Segunda-feira, 27.02.17

kika.png

 

Kika está de volta com novo álbum: “Love Letters”, já à venda

Cantora vai apresentar disco na Fnac NorteShopping no dia 3 de março às 18h30, e no dia 4 na Fnac Santa Catarina também às 18h30

Kika está de volta com o muito aguardado segundo álbum de estúdio, “Love Letters”, do qual já são conhecidos os singles “If This Is Love”, “Colorblind” e “Take Me To The Other Side”, que têm gerado um grande entusiasmo entre a sua crescente base de fãs. O disco está disponível para venda e streaming nas várias plataformas online.

O álbum contou com a produção executiva de RedOne, célebre produtor que já trabalhou com algumas das maiores estrelas pop da atualidade – Lady Gaga, Nicki Minaj, Jennifer Lopez, One Direction, entre outros – e com quem Kika já tinha colaborado no disco anterior, “Alive”.

 

Ao longo do seu percurso, Kika tem vindo a conquistar admiradores por todo o país (e não só), sendo que o próprio veterano Pedro Abrunhosa não se poupa em elogios a esta nova voz da pop nacional: “A Kika consegue ser ao mesmo tempo uma intérprete e uma artista. Há uma espiritualidade na voz (branca, do Porto, burguesa) da Kika que, inesperadamente, ou não, transpira a imensidão da big black music, do gospel, da soul, do r&b”, afirma o músico.

“Love Letters” é, segundo a própria Kika, um conjunto de “cartas de amor”: “As diversas músicas acabam de uma maneira ou de outra por contar uma história de amor. O amor não é necessariamente romântico e, por isso, em certas músicas podem entender-se as ‘cartas’ como tendo por base relações de amizade ou familiares. Espero que cada ouvinte oiça e interprete estas histórias da forma que para si fizer mais sentido”.

Neste momento, Kika encontra-se bastante entusiasmada com o futuro e em poder apresentar aos seus fãs estas “Love Letters”. “Anseio por mostrar este novo produto de que tanto gosto, desejando que as pessoas gostem tanto dele como eu. Não sou de criar grandes expectativas, mas nada me daria mais prazer do que ver uma reação positiva daquelas que gostam tanto de me ouvir, e daqueles que não gostavam ou não me conheciam! Quero sempre fazer algo melhor que o que fiz antes, e considero essa missão cumprida!”

 

 



publicado por olhar para o mundo às 12:13 | link do post | comentar

 

 

Letra :

Não digas que me amas
Não digas que me queres
Prefiro que digas agora
Do que depois ver te com outras mulheres

Prefiro que sejas sincero
Para de me dar esperanças
Mesmo que não seja o que quero
Ambos não somos crianças

Quando digo que quero esquecer
Mas que te quero aqui a ti para mim
Fecho os olhos
E vejo sempre o teu retrato em mim

Mas não é tão difícil assim
Só preciso que tu me digas
Que não sou eu aquilo que tu precisas

Não digas que me amas
Não digas que me queres ,oh
Não digas que me amas
Diz que tens outras mulheres


Não digas que me amas
Não digas que me queres,oh
Prefiro que digas agora
Do que ver te com outras mulheres, oh no

Vou pedir te então
Que respondas que não
Quando te perguntarem se tu
Sentes saudades de mim

Um não já garantido
Não assume o perigo
Para um prolongado
Coração partido

Então diz que não gostas de mim
Mais facilmente esqueço te assim
Porque um amor não alimentado
Sempre chega ao fim

Mas eu vou revelar então
Que te amo mais que tudo
Um amor que dói
Permanece melhor mudo

Não digas que me amas
Não digas que me queres ,oh
Nao digas que me amas
Diz que tens outras mulheres

Não digas que me amas
Não digas que me queres,oh
Prefiro que digas agora
Do que ver te com outras mulheres

Não digas que me queres
Finge que tu tens outras
Outras mulheres
Mas p´ra mim são só historias

Não digas que me amas
Não digas que me queres
Não digas que me amas
Não digas que me queres

Não digas que me amas
Não digas que me queres,oh
Prefiro que digas agora
Do que ver te com outras mulheres,oh no

 

Letra e Vozes : Diana Lima

 



publicado por olhar para o mundo às 08:13 | link do post | comentar

Domingo, 26.02.17

terras sem sombra.jpg

 

Passeio de Barco pelo Rio Mira e estreia do ensemble Polyphõnos em Odemira

O Terras sem Sombra parte agora à descoberta, em Odemira, dos segredos do rio Mira (com destaque para os habitats das lontras, que aí encontram um santuário, e para as pradarias marinhas), apresenta o concerto de estreia do ensemble Polyphōnos e abre as portas da igreja da Misericórdia e de outros monumentos e sítios de referência, para uma visita guiada nos dias 4 e 5 de Março.

Este festival tem a particularidade de associar a cada concerto uma acção de voluntariado para a salvaguarda da biodiversidade dos diversos concelhos que o Terras percorre, a qual acontece aos domingos de manhã, congregando músicos, espectadores, membros das comunidades locais, autarcas e técnicos. E, também, uma visita, na tarde de sábado, à vila de Odemira, o que representa uma magnífica oportunidade para conhecer o património edificado mais representativo do Baixo Alentejo.

 

Conhecer a música portuguesa de inspiração mariana

O segundo fim-de-semana da 13.ª edição do Terras sem Sombra começa às 14h30 do dia 4, com uma visita guiada ao património do centro histórico de Odemira, onde é dada a oportunidade de se conhecer, entre outros valores patrimoniais ainda pouco conhecidos do público, a surpreendente igreja da Misericórdia, que possui extraordinárias pinturas murais. A orientação é dos historiadores António Martins Quaresma e José António Falcão.

Às 21h30 deste mesmo dia, Polyphōnos, o ensemble recentemente fundado pela soprano Raquel Alão e cuja direcção artística se encontra a cargo do barítono e musicólogo José Bruto da Costa, tem a estreia em Odemira. Polyphōnos é um termo grego que designa a coexistência de muitos sons ou vozes, o que se revela muito apropriado a um agrupamento vocal e instrumental de excelência no campo da música antiga, que se propõe resgatar da sombra reportórios nacionais que são escassamente ouvidos entre nós.

Para o concerto na igreja de São Salvador, o ensemble inclinou-se para a música portuguesa de invocação mariana dos séculos XVI, XVII e XVIII, com autores da craveira de Estêvão de Brito, Duarte Lobo, D. Pedro da Esperança, Diogo Dias Melgás, João Rodrigues Esteves ou Francisco António de Almeida. Alguns são naturais do Baixo Alentejo: por exemplo, Brito nasceu em Serpa, ao redor de 1570, e Diogo Dias Melgás em Cuba, em 1638. Trata-se, pois, de uma espécie de “regresso” às origens, fazendo justiça ao grande destaque alcançado pela música no Alentejo durante esses períodos.

 
 
De barco, pelos meandros do rio Mira
 
Na manhã de domingo, o percurso dedicado à biodiversidade explorará, numa viagem a bordo de barcos, os meandros do Mira, propondo um olhar renovado sobre os gradientes do grande rio do Sudoeste. Este tem a particularidade de, tal como o Sado, empreender um curso de sul para norte. Nascendo na serra do Mú, percorre cerca de 150 km, ao longo dos quais se podem encontrar habitats muito distintos.
 
É precisamente no troço inferior do rio, já próximo do estuário, que se localizam algumas das características únicas deste curso de água: as pradarias marinhas e uma população de lontra peculiar muito. As pradarias marinhas representam alguns dos habitats mais ameaçados a nível mundial. 

Ao longo de um percurso de barco, serão reconhecidos, os pontos mais relevantes deste rio, que se caracterizam pela sua espectacular cenografia, e analisadas as principais ameaças que se fazem sentir sobre eles. A iniciativa, organizada com a colaboração do Instituto de Conservação da Natureza e das Florestas e da Câmara Municipal de Odemira, conta com a presença de investigadores das universidades de Lisboa e Algarve.
 
De entrada livre, o Festival é organizado pela Pedra Angular (Associação dos Amigos do Património da Diocese de Beja) e pelo Departamento do Património desta Diocese e prolonga-se até  2 de Julho, seguindo para Ferreira do Alentejo, Santiago do Cacém, Castro Verde, Serpa, Sines e Beja, sob o título Do Espiritual na Arte Identidades e Práticas Musicais na Europa dos Séculos XVI-XX.
Um hino ao Baixo Alentejo: à beleza dos seus espaços naturais e ao prazer da descoberta cultural.
Programa Odemira
4 de Março

Património
14:30 – 17:30 – Visita ao Centro Histórico
Ponto de encontro: Igreja de São Salvador
Local em destaque – Igreja da Misericórdia
 
Música
21H30 – Polyphōnos
De Beata Virgine Maria: Música Portuguesa de Invocação Mariana
Local: Igreja de São Salvador
 
Soprano Raquel Alão
Alto Carolina Figueiredo
Tenor Marco Alves dos Santos
Baixo Tiago Mota
Violoncelo barroco Ana Raquel Pinheiro
Órgão Sérgio Silva
Mónica Antunes, Rosa Caldeira, Manon Marques, Patrícia Mendes, Rui Miranda
Direcção musical José Bruto da Costa
 
5 de Março
Salvaguarda da Biodiversidade
Pelos meandros do Mira – um olhar sobre os gradientes do grande rio do Sudoeste
10:00 – Saída – Cais de Vila Nova de Milfontes


publicado por olhar para o mundo às 21:13 | link do post | comentar

 

Letra

 

Não encontrei a letra desta música

 



publicado por olhar para o mundo às 17:13 | link do post | comentar

the code.jpg

 

The Code apresentam o EP “Estrada” em formato digital.

 

Dois anos após a primeira atuação em público na Ilha de São Miguel (Açores) de onde são oriundos, The Code apresentam o primeiro trabalho de originais, “Estrada”.

 

Percorrendo vários estilos, desde o funk ao pop, passando pelo rock e pelo jazz, os 3 temas (“É o Amor”, “Hope Song”, “What’s Wrong With You”) que compõem o EP não irão deixar ninguém indiferente.

 

The Code são:

Marisa Oliveira (voz), Félix Medeiros (guitarra), Amadeu Medeiros (bateria), Hugo Medeiros (teclados) e André Ferreira (baixo).

 

The Code, um nome a fixar.



publicado por olhar para o mundo às 12:13 | link do post | comentar

 



publicado por olhar para o mundo às 08:13 | link do post | comentar

Sábado, 25.02.17

ivan pedreira.jpg

 

 

 

Mais um concerto cheio de ENERGIA POSITIVA e NOVIDADES!

 

Ivan Pedreira apresenta  o álbum FUZAMIURA no Auditório Municipal António Silva (Cacém) no dia 4 de Março às 22h, 

 

Aos 36 anos, Ivan Pedreira, baixista, compositor, cantor, e também produtor, prepara-se para lançar o álbum Fuzamiura.

 

Apesar deste ser o seu primeiro trabalho de originais como compositor e vocalista, no seio da família onde nasceu e cresceu, em Sintra, a música foi sempre uma constante. Ivan começou a tocar baixo por volta dos 13, 14 anos, enquanto os irmãos se dedicaram à bateria, à guitarra e ao canto.

 

Cedo percebeu o caminho que iria percorrer e nunca lhe passou pela cabeça optar por qualquer outra profissão, pelo que seguir uma carreira musical foi uma evolução natural. “A música na nossa casa era uma constante diária, e a nossa porta estava sempre aberta para família, amigos e vizinhos, fazendo dela uma casa sempre cheia, e cheia de animação. Através da música reuníamos muita gente.

 

Era a nossa forma de comunicação e de partilha”. Por volta dos 15 anos começou a tocar em público nos Avalanche, um animado grupo formado pelos irmãos, irmãs, pai e até um tio, atuando em todo o tipo de festas, desde as populares, da zona onde moravam, entre o Mucifal e Colares (Sintra), até a festas de aniversário e sempre que amigos lhes pediam. Mais tarde, quando as irmãs seguiram cada uma o seu rumo, ficaram os três rapazes, passando a chamar-se QuantoBaste.



publicado por olhar para o mundo às 21:13 | link do post | comentar

 

Letra

 

Yeh, ouh ouh
Yeh yeh yeh
Hum, ouh ouh
Hoje estou chateado
Porque pensas mal de mim
Fui mal interpretado
Não, eu não, não sou assim
Eu não sou assim, eu não sou assim
Eu quero viver contigo, mas tu és má para mim
Eu sou o teu amigo, mas tu és má para mim

Ai, minha mãe, minha mãe, minha mãe
Juro se fiz mal alguém, ai
Minha mãe, minha mãe, minha mãe
Juro se fiz mal alguém
Lé lé lé lé lé, lé lé lé lé lé lá
Lé lé lé lé lé, lé lé lé lé lé lá

Tu és louca da cabeça
Queria que fosses sincera
Porque eu já estou a ser
Não te vais arrepender
É o melhor para ti
É o melhor para mim
Já não quero viver contigo, tu és má para mim
Já não sou o teu amigo, tu és má para mim

Ai, minha mãe, minha mãe, minha mãe
Juro se fiz mal alguém, ai
Minha mãe, minha mãe, minha mãe
Juro se fiz mal alguém
Lé lé lé lé lé, lé lé lé lé lé lé lá
Lé lé lé lé lé, lé lé lé lé lé lé lá

Hoje estou chateado
Porque pensas mal de mim
Fui mal interpretado
Não, eu não, não sou assim
Eu não sou assim
Eu não sou assim

Eu quero viver contigo, mas tu és má para mim
Eu sou o teu amigo, mas tu és má para mim

Ai, minha mãe, minha mãe, minha mãe
Juro se fiz mal alguém, ai
Minha mãe, minha mãe, minha mãe
Juro se fiz mal alguém
Lé lé lé lé lé, lé lé lé lé lé lá
Lé lé lé lé lé, lé lé lé lé lé lá

 



publicado por olhar para o mundo às 17:13 | link do post | comentar

for pete sake.jpg

 

For Pete Sake @ Musicbox, 27/02

É um concerto. É uma festa. É um lançamento. É uma despedida.

Não, os For Pete Sake não têm os dias contados. Simplesmente querem festejar o seu percurso ao longo de cinco anos que culminou com o seu mais recente trabalho, The Real Dream You Live.
Os clássicos não serão esquecidos: Got Soul e House irão certamente soar na casa.

Os tempos são de mudança, mas a magia desta jovem banda não se perdeu e irá ser espalhada pela plateia do MusicBox como se do primeiro concerto se tratasse.

Abertura de portas: 22h

 

 



publicado por olhar para o mundo às 12:13 | link do post | comentar

 

Letra

 

Pára-me o coração sem noção da direcção do balcão
A minha ânsia não vê um travão não digo pão só perdão
Tenho a sensação de não ter chão estou na tracção de um furacão
Não é atracção isto é paixão daqui ao caixão

[Refrão]
Ela bate certo, no peito aberto
Aponta-me o caminho, no futuro incerto
Baby aproxima, faço-te uma rima
Faço um disco inteiro, tu és a agulha no palheiro
Aguenta coração, baby aproxima
Aguenta coração, faço-te uma rima
Aguenta coração, faço um disco inteiro
Aguenta coração, tu és a agulha no palheiro

Rap tuga e um shot, casa está ao barrote, camarim é camarote
Pode ser que ninguém note
Faço o impossível para isto ser possível, sou irredutível, nem sequer é discutível, enquanto o povo dança, o meu olhar alcança a futura dona da herança na minha poupança
Ela avança, escondo a minha pança, mostro a confiança que roubei ao segurança

[Refrão]
Ela bate certo, no peito aberto
Aponta-me o caminho, no futuro incerto
Baby aproxima, faço-te uma rima
Faço um disco inteiro, tu és a agulha no palheiro
Aguenta coração, baby aproxima
Aguenta coração, faço-te uma rima
Aguenta coração, faço um disco inteiro
Aguenta coração, tu és a agulha no palheiro

Meu deus, não sei se consigo
Cara séria quando falo contigo
Cá por dentro riu como um perdido
Mega nervoso faço um pedido
O teu nome e número por favor, levo-te a casa a pé porque está calor
Se quiseres um pequeno almoço superior, posso faze-lo para ti sem qualquer pudor

[Refrão]
Ela bate certo, no peito aberto
Aponta-me o caminho, no futuro incerto
Baby aproxima, faço-te uma rima
Faço um disco inteiro, tu és a agulha no palheiro
Aguenta coração, baby aproxima
Aguenta coração, faço-te uma rima
Aguenta coração, faço um disco inteiro
Aguenta coração, tu és a agulha no palheiro
Aguenta coração, baby aproxima
Aguenta coração, faço-te uma rima
Aguenta coração, faço um disco inteiro
Aguenta coração, tu és a agulha no palheiro
Baby aproxima
Faço-te uma rima
Faço um disco inteiro
Tu és a agulha no palheiro

 

Letra - Carlos “Pac” Nobre,
Música - Pedro Maurício

 



publicado por olhar para o mundo às 11:13 | link do post | comentar

benshee.jpg

 

 

Benshee

Apresentam o single e o lyric video “Dancers”

 

 

“Dancers” é o 2º single do álbum “There is a World Outside That Door” editado em Outubro de 2016.

São 10 temas rock para ouvir de seguida e que não deixam ninguém indiferente!

 

O álbum está muito mais rock do que pop, que até aqui marcava mais pontos na nossa  sonoridade. Continuamos numa onda muito "british" com o uso de alguns sons eletrónicos, e os pianos "saltitantes" cheios de efeitos que são já marca do que fazemos continuam presentes”.

 

 



publicado por olhar para o mundo às 10:13 | link do post | comentar

 

Letra

 

Eu já amei
Eu já beijei
Já transei e já fiquei
Abracei e quebrei

Muitas paixões vivi
Mas nunca senti
Este amor como o teu
É novidade para o meu eu

O teu beijo não é só beijo mas reanima
O teu abraço não é só abraço mas anima
Quando transo contigo algo me dá vida
Pois nasço novo eu

O teu toque não é só toque mas é carinho
O teu olhar não é só olhar mas é mimo
O teu corpo não é só corpo mas é o meu ninho
Mulher és perfeição

Vem me beliscar
Para ver se estou a sonhar
Está difícil de acreditar
Que és real
Que és real mulher
Que és real

Juro mesmo mulher é essa
Que me ajuda na pobreza
E que me cuida na doença
Mulher de sacrifício

É bênção essa mulher na minha vida
Ela não é normal ela é divina
Ela é a razão que deixei a minha vida
Sim

O teu beijo não é só beijo mas reanima
Teu abraço não é só abraço mas anima
Quando transo contigo algo me dá vida
Pois nasço novo eu

O teu toque não é só toque mas é carinho
O teu olhar não é só olhar mas é mimo
O teu corpo não é só corpo mas é o meu ninho
Mulher és perfeição

Vem me beliscar
Para ver se estou a sonhar
Está difícil de acreditar
Que és real
Que és real mulher
Que és real

Eu vou ficar aqui
Ao teu lado e não vou sair não

Vem me beliscar
Para ver se estou a sonhar
Está difícil de acreditar
Que és real
Que és real mulher
Que és real

 

Música - Landrick
Letra : Anselmo Ralph

 



publicado por olhar para o mundo às 08:13 | link do post | comentar

Sexta-feira, 24.02.17

carlão.jpg

 

Carlão regressa com novo single

O novo single “Agulha No Palheiro” já se encontra disponível nas plataformas digitais.

Carlão levanta o véu daquele que será o seu segundo disco de originais, com edição prevista para Setembro/Outubro: “Agulha No Palheiro”, uma canção de amor fresca para o Verão quente que se adivinha, com uma batida dançável e viciante.

A produção é de Kking Kong, Artista da Enchufada de BRANKO (ex- Buraka Som Sistema, responsável por “Os Tais”) que já tinha colaborado em várias músicas do primeiro disco.

Há dois anos - por esta mesma altura – Carlão editava o seu primeiro disco em nome próprio “Quarenta”, cujo tema de avanço, autobiográfico - “Os Tais”, foi um inesperado e estrondoso sucesso, tornando-se um hino adoptado por pais e filhos de todo o país.

Há um ano era lançado digitalmente o EP “Na Batalha” e o mundialmente reconhecido artista plástico Vhils, foi responsável pelo aclamado videoclipe de“A Minha Cena”, tema presente no EP, continuando assim a colaboração iniciada com a capa icónica que fez para “Quarenta”.

Carlão colaborou ainda com BOSS AC para assinar o tema “E Se Fosse Consigo?”, genérico do desafiador programa de Conceição Lino que liderou as audiências do canal televisivo SIC.

 

 



publicado por olhar para o mundo às 23:13 | link do post | comentar

 

Letra

 

I WILL (feat. Nelson Freitas)

Lately you’ve been on my mind
Crazy, need by my side always
Can I be your king and you’ll be my queen
We’ll be making sweet love
Oooh, I wish that she could come over to my section
So I could give her my biggest confession
Making her mine today’s my mission
And I’m gonna get it

I will love you
oooh, I will love you
I will love you
oooh, I will love you

I will tell her to look for the ring
I will tell her that it is missing
I will show her a man she respect till she sees I’m a king
I will show dem menace I they ever disrespect my queen
If I could make her select me my mission
Would to never let nobody section
they way we have a strong connection
I can’t let them get it

I will love you
oooh, I will love you
I will love you
oooh, I will love you

 



publicado por olhar para o mundo às 22:13 | link do post | comentar

diogo piçarra.png

 

DIOGO PIÇARRA apresenta novo disco ‘do=s’ num vídeo medley

O álbum estará em pré-venda a partir de amanhã

Diogo Piçarra lança amanhã, às 19h, um videoclipe com excertos das 10 canções que compõem o seu novo disco "do=s", que chegará às lojas no dia 31 de Março,
mas ficará disponível para pré-venda já a partir de amanhã no iTunes, Fnac   e Worten com ofertas especiais.

“do=s” foi escrito e composto na sua maioria por Diogo Piçarra, que também produz duas músicas e co-produz outras 7, em  parceria com alguns dos maiores produtores da música nacional: BrankoFredJ-CoolKaretusKking KongLhast,  MØTA e Stego (Maraki Music Studios).

Valas e April Ivy são os convidados do disco. O rapper Valas junta-se a Diogo Piçarra em ‘Ponto de Partida’ e April Ivy em ‘Não Sou Eu’.

O álbum foi masterizado por Dave Kutch, no estúdio The Mastering Palace em Nova Iorque. Dave masterizou alguns dos álbuns mais relevantes dos últimos anos, como ‘Lemonade’ de Beyoncé, ‘Mind of Mine’ de Zayn, ‘Beauty Behind Madness’ de The Weeknd, ‘20/20 Experience” de Justin Timberlake ou “This Unruly Mess I’ve Made” de Macklemore & Ryan Lewis.

ALINHAMENTO:

1 – Dois (Letra, Música e Produção: Diogo Piçarra)

2 – Dialeto (Letra e Música: Diogo Piçarra; Produção: Karetus e Diogo Piçarra)

3 – História (Letra e Música: Diogo Piçarra; Produção: Lhast e Diogo Piçarra)

4 – Já Não Falamos (Letra e Música: Diogo Piçarra; Produção: Karetus e Diogo Piçarra)

5 – Caminho (Letra e Música: Diogo Piçarra; Produção: Branko e Diogo Piçarra)

6 – Ponto de Partida feat Valas (Letra: Diogo Piçarra e Valas; Música: Diogo Piçarra; Produção: J-Cool e Diogo Piçarra)

7 – Erro (Letra: Diogo Piçarra; Música e Produção: Branko e Kking Kong)

8 – Não Sou Eu feat April Ivy (Letra: Diogo Piçarra e April Ivy; Música: MØTA; Produção: MØTA e Stego (Maraki Music Studios)

9 – Só Existo Contigo (Letra, Música e Produção: Diogo Piçarra)

10 – 200 (Letra e Música: Diogo Piçarra; Produção: Fred; Co-Produção: Diogo Piçarra, Rui Maia e Riot)

 

Sobre o novo disco Diogo Piçarra diz: ” “do=s” simboliza tudo de bom e mau numa relação a dois, uma “História”  de vida que vai do “Dois” ao “200”. Um segundo disco que deixa uma noção de fio condutor entre todas as melodias de voz e letras; um ‘Dialeto’ nascido de um ‘Caminho’, como se a mesma pessoa tivesse sido o ‘Ponto de Partida’ para a inspiração de todas as canções. Um trabalho que é um só, tal como acontece quando duas pessoas se juntam.”

“do=s” ficará em pré-venda a partir de amanhã, com ofertas especiais:

Na Fnac, quem fizer a pré-compra do disco, receberá de oferta uma canção inédita que não estará incluída no disco'Crescente’ (Letra, música e produção: Diogo Piçarra).

Na Worten, o cliente terá direito a um desconto especial, só disponível durante o período da pré-venda.

no iTunesquem fizer a pré-compra do disco terá direito a receber algumas músicas antes do álbum ser editado:

Entrega imediata: Dialeto e História, 28 Fevereiro: Erro, 7 Março: Ponto de Partida e 16 de Março: Já Não Falamos.

 

 

 



publicado por olhar para o mundo às 21:13 | link do post | comentar

 

Letra

 

Trago um fado no meu canto
Canto a noite até ser dia
Do meu povo trago pranto
No meu canto a Mouraria

Tenho saudades de mim
Do meu amor, mais amado
Eu canto um país sem fim
O mar, a terra, o meu fado
Meu fado, meu fado, meu fado, meu fado

De mim só me falto eu
Senhora da minha vida
Do sonho, digo que é meu
E dou por mim já nascida

Trago um fado no meu canto
Na minh'alma vem guardado
Vem por dentro do meu espanto
A procura do meu fado
Meu fado, meu fado, meu fado, meu fado

 



publicado por olhar para o mundo às 17:13 | link do post | comentar

ossovaidoso.jpg

 

 

Ana Deus e Alexandre Soares apresentam “Miopia”, o último trabalho de um dos melhores projectos musicais do panorama musical nacional.

 

 

 

Entrada: € 3,00

Reservas até ½ hora antes do início do espectáculo: 265 236 168 | casacultura@mun-setubal.pt

Organização: CMS | Experimentáculo Associação



publicado por olhar para o mundo às 12:13 | link do post | comentar

 

 

Letra

 

Letra:
Eles vêm como aqueles pássaros que vêm e passam e tudo o que vêem comem
Eles comem do bom pedaço e bebem bagaço e o suor dum homem
São eles quem carrega o saco pa encher o papo da grande grei
Foram eles que fizeram o traço do último fato que eu usei

Eu já paguei
Eu dei a Cesar o que é de Cesar deem o meu o corpo a minha mãe (2x)

De tudo que eu ganhei eu não guardei nem um vintém
Eles trazem o rolo da lei eles mandam em Jerusalém
Trabalham em conta de outrem que na testa tem o número 666
Aquele que mordeu de facto o calcanhar do Rei dos reis

Eu dei a Cesar (4x)
E dei a Jesus o que é de Jesus e a minha alma salvei (2x)

 

 



publicado por olhar para o mundo às 11:13 | link do post | comentar

zambujoexicobuarque.jpg

António Zambujo em Beja a 4 de março

 

O músico bejense, que conquistou o Brasil ao cantar Chico Buarque em São Paulo, num concerto considerado entre os 10 melhores do ano de 2016, no Brasil, está de regresso a Beja a 4 de março.

 

António Zambujo regressa à sua cidade natal para mais um concerto que promete esgotar o auditório do Pax Julia – Teatro Municipal de Beja.

Será no sábado, dia 4 de março, que o músico bejense apresentará o seu novo trabalho “Até pensei que fosse minha”, já depois de ter esgotado os 3 concertos agendados para 1, 2 e 3 de março na Gulbenkian Música.

Lançado em Outubro de 2016, o disco “Até pensei que fosse minha”, que já é disco de platina em Portugal, apresenta vários clássicos do compositor brasileiro, contando com a participação de CarminhoRoberta Sá e o Trio Madeira Brasil, entre muitos outros músicos de renome.

É já antiga a ligação de António Zambujo à música brasileira, apresentando com frequência ao Brasil o seu fado muito particular, com um travo a samba e bossa nova. O mundo, aliás, despertaria em definitivo para o músico português depois de Caetano Veloso escrever que "é um jovem cantor de fado (…) que faz pensar em João Gilberto" e "é de arrepiar e fazer chorar".

Uma produção da Câmara Municipal de Beja em parceria com a Produtora Sons em Trânsito com bilhetes à venda no Teatro e na bilheteira online.

Um concerto a não perder, dia 4 de março, pelas 21h30, no Pax Julia - Teatro Municipal de Beja!



publicado por olhar para o mundo às 10:13 | link do post | comentar

 

Letra

 

um tema original de Roberto Carlos / Erasmo Carlos

Letra:

Vou cavalgar por toda a noite
Por uma estrada colorida
Usar meus beijos como açoite
E a minha mão mais atrevida

Vou me agarrar aos seus cabelos
Pra não cair do seu galope
Vou atender aos meus apelos
Antes que o dia nos sufoque

Vou me perder de madrugada
Pra te encontrar no meu abraço
Depois de toda cavalgada
Vou me deitar no seu cansaço

Sem me importar se nesse instante
Sou dominado ou se domino
Vou me sentir como um gigante
Ou nada mais do que um menino

Estrelas mudam de lugar
Chegam mais perto só pra ver
E ainda brilham de manhã
Depois do nosso adormecer

E na grandeza desse instante
O amor cavalga sem saber
Que na beleza dessa hora
O sol espera pra nascer

Estrelas mudam de lugar
Chegam mais perto só pra ver
E ainda brilham de manhã
Depois do nosso adormecer

E na grandeza desse instante
O amor cavalga sem saber
Que na beleza dessa hora
O sol espera pra nascer

 



publicado por olhar para o mundo às 08:13 | link do post | comentar

Quinta-feira, 23.02.17

yolanda soares.jpeg

 

 
Royal Fado" de Yolanda Soares ajuda refugiados Sírios Universitários
 
Dia 03 de Março
Teatro Gil Vicente | Coimbra
21:30H


A Universidade de Coimbra, na celebração dos 727 anos, juntamente com a By The Music Produções, promovem concerto solidário “ Royal Fado” de Yolanda Soares para apoiar os refugiados sírios que frequentam a Universidade.
 

Convidados especiais:
Grupo Coral Alma de Coimbra
Barítono Diogo Oliveira
Marta Chasqueira (bailarina)
Horus Mozarabe ( bailarino)

Músicos:
Harpa - Salomé Pais Matos
Guitarra Portuguesa - Luis Coelho
Guitarra clássica- João Santos
Contrabaixo - Vasco Sousa
Percussão - João Português
Violino - António Barbosa
 
Ouvir o Fado Lianor "Harpeado" e cantado por Yolanda Soares é como entrar directo no coração de Camões.

A cantora Yolanda Soares escolhe Amália, Camões e Alain Oulman como uma trilogia de expressão artística representativa de si mesma e do seu Royal Fado. Indo ainda mais além escolhendo a Harpa como instrumento principal neste disco para continuar a percorrer os caminhos Amalianos da criatividade, da inquietação e de um coração que bate perfeito desta forma. O coração da artista bate perfeito com uma Lianor de Camões acompanhada de harpa, guitarra portuguesa , percussão , cordas e uma voz que canta um fado que é só seu. Ouvir esta Lianor "Harpeada" e cantada é como entrar directo no coração de Camões..."Descalça vai para a fonte Lianor pela verdura, vai formosa e não segura..." . Yolanda Soares viu na harpa as características perfeitas e o instrumento por excelência para este caminhar de Lianor descrito por Camões. Como uma seta musical de um cupido que escolhe o Fado como alvo da sua paixão e inquietação.
 
"LIANOR" |  Letra:: Camões | Música : Alain Oulman
 

 



publicado por olhar para o mundo às 23:13 | link do post | comentar

 

Letra

 

Posso te chamar de porco
Nem boleia tive
Fui pela CP
Posso dizer-te obrigado,
Vieste ter comigo
Não tens de quê

És tão linda
És tão sovina
Sou tão sortudo
És tão burro
Às vezes…

Refrão:
Tu és como a minha primeira vez
Amor és único, mesmo na rapidez
Amor és única, és minha talvez
Mas mesmo na ocasionalidade és para mim:
O meu amor,
Para a vida,
Ao fim de semana
Amor….

Tu és a net do meu PC
Eu dou-te a pass, pergunto-me porquê
Vou me embora vejo-te depois
Fico à tua espera e do sexo a dois
Agora
À lua
A toda a hora

Refrão:
Tu és como a minha primeira vez
Amor és único, mesmo na rapidez
Amor és única, és minha talvez
Mas mesmo na ocasionalidade és para mim:
O meu amor,
Para a vida,
Ao fim de semana
Amor….


Amor vens tocar à minha porta
Não sei se vou estar bem disposta
Acho que já percebi.
Já não gosto mais de ti.

-------------------------------------------------------------------

Composição e letra: Cláudia Pascoal
Voz: Cláudia Pascoal e Pedro Gonçalves

 



publicado por olhar para o mundo às 22:13 | link do post | comentar

claudia pascoal.jpg

 

 

Claudia Pascoal apresenta o single  “Ocasionalidade”. Este é um dos temas que pertence ao futuro EP “Para quem é, bacalhau basta” que brevemente vai ser lançado.

 

Este tema conta com a participação de Pedro Gonçalves, finalista do programa The Voice da RTP, e participante do Festival da Canção 2017. 

 

O tema foi lançado no dia dos namorados, enfatizando a ironia da mensagem da própria música. . 

 

 

 

Cláudia Pascoal

youtube.com/c/CláudiaPascoaloficial

facebook.com/claudiapascoalmusic/

INSTAGRAM: @a_bacalhau

TWITTER: @claudiaApascoal



publicado por olhar para o mundo às 21:13 | link do post | comentar

 

Letra

 

No mo-ohh-ohh
This niggas don't like no mo
Só like when I am in the flow
No mo-ohh-ohh

[nga]
Na linha de sintra ouvi um cota
A dizer que um gajo já não volta
Tanto a zona, como fazia outrora
Na esquina, da cota
Passa por lá mas já não me encontra
Eu perguntei então para que meu cota?
Bué de anos lá e tu não deste conta
A mi não nunca abriste nenhuma porta
Agora como o som toca
Te toca, te incomoda, já gostas (já gostas)
Já chamas o teu filho
Para tirar uma foto com o tropa
Que tem ouro na boca
É o loiro nas pontas
Que vives com uma moca
Mas como a minha escola é outra
E eu disse ao monsta
A gente vai para banda, fazer guita
Volta, troca, conta, compra carro tipo roupa
A sair de um brinquedo
Que devia ser de um jogador do atlético
E desta fez não é só mérito do autêntico
Deixo os créditos para o meu exército
Dope-music

[masta]
This niggas no like no mo (that you know me)
But now wat get in involve
Tipo tony montana, no rap sou big home
A desarrumar o logo da entrada da sony
Com o meu home geezy (geezy)
Isso é que é estragar a party
Salta de um mercedes, pra um maserati
Como teu ferrari
Pera miúdas tipo um cavalo
Enquanto eu cheiro a cavalo
Nga macabro

[masta]
This niggas no like no mo
This niggas no like no mo
(this niggas don't like)
Só like when I am in the flow
But now wat get in involve
This niggas no like no mo

This niggas no like no mo
Só like when I am in the flow
But now wat get in involve
This niggas no like no mo

[prodígio]
Nah
Têm raiva do puto
Perguntem ao ministério da cultura
Vendo mais que todos famosos juntos
Minha cota disse meu filho
Não rouba comida dos outros
Eu disse mãe Deus não se importa
Se for comida para os mortos
Matamos o game
They don't like us no mo
Se o assunto não é guita
Não falem com o brada
Concorrência aflita amarrem o brada
Puto cheira prata e balenciaga
Mas eu continuo o mesmo
Dizem que eu só falo do mesmo
Deve ser por isso
Que o promotor tá tentar me pagar o mesmo
Que me pagou no ano passado
Mas esse ano tive com damásio
E com anselmo com c4 com a yola semedo
Nós os supremos
Nesse barco sem remos
Isso é tudo que temos
Não exibo motivo com conquista
Todos meus carros são porsche
O puto é porschista
Puto não é bom, é super
Rappers não veem eu pauso no bunker
Miúdas raramente veem na minha cama
Eu arrasto bitsher para minha mesa de snooker
Lanço álbuns que vocês copiam
São todos meus sosias
Eu vendo cópias
Aquilo que vocês vendem é cópias (2da)

[masta]
A força suprema sempre lutou
Para poder garantir seu pão
Mas as pessoas não prestam
E ficam contentes cada vez
Que vais para o chão
Mas esquecem-se que as nossas paredes
Feitas a prova desta vossas invejas
Um desejo esta a dobra tudo aquilo
Que mi nos desejam
This niggas, this niggas, this niggas

This niggas no like no mo
This niggas no like no mo (no mo-oh-oh)
Só like when I am in the flow
(this niggas no like no mo)
But now wat get in involve
This niggas no like no mo

This niggas no like no mo (no mo-oh-oh)
Só like when I am in the flow
But now wat get in involve
This niggas no like no mo

[don-g]
Hey baby
[masta]
This niggas no like no mo
[don-g]
Nga
[masta]
This niggas no like no mo
[don-g]
Mo puto pro
Por mais que eles queres
Eles não conseguem para esta família
Ma nigga
[masta]
This niggas no like no mo
[don-g]
Por mais que eles querem
As street estão connosco
As ruas estão connosco, ma niggas
Isso é união, ma niggas
(isso é união, ma niggas)
Street niggas até morrer, força suprema

 



publicado por olhar para o mundo às 17:13 | link do post | comentar

travessadocorrupio.jpg

 

 O INÍCIO DA VIDA DA TRAVESSA DO CORRUPIO

 

Movendo-se nas pródigas águas onde o ecletismo do jazz e da música clássica se encontram com o poder e a rebeldia do rock e do folk, a Travessa do Corrupio possui uma linguagem própria, que honra as origens e tradições lusitanas mas que nunca se esquece do mundo globalizado em que habitamos.

 

“A Vida (O Início)” é não só o single de estreia da mais recente aposta nacional da Music For All como também a plena afirmação do grupo enquanto exímios contadores de histórias. Para o segundo trimestre de 2017 está prometida a edição de um EP que promete agitar a música portuguesa!

 

Por entre histórias, sentimentos e emoções esta é uma Travessa que fica bem no centro do Corrupio que é a vida.

 

O projecto que hoje conhecemos como Travessa do Corrupio nasceu, em abono da verdade, para uma só noite. Luis Sales, filho da primavera quente de 1975, tinha um objectivo bem definido para 2015: criar uma banda que o acompanhasse num concerto especial. Luis, que anteriormente havia participado em diversos projectos musicais (tendo inclusivamente integrado o álbum “Novos Talentos Fnac”, de 2009, e a edição de 2010 do Festival Termómetro) mal sabia que o concerto que tanto ansiava quanto temia mudaria a sua vida.

O primeiro elemento contactado foi André Correia, amigo de outras lides, que prontamente aceitou o desafio e a ele se juntou no necessário trabalho de composição e aperfeiçoamento dos esboços já criados e pensados por Luis. Tendo sido aluno da Escola de Música do Conservatório Nacional, na vertente de órgão, frequentado diversos workshops de bateria e participado em alguns projectos de pop/rock André detinha a porção ideal de talento, experiência e irreverência.

Por sua vez Raquel Bastardo ficou com os teclados a seu cargo e é a única presença feminina da banda. Fascinada desde sempre pelo poder do piano, estudou-o desde bem cedo, chegando mesmo a frequentar até ao quinto grau o curso livre de piano da Academia de Amadores de Música. Mas a música não é a sua única paixão: é também professora, guia turística e exerce a profissão de bióloga.

A guitarra passou a ser da total responsabilidade de Emanuel Carvalho, oriundo de Vilar Formoso, que iniciou o seu percurso no mundo da música no Grupo de Cordas da terra que o viu nascer. Pelas suas mãos passaram guitarra clássica, guitarra baixo, bandola, bandolim e braguesa. Já em Lisboa integrou o Grupo Coral Lisboa Cantat e o grupo coral de câmara da Escola Superior de Educação de Lisboa.

Quando sobem a palco os Travessa do Corrupio contam ainda com a presença de um contrabaixista, um elemento precioso que ajuda a abrilhantar cada apresentação ao vivo das suas melodiosas composições.

Quando o quinteto se desloca ao Alentejo para gravar os temas em questão já o calendário assinalava a chegada do terceiro mês do ano de 2015. Seria preciso mais um mês para que os onze temas gravados ganhassem vida no palco do Teatro Turim, tendo a sala sido pequena para receber todos aqueles que queriam presenciar a estreia da banda a que hoje chamamos de Travessa do Corrupio.

O balanço dessa noite foi tão positivo que todos os elementos aceitaram rapidamente a ideia de não desfazer aquilo que o talento, e o acaso, tinham unido. E assim, por entre um ano de composições, ensaios e um concerto especial começou oficialmente um dos projectos mais entusiasmantes da música lusitana.

 

Movendo-se nas pródigas águas onde o jazz e a música clássica se encontram com o rock e o folk os Travessa do Corrupio criaram uma linguagem própria que honra as origens e tradições lusitanas. Aqui contam-se histórias de amor e desamor. De saudade. De ilusões e desilusões. Na Travessa do Corrupio o tempo corre devagar, ao sabor do rio em direcção ao mar. Esta é uma Travessa que fica bem no centro do Corrupio que é a vida.

 

 



publicado por olhar para o mundo às 12:13 | link do post | comentar

 

Letra

 

Não encontrei a letra desta música

 



publicado por olhar para o mundo às 11:13 | link do post | comentar

rita redshoes.png

 

Rita Redshoes

“Mulher” é o novo single de “Her”

Dia 22 na Casa da Música, Porto | Dia 23 no Tivoli BBVA, Lisboa

“Mulher” é o novo single de “Her”, o mais recente disco de Rita Redshoes, editado em Novembro do ano passado. Com música e letra de Rita Redshoes, “Mulher” é um dos 3 temas em português do disco, uma estreia que tem sido muito bem recebida pelos fãs. 

“A canção nasceu de uma inquietação que foi crescendo à medida que também eu me fui tornando mulher. Senti-me e sinto-me inúmeras vezes, a medir espaços. Senti e sinto muitas vezes que os meus movimentos e voz são ignorados ou arrumados em caixas de preconceitos, por homens, mulheres e por mim mesma. Somos necessariamente diferentes e é isso que torna a vida rica, misteriosa e divertida. É uma canção em desabafo envolta num misto de orgulho e força”, diz Rita Redshoes sobre o novo single.

A digressão de apresentação de “Her” passa esta semana pelas maiores cidades do país, com um concerto no Porto, amanhã, na Casa da Música, e em Lisboa, quinta-feira, no Teatro Tivoli BBVA. Pela primeira vez Rita Redshoes encontra-se na estrada com um quarteto de cordas - com dois violinos, viola e violoncelo - e os dois músicos que a acompanham habitualmente Nuno Lucas, no baixo, e Rui Freire, na bateria.

Em "Her", Rita Redshoes envolve-nos nas suas histórias tendo por cenário os arranjos de cordas de Knox Chandler(que já colaborou com REM, Depeche Mode, Marianne Faithful, The Psychedelic Furs, Siouxsie and the Banshees ou Cyndi Lauper). Arrisca como nunca, ao deixar emergir os seus conflitos interiores, de forma subtil mas intensa, ao interpretar pela primeira vez três temas na sua língua materna e ao tocar mais instrumentos do que nos seus anteriores álbuns: piano, teclados, omnichord e guitarra acústica.

 

 



publicado por olhar para o mundo às 10:13 | link do post | comentar

 

Letra

 

Não encontrei a letra desta música

 



publicado por olhar para o mundo às 08:13 | link do post | comentar

Quarta-feira, 22.02.17

owan.jpg

 

 

OWAN (Out With A New) é um projeto musical criado e liderado por Danniel Boone (autor, compositor, vocalista e multi-instrumentista).

 

Depois do álbum “And Now You”, os OWAN regressam em 2017 com novo trabalho.

“The Colour of Dreams” é o single de apresentação do álbum que será editado brevemente em formato digital.

 

Sobre “The Colour of Dreams” Danniel Boone diz:

“...É um daqueles temas que já andava há muito tempo na minha cabeça e teimava em não ganhar “vida”, lembro-me de escrever o “rif” da guitarra por volta de 2004… Foi um pedido expresso do nosso produtor Quico Serrano incluir este tema no álbum e tinha toda a razão porque, para mim, está um tema fantástico...um tema “happy” que nos lembra, por vezes, de nos valorizarmos mais...”

 

 



publicado por olhar para o mundo às 23:13 | link do post | comentar

 

Letra

 

Não sei como teu ex-damo
te deixou bazar parece anormal
Pois tu és sem igual
Mulher como tu não se encontra
em qualquer lugar, não
Tens um jeito sensual
Que me põe a bater mal

Vou agradecer
Agradecer ao teu ex-namorado
Agradecer por te ter deixado
Vou agradecer
Agradecer ao teu ex-namorado
Graças a ele tu estás comigo

Não bate bem esse teu ex-namorado
Não bate bem, como é que conseguir perder
uma mulher assim
Não bate bem esse teu ex-namorado
Não bate bem, como é que conseguir perder
uma mulher

Agora ela é só minha, só minha
e eu sou dela

E tu tens que agradecer
À minha ex
Quem ela teve não
Vá lá e lhe diz o quão eu sou carinhoso
Carinhoso
(Ela dizia que eu não era)

Equanto eu vou agradecer (Eu vou agradecer)
Agradecer ao teu ex-namorado (Obrigado)
Agradecer por te ter deixado (Obrigado)
Equanto eu vou agradecer (Eu vou agradecer)
Agradecer ao teu ex-namorado
Graças a ele tu tás comigo

Não bate bem esse teu ex-namorado
Não bate bem, como é que conseguir perder
uma mulher assim
Não bate bem esse teu ex-namorado
Não bate bem, como é que conseguir perder
uma mulher

Agora ela é só minha, só minha
e eu sou dela, dela, dela

E quem tá feliz quando ela agarra
Dá um beijo
Mais um beijo

E quem é que tá feliz quando o damo
Dá um beijo
Mais um beijo

Não bate bem esse teu ex-namorado
Não bate bem, como é que conseguir perder
uma mulher assim
Não bate bem esse teu ex-namorado (não bate bem)
Não bate bem, como é que conseguir perder
uma mulher

Agora ela é só minha, só minha (e de mais ninguém)
e eu sou dela, dela, dela (e de mais ninguém)

 

 



publicado por olhar para o mundo às 22:13 | link do post | comentar


Quer ver a sua banda ou espectáculo divulgados aqui?,
envie um email para: olharparaomundo (arroba) sapo.pt
Se tem alguma letra que eu não tenha encontrado, pode enviar para o mesmo email
mais sobre mim




posts recentes

Kika está de volta com no...

Diana Lima - Não Digas Qu...

Terras sem Sombra - Passe...

VAI E VEM - Cristina

The Code apresentam o EP ...

Piece of Cake - Keep on G...

Ivan Pedreira apresenta ...

Nininho - Louca Da Cabeça

For Pete Sake @ Musicbox

Carlão - Agulha No Palhei...

arquivos

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

tags

todas as tags

links
comentários recentes
http://luisasobral.com/pt/aqui tem as letras! :)
Adoro Cristina Branco :)
Muito fixe
Gostei da musica da Telma Lee (https://canalkizomb...
olha so parece que bebes mt agua
"Anel de noivado comprado"
Versão do Bruno de Carvalho:Eu queria jogar à bola...
Fantástico blog!Parabéns pelo trabalho!
Nao acaba assim... Segue se:Reza a historia que a ...
Adoro esta música faz pensar na vida como ela é
blogs SAPO
subscrever feeds