete no dia dos...
Obrigada.E eles não têm editora, foi uma edição de...
LauraAgradeço o seu comentário, e prometo que em b...
Lamento comentar aqui, mas não sabia onde pôr.Quer...
Essa musica é muito bonita e para além de mais me ...
Posts mais comentados
2 comentários
1 comentário
blogs SAPO
subscrever feeds