Domingo, 31 de Julho de 2016

andanças.php

 

 

Entre 1 e 7 de Agosto, a Barragem de Póvoa e Meadas, em Castelo de Vide, volta a acolher cerca de 40.000 visitantes para celebrar mais uma edição do Festival Andanças.


A Associação PédeXumbo provocando encontros entre práticas tradicionais e artes emergentes, convida a um olhar criativo sobre arte e sociedade.


Na edição do Andanças 2016, consolidam-se os Pilares e os objetivos do festival, melhora-se o espaço e criam-se mais infraestruturas.


A programação continua extensa e diversificada, com cerca de 80 atividades por dia, permitindo que cada participante crie o seu próprio percurso dentro do festival.

Conheça toda a programação


• Este ano, o espaço Andanças contará com 10 palcos com atividade em simultâneo. 6 palcos serão especialmente destinados às oficinas de dança e aos bailes; 3 palcos para concertos e 1 palco para a programação destinada a crianças e famílias.

• Haverá mais de 50 grupos e projetos musicais a animar as 7 noites de bailes e concertos, num programa que junta nomes do Folk Europeu como os russos Dobranotch, os catalães Oques Grasses, os bascos Korrontzi, os franceses Ormuz, os belgas Broes Quintet, os portugueses Celina da Piedade, Toques do Caramulo, Galandum Galundaina, Sebastião Antunes, Pedro Mestre, entre muitos outros. No programa entram também vários projetos que foram crescendo com o Andanças, como A Batalha do Modesto Camelo Amarelo, Aqui há Baile, B’rbicacho, Naragonia, Parapente700. Conta-se ainda um grande número de grupos locais, como os Tók e Ródão ou a Banda União Artística de Castelo de Vide, fortalecendo os laços entre o festival e a comunidade.

• As danças do Mundo continuam a ser a essência do Andanças. Este ano entre as mais de 100 oficinas de dança, as sugestões propostas irão transportar os participantes ao ritmo dos seus passos entre países e sonoridades distintas. Saias, Valsas Mandadas, Fandango, Chamarritas, Viras Minhotos, Mazurcas, Tarantellas, Valsas, Kizomba, Semba, Funaná, Coladera, Samba, Cha-cha-cha, Tango, Tap Dance, Dabkas, Dança Sufí, entre tantas outras.

• Nas 8 oficinas de instrumentos, os participantes poderão experimentar e aprender vários instrumentos de percussão, gaitas de foles, cordofones, a título de exemplo;

• O espaço do Festival, no vale da Barragem onde a natureza é a protagonista, acolherá também diferentes instalações artísticas que desafiam entrosamentos entre arte, expressão e natureza, questionando o papel e a relação com o meio que nos rodeia.

• As mais de 60 atividades direcionadas a crianças e famílias incluem oficinas de dança – Capoeira, Africanas, Portuguesas, do Mundo, Urbanas –, assim como teatro, circo, oficinas criativas e de instrumentos, sessões de contos e oficinas de relaxamento.

• Pensando no corpo como um todo em harmonia, estão programadas 46 atividades de relaxamento, meditação e desenvolvimento pessoal, que complementam cada dia de oficinas, concertos, bailes e passeios. Yoga, Qi Gong, Massagem Ayurvédica, Tai Chi a pares, Biodanza, são algumas entre muitas outras propostas;

• Há ainda mais de 95 Atividades Paralelas, como oficinas de artes plásticas, passeios pela região, oficinas de gastronomia, de artes e ofícios, conversas, cinema, sessões de contos, circo e teatro.

 

Retirado de Antena 1



publicado por olhar para o mundo às 21:13 | link do post | comentar

 

Letra

 

Não encontrei a letra desta música

 



publicado por olhar para o mundo às 17:13 | link do post | comentar

paredesdecoura.png

 

De 13 a 16 de agosto, o Vodafone Paredes de Coura sobe à vila para dar as boas-vindas a todos os que chegam mais cedo àquele que já é um destino de férias obrigatório para muitos. Antes da abertura oficial de portas da 24.ª edição do festival, Paredes de Coura recebe mais de uma dezena de bandas e DJs, numa iniciativa que reforça a ligação do festival com a vila que o acolhe. Mais do que um festival, o Vodafone Paredes de Coura é uma semana de férias num cenário idílico e no melhor campismo dos festivais nacionais.

 

Dia 13 de Agosto, a programação arranca com os norte-americanos The BellRays e a receita de blues, punk, rock e R&B que a vocalista Lisa Kekaula e o guitarrista Bob Vennum têm vindo a aperfeiçoar desde que surgiram, em Riverside, nos anos 90. AoR&B dos californianos junta-se o som enérgico e furioso das irmãs Maria e Júlia, dasPega Monstro, e ainda a flexibilidade e coerência de DJ Lynce, conhecido pelos seus sets que saltam entre o techno, house, noise e ritmos quentes.

 

Para aquecer o dia 14 de Agosto, os Paraguaii trazem “Scope”, o álbum de 2016 que sucedeu ao primeiro EP da banda. A noite fica completa com a actuação dos Galgo, quarteto de Oeiras que tem vindo a ganhar cada vez mais relevo no panorama nacional, e com o DJ set de Joaquim Quadros, conhecido locutor da VodafoneFm, que estende esse trabalho à apresentação ao vivo de playlists mais pessoais e abrangentes.

 

Nuno Rodrigues, também vocalista dos Glockenwise, sobe à vila no dia 15 de Agosto, com Duquesa, projecto onde explora, no seu modo irreverente, a sensibilidade e a folia juvenil. Ao barcelense junta-se o eclectismo suave dos Time for T, que, de Brighton para Paredes de Coura, viajam por histórias e experiências com sons que vão desde o folk ao reggae, passando por várias outras referências, e ainda a actuação de DJ Bitch Boys, com uma revolucionária e contagiante selecção de música.

 

Dia 16 de Agosto, o público do Vodafone Paredes de Coura é recebido pelos Quelle Dead Gazelle, onde a guitarra do Pedro Ferreira e a bateria de Miguel Abelaira fundem os ritmos africanos e os sons da desconstrução da aventura pós-rock e apresentam “Maus Lençóis”, o primeiro álbum. A última noite de Sobe à Vila conta também com Imploding Stars, banda inserida no panorama do pós-rock português, que reflecte em “A Mountain and a Tree” uma nova jornada no espaço e no tempo. De Coimbra chega ainda o DJ A Boy Named Sue, nome conhecido de quase todos os clubes e cidades portuguesas, capaz de transformar o set numa autêntica máquina do tempo que cria ligações entre os grandes clássicos e as novas formas de música de hoje.

 

A 24ª edição do Vodafone Paredes de Coura arranca oficialmente a 17 de Agosto com Unknown Mortal Orchestra, Minor Victories, Orelha Negra, Best Youth e We Trust ft. Coura All Stars. Até 20 de Agosto vão passar pela praia fluvial do Taboão nomes como LCD Soundsystem, Sharon Jones & The Dap-Kings, Cage The Elephant, The Vaccines, Chvrches, Portugal. The Man, Cigarettes After Sex e The Tallest Man on Earth.

 

Os passes gerais para a 24.ª edição do Vodafone Paredes de Coura podem ser adquiridos no site oficial do festival e ainda em BOL.pt, Ticketscript, Seetickets, Masqueticket e locais habituais (FNAC, CTT, El Corte Inglés, Worten,...) pelo preço de 90,00€. Está também disponível em exclusivo na FNAC o pack Renex Vodafone Paredes de Coura 2016 que inclui o passe geral para o festival e um voucher de viagem em autocarro Renex de ida e volta a partir de Braga, Porto, Coimbra, Lisboa e Algarve. Os bilhetes diários estão também disponíveis, a 45€, no site oficial do festival, BOL.pt e locais habituais.

 

retirado de Palco Principal



publicado por olhar para o mundo às 12:13 | link do post | comentar

 

 

Letra

 

On the rain, she fell
Despite the heat felt
Despite the sun that melts
And filled my lake with tears

She came so fast
I thought I'd drown my past
Beneath her depth
But she was just a puddle.

Just a puddle.

As the rain fell down
All the words started fading out
Like a pain that goes away
And washed my soul.

Washed my soul.

 



publicado por olhar para o mundo às 08:13 | link do post | comentar

Sábado, 30 de Julho de 2016

boom.jpg

 

 

O BOOM FESTIVAL está de volta aos cerca de 150 hectares da Herdade da Granja, em Idanha-a-Nova, entre 11 e 18 de agosto. A 11.ª edição do evento que, de dois em dois anos, transforma a margem direita da Albufeira de Idanha no paraíso na terra, conta este ano com boomers de 154 nacionalidades – mais que em 2014 –, recebendo como país convidado o Japão, para o qual foram disponibilizados 500 ingressos gratuitamente. Os Franceses são os que estarão em maior número.

 

O evento bienal de cultura independente que, desde 1997, se realiza em agosto é uma referência internacional. Multidisciplinar, transgeracional e intercultural, o Boom foi considerado em abril deste ano pelo jornal britânico The Guardian um dos 10 melhores festivais deste ano na Europa e pela norte-americana Rolling Stone como um dos sete mais espetaculares acontecimentos transformacionais do mundo. O festival português surge associado a eventos internacionais como “Burning Man” (Nevada, EUA), “Beloved” (Oregon, EUA) ou “Secret Solstice” (Islândia).

 

O Boom Festival cruza diversas correntes artísticas – pintura, escultura, land art, instalações interativas, música, videoarte ou artes plásticas – complementadas por um vasto cartaz de conferências, workshops, tertúlias e apresentações ligados a temas alternativos.

 

Bilhetes pessoais e intransmissíveis

 

“Shamanism” é o tema do Boom Festival 2016 que, entre outras novidades, este ano, decidiu limitar ainda mais o número de bilhetes com o intuito de manter o sentido de familiaridade e conforto. Assim, a organização alerta: “Os bilhetes online estão esgotados e não existem mais disponíveis. Para evitar esquemas e mercado negro de bilhetes, todos os ingressos são pessoais e eletrónicos” e o acesso ao festival “requer um documento de identificação oficial com foto ou passaporte para confirmação de identidade com os dados do bilhete”.

Assim, a todos os que não conseguiram adquirir bilhete, a organização do Boom recorda que não vale a pena deslocarem-se ao recinto na expectativa de conseguirem ingresso, pois, além de não haver bilheteira, a personalização dos mesmos impede esquemas fraudulentos.

Mais conforto e ecologia na 11.ª edição

 

São várias as novidades nesta 11.ª edição, mas todas visam incrementar as condições de conforto e de familiaridade do festival, bem como as medidas “verdes”, pelas quais o Boom Festival tem vindo a ser sucessivamente premiado.

 

Além da melhoria de condições na área de restaurantes, WC e chuveiros, esta edição contará com uma nova área de restaurantes e lounge para campistas e caravanistas. Uma nova zona dedicada Organizações Não Governamentais, e ainda, um novo espaço dedicado a dança, onde diariamente haverá sessões e shows. Também os pequenos boomers, com idades entre 3 e 12 anos, contarão com uma nova área.

 

A organização conta com cerca de 190 autocarros que vão fazer o transporte de pessoas entre os aeroportos de Lisboa e de Madrid e Idanha-a-Nova e haverá também autocarros a fazer a ligação a partir de França (Paris), Suíça (Genebra) e Holanda (Amesterdão).

O programa encontra-se acessível em www.boomfestival.org.

 

Retirado de Palco Principal



publicado por olhar para o mundo às 21:13 | link do post | comentar

 

 

Letra

 

Não encontrei a letra desta música

 



publicado por olhar para o mundo às 17:13 | link do post | comentar

Funk ID_promo.JPG

 

 

”BULLSHIT”, O NOVO SINGLE DE FUNK I.D.

 

O rapper Funk I.D. apresenta “Bullshit”, monumento à integridade artística e hino de resiliência contra as agruras da vida e os desmoralizadores do dia-a-dia.

 

Este é o primeiro passo que o jovem MC dá a solo, depois de vários trabalhos colaborativos e independentes. O single será o cartão de visita do EP “Ideias à Prova de Bala”, que lançará digitalmente em agosto próximo com o selo da Music In My Soul.

                           

Funk I.D. é o nome de código de Ruben Almeida, um artista de Odivelas bastante versátil que se constrói a partir de variadas influências, criando a sua identidade a partir destas. Apresenta-se como rapper apesar de a sua música ser muito mais do que isso. Tenta conjugar a sua experiência no rap com a de artistas de outros géneros de forma a criar algo novo e que não imponha barreiras à criatividade.

 

Nas letras que escreve estão impressas experiências, vivências, opiniões, desgostos ou alegrias, tudo aquilo que está a sentir em determinado momento. Tem como objetivo fazer chegar a sua música ao maior número de pessoas possível, mas sem nunca mudar a sua identidade.

 

Começou por escrever letras e só mais tarde passou a recitá-las para o microfone. A música que faz pretende passar sempre uma mensagem positiva e fazer com que quem a oiça se identifique com ela de algum modo.

 

Neste momento, para além de uma maquete que foi o começo desta aventura em 2008, já conta com 4 trabalhos editados digitalmente e inúmeras participações e colaborações com outros artistas. Já deu vários concertos, principalmente de promoção dos seus trabalhos editados.

 

É um artista que pretende deixar o seu cunho na música nacional, principalmente no movimento hip hop. Para isso vai trabalhar sempre a 200%, como tem feito até agora. O importante é superar os obstáculos, acreditar naquilo que se faz e nunca desistir. Sempre envolvido em novos projectos, Funk I.D. está a trabalhar no seu primeiro trabalho a solo.

 

 



publicado por olhar para o mundo às 12:13 | link do post | comentar

 

 

Letra

 

Não encontrei a letra desta música

 



publicado por olhar para o mundo às 08:13 | link do post | comentar

Sexta-feira, 29 de Julho de 2016

 

Letra

 

when i was young, you were in my heart
now that i’m old, you are in my mind
when i was young, i loved you so
now that i’m old, you’re just a memory that goes, goes home.

when i was young i had so much time
now that i’m old, i see it passing by
when i was young, i feared my death
now that i’m old, i think it’s coming back
to take me home
wherever we go, it’s just what i would like to know
just want to cross, one last door
and then will be the last time, that i do so

credits

from Basset Hounds, released October 12, 2015

 



publicado por olhar para o mundo às 17:13 | link do post | comentar

 

shawn_mendes_album_is_titled_illuminate.jpg

 

 

Shawn Mendes lança vídeo de “Ruin” e revela alguns segredos

Single “Treat You Better” entrou para o top 5 da tabela Global Spotify com 2,7 milhões de streams diários.

 

À medida que se aproxima a data de lançamento do novo álbum de Shawn Mendes, o mais maduro “Illuminate”, que será editado a 23 de setembro, o cantor também vai revelando, a pouco e pouco, alguns dos segredos que farão parte deste tão aguardado disco, que está em pré-venda no iTunes.

 

Depois do primeiro single “Treat You Better”, que acaba de entrar para o top 5 da tabela Global Spotify com 2,7 milhões de streams diários e que chegou ao top 10 da tabela de airplay pop dos EUA, agora Shawn Mendes revela um novo vídeo retirado deste “Illuminate”, para a canção“Ruin”, que já lhe valeu várias comparações a John Mayer. No vídeo podemos ver o cantor canadiano sozinho no centro do Madison Square Garden, em Nova Iorque, munido apenas da sua guitarra.

 

“Mendes afirmou-se firmemente no mundo pop/rock”, escreveu recentemente a revista  Fader , que refere ainda: “Nas suas novas canções existem muitos temas sobre desilusões amorosas e promessas de que [ele] ficará ao teu lado”.

 

Será no Madison Square Garden que Shawn Mendes vai revelar as novas facetas de “Illuminate”, a 10 de setembro, num espetáculo que proporcionará uma experiência muito mais íntima com os seus fãs. Este espetáculo já se encontra esgotado.

 

Antes de chegar a estes grandes palcos sozinho, o cantor já tinha acompanhado a cantora Taylor Swift, na sua digressão de verão de promoção a “1989”, uma experiência que o cantor definiu recentemente ao Huffington Post como “fenomenal”. “A coisa mais importante que aprendi com ela, além do trabalho de produção, da performance e do canto, foi perceber como fora dos palcos ela é tão doce e trabalha tão arduamente”, afirmou.

 

“Illuminate” é editado a 23 de setembro , mas para quem o adquirir no regime pré-venda do iTunes recebe gratuitamente esta sexta-feira o tema “Three Empty Words”, a 19 de agosto a canção “Mercy” e a 16 de setembro o tema “Don’t Be A Fool”.

 

 

 

 



publicado por olhar para o mundo às 12:13 | link do post | comentar

 



publicado por olhar para o mundo às 08:13 | link do post | comentar

Quinta-feira, 28 de Julho de 2016

musicajunior.jpg

 

 
O FOLK E O ÉTNICO NO UNIVERSO ERUDITO é o tema deste ano e o cartaz conta com um dos violinistas internacionais mais aclamados neste género - GILLES APAP, sendo o anfitrião dos concertos finais André Cunha Leal. Nos espectáculos de encerramento destacamos Tzigane de Ravel, Zigeunerweisen de Pablo Sarasate e o reportório para a grande orquestra Béla Bartók, Aron Copland, Brahms, Kachaturian, entre outros.

As formações que irão ser organizadas para estes concertos, serão exactamente as mesmas das edições anteriores: Coro, Big Band, Orquestra Juvenil e Orquestra Sinfónica.
 
 
Concertos de Encerramento do ESTÁGIO DE VERÃO - FESTIVAL MÚSICA JÚNIOR

Montalegre| 29 de Julho | 21:30H | Auditório Multiusos de Montalegre – entrada livre

Santa Maria da Feira| 31 de Julho | 18:00H | EuroParque – 10€


 www.fmj.pt


publicado por olhar para o mundo às 19:13 | link do post | comentar

 

Letra

 

As time goes by
We say goodbye
That will be the last time
That we say goodbye
As time goes away
I tend to say
Eventhough you’re away
I still, find your trail

There she goes, goes away, in the sun
All she leaves is the shadows that black my day
There she goes, goes away, in the sun
All she leaves is the shadows that won’t go away

As time goes by
We say goodbye
That will be the last time
That i see your eyes
As times goes away
I’m washed out
Eventhough you’re away
I’m still figuring it out

There she goes, goes away, in the sun
All she leaves is the shadows that black my day
There she goes, goes away, in the sun
All she leaves is the shadows that won’t go away

There she goes, goes away
Finds a home, there she stays
There she goes (i think i wanna stay)
Goes away (don’t wanna go today)
Finds a home (i think i wanna stay)
There she stays (don’t wanna go today)

credits

from Basset Hounds, released October 12, 2015

 



publicado por olhar para o mundo às 17:13 | link do post | comentar

 

Letra 

 

Meu amor
Ainda és tão pequenino
Mas o que eu cá dentro sinto
Já é maior que o mundo

E quando à noite
Te sentires sozinho
Eu pego na guitarra
E canto baixinho

Vou-te encher de beijos
Assim que te vir
Vou-te ter nos meus braços
De lá não vais sair

Vou-te encher de beijos
Ver-te adormecer
Quero tanto
Te conhecer

Meu amor
Não prometo perfeição
Farei o que sentir
O que disser o coração

Se mesmo assim
Pensares que errei
Um dia verás que foi
Para teu bem

Vou-te encher de beijos
Assim que te vir
Vou-te ter nos meus braços
De lá não vais sair

Vou-te encher de beijos
Ver-te adormecer
Quero tanto
Te conhecer

Se olhares para mim
Como olho para a minha mãe
Saberei no fim, que acertei
Bem mais que errei

Vou-te encher de beijos
Assim que te vir
Vou-te ter nos meus braços
De lá não vais sair

Vou-te encher de beijos
Agora que te conheci
Quero tanto
Cuidar de ti

 

 

 

 



publicado por olhar para o mundo às 11:47 | link do post | comentar

 

Letra

 

Não  encontrei a letra desta música

 



publicado por olhar para o mundo às 11:13 | link do post | comentar

rodrigoleao.jpg

 

 

Rodrigo Leão

"The Fallen": já está disponível nova canção de Rodrigo Leão & Scott Matthew com pré-venda do álbum

 

“Life Is Long”, o disco conjunto dos dois músicos, será lançado em setembro

“The Fallen” é a nova canção de Rodrigo Leão e Scott Matthew que acaba de ser disponibilizada gratuitamente com a pré-venda do álbum “Life is Long” no iTunes. Esta é já a terceira canção divulgada deste disco conjunto depois do single “That’s Life” e do inédito “Enemies”.

Até ao final de setembro serão lançados mais dois instant grats com a pré-venda do álbum “Life Is Long”. Quem fizer já a sua reserva deste tão aguardado disco recebe ainda, gratuitamente, a canção “Unnatural Disaster”, a 25 de agosto, e a 25 de setembro a última novidade, o tema “Death Defying”.

Esta é uma oportunidade única para conhecer em primeira mão algumas das novas canções que fazem parte deste encontro musical tão especial e único entre Rodrigo Leão e Scott Matthew.

Os dois músicos colaboraram pela primeira vez em 2011, quando Rodrigo Leão convidou o cantor australiano para dar voz à canção “Terrible Dawn”.

Cinco anos depois chega agora “Life Is Long”, um álbum conjunto que é também a história de um encontro improvável que provou ser inevitável, entre um compositor conhecido pelas suas melodias enlevadas e uma voz que as eleva ao patamar superior de magia.

Este álbum será apresentado ao vivo no Coliseu do Porto e no Coliseu de Lisboa, a 4 e 6 de novembro , respetivamente, no âmbito do Misty Fest. Bilhetes já à venda



publicado por olhar para o mundo às 10:13 | link do post | comentar

 

Letra

 

Oh no... yeah
Ela é a mulher mais sexy que eu ja conheci
Tem algo especial que eu nunca vi
E quando ela olhou para mim,
logo senti um aperto no meu coração
Deu para perceber que ela é meio louca
Disse que queria me beijar na boca
Vai com calma yeah
Porque o teu damo também tá aqui
Se ela disse que não quer nem saber não
Que essa noita vai ser minha mulher

Isso não vai acabar bem
Eu não sei o que ela quer mas ela consegue me dominar
Mas não vai acabar bem
Eu não sei o que ela quer por mais que eu diga que não
É dificil quando ela me diz, não vai não vai
Fica aqui comigo, não vai não vai
Ela diz no meu ouvido não vai, não vai
Fica aqui comigo não vai não vai

Ouve bem eu sou um brother discreto
Mas ainda bem que tu sabes bem quando é segredo
Esse teu corpo me desvia, tou a gostar mas não devia
Tu sabes bem que eu não podia, podia
Mas que diga a verdade é que eu quero te ter
Mas ninguém precisa saber

Isso não vai acabar bem
Eu não sei o que ela quer mas ela consegue me dominar
Mas não vai acabar bem
Eu não sei o que ela quer por mais que eu diga que não
É dificil quando ela me diz, não vai não vai
Fica aqui comigo, não vai não vai
Ela diz no meu ouvido não vai, não vai
Fica aqui comigo não vai não vai (2x)

 



publicado por olhar para o mundo às 08:13 | link do post | comentar

Quarta-feira, 27 de Julho de 2016

marafona.jpg

 

 

A MARAFONA é um quinteto acústico composto por cordófones (viola, guitarra portuguesa/cavaquinho/campaniça e contrabaixo), percussões encimadas pela voz poderosa de Artur Serra e amiúde recorre ao seu coro masculino.


Como conta histórias as canções são quase visuais e a junção tímbrica de instrumentos e a varidade de arranjos transportam-nos por um périplo de cenários musicais inesperados ou para memórias escondidas.


A MARAFONA realiza também uma viagem pelas recolhas poeirentas de textos e canções do cancioneiro popular português, colhendo do património cultural que nos define, abraçando a sua condição de povo.


Somam-se depois, necessariamente, um pouco do ser e percurso de cada músico. Encontram-se a espaços as influências de géneros musicais que marcaram as mais recentes gerações, mas vincadas numa criação de autor.


Por último, assoma-se que o périplo da MARAFONA assenta na procura de um rumo imaginário para a música popular portuguesa, um caminho de regresso à criação popular, a emergir e com ela, da esmagadora globalização.

Guitarra Portuguesa, Cavaquinho, "Braganiça", Trancanholas, Gaita de Foles -Gonçalo Almeida; Viola Clássica - Daniel Sousa; Percussões - Ian Carlo Mendoza;contrabaixo - Cláudio Cruz; Voz , Adufe, Berimbau de boca - Artur Serra

 

MÚSICA
06 AGOSTO | 22:00H
6€



publicado por olhar para o mundo às 23:13 | link do post | comentar

 

Letra

 

O meu amor tem lábios de silêncio
E mão de bailarina
E voa como o vento
E abraça-me onde a solidão termina

O meu amor tem trinta mil cavalos
A galopar no peito
E um sorriso só dela
Que nasce quando a seu lado eu me deito

O meu amor ensinou-me a chegar
Sedento de ternura
Separou as minhas feridas
E pôs-me a salvo para além da loucura

O meu amor ensinou-me a partir
Nalguma noite triste
Mas antes, ensinou-me
A não esquecer que o meu amor existe

 



publicado por olhar para o mundo às 22:13 | link do post | comentar

ritaguerra.png

 

 

Os  HMB vão partilhar o palco com Rita Guerra nos espetáculos comemorativos dos seus 30 anos de carreira! É a segunda vez que os HMB são convidados de Rita Guerra depois de, em 2013, terem tocado no CCB, no concerto "Rita Guerra e Amigos”.
 

Autores de hits como “Dia D”, “Feeling”, “Naptel Xulima” ou mais recentemente, “O Amor é Assim”, os HMB são atualmente uma das bandas que mais toca nas rádios e, indiscutivelmente, uma das mais bem sucedidas ao vivo.
 

À voz única de Rita Guerra, vai juntar-se a soul e r’n’b dos HMB, num encontro de sintonia perfeita, que promete  ser inesquecível e será, certamente,  um dos momentos altos dos concertos dos 30 anos de carreira de Rita Guerra. 


COLISEU LISBOA | 4 DE NOVEMBRO
Camarotes 1ª - €50
Camarotes 2ª - €40
Cadeiras de Orquestra - €50
1ª Plateia - €40
2ª Plateia - €35
Balcão visib. reduz. Impar/Par - €24
Balcão Central lmpar/Par - €27

MULTIUSOS GUIMARÃES | 12 DE NOVEMBRO
Cadeiras Vip - €35
1ª Plateia - €30
2ª Plateia - €19
Bancadas - €25



publicado por olhar para o mundo às 21:13 | link do post | comentar

 

Letra

 

Este som é a re-mistura do Break U,
Podemos chamar esta re-mistura de:
"O mundo muda a cada gesto teu"
Assimila bem estas palavras,
Espalha esta mensagem pelos teus manos bro.
O mundo muda a cada gesto teu
(O mundo muda a cada gesto teu)



Será que consegues viver assim sem remorsos,
Quando vês a fome a adormecer aqueles olhos,
Quando vês o sangue a alagar a terra daqueles povos,
E a deixar tudo resumido a desespero e destroços,
Será que ouves os gritos que o sofrimento não cala,
dessa gente que vive entre insónias e estrondos de
balas,
Será que sentes a pulsação do planeta, desacelera,
porque o teu amor por ele nunca chega.

O que é que há para sorrir quando meio mundo sangra?
Como é que tu não olhas quando meio mundo te chama?
Como é que vives sem dar aos teus um minuto?
Diz-me o que é que há pa celebrar quando o mundo tá de
luto?
Delegas poderes aos políticos mas eles são camaleónicos,
Não representam as nossas massas anónimas,
Eles representam corporações económicas,
Que representam lucro acima dos Homens,
Tu podes ser a mutação a cura e a salvação, lembra-te,

Não há revolução sem a tua contribuição, (Não há),
Partilha o afecto porque há sempre alguém que tu
ajudas,
Espalha a verdade porque há sempre alguém que tu
educas,
Denuncia o mal porque há sempre alguém que te escuta
mano,
Há sempre alguém que te segue quando acreditas na
luta,
Muda tu o mundo não fiques à espera de Deus,
O mundo muda a cada gesto teu,

Isto não é nenhuma sugestão pa tu seres o maior
revolucionário do mundo,
Não é nenhuma sugestão pa tu seres um Che Guevara ou
um zapata,
O mundo muda a cada gesto teu,
O mundo também muda com as pequenas coisas que tu
fazes mano,
Se tu fores sempre verdadeiro com os teus manos,
Se tu passares boas vibrações aqueles que te rodeiam,
A probabilidade de eles te retribuírem da mesma forma é imensa,
Mas se tu fores falso, e distribuíres ondas
negativas pelas pessoas,
É muito provável que eles te atinjam com mais
negatividade ainda,
O mundo tá conectado mano,
Cada gesto teu influencia o gesto do outro,
Cada gesto teu é um exemplo pó outro,
Amor gera amor,
Ódio gera ódio,
E a revolução ás vezes passa por tu seres um bom pai,
Um bom amigo, um bom filho, um bom Homem, um bom
cidadão,
Isso faz muita diferença,
O mundo muda a cada gesto teu,
(O mundo muda a cada gesto teu),

Mano o mundo muda a cada gesto teu,
Dá o que tens de ti e não esperes por Deus,
Não há revolução sem a tua acção,
Olha cada Homem como um teu irmão,
Nutre amor por cada ser e cada povo,
O caminho só acaba quando formos todos,
Um só, um só, um sóóóóóóóó

 



publicado por olhar para o mundo às 17:13 | link do post | comentar

 

Letra

 

97...
Eu era um puto já todo hiphopiano,
24 horas a ouvir rap como um insano,
Ouvia desde Reacon a Master Ace, Sapasse On
Melodee, Abonda, Big Pana, Marrabadia..
Hum.. Tambem queria ser um rapper,
E por outros rappers a gritar Mamamia..
Mas fiquei logo desencorajado
Quando Marinho passou na radio aquela maquete de mafila.
Dealema e Ace na mesma faixa,
Trazer aquela cena que racha,
Rima suprema que esborracha bro..
Manos traziam eloquência nunca antes vista,
Era um novo tipo de liricistas com a escrita vanguardista..
Achava que nunca ia chegar aquele nível,
Seria mais um invisível,
Nunca seria protagonista..
Depois disso ainda fui ao Johnny Guitar,
Ver uns niggas a rimar,
E lá vi o Nigga War e os Next..
Fiquei perplexo,
War tinha um flow possesso,
E os Next cuspiam versos com a energia de Daza Fex..
Ainda havia o Boss,
Com a rima causava hipnose
Sunrise do flow complexo rimava tipo um T-Rex..
Como é que eu ia brilhar no meio de tantos monstros?
Conseguir fazer o estrondo,
E ter sucesso com os meus raps..
Mas tu disseste que um grande homem não esmorece,
E para eu acreditar na tese que é na fé que esta o progresso.
Disseste-me,
Para eu ter auto-estima
E ser persistente,
Porque eu ainda iria fazer a melhor rima de sempre..

Comecei a escrever rimas de forma alucinante,
Com a fé incessante que um dia seria predominante..
Conheci o Sam,
Fazia maquetes e jams,
Em casa dele com o Black Master, Master Pula e o S.A.M..
Largava umas bombas mas ainda cheirava a leite..
Mesmo assim o Bomberjack convidou-me para as mixtapes..
Cuspia com fome em cada mix,
Obelix do microfone era o ciclone,
Valete com o rap Matrix..
O meu nome espalhou-se de Monção a Portimão,
Eu trouxe aquele rap habilidoso,
Que causava a sensação..
Mas muitos diziam que Valete era muito incompleto,
Que eu só tinha flow,
Que o meu rap não tinha intelecto.
O que é que eles queriam?
Que eu fosse Alexandre Herculano?
Que eu fosse um grande carola?
Cuspisse knowledge com 17 anos?
Ai tu disseste-me para não ligar as criticas,
Porque isso só me ia causar danos,
E afectaria todos os meus planos.
Criamos canal 115,
Rimas em série..
Éramos Jery, Gary, Lyricer,
Cuspíamos intempéries.
Convidaram-nos para uma actuação em Almada,
Nós e os Next ia ser lotação esgota.
Tava la toda a gente do movimento,
Desde manos de Benavente,
Até acho que manos de Lousada.
Era talvez o nosso concerto mais importante,
Ensaiamos quase um mês ia ser carga pesada.

Concerto falhado,
Eu destroçado,
E as ruas a dizer que os Next tinham fuzilado..
Entrou o ano de 99,
Hip-hop cresceu mais,
Black Company e Boss já eram grupos transversais..
Dealema e Sunrise tinham o culto de imortais.
Micro e Sam batiam até em vivendas de Cascais,
Mind da Gap já rebentava em festivais,
Chullage e Xeg na altura eram as promessas nacionais.
Já ninguém falava de Valete,
Estava desconsiderado e desprezado como um hack..
Sem auto-estima,
Larguei as rimas,
Larguei a paixão que alimentava a minha rotina..
Sempre que te ouvia a rimar eu recordava,
Sempre que ouvia uma batida, amargurava,
Sempre que ouvia uma musica minha chorava,
Quase dois anos longe daquilo que mais amava..
Aí tu disseste-me de forma dolorida,
Que sem o rap eu nunca teria uma vida,
Sem o rap seria uma alma obscurecida,
Perdida nos traumas e derrotas sofridas.
Disseste-me,
Que o meu destino era ser um Mc influente,
E que eu ainda iria fazer a melhor rima de sempre...

Voltei as barras em maio de 2001,
Ainda eram ensaios de escarra,
Para rappers era sayonara..
Decidi lançar um Cd,
E ser o Mc do R.A.P que narra tudo aquilo que a TV mascara.
Gravei Educação visual com dinheiro emprestado,
Do meu nigga Vado, Sam, Bomberjack e do Cruzado.
O álbum saiu em Setembro de 2002,
Impacto tremendo,
Ainda me lembro como se fosse hoje.
Recebia props de todo o movimento hiphop,
Portugal, Macau, Brasil,
Principalmente os palops..
2006 lancei Serviço Público,
E o Blitz e o público chamaram-me novo rei do anti-pop..
Milhões de audições no Myspace e Youtube,
Sem rádios nem televisões,
Sem nunca vender o cu..
2008 tive uma proposta de angola,
Para bulir numa grande empresa,
Ganhar por mês 10.000 Dólares..
Seria auditor das fabricas de Luanda e Huambo,
E assessor do director da fabrica de Cuando-Cubango..
Trabalharia horas infinitas
Já não teria mais tempo para a escrita
Mas era muita guita
Podia ficar com a vida resolvida e dar um casarão a minha mãe..
Ai tu disseste que eu tinha uma missão
Que era dar instrução as ruas e espalhar informação
Disseste-me que eu não podia abandonar o movimento
Porque eu ainda iria fazer a melhor rima de sempre...

Fiquei apavorado quando me disseste que já não ias rimar mais
Já não ias cuspir instrumentais
Que ias seguir a vida dos iguais
Agora vejo-te a trabalhar 12 horas por dia
Nesse trabalho que te explora
E devora a tua alegria.
Já não tens tempo pá quase nada
O pouco que tens é para a tua avó adoentada
E para a tua namorada
Amanha vais fazer um filho
E vais seguir o trilho dos que deixaram a vida hipotecada.
O teu nome ainda é enorme nas ruas,
Cospes rap com o uniforme da verborreia mais crua..
Adamastor,
Todos adoram,
Todos imploram,
Pelas tuas rimas que as ruas condecoram.
Sem o rap nunca terás uma vida mano
Sem o rap serás uma alma obscurecida.
E não tens forma de deixar o movimento
Porque ainda tens de vir fazer a melhor rima de sempre...
E não tens forma de deixar o movimento
Porque ainda tens de vir fazer a melhor rima de sempre...

 



publicado por olhar para o mundo às 08:13 | link do post | comentar

Terça-feira, 26 de Julho de 2016

 

Letra

 

Lady,
hush now
sit down,
need to talk t'ya
i know,
been wrong
you right,

The silence is killing me, oh
killing me, oh
i can't control it
your absence is killing me, oh
killing me, oh
I'm in my feelings

Baby, let's talk about it,
talk about it,
no into missions
baby, let's talk about it,
talk about it,
ti'll we finish it
yeah

Bring back your smile
I love so much
i missed your touch,
your hugs, your kisses
and all that, yeah

i'm in my feelings
got to admit, yeah
i'm in my feelings
(i'm in my feelings)
The silence is killing me, oh
killing me, oh
i can't control it
your absence is killing me, oh
killing me, oh
i'm in my feelings

 



publicado por olhar para o mundo às 17:13 | link do post | comentar

savethedate_banner-01.jpg
 
VIVER O BONS SONS ALÉM DOS CONCERTOS:
HÁ PROGRAMA PARA TODA A FAMÍLIA
 

O público do BONS SONS tem a oportunidade de viver a programação musical de forma diferente, através de inúmeras propostas que permitem a exploração de outras artes e ambientes. Em Cem Soldos vai haver muita vida para lá dos concertos com actividades pensadas para todos os elementos da família.

Todos os dias, o BONS SONS oferece a oportunidade, por exemplo, de os novos pais levarem os seus mais pequenos à descoberta das primeiras notas, com “Música para Bébés”. Podem ainda deixar-se surpreender pelas histórias encenadas que trazem ventos de outras paragens. Os contadores vão, em 30 minutos, dar vida às personagens de “Ka”, sobre a lenda das matrioskas, e de “INUIT: Um povo com vários povos”.

Os amantes da sétima arte e do cinema documental têm em “Este Povo” e “Auto Rádio” uma boa ocasião para conhecer de perto as gentes de Cem Soldos e descobrir o processo musical de Benjamin. Todos são convidados ainda para dar asas à imaginação com a mostra de curtas-metragens lusófonas originais de Curtas em Flagrante 2016.

As artes plásticas, sonoras e performativas vão multiplicar-se pelos espaços da Aldeia. À instalação arquitectónica “The Great Gig In Sky”, localizada no Palco Eira, junta-se a instalação sonora de Luís Antero “Cem Soldos, 100 Sons”, no Centro de Exposições, e a instalação poliartística “A máscara como (ul)traje da paisagem”, na Adega de São Sebastião.




   

 



publicado por olhar para o mundo às 12:13 | link do post | comentar

 

Letra

 

O sentir que trago cresce quando estou longe de mim
Tão perto, mas dentro assim... tão fora daqui
Neste ventre quente e furioso terás sempre um lugar
Além do depois...
Sem ruído, com cor e reserva pra dois

Crescer é saber e amar
Certeza sem fim
Quem me vai dizer no amor
o que é bom ou ruim?

E o sentir que trago cresce quando estou longe de mim
Tão perto, mas dentro assim... tão fora daqui

Crescer é saber e amar
Certeza sem fim
Quem me vai dizer se o meu amor
é jindungo ou quindim?

O que eu sei é que onde nada existe
Nada acaba...
Nada acaba...

 



publicado por olhar para o mundo às 08:13 | link do post | comentar

Segunda-feira, 25 de Julho de 2016

sleepy rust.jpg

 

 
SLEEPY RUST
 
Sleepy Rust apresenta-se ao vivo a 5 de Agosto pelas 22h no Cineteatro Municipal D.João V na Damaia.

Após a edição dos EPs - Awake at Last e Suburban Tales and a Road Trip, o guitarrista e tocador de ukulele irá recriar temas destes trabalhos e músicas que constarão no album a ser editado em breve.

Acompanhado por Rusty Jack - teclas e guitarra e Casper Louis - bateria, adivinha-se para este concerto uma viagem por um universo fusionista de blues, rock`n`roll e uma folk eléctrica, com acenos festivos ao surf, às Antilhas e até ao punk.

Música essencialmente instrumental ou como já alguém anteriormente disse " canções com guitarra na voz".
 
MÚSICA
05 AGOSTO | 22:00H
5€


publicado por olhar para o mundo às 23:13 | link do post | comentar

 

 

Letra

 

Com alegria fico louca
e acaso te beijei um dia.
Foi um beijo que me escapou da boca
e andou a noite toda, a fazer o que eu nao queria.

Agora danço arrependida.
Um passo em frente, dois atrás.
E quanto mais me rodopias,
menos culpo a alegria na tristeza como farras.

Não te quero dar mais esperança
que a alegria não é tanta,
e há dias que não são dias.
Mas se tu dançares comigo
e aos meus passos deres sentido,

Não me alegras, mas conquistas.
Com alegria digo coisas, que nem em sonhos te diria,
nem a ferros nem por sombras
ouvirias certas coisas,
que eu te disse outro dia.

E agora danço arrependida,
que eu já nem sei dançar contente.
E quanto mais me rodopias
menos culpo a alegria.

Um passo atrás e dois à frente.
Não te quero dar mais esperança
que a alegria não é tanta,
e há dias que não são dias.

Mas se tu dançares comigo
e aos meus passos deres sentido,
não me alegras, mas conquistas.
Mas se tu dançares comigo
e aos meus passos deres sentido,
não me alegras, mas conquistas.

 



publicado por olhar para o mundo às 22:13 | link do post | comentar

 

budda.jpg

 


PRÓXIMOS CONCERTOS
 
O ano 2016 está a ser  incrível para Budda Power Blues.

Dia 30 de Julho  farão 3 concertos no Blue Balls Festival em Luzern, Suiça, um dos maiores festivais da Europa.

Dia 2 de Agosto partem ruma  à Letónia para dois concertos, o primeiro do dia 3 de Agosto será no Palladium Riga onde farão a primeira parte dos míticos The Sisters of Mercy e no dia 6 como cabeças de cartaz do Festival Live Fest em Riga.

Dia 9 de Agosto estão de volta a Portugal para um concerto no Festival Bluesoul em Vila Praia de Âncora

e no dia 20 partem ruma à Ilha do Pico nos Açores para actuarem na Festa da Poça.



BLUE BALLS FESTIVAL
LUZERN - SWITZERLAND
30Th July / Saturday 11:30 pm 
PALLADIUM RIGA
RIGA - LATVIA
The Opening act for THE SISTER OF MERCY Concert

3Rd August / Wednesday :: 7:30 pm 
KULDIGA LIVE FEST
Open Air Stage :: KULDIGA - LATVIA
6Th  August / Saturday :: 6:30 pm
FESTIVAL BLUESOUL
Vila Praia de Âncora :: PORTUGAL
9Th August / Tuesday:: 10:00pm
FESTA DA POÇA
Ilha do Pico - AÇORES  - PORTUGAL 
20Th August/ Saturday :: 11:00pm


publicado por olhar para o mundo às 21:13 | link do post | comentar

 

Letra

 

Não encontrei a letra desta música

 



publicado por olhar para o mundo às 17:13 | link do post | comentar

 

Letra

 

Não encontrei a letra desta música

 



publicado por olhar para o mundo às 08:13 | link do post | comentar

Quer ver a sua banda ou espectáculo divulgados aqui?,
envie um email para: olharparaomundo (arroba) sapo.pt
Se tem alguma letra que eu não tenha encontrado, pode enviar para o mesmo email
mais sobre mim




posts recentes

11ºs Encontros de fado de...

IGNIS VERBIS - BARCA DA V...

Novidades dos NOVA - Lanç...

The Code - É o Amor

Vítor Bacalhau no ciclo d...

Slow J - Arte (Meet Speed...

ÁTOA - Queria Ser

Luís Represas comemora 40...

Qual de Nós Valerá Mais? ...

Trêsporcento - Tempos Mod...

arquivos

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

tags

todas as tags

links
comentários recentes
maravilhosa!!Adorei!
ynossa amei a musica Quem dera se aparecesse um ho...
Gostooo💜💜
Once you found mejust a stranger in the crowdcould...
http://luisasobral.com/pt/aqui tem as letras! :)
Adoro Cristina Branco :)
Muito fixe
Gostei da musica da Telma Lee (https://canalkizomb...
olha so parece que bebes mt agua
"Anel de noivado comprado"
Posts mais comentados
blogs SAPO
subscrever feeds