Quarta-feira, 19.04.17

 

Letra

 

Não encontrei a letra desta música

Letra:
Bezegol

 



publicado por olhar para o mundo às 08:13 | link do post | comentar

Terça-feira, 18.04.17

 

Letra

 

Não te perdi
Nem te encontrei
Não descobri
Mas contemplei
Em ti cresci
Aqui fiquei
Para onde é que vais
Ainda não sei
Não te quero fugir
Tanto que me enganei
Tanto em ti vi menti
Tanto que acreditei

Não desviei nem corrompi
Por ti marchei, e defendi
Não contestei não compreendi
Mas não julguei já me esqueci
Mas lembro - me de ti
Como em mim te marquei
O que chorei por ti
E o que por ti deixei

Há deriva no teu bote
Bafejaste a minha sorte
O teu mar que me faz forte
Aperta-me o garrote
Minha bússola sem norte
Que me guia até a morte
O diabo que me arrote
Aperta -me o garrote

Há deriva no teu bote
Bafejaste a minha sorte
O teu mar que me faz forte
Aperta-me o garrote
Minha bússola sem norte
Que me guia até a morte
O diabo que me arrote
Aperta, aperta -me o garrote

Há deriva no teu bote
Bafejaste a minha sorte
O teu mar que me faz forte
Aperta-me o garrote
Minha bússola sem norte
Que me guia até a morte
O diabo que me arrote
Aperta -me o garrote

Há deriva no teu bote
Bafejaste a minha sorte
O teu mar que me faz forte
Aperta-me o garrote
Minha bússola sem norte
Que me guia até a morte
O diabo que me arrote
Aperta, aperta -me o garrote

 



publicado por olhar para o mundo às 17:13 | link do post | comentar

Terça-feira, 07.03.17

 

Letra

 

[Mundo Segundo]
Eu estou a competir comigo próprio
Não quero saber do lucro do negócio do teu sócio
Há quem abra mais a boca do que o túnel do Marão
Leva esse RAP pulsos cortados para o tanque do tubarão
Minha única certeza é que tenho dúvidas
Do talento das vossas ascensões súbitas
Tiram fotos e dão rúbricas como figuras públicas
Mas o intelecto não se vê como se usassem burqas
MCs tão vazios como loft sem mobília
Eu estou sempre na casa como a foto de família
Meu tom jocoso ligeiramente venenoso
É como uma exame à próstata, deixa-te nervoso
Minha paciência é curta como vestidos da moda
Tens o nariz entupido mas com vestígios de droga
Estás tão fora que já estás além-fronteiras
Aos encontrões como quem rouba carteiras

[Bezegol]
Apostas sempre no cavalo errado
Ainda por cima olhas pró dente quando ele é dado
O teu RAP é inconsciente por isso és frustrado
Pensas que resolves isso a olhar para mim de lado
Ainda tens um torcicolo boy tu tem cuidado
Cara feia paga a conta como o educado
O mel apanha mais moscas deixa lá o vinagre
Tanta ira na cabeça deturpa a verdade, é verdade!

[Mundo Segundo]
Eu estou a competir comigo próprio
Não quero saber do lucro do negócio do teu sócio
Os teus versos são brilhantes como anéis de noivado
Linhas excitantes RAPs de divorciado
Soa estranho vindo de um homem casado
Questiono-me se a tua mulher se tem questionado
És mal formado como quem tem cadeiras em atraso
Estás tão à frente que por favor perdoe-me o atraso
Tá andar de mota como se fosses a Marina
Perdido num oceano de pó na narina, na latrina
Sitio ideal para actuares ao vivo
A diarreia cerebral que tens emitido
Tens lábia em demasia muita falta de peso
Bruxo de fantasia há muito rapper teso
Com carros alugados, vivendas emprestadas
Rendas em atraso, só dá em lendas penhoradas

[Bezegol]
Apostas sempre no cavalo errado
Ainda por cima olhas pró dente quando ele é dado
O teu RAP é inconsciente por isso és frustrado
Penas que resolves isso a olhar para mim de lado
Ainda tens um torcicolo boy tu tem cuidado
Cara feia paga a conta como o educado
O mel apanha mais moscas deixa lá o vinagre
Tanta ira na cabeça deturpa a verdade, é verdade!

[Mundo Segundo]
Eu estou a competir comigo próprio
Não quero saber do lucro do negócio do teu sócio
Rappers vão se avaliando pelas visualizações
Promotores comprando conhecendo o que compões
Tás no controle como uma marca de camisas
Em grande como plafond de 5 VISAS
Só precisas do que sabes mas não sabes o que precisas
Conteúdos nas frases que utilizas
Só dá baladas depois após 12 badaladas
Manadas pagam rodadas às mais rodadas
Porque isto do Hip-Hop tem muito que se lhe diga
Com a vida dos outros que partilhas com a tua amiga
Só dá reis, patrões, controladores
Engraxadores lambedores de cu bajuladores
No fundo vale tudo
A concorrência é desleal
No mundo faz de conta o que conta é o capital

[Bezegol]
Apostas sempre no cavalo errado
Ainda por cima olhas pró dente quando ele é dado
O teu rap é inconsciente por isso és frustrado
Pensas que resolves isso a olhar para mim de lado
Um torcicolo tu tem cuidado
Cara feia paga a conta como educado
O mel apanha mais moscas deixa lá o vinagre
Tanta ira na cabeça deturpa a verdade, é verdade

Apostas sempre no cavalo errado
Ainda por cima olhas pró dente quando ele é dado
O teu rap é inconsciente por isso és frustrado
Pensas que resolves isso a olhar para mim de lado
Um torcicolo tu boy tem cuidado
Cara feia paga a conta como o educado
O mel apanha mais moscas deixa lá o vinagre
Tanta ira na cabeça deturpa a verdade, é verdade

 



publicado por olhar para o mundo às 11:13 | link do post | comentar

Domingo, 08.01.17

 

Letra

 

A morte saiu à rua num dia assim 
Naquele lugar sem nome para qualquer fim 

Uma gota rubra sobre a calçada cai 
E um rio de sangue de um peito aberto sai 

O vento que dá nas canas do canavial 
E a foice duma ceifeira de Portugal 

E o som da bigorna como um clarim do céu 
Vão dizendo em toda a parte o Pintor morreu 

Teu sangue, Pintor, reclama outra morte igual 
Só olho por olho e dente por dente vale 

À lei assassina, à morte que te matou 
Teu corpo pertence à terra que te abraçou 

Aqui te afirmamos dente por dente assim 
Que um dia rirá melhor quem rirá por fim 

Na curva da estrada hà covas feitas no chão 
E em todas florirão rosas de uma nação 
____________________________________ 

música e letra de José Afonso 

 



publicado por olhar para o mundo às 08:13 | link do post | comentar

Sábado, 07.01.17

 

Letra

 

Esforço-me por descobrir a forma de fugir à norma
De ser o monstro que a vida nos torna
Esforço-me por descobrir a forma de fugir à norma
De ser o monstro que a vida nos torna
Esforço-me por descobrir a forma de fugir à norma
De ser o monstro que a vida nos torna
Esforço-me por descobrir a forma de fugir à norma
De ser o monstro que a vida nos torna

Esforço-me pelo meus filho
Esforço-me pela família
Esforço-me pelos amigos
Boy! Esforço-me pela vida
Esforço-me p'ra não ser mais um filho da puta em linha
Na vida de quem me cruza e muitas vezes me subestima
Difícil dar a outra face
Difícil ter de engolir sapo
Difícil conviver com todos e ver que não passam de fracos
Ouvir a conversa de quem não corresponde com os actos
De tanto ver ouvi dizer até já tenho os olhos fracos
Eu queria tanto perder tempo mas o tempo já me perdeu
O monstro que vive em mim é muito mais forte que eu
Foi gerado pela forma do que à frente me apareceu
Ver chamadas adiadas o meu monstro agradeceu
Mas continuo com a minha fé à espera de paciência
Que a natureza dos meus actos não me conduzam à demência
De tanto querer ser correcto me tornaram num ser errante
De tanto querer ser directo o caminho saiu desviante

Boy!

Esforço-me por descobrir a forma de fugir à norma
De ser o monstro que a vida nos torna
Esforço-me por descobrir a forma de fugir à norma
De ser o monstro que a vida nos torna
Esforço-me por descobrir a forma de fugir à norma
De ser o monstro que a vida nos torna
Esforço-me por descobrir a forma de fugir à norma
De ser o monstro que a vida nos torna

O monstro que vive em mim não é diferente do teu
Só difere no ambiente onde cada um se desenvolveu
A essência que desperta os modos que aprendeu
Que faz um olhar pro outro e achar que o monstro sou eu
Nesta fé que julgávamos fazer a nossa vida
À espera que a do vizinho seja sempre a mais fodida
Nem sequer vemos que lá em cima está quem segura o fio
E hoje o que é uma corda amanhã pode virar o pavio
Mas fica frio
Pior que a morte não te aparece
Ou será que a morte que não vês em ti é uma benesse?
Sofre mais quem não esquece
Ignora quem desconhece
E pede absolvição p'ra que o pecado não cesse
Direito por linhas tortas quiseram que acreditasse
Livrai-nos do mal amém
Boy! Quiseram que eu rezasse
Reinos e promessas de lobos com pele de cordeiro
Manter o povo burro p'ra lhes sacar o dinheiro
Isso é feio!

Esforço-me por descobrir a forma de fugir à norma
De ser o monstro que a vida nos torna
Esforço-me por descobrir a forma de fugir à norma
De ser o monstro que a vida nos torna
Esforço-me por descobrir a forma de fugir à norma
De ser o monstro que a vida nos torna
Esforço-me por descobrir a forma de fugir à norma
De ser o monstro que a vida nos torna
Esforço-me por descobrir a forma de fugir à norma
De ser o monstro que a vida nos torna
Esforço-me por descobrir a forma de fugir à norma
De ser o monstro que a vida nos torna
Esforço-me por descobrir a forma de fugir à norma
De ser o monstro que a vida nos torna
Esforço-me por descobrir a forma de fugir à norma
De ser o monstro que a vida nos torna

 



publicado por olhar para o mundo às 17:13 | link do post | comentar

Sexta-feira, 16.09.16

bezegoleruiveloso.jpg

 

 

O tema "Maria" é uma história de amor lançada por Bezegol, com a participação especial de Rui Veloso.

 

Depois de divulgar o quinto álbum, Bezegol escreveu e produziu o novo tema "Maria", com Rui Veloso como artista convidado.

 

O músico interventivo, que tem como objetivo "fugir à norma", não gosta de ser rotulado com um único estilo musical, alternando entre o "reagge" e o "hip hop". Ao lançar este tema, Bezegol continua a explorar várias sonoridades.

"Maria" conta com um teledisco gravado em estúdio e encontra-se disponível para venda digital em todo o mundo.

 

Retirado do Jornal de Noticias





publicado por olhar para o mundo às 12:13 | link do post | comentar

Quinta-feira, 15.09.16

 

Letra

 

Letra e Musica: Bezegol

 

De tanto te amar Maria
Pus a vida do avesso
Estavas tão perto do fim


E eu vivia o começo
O teu plano era diferente
E deixou-me enfeitiçado
Dizem que quem ama é cego
E eu não vi que era o meu lado
Por gostar de ti Maria
Não olhei ao sofrimento
E não quis lembrar o dia
Que falhaste ao juramento
Por ti enfrentei o mundo
Enrolado no teu dedo
Condenado a amor profundo
Encobrindo o teu segredo
Eu lembro-me de ti
Por quem me apaixonei
Para onde foste eu não vi
Nem sei quando deixei
Queria-te ter aqui
Mas sei que não consigo
Fazer voltar atrás
Fazer do tempo amigo
Vou seguindo minha estrela
Firme vou no meu caminho
A bagagem vai pesada
Mas eu carrego sozinho
Foi dica a tua experiência
Mas não quero olhar para trás
Agarro-me às partes boas
E sigo a iludir as más
Eu lembro-me de ti
Por quem me apaixonei
Para onde foste eu não vi
Nem sei quando deixei
Queria-te ter aqui
Mas sei que não consigo
Fazer voltar atrás
Fazer do tempo amigo
Eu lembro-me de ti
Por quem me apaixonei
Para onde foste eu não vi
Nem sei quando deixei
Queria-te ter aqui
Mas sei que não consigo
Fazer voltar atrás
Fazer do tempo amigo
Eu lembro-me de ti
Por quem me apaixonei
Para onde foste eu não vi
Nem sei quando deixei
Queria-te ter aqui
Mas sei que não consigo
Fazer voltar atrás
Fazer do tempo amigo
Eu lembro-me de ti
Por quem me apaixonei
Para onde foste eu não vi
Nem sei quando deixei
Queria-te ter aqui
Mas sei que não consigo
Fazer voltar atrás
Fazer do tempo amigo
Eu lembro-me de ti

 



publicado por olhar para o mundo às 22:13 | link do post | comentar

Terça-feira, 09.02.16

 

Letra

 

Eu que cresci neste país plantado a beira mar,
Sou mais um filho de raiz combati Salazar,
Fui preso e acusado do meu estado maltratar,
Por procurar razão onde ela nunca quis morar.
Agarrado a convicção que a educação me deu,
vivo de uma pensão de quem não me reconheceu,
agora aqui estou eu sem o amparo do estado, com filho e neto aqui no meu canto desempregado.

Gostava de poder dizer que eras bem vindo a minha rua, mas não é minha a rua já não é minha a rua.
Gostava de poder dizer bem vindo à minha casa, mas não é minha a casa já não é minha a casa.(2x)

Sejam bem vindos ao reduto deste canto.
em nome do pai do filho e de quem me roubou no banco.
Vinda inteira de formiga e qual é o meu espanto de regresso ao meu país e a cigarra deixou me em branco.
Vale o pouco que ofereci, de dias que não poupei
De momentos que vivi ainda bem que o gastei
E agora estou aqui, até aqui aguentei, como é a partir daqui? Sei que agora já não sei.

Gostava de poder dizer que eras bem vindo a minha rua, mas não é minha a rua já não é minha a rua.
Gostava de poder dizer bem vindo à minha casa, mas não é minha a casa já não é minha a casa.(2x)

Eu sou da terra onde se atira a pedra e se esconde a mão, o interesse sobrepõem-se ao poder de decisão.
Cultura e ignorância vivem em plena união
Quando o povo decide é só dar um empurrão.
A anestesia cometida do não saber
Não sei o que me ataca, não sei do que defender.
não sei como atingir bem o meu ponto sem retorno
Agora tenho um cão que posso dizer que sou dono.

Gostava de poder dizer que eras bem vindo a minha rua, mas não é minha a rua já não é minha a rua.
Gostava de poder dizer bem vindo à minha casa, mas não é minha a casa á não é minha a casa.(2x)

 

Letra
Bezegol

Musica
Roger Plexico

 



publicado por olhar para o mundo às 17:13 | link do post | comentar

 

Letra

 

Não tentes ler os meus beijos,
por favor, não tentes.
Dar resposta aos teus desejos,
e depois não sentes.

Nunca te os dei por engano,
nem são moeda de troca.
São só beijos porque te amo,
não os sei dar por revolta.

Não tentes ler os meus beijos,
desconheço o dialecto.
Dentro do teu doce arpejo,
Temo por ser incorrecto.

Sei que são de quem te quer,
sem meio para atingir fim.
Por isso não tentes ler,
não te afastes mais de mim.

Não tentes ler os meus beijos,
não enfrentes o que sentes.
E viveres num tormento,
porque não me entendes.

Não têm truques nem segredos,
nem lhe vês a sua chama.
Por isso não tentes ler,
quando deitas comigo na cama.

Não tentes ler os meus beijos,
desconheço o dialecto.
Dentro do teu doce arpejo,
Temo por ser incorrecto.

Sei que são de quem te quer,
sem meio para atingir fim.
Por isso não tentes ler,
não te afastes mais de mim.

 



publicado por olhar para o mundo às 08:13 | link do post | comentar

Sexta-feira, 05.02.16

 

 

Letra

 

Eu não sei se me vais escutar por cá
quando eu já estiver do lado de lá (2x)

Mas enquanto eu tiver cá eu vou fazer aquilo que for preciso
para deixar aqui o meu legado vivo
para que eles saibam qual é que foi o motivo
pelo qual subi ao palco e perguntei quem está comigo

Queres saber qual foi o trilho, pelo qual eu fui trilhado
asas para voar punho fechado, 4400 eu levei a todo o lado
quando o destino me chamar é claro que eu vou honrado

Sou a voz do povo, a inspiração de um puto
a revolução de novo, a conspiração em bruto
o vosso apoio aqui é sinal que nós demos tudo
por enquanto podemos brindar e gritar: "haja saúde!"

Para continuarmos a formar o nosso público
fechar os olhos e sentirmos que isto é único
abrir os braços e ouvirmos em uníssono
que o respeito que nós temos é legítimo

Eu não sei se me vais escutar por cá
quando eu já estiver do lado de lá (2x)

Será que eu um dia vou ter a magia de te fazer ver
que o que agora brilha logo a ferrugem vem para corroer
não é um caminho não tens que ir sozinho para quê fugir
minha mão estendida sem medo da vida levanta a cair

Eu não sei se me vais escutar por cá
quando eu já estiver do lado de lá...

 

Letra:
Bezegol/DEAU

Musica:
Bezegol

 



publicado por olhar para o mundo às 11:13 | link do post | comentar

Segunda-feira, 09.02.15

 

 

letra

 

Nesta curva tão terna e lancinante
Que vai ser
Que já é, o teu desaparecimento
Digo-te adeus
E como um adolescente
Tropeço de ternura, por ti

Bezegol
Como gostaria de explicar agora o que na altura não sabia
Poder voltar atrás, mas manter a cabeça fria
Adormecer contigo minha maior alegria
Ai como eu te queria
Como seria não termos deixado ser levado pelo vento
Juntos enfrentarmos a erosão que trás o tempo
Juntos conduzirmos pra vida o nosso rebento, é o meu lamento

Deau
Escondeste o passado e o futuro fugiu com o que existe entre nós
Após, o muro quebrado quebraste o laço que existe no pós
(São) por nos que a vida afronta
(Eu) tenho de pagar a conta
Juro, amar na amargura quando a loucura encontra
Forma de marcar presença, com gente sem consciência
Consistência perdida, a boca dispensa, o coração não pensa
Sentença pesada, há quem o diga
Marca, navega na vaga da vida
Amor quando tiveres de partida
Diz-me só quem te guia

Bezegol
Como gostaria de explicar agora o que na altura não sabia
Poder voltar atrás, mas manter a cabeça fria
Adormecer contigo minha maior alegria
Ai como eu te queria
Como seria não termos deixado ser levado pelo vento
Juntos enfrentarmos a erosão que trás o tempo
Juntos conduzirmos pra vida o nosso rebento, é o meu lamento

Deau
Parece que ficas para saber a falta que tu me fazes
Troçar da forma como eu tentei decorar os espaços
Guardar o tempo dentro de uma caixa de sapatos
Com o intuito de voltar atrás sempre que os tiver calçados
Sabes, solas de nuvens não dão para escombros
Traz-me de volta os teus braços, arranhei os ombros
Faz-me sentir esse teu mais que tudo e todos
Com o rasto dos teus passos são quando me afasto dos sonhos

Bezegol
Como gostaria de explicar agora o que na altura não sabia
Poder voltar atrás, mas manter a cabeça fria
Adormecer contigo minha maior alegria
Ai como eu te queria
Como seria não termos deixado ser levado pelo vento
Juntos enfrentarmos a erosão que trás o tempo
Juntos conduzirmos pra vida o nosso rebento, é o meu lamento

Deau
Por vezes faço por esses lados
Onde mindinhos dados juramos ver-nos tornados velhinhos contra tornados
Remoinhos e tempestades, com filhos criados vida de baixos e altos
Saltando de palcos em palcos
Cruzar veredas com a verdade das varizes
Amar até tornar fútil kits de rímel e vernizes
Acredita, pensei mesmo que te iria ver
Onde a nossa varanda teria a vista mais bonita pro douro

Bezegol
Como gostaria de explicar agora o que na altura não sabia
Poder voltar atrás, mas manter a cabeça fria
Adormecer contigo minha maior alegria
Ai como eu te queria
Como seria não termos deixado ser levado pelo vento
Juntos enfrentarmos a erosão que trás o tempo
Juntos conduzirmos pra vida o nosso rebento, é o meu lamento


 



publicado por olhar para o mundo às 22:13 | link do post | comentar

Domingo, 18.01.15

 

Letra

 

(Presta atenção aos sinais)
Papa não sei o que amanha me espera
Tendo em conta todo o ódio que aqui prolifera
E essa gente não percebe aquilo que venera
Faz-me caminhar na luz e não com lucifer
(porque eu sei papa)
Mas não me deixes sozinho
Porque eu nada temo enquanto eu tiver contigo
E faz-me ser alguém melhor
Pra eu iluminar quem tiver ao meu redor
E dá-me olhos de ver que eu não quero ser cego
Só tu sabes o peso da cruz que eu carrego
Faz-me sair ileso quando tropeço

É tudo o que eu te peço

Em busca da redenção
Tas procura do quê? Tás à procura do quê?
Em busca da redenção
Em busca da redenção
Tas a procura de quê? Tás a procura de quê?
Em busca da redenção

Era um miudo a olhar para cima
Dei cabo do pescoço agora faço como o cão
Na terra esconde o osso pra quem encontra a razão
Quando não há caroço todos querem redenção ,
Todos querem sair do fosso, até acreditam quem nos papa
Quem tem fé segura, sempre cheios de promessas de quem vive na luxuria
Agua mole em pedra dura na cabeça também fura
E para tapar a ferida metem uma sanguessuga
Não adoro nenhum deus boy, ai eu adoro é ter pão
Para dar algum aos meus que não lhe deitam a mão
Entre muita situação que te deixa aflito
Posso te chamar meu brother mas por jesus eu não grito

Em busca da redenção
Tas procura do quê? Tás à procura do quê?
Em busca da redenção
Em busca da redenção
Tas a procura de quê? Tás a procura de quê?
Em busca da redenção…

 

Obrigado à Eduarda Sousa pela letra



publicado por olhar para o mundo às 17:14 | link do post | comentar | ver comentários (2)

Segunda-feira, 03.03.14

 

 

Letra

 

Não encontrei a letra desta música



publicado por olhar para o mundo às 08:50 | link do post | comentar

Segunda-feira, 03.02.14

 

Letra

 

Pediste, eu não tinha
Mesmo assim eu dei
Só quises-te ouvir
Aquilo que eu não te falei
Não pensei, perdi
Mesmo assim não larguei
Agora estou sem ti mas
na verdade ainda não sei
Refrão

Deixa-me sentir
Deixa-me acordar os anos que anestesiei
Não quero mais fugir
Da realidade que por ti eu afastei
Tomaste-me o sol
Levas-te-me o tempo
Com bem comprei mal
Pedi o teu templo
O amor que selamos, com lacre de prata
Mais um Dom quixote, que por ti se mata
Agora é que eu vejo quem contigo pára
Trocou o desejo
pela tua lei da bala
Cegaste-lhe a esperança
e sugas seu corpo
O que nasceu certo, vais tu pondo torto

Refrão 2x



Pediste, eu não tinha
Mesmo assim eu dei
Só quizes-te ouvir
Aquilo que eu não te falei
Não pensei, perdi
Mesmo assim não larguei
Agora estou sem ti mas
na verdade ainda não sei

2xx

Deixa-me sentir
Deixa-me acordar os anos que anestesiei
Não quero mais fugir
Da realidade que por ti eu afastei

Deixa-me sentir...



publicado por olhar para o mundo às 17:53 | link do post | comentar

Terça-feira, 03.12.13

 

 
Letra
 

Temos muitas mentiras a habitar nossas verdades
Temos muita perguiça no meio das nossas vontades
Gastamos nossas vidas em busca dos elos dourados
Apontamos as armas aos objetivos errados
Fazemos caridade p'ra não sentirmos culpados
São factos.

Temos muito crime no meio da nossa justiça
É pouca a retidão no meio de tanta cobiça
Temos muito lixo no meio da nossa riqueza
Muita ignorância lado a lado com a certeza
Muito preconceito com a nossa natureza

(Refrão x2)
Era tão bom de ter, era tão bom de ter,
Era tão bom de compreender,
O que nos consome quando queremos é comer
Porque nos atacam quando não sabemos ler
E não largam de pé quando nos pedem p'ra correr
Como é que pode ser digam como é que pode ser
Aumenta o trabalho sem dinheiro p'ra viver
Era tão bom de ter ai como era tao bom de ter
Honra no trabalho e pagamento a condizer

Era tão bom de ter (x3)



publicado por olhar para o mundo às 17:42 | link do post | comentar

Terça-feira, 26.11.13

 

letra

 

Ás vezes dou por mim meio perdido
Vejo que não estás comigo
Sinto-me tão sem abrigo
Pensamento é vazio
Na espinha um arrepio
É contigo que eu agasalho o meu frio
Sei que este amor está condenado
Pois tramado é o passado e não perdoa
Mesmo que não volte a encontrar-te
Hás de ser sempre minha rainha sem coroa

Lembro-me dos momentos, daqueles primeiros tempos
Em que fomos sobrepondo sentimentos
Foi tudo à flor da pele, a agitação do fel ao mel
Foi levantar e aterrar no teu bocel
Foi ver a vida em outra escala
De tanto não querer deixá-la, abandonou-me
E só me resta recordá-la
E seguir em frente lembrando o teu nome
Queria estar contigo mas o tempo não te deixa
Ficar comigo, gosto tanto de te ter
No meu sentido nunca eu te quis perder
Fica comigo
Queria estar contigo mas o tempo não te deixa
Ficar comigo, gosto tanto de te ter
No meu sentido nunca eu te quis perder
Fica comigo

Queria estar contigo mas o tempo não te deixa
Ficar comigo, gosto tanto de te ter
No meu sentido nunca eu te quis perder
Fica comigo
Queria estar contigo mas o tempo não te deixa
Ficar comigo, gosto tanto de te ter
No meu sentido nunca eu te quis perder
Fica comigo




publicado por olhar para o mundo às 14:39 | link do post | comentar

Sexta-feira, 11.01.13

 

 

Letra

 

(part I)

Still remember like it was today,
On my nerves till the nurse came and say:
?Your baby?s born everything is O.K.,
Momma?s good you will see them right away.?
Standing next to the door I wait,
Any second its a minute late,
And I wait, and I wait, always wait for you,
To give you my love, and my love is true.
letting you know I'm always on your side,
No matter the loops that my life goes by.
You know sometimes don't go like we planned,
But what I need is you to understand,
That dad is doing all the best he can,
So you may grow and be proud of him.
There?s no god in the sky?s above,
Coz for you I have forever love.

(part II)

- What may come in your life for you to conquer?
The quest is to remain stronger.
Watch your steps, don't get mislead.
The everyday battles are the ones you make your own bed,
Son! I never wanna see you on the run.
From times we together please pay attention.
And listen to the story of my life,
I know it`s hard past but from me you know it right.
Aight!
Forever love, keeping our relation tight,
Life struggle. you can count on me on to fight.
Whenever you may need me son, you know that I`ll be there,
Whatever may be the problem son, you know that I don't care.
More than a shinning star, you are the light that I see,
I want you to know that you are everything to me.
No mountain high enough, no god up above.
Sincerely yours your father, son.
Forever love
.





publicado por olhar para o mundo às 17:56 | link do post | comentar | ver comentários (1)

 

 

letra

 

O tempo, sabes que não volta atrás,
nem sempre há remendo p'ras asneiras que se faz.
Olhar!

Todos falham, não há ninguém perfeito.
Há que respeitar p'ra poder manter o respeito!

Tempo..

O tempo, sabes que não volta atrás,
nem sempre há remédio p'ras asneiras que se faz.
Olhar!

Todos falham, não há ninguém perfeito.
Há que respeitar p'ra poder manter o respeito!

Faz tu a sina
dita com os teus actos o rumo da tua vida
Até à despedida

Nem tudo é prata
tem vezes que é ouro tem muitas vezes que é lata!
Chata!

Mas á que ter força e não deixar cair em palha
O karma devolve e não há ninguém que te valha
?????????????
Quanto mais se insiste mais a vida se baralha

Tempo!

O tempo, sabes que não volta atrás,
nem sempre há remendo p'ras asneiras que se faz.
Olhar!

Todos falham, não há ninguém perfeito.
Há que respeitar p'ra poder manter o respeito!

Tempo..

O tempo, sabes que não volta atrás,
nem sempre há remédio p'ras asneiras que se faz.
Olhar!

Todos falham, não há ninguém perfeito.
Há que respeitar p'ra poder manter o respeito!

Acerta a medida que te indica a saída
tens o tempo para encontrar
o qual determina e como tal discrimina
a força que tens pr'a dar!

Mantém o espírito aberto
De certo vais ter um sentimento concreto
tudo o que o ????
não faças da mente um gueto

O caminho mais fácil nem sempre é o mais certo
oohh ohhh ohhh

Encontrar o equilíbrio, uh tenta
nem oito nem oitenta
teorema que conta a tormenta
aguenta
memo quando a cena tá cinzenta
mesmo assim a semente rebenta

rebenta

por que tu sabes que o tempo

O tempo, sabes que não volta atrás,
nem sempre há remendo p'ras asneiras que se faz.
Olhar!

Todos falham, não há ninguém perfeito.
Há que respeitar p'ra poder manter o respeito!

Tempo..

O tempo, sabes que não volta atrás,
nem sempre há remédio p'ras asneiras que se faz.
Olhar!

Todos falham, não há ninguém perfeito.
Há que respeitar p'ra poder manter o respeito!

boy..

(Linguagem estrangeira)

O tempo, sabes que não volta atrás,
nem sempre há remendo p'ras asneiras que se faz.
Olhar!

Todos falham, não há ninguém perfeito.
Há que respeitar p'ra poder manter o respeito!

Tempo..

O tempo, sabes que não volta atrás,
nem sempre há remédio p'ras asneiras que se faz.
Olhar!

Todos falham, não há ninguém perfeito.
Há que respeitar p'ra poder manter o respeito!

boy..
.





publicado por olhar para o mundo às 08:50 | link do post | comentar | ver comentários (1)

Sábado, 05.01.13

 

 

letra

 

Andam-nos a tentar enganar, 

aldrabar e roubar, eu sei. 

Será que nos vamos aguentar 

ou virar uns fora da lei? 

Pra sentires que estou dentro, 

não vale o teu sustento. 

É querer olhar de frente 

o futuro e o presente 

ó senhor presidente.

 

Quantos mais lá virão até eu acabar esta rima. 
Comprima o orçamento que já não é nada 
e mande a criança p'rá escola com um copo d'água.

 

Ó pai tramado o que nos está a acontecer? 
Tanta glória passada e tanto lixo a aparecer. 
Mas vamos explicar à proxima geração, 
os espinhos que vivemos são os da revolução.

 

Andam a brincar com a nossa vida à tanto tempo 
agora são discursos de pesar e de lamento.

 

Tento, mas eu não me aguento 
a ganhar quinhento com uma vida de seiscento. 
Tudo tem aumento menos os salários, 
são assembleias a fazer de nós otários.

 

Venham mais salafrarios, chulos e aldrabões 
quando o mar bate na roxa quem se lixa é os mexilhões.

 

Andam-nos a tentar enganar, 
aldrabar e roubar, eu sei. 
Será que nos vamos aguentar 
ou virar uns fora da lei?

Pra sentires que estou dentro, 
não vale o teu sustento. 
É querer olhar de frente 
o futuro e o presente 
ó senhor presidente.



publicado por olhar para o mundo às 14:45 | link do post | comentar


Quer ver a sua banda ou espectáculo divulgados aqui?,
envie um email para: olharparaomundo (arroba) sapo.pt
Se tem alguma letra que eu não tenha encontrado, pode enviar para o mesmo email
mais sobre mim




posts recentes

BEZEGOL & TEKA - VINHO

BEZEGOL - CORO DOS ABANDO...

Mundo Segundo feat. Bezeg...

Bezegol - A Morte Saiu À ...

Bezegol - Monstro

"Maria" junta Bezegol e R...

BEZEGOL feat. RUI VELOSO ...

BEZEGOL feat. ROGER PLEXI...

BEZEGOL - SÃO SÓ BEIJOS

BEZEGOL feat. DEAU - POR ...

arquivos

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

tags

todas as tags

links
comentários recentes
Grande Musica
Musica Qualitativa
Ah que fixe!!!Obrigada A Música Portuguesa por aju...
*ps: nós que fizemos!
Ah que fixe!!!Obrigada A Música Portuguesa por aju...
OláInfelizmente não lhe consigo responder, eu não...
OlaaQueria por favor saber se exiate a musica em C...
Te amo Loony ....so tua fa
http://yolandabythemusic.blogspot.co.uk/
Música xinofoba, que pena. Gosto de ouvir Ana Mour...
Posts mais comentados
blogs SAPO
subscrever feeds