Quarta-feira, 17.05.17

celina da piedade.jpg

 

 

Após a sua participação e excelente classificação no Festival da Canção deste ano, Celina da Piedade volta a marcar a actualidade da música portuguesa com a apresentação do novo videoclip do tema "A linha e o linho", retirado do álbum SOL, o mais recente trabalho da cantora Celina da Piedade, sob a chancela da editora Sons Vadios, que tem sido muito bem acolhido pela imprensa nacional e internacional.

Este vídeo marca a estreia de Rita Carmo na realização de um videoclip, sendo uma das fotógrafas portuguesas mais reconhecidas e destacadas pelo trabalho desenvolvido no registo fotográfico de músicos e de concertos.

A canção é uma composição do músico brasileiro Gilberto Gil, aqui transportada para um universo mais feminino, de igual delicadeza, onde vai crescendo ponto a ponto um bordado musical, em que a linha é a voz doce de Celina da Piedade. Uma canção grata e luminosa.

Videoclip "A linha e o linho"

 

+ info CD Sol
http://www.sonsvadios.pt/js_albums/sol



publicado por olhar para o mundo às 23:13 | link do post | comentar

 

Letra

 

Não encontrei a letra desta música

 

“Aqui”
Composed and written by Joana Alegre
Arrangement by Mikkel Solnado

 



publicado por olhar para o mundo às 22:13 | link do post | comentar

sergio godinho.png

 

SÉRGIO GODINHO

EM PARIS COM CAPICUA E FILIPE RAPOSO

No próximo sábado, dia 20 de Maio, o festival parisiense “Chantiers d’Europe” recebe Sérgio Godinho para um concerto de características muito especiais – a acompanhar o “escritor de canções” estará o compositor e pianista Filipe Raposo e com o estatuto de “convidada” a rapper Capicua.

Tratar-se-á de um concerto inédito já que será a primeira vez que os três se cruzarão em palco ainda que esta não seja a primeira vez que Sérgio Godinho recebe Capicua nos seus espectáculos – em 2014 a rapper portuense participou nos concertos de apresentação de “Liberdade” no Rivoli – ou que é acompanhado pelo pianista com quem aliás tem realizado apresentações em Portugal e no estrangeiro ao longo do último ano.

Num artigo publicado na semana passada no Le Monde, o jornalista Patrick Labesse destaca no título que Sérgio Godinho “canta males e maravilhas” e evocando a biografia de Sérgio, nomeadamente a vivência em França quando do “Maio de 68”, descreve a sua experiência de assistir à apresentação realizada no passado dia 29 de Abril no âmbito do evento “Dias da Música” e de ter acompanhado Sérgio Godinho até Grândola para a inauguração da exposição “Sérgio Godinho – Escritor de Canções” que a edilidade local tem em exibição nos Antigos Paços do Concelho. 

De volta a Portugal, Sérgio Godinho efectuará uma apresentação no Porto integrada na iniciativa “Cultura em Expansão”, cujo objectivo é a descentralização dos eventos culturais, que terá lugar na Associação de Moradores da Bouça no bairro emblemático portuense com o mesmo nome.

 

AGENDA CONCERTOS:

20 MAI / CHANTIERS D’EUROPE / ESPACE PIERRE CARDIN / PARIS (com Filipe Raposo e participação especial de Capicua)

27 MAI / CULTURA EM EXPANSÃO / ASSOCIAÇÃO DE MORADORES DA BOUÇA / PORTO (com Filipe Raposo)

03 JUN / NORTH MUSIC FESTIVAL / ESTÁDIO D. AFONSO HENRIQUES / GUIMARÃES (“JUNTOS” com Jorge Palma)

 



publicado por olhar para o mundo às 21:13 | link do post | comentar

 

Letra

 

It should be alright now, Jesus is looking down
You should be alright now, rest your head in His hands
You should be alright now
And we will watch as the new sunrise
You should be alright now

It shoud be alright now
no need to tell us what you have done
You should be alright now
what we don't know it won't do us harm
It should be alright now

It should be alright now, the sky full of stars to guide us
We will be alright now
'cause in the morning we'll move along
And we'll be alright now

 

Music and lyrics by Nuno Gonçalves, Sónia Tavares and Brian Eno.

 



publicado por olhar para o mundo às 17:13 | link do post | comentar

festivali.png

 

Sexta à noite, abertura no CAA. Sábado e domingo, non-stop pela cidade.


Festival i é já neste fim-de-semana!
ÁGUEDA | 19, 20 e 21 MAIO
http://www.dorfeu.pt/i

Bilhetes à venda na d’Orfeu e no Centro de Artes de Águeda.
Também disponível a compra online

 


ESPETÁCULO DE ABERTURA
Sexta 19 maio, 21h00 @ Centro de Artes de Águeda
Mão Verde *
Capicua e Pedro Geraldes

foto © Miguel Refresco / Curva Contra Curva

* ”Mão Verde” substitui o espetáculo “Fã”, anteriormente anunciado, cancelado por motivos técnicos.

De 19 a 21 de maio, a 9ª edição do Festival i, a grande festa das artes de palco em família, promete três dias inteiramente dedicados ao público infantil e familiar, com um non-stop de mais de 15 propostas distintas de Portugal e Espanha.


A abertura estará a cargo de Capicua e Pedro Geraldes, que trazem "Mão Verde" a um novo palco do Festival: o Centro de Artes de Águeda. No sábado (20) e no domingo (21), segue-se o já conhecido e contagiante ritmo de espetáculos, atividades, jogos e oficinas, para bebés, miúdos e graúdos: das 10h30 às 19h30, o roteiro do Festival passará por vários locais da cidade. No Espaço d’Orfeu, há também um renovado palco a explorar: a nova Latada da d’Orfeu AC. A ela, junta-se o Centro de Artes de Águeda, o Auditório Ana Paula Silva, a Biblioteca Municipal Manuel Alegre, a Junta de Freguesia e o Mercado Municipal.

Imaginativo, incrível e inigualável: nos dias 19, 20 e 21 de maio, todos a Águeda, todos ao i!

http://www.dorfeu.pt/i



publicado por olhar para o mundo às 12:13 | link do post | comentar

 

Letra

 

Lembras-me uma marcha de lisboa
Num desfile singular,
Quem disse
Que há horas e momentos p´ra se amar

 

Lembras-me uma enchente de maré
Com uma calma matinal
Quem foi
Quem disse
Que o mar dos olhos também sabe a sal

 

[refrão]

{as memórias são
Como livros escondidos no pó
As lembranças são
Os sorrisos que queremos rever, devagar}


Queria viver tudo numa noite
Sem perder a procurar
O tempo, ou o espaço
Que é indiferente p´ra poder sonhar

 

[refrão]

Quem foi que provocou vontades
E atiçou as tempestades
E amarrou o barco ao cais
Quem foi, que matou o desejo
E arrancou o lábio ao beijo
E amainou os vendavais

[refrão]

 

LETRA: Luís Represas
MÚSICA: João GIl

 



publicado por olhar para o mundo às 11:13 | link do post | comentar

dowsers.png

 

 
The Dowsers Society é uma banda rock da zona de Lisboa de influências blues, stoner e psicadélicas. Há um ano atrás, em Março de 2016, lançou nas plataformas digitais o seu álbum de estreia homónimo. Para comemorar este aniversário, irá fazer um concerto especial, aproveitando para apresentar e lançar a versão física do álbum em CD. 
 
O evento será no dia 20 de Maio, às 22:00, no Anna's Diner - que se localiza nos Nirvana Studios, em Barcarena - e contará com a participação especial de alguns músicos convidados. Os nomes já confirmados são: Kiko Biel (Lazyman), Filipe Rocha (Sean Riley & The Slowriders), José da Gama (Leda), Mauro Barata, entre outros. 

E, para ajudar à festa, a banda conta com o apoio do Anna's Diner - www.facebook.com/annas.diner332 - e da Hops Beer&Co - www.facebook.com/hopsbeerandco. Quem aparecer, poderá aproveitar para ouvir boa música, enquanto prova petiscos e cervejas artesanais portuguesas.
 
 
The Dowsers Society é uma banda rock de influências blues, stoner, psicadélicas e post rock, caracterizada pela busca de sons electrificados, reverberados, que ecoam e transportam o nosso imaginário para um espaço desértico. A banda nasce em 2014 numa noite lisboeta, com Carlos Alves (guitarra e voz), Luís Gama (bateria), e Ivo Martins (baixo e voz).
 
O álbum de estreia homónimo foi gravado, misturado e masterizado por Bruno Pedro Simões (Sean Riley & The Slowriders) nos Black Sheep Studios, Sintra, entre Outubro e Dezembro de 2015. A produção ficou a cargo de The Dowsers Society e Bruno Pedro Simões.
 
O álbum The Dowsers Society, composto por 8 faixas, é a concretização de uma busca sonora e estética que anda em torno de um imaginário de vastidão profunda. Ecos e sons subterrâneos surgem dentro de cada Ser e concretizam-se em emoções reais ou imaginadas, algumas sibilantes e suaves outras gritantes e guturais, mas sempre perigosas tal como o é a alma Humana. A realidade que nos rodeia é um amanhecer moldado e distorcido numa noite sem estrelas onde a aurora é, por vezes, apenas uma miragem.
 
SPOTIFY | http://spoti.fi/1WKeEtf
YOUTUBE | http://bit.ly/2oDhbeJ
FACEBOOK | http://bit.ly/2obnxOv
EMAIL | thedowserssociety@gmail.com
 

 



publicado por olhar para o mundo às 10:13 | link do post | comentar

 

Letra

 

Oh Lord! Take me when I'm really ready
I fell, now I'm up again and steady

I was born without a dime
Oh yeah! The losing card
All I ever had was a body and time
Oh yeah! The times were hard
Never got a break or a rise in pay
Uh uh uh - I was just a slave
Working like a dog to my dying day
Uh uh uh - to an early grave

Oh yeah the weight is gone
Oh yeah the weight is gone
Oh yeah the weight is gone
Oh yeah the weight is gone

Came along a man with an Union card
Uh uh uh - the times were hard
Standing up proud to face the guards
Uh uh uh - the weight was gone

OOhh - don't go dancing round my grave
Or singing hymns and sad songs
Don't wanna hear the angels calling
Angels calling

Ooh I saw it getting better
I saw it in another world
I saw it in a better place
Unrest again, get it out, unrest again

Oh Lord take me when I'm really ready
I fell, now I'm up again and steady
I leave for the revolution
Oh Lord, oh Lord!

 

Music and lyrics by Nuno Gonçalves, Sónia Tavares and Brian Eno.

 



publicado por olhar para o mundo às 08:13 | link do post | comentar

 

Letra

 

You've changed
The sparkle in your eyes is gone
Your smile is just a careless yawn
You're breaking my heart
You've changed

You've changed
Your kisses now are so blase
You're bored with me in every way
I can't understand
You've changed

You've forgotten the words I love you
And the memories that we've shared
You've ignored all the stars up above you
I can't realize that you ever cared
You've changed

You're not the angel I once knew
No need to tell me, I know we're through
It's all over now
You've changed

You've forgotten the words I love you
And the memories that we've shared
You ignore all the stars up above you
I can't realize that you ever cared
You've changed

You're not the angel I once knew
No need to tell me, I know we're through
It's all over now
You've changed

 

Letra - Carl Fisher

 



publicado por olhar para o mundo às 01:13 | link do post | comentar

 

Letra

 

Amor,
yo sé que quieres
llevarte mi ilusión.


Amor,
yo sé que puedes
también
llevarte mi alma.

Pero, ay amor,
si te llevas mi alma,
llévate de mí también el dolor,
lleva en ti todo mi desconsuelo
y también mi canción de sufrir.

Ay amor, si me dejas la vida,
déjame también el alma sentir;
si sólo queda en mi
dolor y vida,
ay amor, no me dejes vivir.

 



publicado por olhar para o mundo às 00:13 | link do post | comentar

Terça-feira, 16.05.17

mevdsa.jpg

 

Popular Alvalade - Sexta-feira, dia 19 às 22h00

MEDVSA ATACA LISBOA

 

É já na próxima sexta-feira, dia 19 de Maio. Que os MEDVSA atacam a capital, para apresentarem o seu primeiro EP - Inércia. 

Na Popular Alvalade, às 22h.
Entrada: 3€

 

 



publicado por olhar para o mundo às 23:13 | link do post | comentar

 

Letra

 

O amor, quando se revela
Não se sabe revelar
Sabe bem olhar p'ra ela
Mas não lhe sabe falar

Quem quer dizer o que sente
Não sabe o que há de dizer
Fala: parece que mente
Cala: parece esquecer

Ah, mas se ela adivinhasse
Se pudesse ouvir o olhar
E se um olhar lhe bastasse
P'ra saber que a estão a amar!

Mas quem sente muito, cala
Quem quer dizer quanto sente
Fica sem alma nem fala
Fica só, inteiramente!

Mas se isto puder contar-lhe
O que não lhe ouso contar
Já não terei que falar-lhe
Porque lhe estou a falar

 



publicado por olhar para o mundo às 22:13 | link do post | comentar

 

Letra

 

Não encontrei a letra ou os créditos desta música

 



publicado por olhar para o mundo às 22:13 | link do post | comentar

PAULO BASTOS.jpg

 

 

Numa era onde nada se inventa e tudo se transforma, “O Que é Que Houve?”, o novo single de Paulo Bastos, é um bom exemplo de como a modernidade pode ajudar a trilhar novos caminhos para as raízes e sonoridades portuguesas.

 

O segundo single do álbum “Desafio” é a combinação perfeita dos pequenos mistérios do nosso quotidiano com romantismo, encanto e uma letra onde abundam as questões e escasseiam as respostas. A tudo isto somemos uma dose de puro rock, o dedilhar único do cavaquinho e um ritmo frenético bastante familiar e está criada a receita para a mais recente aposta da Music For All.  

 

Paulo Bastos faz jus ao ditado popular “De pequenino é que se torce o pepino”. É que se os seus dotes na cozinha são um mistério, já o seu talento para a música é sobejamente conhecido desde tenra idade.

 

Contava apenas com nove anos de vida quando iniciou a sua atividade musical e um ano depois já se tinha iniciado no estudo da guitarra, começando aí a trilhar um percurso que se adivinhada pródigo em sucessos e conquistas.

 

A sua estreia como solista de orquestra aconteceu tinha Paulo apenas vinte anos. O concerto para guitarra clássica e orquestra de Vivaldi em Ré M, com a Filarmónica das Beiras, no Teatro Aveirense, tornar-se-ia na primeira de muitas vezes em que dominaria por completo o palco e arrebataria o coração, e o espírito, do público presente!

 

Do seu extenso e completo percurso fazem parte o curso de guitarra clássica do Conservatório de Música de Coimbra e, posteriormente, o complemento no Conversatório de Música de Aveiro Calouste Gulbenkian, onde terminou o 8º Grau/Ano; a Licenciatura em Engenharia Eletrónica e Telecomunicações, na Universidade de Aveiro; a Licenciatura em Ensino de Música na vertente de Guitarra Clássica, também em Aveiro; mais de uma dezena de cursos de aperfeiçoamento de Guitarra Clássica, muitos deles orientados por professores de renome internacional; diversos workshops de Jazz com profissionais, de reconhecido talento, das mais variadas nacionalidades.

 

Paralelamente dedicou-se, ainda que de forma autodidata, ao estudo de instrumentos tradicionais portugueses, como o Cavaquinho, a Gaita-de-Foles e a Guitarra Portuguesa, por exemplo, enriquecendo ainda mais o seu já de si extenso léxico de sonoridades.

 

Entre as diversas vezes que subiu a palco destaca a partilha de momentos únicos com nomes da música internacional como Siri Svegler, Stee Downes ou Hubert Tubbs.

 

Os seus espetáculos a solo incluem uma vertente tradicional, nas influências, sonoridades e instrumentos que o acompanham, e outra mais contemporânea e que se liga de forma directa à world music e às danças do mundo. É por entre temas originais, e alguns da música tradicional portuguesa, que Paulo Bastos percorre Portugal de lés-a-lés.

 

Em 2015 Paulo Bastos dá um passo crucial na sua carreira – avança para a composição, e gravação, do seu primeiro álbum a solo. “Desafio” é uma junção perfeita do cancioneiro popular com músicas originais, sendo ainda possível encontrar sonoridades pop/rock facilmente reconhecíveis, mas com uma roupagem completamente inesperada. Aqui o tom é meio de convite, meio de provocação, num misto de emoções e sentimentos que arrebatam todos os que partilham o gosto por esta arte a que chamamos de música.

 

Atualmente Paulo Bastos frequenta o Mestrado em Cavaquinho Português na vertente de Performance, na Universidade de Aveiro. De notar que este Mestrado é o primeiro, e único, a nível nacional, dedicado apenas e só a este instrumento, sendo completamente inovador por permitir desbravar caminho na vertente da investigação académica.

 

Este é um passo importante que vai permitir ao instrumento evoluir bastante e que valoriza de forma incontornável a cultura e tradição portuguesa.

 

 



publicado por olhar para o mundo às 21:13 | link do post | comentar

 

Letra

 

Não encontrei a letra desta música

 

 

 



publicado por olhar para o mundo às 17:13 | link do post | comentar

bussaco.jpg

 

 

Sábado, 20 Maio, 21h30
Convento de Santa Cruz - Mata Nacional do Bussaco - Luso, Mealhada
"On the Road" com Tiago Gomes e Tó Trips 

 

Tó Trips, dos Dead Combo, e o escritor Tiago Gomes juntaram-se em palco pela primeira vez no final de 2007 para uma improvisação para guitarra e voz em torno do livro de Kerouac, por ocasião dos 50 anos da sua publicação. Desde então, os dois artistas realizaram inúmeras actuações por todo o país, onde foram experimentando ambientes musicais tendo por base a escrita de Kerouac.

A viagem desta dupla portuguesa pela emblemática obra de Jack Kerouac encontra agora o espaço mágico do Convento de Santa Cruz, na Mata Nacional do Bussaco, para ser ouvida à meia-luz no dia 20 de Maio

 

Mata Nacional do Bussaco - Luso, Mealhada
 bilhetes: €5 concerto | entrada na mata gratuita
info/reservas:
comunicacao@fmb.pt / T. 231 937 000 ou 13barra27@gmail.com / T. 913 149 816

 

 



publicado por olhar para o mundo às 12:13 | link do post | comentar

 

Letra

 

Querem voltar a ver-me na batida
E a levar corrida dos bófias
Esquivar dumas bofas
Pena que na altura um homem ainda nao tinha sósias
Se achas que eu tou-te a dar música
Então tira a prova dos Nove
E as outras pessoas que tiverem duvidas
Sh sh, evitem perguntas óbvias
Quando eu te digo que tenho as costas grandes
Boy, eu não tou a fazer o V
Tás a fazer o que?
Catujal stand up stand up
Respeitem mais o vosso boss
Polaroids em cima do nosso cross
Eu não dou pra basofe boss
Até ter em minha posse o dobro do vosso cofre
Perguntar se eu tenho um ego big
São pelo menos 4 digitos, um head lip
Tou na gordura tipo fas food
Sabes qual é a mistura
Ao mínimo gesto rude
Sê honesto fala de mim como uma lenda concreta
Anunciei um projeto novo e tenho a agenda completa
Fica olhar para o calendário embora a casa não perca o teu salário
Isso é só mais uma vasa na lergama
Ponho na catota arame na batota
Tropa nota para mim é payday
ei, ei, para mim é payday
Todo o santo dia para mim é payday
"Mudafuckas" é só fotocópias
Quem eu? nah, eu tenho fotos próprias
Para mim é payday
Todo o santo dia para mim é payday (6x)
Sabes o que eu tou a fazer? Payday
Memo que um homem teja em lazer? Payday
Olá como está muito prazer. Payday
Todo o Santo dia para mim é payday
Wow, se eu digo feel
Maneiras de arranja-lo eu consigo mil
Eu ponho os dados a fazer um windmill
"Mudafucka" não é big deal
Abre a bagageira do meu bote, tits
Várias hospedeiras no meu cockpit
Qualquer uma delas da-me o toque, Nico
Tu não és o richie, we don't talk sweet
Duma maneira ou de outra não ha nada que resista
Muito antes de eu ter sido capa de revista
Tu vê o que a data regista
Eu nunca perdi o saco da paca de vista
Desde a primeira jornada
Vi aparecer haters do nada a tentar destruir uma carreira formada
Até me verem com a algibeira jardada
Fuck a hater, hater
Boy a minha turma toda cheira a paper
De segunda a segunda feira
Sempre em cima do contrabando tipo que sou da feira
Eu nunca saio de casa sem 100
Disseram rimas pesadas quem tem tem
Eu só posso falar daquilo que eu sei bem
É que todo o santo dia para mim é payday
"Mudafuckas" é só fotocópias
Quem eu? nah, eu tenho fotos próprias
Para mim é payday
Todo o santo dia para mim é payday (6x)
Sabes o que eu tou a fazer? Payday
Memo que um homem teja em lazer? Payday
Olá como está muito prazer. Payday
Todo o Santo dia para mim é payday

 

Single "Pay Day" - incluido no álbum "Ouro Sobre Azul"
Produzido por Sam the Kid
Mix & Master Here`s Johnny

 



publicado por olhar para o mundo às 10:13 | link do post | comentar

Isaura.png

 

Isaura estreia novo single “I Need Ya”

Na próxima quarta-feira, 17 de Maio, Isaura revela “I Need Ya”, o primeiro single daquele que será o seu álbum de estreia, com data de lançamento agendada para os primeiros meses de 2018 e que marca o início de uma nova fase na sua carreira, e da sua relação com a Universal Music Portugal.

I Need Ya” foi escrito e composto por Isaura, e co-produzido pela artista em parceria com Kking Kong (‘Agulha no Palheiro’ de Carlão, ‘Erro’ de Diogo Piçarra, em co-produção com Branko). Também no dia 17 de Maio pelas 19h estreará o videoclipe no seu canal Vevo: IsauraVEVO. O vídeo foi realizado e produzido por Liliana Ramires.

Sobre a canção Isaura diz:

“Na maioria das vezes sabemos exatamente aquilo de que precisamos e insistimos em procurar onde sabemos que é garantido não encontrarmos; a I Need Ya fala sobre este ciclo vicioso a que só nós podemos ditar o fim.

É uma saída à noite vazia, breve, passageira, fútil; como se procurássemos ofegantemente qualquer coisa, uma sensação ou alguém que só vive de dia e que não está nem nunca estará ali. A I Need Ya é o que de nós já viveu de amores bêbedos e sem nome; é estar entorpecido, é estar adormecido para a vida.”

Também o artwork da capa do single tem uma mensagem:

“O copo de água representa o controlo e a racionalidade; a possibilidade de escolher, sempre. Enquanto as persianas ligeiramente entreabertas, que terão continuidade nos singles que serão extraídos deste primeiro disco, representam um mundo finito, um grupo de canções e sonoridade que fazem sentido agora e que põem a descoberto mais uma forma de ser da Isaura. No entanto sabe-se à partida que este trabalho é temporário e que não implica uma continuidade; da mesma forma que todos nós nos modificamos irremediavelmente a cada segundo. Este álbum será também um resultado de várias modificações desde ‘Serendipity’ e do começo de tantas outras.”

 

Isaura estreou-se em dezembro de 2014 com a música “Useless”, cujo videoclipe recebeu mais de 120.000 visualizações no YouTube e chamou a atenção para uma das revelações nacionais dos últimos anos.

Seguiu-se “Change It”, editado pela Universal Music Portugal, ao abrigo da parceria com a plataforma Tradiio. “Change It” reforçou a surpresa, tendo conquistado mais de 170.000 visualizações e antecipado a edição do EP “Serendipity”, em Maio de 2015.

Serendipity” foi acarinhado pelo público e conquistou rapidamente lugar de destaque na plataforma Tradiio, que a levou a apresentar-se ao vivo no Super Bock Super Rock.

Durante o ano de 2016 Isaura foi-se afirmando no mercado nacional, marcou presença no Rock in RioNOS AliveBons SonsMED, entre outros festivais e foi nomeada na categoria
Revelação” na última edição dos Portugal Festival Awards.

Pelo meio, dividiu palco com Francis Dale numa tour com 13 datas que esgotou espaços como o Lux (Lisboa), Hard Club (Porto), Teatro das Figuras (Faro), Salão Brazil (Coimbra) e terminou no Lisboa Dance Festival. Fez um dueto com Diogo Piçarra, em ‘Meu É Teu’, uma gravação ao vivo que gerou mais de 2 Milhões e 800 mil visualizações no YouTube e a levou como convidada especial de Piçarra ao MEO SudoesteCCB e Casa da Música.



publicado por olhar para o mundo às 10:13 | link do post | comentar | ver comentários (1)

 

Letra

 

Não encontrei a letra desta música

 

Música - Paulo Barreto
Letra - Paulo Barreto e Tiago Correia

 



publicado por olhar para o mundo às 08:13 | link do post | comentar

Segunda-feira, 15.05.17
FESTIVAL MÚSICA VIVA 2017
o'culto da ajuda
20 a 27 Maio

 

O Música Viva é uma iniciativa integrada de fomento e divulgação da criação musical contemporânea, especialmente dedicada aos compositores e intérpretes portugueses e às relações da música com a tecnologia. O Festival Música Viva completará em 2017 a sua 23ª edição. A mostrar a vitalidade da criação musical em Portugal, num evidente confronto de ideias e estéticas, o Festival proporciona novas possibilidades de experimentação: fomentando novos espaços de expressão e de aproximação com o público, multiplicando os encontros, dando lugar a valores emergentes que apontam novos caminhos.

20.05
21h30
Pedro Neves . direcção
 
Eduardo Luís Patriarca, Ricardo Ribeiro, Pedro Rebelo, Miguel Azguime, Gérard Grisey
 
Paula Pinto . movimento e figurino; António de Sousa Dias . criação sonora e programação; Rita Casaes . criação vídeo e videomapping; José Luís Ferreira . projecção sonora
23.05
21h30
Denis Gautheyrie . direcção
 
Juan Vasquez, Jaime Reis, Mateo Romero, António de Sousa Dias, Rui Dias, Inés Badalo, Rebeca Martinez, Jean-Philippe Dequin, Enrique Muñoz, Emmanuel Nunes
 
Fernando Lapa, João Pedro Oliveira, Evgueni Zoudilkine, Sara Carvalho, Miguel Azguime, Ricardo Ribeiro, Nuno Figueiredo, Ângela da Ponte
 
Carlos Caires e José Luís Ferreira . direcção e coordenação
 
________
Rui Torres . concepção
 
________
Adam Stansbie, Konstantinos Karathanasis, Jaime Reis, João Castro Pinto
 
________
Roberto Palazzolo . premiado concurso Música Viva 2016
 
Paulo Ferreira-Lopes
 
________
Miguel Álvarez-Fernández
 
 
Ricardo Ribeiro. direcção artística
 
Miguel Azguime, Alberto Posadas, Alexander Schubert, Pedro Junqueira Maia
 
 


publicado por olhar para o mundo às 23:13 | link do post | comentar

 

Letra

 

Não encontrei a letra ou os créditos detsa música

 



publicado por olhar para o mundo às 22:13 | link do post | comentar

ama.jpg

 

 

19 de Maio em formato digital

 

 

A banda de Santa Maria da Feira é composta por Joana Andrade e Zé Tó Lemos.

“Ama” é o segundo single dos A.M.A.

Os A.M.A. desafiam a criatividade e trabalham para lançar  uma música por mês.

 
O estilo é viciante e irresistível num universo entre os sintetizadores e as melodias de piano. As letras, retratam essencialmente histórias de amor com as duas vozes em uníssono num timbre único e original. Uma verdadeira viagem pela Eletrónica, Pop, R&B.

 

Uma aposta forte para qualquer SunSet Festival ou indoor.

Estejam atentos aos A.M.A.!

 

 



publicado por olhar para o mundo às 21:13 | link do post | comentar

 

Letra

 

Nau nau ka nhôs stranham
Mi ê si ki-m fêtu ê Nhôr Déus qui fazem si

Nha boka ka sabi lixonxa
Nha guenti N ka kria na roda di brancos

Sodadi nha kutelu, sodadi Macati
Na mundu N ka podi tchora

Dexa kusas sima sta
Mi ti ki-m intchi N ta pupa nta rabenta pam

Ia ia ia ia Tina Preta
Oi nha guenti na mundu N ka podi mas

Ia ia ia ia Djon di mundu
Fla Macati ma sodadi ta matam

Ia ia ia ia Tina Preta
Djosé flam pa-m flau ma sodadi sta mata'l

(Lura) Zéca bô ê di undi?
(Zéca) A mi é di undi go?

(Lura) Bom a mi nha pai ê la di Mato Baxu, la di fora!
(Zéca) Dému Nhô!!!

M'Bem di fora oi
M'Bem di fora oi
M'Bem di fora oi
M'Bem di fora

M'Bem di fora oi
M'Bem di fora oi
M'Bem di fora, di fora, di fora

 



publicado por olhar para o mundo às 17:13 | link do post | comentar

cpjazz combo.jpg

 

 

CPJAZZ COMBO
Sextas abertas a escolas de formação musical
Concerto

Local:  Auditório 2
Data/Hora:  Sex. 19 de maio de 2017 às 21:45


Preço: 2,5 / 2 €

A Acert acolhe a excelência, credibilidade e exigência do ensino artístico da música no Conservatório de Música de Coimbra
 
referência nacional pela excelência, credibilidade e exigência do seu ensino, estes coletivos surgem como forma de proporcionar experiências performativas, no âmbito do pequeno ensemble, aos alunos do curso profissional do Conservatório de Música de Coimbra. Quebrando as barreiras da disciplina de combo, estes alunos “enfrentam” o grande público, oferecendo o que de melhor têm vindo a aprender na sua jornada épica de descoberta do Jazz.

Rui Lúcio (Coordenador do Curso Profissional de instrumentista de jazz do CMC)
É licenciado em Música, variante Jazz, pela Escola Superior das Artes e Espetáculos do Porto, e mestrando em Ensino de Música na Universidade de Aveiro. Iniciou os seus estudos musicais aos 14 anos, no Conservatório de Música de Coimbra. Para além da vertente erudita, cedo começou a interessar-se por outros géneros, onde trabalhou com destacados “mestres” nacionais e internacionais.

Bilhete: 2,50€ · Associado: 2€


Ficha Técnica


Paulo Silva: Bateria
Duarte Ventura: Vibrafone
Xavier Sousa: Baixo
Nuno Rodrigues: Trompete



publicado por olhar para o mundo às 12:13 | link do post | comentar

 

Letra

 

Não encontrei a letra desta música

 



publicado por olhar para o mundo às 08:13 | link do post | comentar

Domingo, 14.05.17

CapaPORTUGUESE_R&MGUIDE_logoFundoPreto.jpg

 

Livro de bolso A Portuguese Rock and Metal Route – The Underground Guide já em pré-encomenda

 

Lisboa, 11 de maio de 2017 – já se encontra disponível para pré-encomenda o livro de bolso A Portuguese Rock and Metal Route – The Underground Guide, de Dico. A obra estará disponível a 7 de junho de 2017.

 

Como o nome sugere, A Portuguese Rock and Metal Route – The Underground Guide é um livro redigido em Inglês, cujo principal público-alvo são os turistas nacionais e estrangeiros.

 

Neste livro de bolso com 60 páginas reúnem-se informações, contactos e descrições de festivais underground, bares, salas de espetáculos, estúdios de tatuagens, lojas de discos, estúdios de gravação, salas de ensaios e concentrações motard em Portugal. Tudo locais e eventos de visita obrigatória!

 

O objetivo deste livro de bolso é, assumidamente, que os turistas que viajam em e para Portugal ao longo de todo o ano façam um roteiro do Rock e do Metal, adquirindo discos, fazendo tatuagens e/ou piercings, assistindo a festivais e a concertos, participando em concentrações motard, visitando os mais emblemáticos bares de Rock e Metal ou adquirindo merchandise.

 

Mas o livro vai ainda mais longe: sabendo que entre os fãs de Rock e Metal há numerosos músicos, A Portuguese Rock and Metal Route – The Underground Guide sugere alguns locais onde os artistas que têm saudades de tocar, ensaiar, compor ou gravar poderão fazê-lo.

Em suma, este livro de bolso celebra a cultura e o estilo de vida do Rock N’Roll e do Metal, incentivando os fãs/turistas a fazer um circuito alternativo em Portugal.

 

A obra não está à venda em lojas ou livrarias, podendo ser exclusivamente adquirida online, diretamente através do autor. Os pedidos devem ser feitos para rock.metal.projeto.2017@gmail.com

 

Sobre o autor

Dico é jornalista freelancer. Foi editor dos periódicos PCMais, ANA Aeroportos, Logista News e Prime Negócios. Fundou os influentes blogues Metal Incandescente, A a Z do Metal Português e Reflexões Musicais. É autor do primeiro livro alguma vez escrito sobre o Metal português, Breve História do Metal Português. Foi o primeiro coach musical profissional no País.

Na última década escreveu artigos de opinião e crónicas para mais de 30 sites, e-magazines, revistas e blogues. Foi baterista de grupos como os Dinosaur ou sacred Sin, tendo com eles gravado os clássicos Dinosaur (demo-tape) e Darkside, respetivamente. Fã de Metal há 35 anos, está envolvido no Underground há 33. Tem 46 anos. É casado e tem um filho.

 

 



publicado por olhar para o mundo às 23:13 | link do post | comentar

 

Letra

 

Desencontro

Desencontro
Desconcerto
Desacerto
Puro assombro
Desalento
De um reverso
Que eu acerto
no teu ombro
Que me ampara
Sem demora
Se o meu pranto
se prolonga
Se o meu canto
Se elabora

Recolhes sem um lamento
Com o sorriso que é teu
Os pedaços deste caos
Do que sou, de quem sou eu
E me cumpre desvendar
Para que a minha dor se apague
E o meu abraço se alongue
Só com leveza te afague

E mesmo que estejas longe
Eu seja a estrela que brilha
no fundo do teu olhar
Por mais que o mundo te pese
E o sonho tarde em chegar..

Letra: Teresa Salgueiro
Música: Teresa Salgueiro | Rui Lobato, Óscar Torres, Marlon Valente | Graciano Caldeira



publicado por olhar para o mundo às 22:13 | link do post | comentar

rafael lapa.jpg

 

 

“ISTO NÃO É ROCK”, O CALMANTE SONORO DE RAFAEL LAPA

 

Perante o constante caos em que habitamos pode tornar-se difícil respirar fundo e parar, nem que seja por breves instantes. Rafael Lapa dá o seu precioso contributo com “Isto Não É Rock”, autêntico calmamente sonoro revestido de pop experimental.

 

Com este novo single Rafael Lapa demonstra uma vez mais que é figura de proa entre os mais hábeis representantes da música alternativa nacional. Através do selo da Music For All já editou o seu disco de estreia, “Nem Tudo É Real”, assim como o single de apresentação sob o mesmo título.

                                                                                                    

Viseu é não só a segunda maior cidade da zona Centro, logo atrás de Coimbra, como também a capital do respectivo Distrito. Entre os seus filhos mais ilustres contam-se homens e mulheres das mais variadas áreas, sendo que, a partir de agora, esse leque de personalidades está prestes a aumentar. É que por entre a adesão de oficial de Portugal à então CEE e o escândalo do Mundial do México’86 nasceu Rafael Lapa.

 

Desde cedo que a música o fascinou, acalentando secretamente o desejo de também ele, um dia, pisar os palcos e cantar perante multidões. Aos seis anos dá um pequeno grande passo rumo ao seu objectivo quando inicia o seu percurso no conservatório. A música ocupou sempre uma grande parte da sua vida, dividindo a infância e juventude entre o piano clássico e a guitarra Jazz.

Ao longo dos últimos anos colaborou com várias bandas e projectos, tendo subido inúmeras vezes a palco para acompanhar talentosos amigos e colegas de profissão um pouco por todo o país.

Aos 30 anos de idade surge finalmente a sua primeira aventura a solo: “Nem Tudo É Real” é o título do seu disco de estreia, sendo de esperar um conjunto de temas onde a forte mensagem combina na perfeição com melodias cuidadas e relaxantes, num autêntico cruzamento de influências pop, jazz e experimental, onde a língua portuguesa é a força motriz.

A edição é da responsabilidade da Music For All, selo que tem no seu catálogo alguns dos mais promissores projectos nacionais e internacionais da actualidade!

 

 



publicado por olhar para o mundo às 19:13 | link do post | comentar

 

Letra

 

Não encontrei a letra desta música

 



publicado por olhar para o mundo às 17:13 | link do post | comentar

 

Letra

 

Não fazes favor nenhum em gostar de alguém
nem eu
nem eu

nem eu
quem inventou o amor nao fui eu
nao fui eu
nao fui eu
nao fui eu nem ninguém
o amor acontece na vida
estavas desprevenida
e por acaso eu também
e como o acaso é importante querida
de nossas vidas a vida fez um acaso também
nao fazes favor nenhum em gostar de alguem
nem eu
nem eu
nem eu
quem inventou o amor nao fui eu
nao fui eu
nao fui eu
não fui eu nem ninguém

 



publicado por olhar para o mundo às 14:13 | link do post | comentar | ver comentários (1)


Quer ver a sua banda ou espectáculo divulgados aqui?,
envie um email para: olharparaomundo (arroba) sapo.pt
Se tem alguma letra que eu não tenha encontrado, pode enviar para o mesmo email
mais sobre mim




posts recentes

Joana Rios apresenta "Fad...

TIME FOR T - WAX

Esquece - Tema de WAZE co...

CELINA DA PIEDADE E MILI ...

Salvador Sobral - Under T...

É ele que me canta a mim ...

Músicos portugueses compõ...

JOÃO GIL - Tudo Contigo

Indignu - 25 maio (CCC Ca...

The Dowsers Society - Rai...

arquivos

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

tags

todas as tags

links
comentários recentes
Um clássico de Amália Rodrigues, e não do A.Marcen...
Mt fixe mano. Nao conhecia mas vou comecar a ouvir...
Www.instagram.com/fans_isaura_randomly
Esta música é lindíssima *.*
Tiamo Muito Meu Mundo
Olá gostava de saber quanto é o bilhete no dia dos...
Obrigada.E eles não têm editora, foi uma edição de...
LauraAgradeço o seu comentário, e prometo que em b...
Lamento comentar aqui, mas não sabia onde pôr.Quer...
Essa musica é muito bonita e para além de mais me ...
Posts mais comentados
blogs SAPO
subscrever feeds