Sexta-feira, 30 de Setembro de 2011
Letra
Moro Em Lisboa Madredeus

Que outra cidade, levantada sobre o mar
A beira-rio acabou por se elevar
Entre dois braços de água 
Um de sal outro de nada 
Agua doce água salgada 
Aguas que abraçam Lisboa 
É em Lisboa que o Tejo Chega ao mar
É em Lisboa que o mar azul recebe o rio
É essa brisa que no faz 
Promessas de viagem 
Brisa fresca que reclama 
Nas nossas almas ausentes 
Saudade, cidade 
Do sal do mar 
Moro em Lisboa 
E entrei, pequei 
Saudade, cidade 
Do sal do mar 
Moro em Lisboa 
E entrei, peguei
Moro em Lisboa (x3)
Entrei, pequei...



publicado por olhar para o mundo às 17:05 | link do post | comentar

1 de Outubro dia Mundial da Música


A Associação José Afonso com o apoio da Câmara Municipal de Setúbal, leva a efeito, dia 1 de Outubro de 2011, às 21:00 horas no Salão Nobre da Câmara Municipal, um Concerto de Amílcar Vasques Dias sobre a obra de JOSÉ AFONSO. 

Amílcar Vasques Dias, completou estudos superiores de Piano e Composição, nos Conservatórios de Música do Porto e de Braga. A sua música tem sido tocada na Europa e na América, nomeadamente em festivais de música contemporânea: Fundação Calouste Gulbenkian (Lisboa), June in Buffalo (EUA), Cantigas do Maio (Seixal), S. Paulo (Brasil), Manchester (UK), Capuchos 97 (CCB-Lisboa) e Encontros do Alentejo de Música do Séc. XX (Évora).

Foi docente de Composição, Orquestração, Música Electroacústica, Análise, Formação Auditiva e Harmonia ao Teclado nas Escolas Superiores de Música de Lisboa e do Porto, e nas Universidades de Aveiro e de Évora.

A entrada é livre.


Associação José Afonso
Rua Damão 26 - 28 
2900-340 Setúbal 


t. (00351) 265. 185 580
f. 265. 185 581
u. http://www.aja.pt/

 

 

 

Retirado de Arre Macho



publicado por olhar para o mundo às 09:33 | link do post | comentar

Letra
No dia em que os beijos se atrasaram
Perdidos pelo céu da tua boca
Acreditei que os lábios os deixaram
A brincar, na razão de ficar louca

Na espera desses beijos demorados
Vieste com teus braços de abraçar
Na ilha dos teus cheiros encantados
Bailados de gaivotas sobre o mar

Quando os beijos desceram pelas palavras
Subiram os teus dedos pela roupa
Cercadas as gaivotas pelas asas
Bramidos de maré a ficar rouca

De maré incessante vai e vém
Das ondas do teu corpo, o balançar
Navegante do amor mais além
Amante do instante de te amar


publicado por olhar para o mundo às 08:26 | link do post | comentar

Quinta-feira, 29 de Setembro de 2011

Já no dia 4 de Outubro, pelas 21:30, sobe ao palco do Auditório Municipal o Grupo Seara Nova, iniciando deste modo a programação do Mês de Outubro que será dedicado à Música


O Grupo Seara Nova, de Viana do Alentejo, vai interpretar algumas das músicas alentejanas mais conhecidas, como “Ó Rama Ó Que Linda Rama”, “Ceifeira”, “Aurora” ou “Canta o Melro”.

No mesmo local, e a 15 de Outubro, pelas 21:30, a Companhia de Dança Contemporânea de Évora apresenta “2 Boxe”, uma peça concebida, dirigida e coreografada por Nélia Pinheiro. 

Trata-se de uma peça para dois bailarinos, Gonçalo Lobato e Elina Campos, resulta de um trabalho de estudo e exploração cénica sobre os modos de vida e os comportamentos sociais da geração pós-25 de Abril. 

O grupo de música tradicional portuguesa Alento do Alentejo, de Vila Viçosa, actua no dia 22 de Outubro, pelas 21:30, também no Auditório Municipal. 


É um grupo constituído por oito membros que pretende promover os temas que revelam a cultura musical portuguesa, como as rapsódias alentejanas, saias e viras, ao som de instrumentos típicos como o adufe, bombo, bandolim, acordeão, entre outros.

 

O Auditório Municipal, pelas 21:30 de 29 de Outubro, recebe o Quarteto de Guitarras de Évora, constituído por professores do Conservatório Regional de Évora – Eborae Musica. 


Este quarteto é formado pelos músicos Nilton Esteves, José Farinha, João Macedo e António Caeiro, e resulta do gosto partilhado pela música de conjunto para guitarra.

 

O concerto de encerramento do Outubro Mês da Música realiza-se no dia 30 de Outubro, pelas 17:00, no Auditório Municipal, com a actuação do Coro Polifónico e da Banda da Sociedade Filarmónica Harmonia Reguenguense.

 

Esta iniciativa integra também concertos ao ar livre em todas as freguesias com artistas do concelho.


Este Outubro Mês da Música vai passar por Monsaraz – Largo D. Nuno Álvares Pereira , a 02 de Outubro, Reguengos de Monsaraz – Praça da Liberdade, a 09 de Outubro, S. Pedro do Corval – Jardim Público, 16 de Outubro, Campinho – Largo Bernardino José Cruz, a 23 de Outubro e S. Marcos do Campo – Largo da Igreja, a 30 de Outubro. 

Durante o Outubro Mês da Música pode assistir gratuitamente aos espectáculos referidos.

 

Via HardMúsica



publicado por olhar para o mundo às 23:46 | link do post | comentar

Letra
São de pernas os teus passos
São de braços os abraços
E de dedos são os laços
Que nos enfeitam as mãos

Quem te vê nunca se esquece
Da razão que me estremece
Da noite que me entontece
Dedos, laços e abraços
da noite que me acontece;
Com as pernas dos teus passos

São de beijos os espaços
Que aproximam nossos lábios
E são de silêncios sábios
Dedos, laços e abraços

E caminho até é lua
Sem descanso nem cansaços
São de braços os abraços
Passos livres nos meus passos


publicado por olhar para o mundo às 17:20 | link do post | comentar

Letra
Já sou quem tu queres que eu seja:
tenho emprego e uma vida normal.
Mas quando acordo e não sei
quem eu sou, quem que tornei
eu começo a bater mal ...
O teu bem faz-me tão mal.

Já me enquadro na tua estrutura,
não ofendo a tua moral,
Mas quando me impões o " teu bem"
e eu ainda o sinto aquém, 
o teu bem faz-me tão mal,
O teu bem faz-me tão mal



publicado por olhar para o mundo às 08:17 | link do post | comentar

Quarta-feira, 28 de Setembro de 2011

 

Letra

 

- Olá!
- Olá! 
- Estás a comer alguma coisa?
- Estou!
- Gostas muito de algodão?
- Gosto!
- Queres ouvir uma historia que eu conheço sobre o algodão doce?
- Quero.


Açúcar com açúcar faz um mundo
que cresce nos teus olhos sem saber
que é Universo novo, nuvem névoa
e é para comer, e é para comer, algodão doce quem eu quero,
mas olha bem para dentro desse Mundo
vê lá se vês pessoas a passar,
se nós quisermos todos, se nós quisermos todos,
o Mundo pode ser uma canção pra se cantar...

O Mundo é uma bola de algodão que está na nossa mão
e fica bem melhor se tu sorris.
O Mundo é uma bola de algodão que está na nossa mão
que está na nossa mão fazer feliz.

O mundo é uma bola de algodão que está na nossa mão
e fica bem melhor se tu sorris.
O Mundo é uma bola de algodão que está na nossa mão 
que está na nossa mão fazer feliz.

Não sujes o nariz com o teu Mundo
a tua nuvem doce de brincar
é leve como um pássaro assustado
que quer voar, que quer voar
algodão doce é vento a andar.
- Eu já olhei para dentro do meu mundo.
- O que é que viste?
- Só vi teias de açúcar a brilhar.
- ahahahahaha
- Se nós quisermos todos.
- Se nós quisermos todos, 
o mundo pode ser uma canção para se cantar...
o Mundo é uma bola de algodão que está na nossa mão
e fica bem melhor se tu sorris. O Mundo é uma bola de algodão que está na nossa mão
que está na nossa mão fazer feliz. O Mundo é uma bola de algodão que está na nossa mão
e fica bem melhor se tu sorris. O Mundo é uma bola de algodão que está na nossa mão
que está na nossa mão fazer feliz.

biubiubiubiubiu...

O Mundo é uma bola de algodão que está na nossa mão
e fica bem melhor se tu sorris.
O Mundo é uma bola de algodão que está na nossa mão
que está na nossa mão fazer feliz.
O Mundo é uma bola de algodão que está na nossa mão
que fica bem melhor se tu sorris.
O Mundo é uma bola de algodão que está na nossa mão
que está na nossa mão...»



publicado por olhar para o mundo às 20:58 | link do post | comentar | ver comentários (1)

10º Festival “O Gesto Orelhudo”
http://www.dorfeu.pt/ogestoorelhudo
ÁGUEDA, antiga Junta dos Vinhos
4 a 8 Outubro 2011

 

Terça 4 Outubro

21h45 

“La Voix est Libre”, Bernard Massuir (Bélgica)
Se há, em 10 edições, artista que mais e melhor encarna o espírito artístico deste festival, ele é... Bernard Massuir. O belga esteve em três edições e sempre o público orelhudo se rendeu. Adepto do nada nas mãos (ou quase), Bernard Massuir apresenta um delirante recital vocal a solo, vagueando entre o humor musical e um delicioso minimalismo. “La  Voix est Libre” é o novo trabalho de Massuir, aquele com que abre a 10ª  edição do também seu Festival O Gesto Orelhudo!

23h30 

“Concerto em Ri Maior”, Cia. dos Palhaços (Brasil)
Uma hilariante comédia musical de dois palhaços. Wilson, palhaço maestro russo, e Sarrafo, o seu fiel amigo e tradutor, tentam apresentar um concerto musical, por entre mirabolantes peripécias, que se sucedem com a cúmplice participação do público. Estreia absoluta em Portugal.

Quarta 5 Outubro

21h30

“A Côr da Língua”, Trigo Limpo Teatro ACERT
Companheiros da aventura orelhuda desde o início, o Trigo Limpo apresenta “A Côr da Língua”, um brilhante espectáculo que percorre a lusofonia. José Rui Martins e um naipe de grandes músicos, conseguem que a força da palavra nos embale pela miscigenação das diferentes culturas, fazendo da Língua Portuguesa um idioma sem dono e, por vezes, indomável. O humor e ironia dos textos, a sagacidade das palavras, tudo está lá, na cor da língua. Uma língua de muitas cores, a nossa.

23h00

Oskar & Strudel (Suíça, Austrália)
O regresso de uma parelha fenomenal. A habilidade e a comédia sublime de Oskar coincidem com o virtuosismo musical e o encanto irresistível de  Strudel. As suas actuações envolvem o público numa paródia em que a vida e a comédia são a mesma coisa, misturando circo contemporâneo, teatro de rua e música ao vivo.

Quinta 6 Outubro

21h30

The MozART group (Polónia)
Fenómeno de popularidade à escala planetária, The MozART group apresenta-se pela  primeira vez em Portugal. Este virtuoso quarteto de cordas, de sólida  formação clássica, apresenta a música erudita de uma forma criativa, cómica e muito original, brincando com a formalidade sóbria dos grandes concertos. Uma diversão musical para fazer rir toda uma plateia, literalmente transformada pela arte, tomada pela música!

23h00

“Punk Filarmónico”, Fanfarra Kaustika
A pequena e irredutível aldeia de Casal d’Álvaro é a capital do punk filarmónico, estilo que a Fanfarra Kaustika celebriza. A vontade de criar (o kaus, quem sabe?) fez surgir este colectivo endiabrado. São músicos de boa cepa que espalham o espírito kaustiko, convergência de várias influências no eixo filarmónico-balcânico. Uma festa contagiante!

Sexta 7 Outubro

21h45

"Barbieri", Teatro Necessario (Itália)
Depois do aclamado “Clown in Libertá”, finalmente chegará ao público orelhudo o novo espectáculo destes incríveis italianos. Capazes de impressionar ainda mais, em Barbieri recria-se a sociedade de outrora, em que a barbearia era o centro de ideias, palavras e músicas. Fazendo do tempo de espera ocasião de peripécias, os três musicómicos aspirantes a barbeiros fazem as acrobacias musicais mais inimagináveis à volta de uma cadeira de barbeiro. O Gesto Orelhudo não podia passar sem Barbieri!

23h30

Gadjo (Espanha, França, Reino Unido, EUA, Argentina)
O concerto dos Gadjo, uma espécie de banda nómada e circense, vai  resultar num grande fim-de-noite na antiga Junta do Vinhos. Uma miscelânia de nacionalidades em cima do palco, para uma festa absoluta dentro e fora dele! Vêm de Barcelona, mas tocam música do Gadjistan, nação imaginária que resulta das influências culturais destes músicos, num delicioso e energético cocktail multicultural.

Sábado 8 Outubro

21h30

“Auricular Di.vinus Safari”, Artelier?
Outra das companhias que regressa, agora para celebrar a 10ª edição com um espectáculo exclusivo e interactivo no espaço exterior da antiga Junta dos Vinhos. Onde outrora se criava vinho e agora se bebe arte. Baco e Orfeu juntos. O personagem Ted Costa será o mestre de cerimónias de um percurso guiado por instantâneos sonoros e visuais. As antigas cubas serão labirinto para a participação sensorial do público orelhudo.

22h15

“Mal-empregados”, d’Orfeu
Estreia absoluta da nova criação d’Orfeu. E  logo no palco que a inspirou: o Festival O Gesto Orelhudo. Mal-empregados é um espectáculo pseudo-sério, pseudo-cómico, absurdo qb e tendencialmente minimal. Dois actores-músicos, aparência por decifrar - farão o quê? -, desafiam-se, revezam-se, fartam-se, tentam sempre outra coisa. Tanto pode resultar como não. Uma caricatura irónica dos especialistas em polivalência. Para se chegar a uma conclusão: mal-empregados!

23h30


Quempallou (Galiza)
Encerrado o 10º Festival O Gesto Orelhudo, a noite na Junta dos Vinhos prossegue com a música de uma das referências da música folk galega, no âmbito do circuito luso-galaico “OuTonalidades 2011”. Cada concerto dos Quempallou é uma festa e ninguém vai ficar indiferente!



publicado por olhar para o mundo às 19:49 | link do post | comentar

Letra

Tudo tão certinho, é tudo tão controlado
Saia curta justa e cinto a dar
Tanta ideia boa debaixo do penteado
E essa branca toda a destoar

 

És uma gaja diferente, não és como a gente
Que a grama está muito cara
Metes, mete anfetaminas, que já não és fina
E para atordoar a alma qualquer coisa dá

 

Ai que tristeza coitadinha
Andas enganada, mais uma linha
Vá ninguém dá por nada
Atravancado, salto alto me obriga a ser tão boa
Dá-me cabo da narina

 

Vais aligeirando bem a coisa
Creme anti-olheiras, guronsan e fio dental
O corpo que dói é só por dentro
E a prisão de ventre até se aguenta menos mal

 

És uma gaja diferente, não és como a gente
Que a grama está muito cara
Metes, mete anfetaminas, que já não és fina
E para atordoar a alma qualquer coisa dá

 

Ai que tristeza coitadinha
Andas enganada, mais uma linha
Vá ninguém dá por nada
Atravancado, salto alto me obriga a ser tão boa
Dá-me cabo da narina

 

Não sei se te embalo ou se te ajudo
E mesmo quando te estou a ajudar, este vazio
De crer tudo para nós, é impossível ser só dois
Quando és tão mimada

 

Saboroso só na cama vale
Aquilo que não vale para o resto o que é preciso
Ainda não te disse que te amo tanto tanto
E que sou tão mimada

 

Dizes que sou fria
Estou só embriagada
Nem sequer sofria
Nem sou apaixonada
Ao que parece, sou só demais para ti

 

Dizes que eu sou frio
Estás bem equivocada
Sempre aqui ao lado
E tu nem dás por nada
Ao que parece, sou perfeito para ti

 

Tudo tão certinho, é tudo tão controlado
Saia curta justa e cinto a dar
Tanta ideia boa debaixo do penteado
E essa branca toda a destoar

 

És uma gaja diferente, não és como a gente
Que a grama está muito cara
Metes, mete anfetaminas, que já não és fina
E para atordoar a alma qualquer coisa dá

 

Ai que tristeza coitadinha
Andas enganada, mais uma linha
Vá ninguém dá por nada
Atravancado, salto alto me obriga a ser tão boa
Dá-me cabo da narina



publicado por olhar para o mundo às 17:13 | link do post | comentar

 

Sintra Misty 2011

 

 

O Sintra Misty de 2011, a decorrer de 13 a 23 de outubro no Centro Cultural Olga Cadaval, trará diversas novidades, estreias em solo português de novos projetos tanto nacionais como internacionais, bem como uma mostra de cinema dedicado à música e uma série de outras iniciativas pensadas para, uma vez mais, colocar a música no centro das atenções.

 

Festival assumidamente alternativo na forma como programa o seu cartaz, o Sintra Misty volta a explorar a arte eternamente renovada da escrita de canções.

 

Entre os destaques deste ano, sublinhe-se, por exemplo, a presença de Stuart A. Staples, vocalista dos Tindersticks, que apresenta a solo pela primeira vez em mais de cinco anos, trazendo na bagagem canções que elevaram a sua voz até ao estatuto de culto, mas também novas criações que aí terão estreia absoluta.

 

Ou também a atuação dos Dead Combo, que apresentarão no Sintra Misty o do seu mais recente projecto,«Lisboa Mulata». Ou ainda o espetáculo intimista de John Grant, acompanhado apenas por um teclista, a apresentar o álbum «Queen of Denmark», considerado pela revista «Mojo» como o melhor do ano.

 

Sara TavaresThe Legendary TigermanMazganiSean Riley & The Slowriders e Jay-Jay Johansonsão outros nomes presentes no festival.

Saiba mais sobre o cartaz e programa do Sintra Misty no site oficial.

 

 

Cinema no Sintra Misty


As Misty Sessions da edição 2011 do Festival Sintra Misty, que tomará conta do Centro Cultural Olga Cadaval entre 13 e 23 de de outubro, prestam este ano homenagem à ponte tantas vezes atravessada entre a música e a sétima arte com uma série de exibições de filmes que exploram essa ligação.

 

Estas Misty Sessions vão incluir exibições, por exemplo, do filme «Joy Division», um documentário premiado que inclui depoimentos dos membros sobreviventes da banda e imagens inéditas do grupo de Ian Curtis e que tem argumento do grande jornalista britânico Jon Savage e é dirigido por Grant Gee.

 

Outro documentário integrado nesta mostra é «Dream of Life» que Steven Sebring concebeu como um íntimo retrato dessa portentosa artista que é Patti Smith. Um documentário fundamental para se compreender uma das mais importantes artistas das últimas décadas. Peter Gabriel é outra das lendas vivas que surge nestas Misty Sessions por via da exibição do seu filme concerto «New Blood» que o mostra em palco frente a uma orquestra e que é simplesmente arrebatador.

 

Também há ficção nas Misty Sessions: «I’m Still Here», o aclamado filme de Casey Affleck com Joaquin Phoenixque conta a suposta transformação de um actor de Hollywood em estrela rap de recorte singular, pensado como um documentário mas que na verdade é uma reflexão sobre os mecanismos do star system; outro filme que recebeu aplausos, «9 Songs» com um argumento que mostra bandas como os Black Rebel Motorcycle Club e Primal Scream em palco; ou «De Tanto Bater o Meu Coração Parou», de Jacques Audiard, sobre a música como linguagem universal.

 

A última adição às Misty Sessions vem pela mão de um dos cabeças de cartaz do festival, The Legendary Tigerman, homem de talentos reconhecidos não apenas com uma guitarra na mão, mas também com uma câmara de Super 8.

 

À programação é assim acrescentado uma série de material ligado ao universo explorado em «Femina», o aclamado álbum que Legendary Tigerman editou em 2009: são 10 curtas com figuras como Ásia Argento,Rita Redshoes ou Peaches como protagonistas e ainda um «road movie» de uma hora, parte de um corpo de trabalho já exibido em vários festivais internacionais.

 

Eis o cartaz completo das Misty Sessions:

- Dia 14, às 19:00 – Peter Gabriel New Blood (estreia)
- Dia 15, às 18:30 – I’m Still Here
- Dia 16, às 18:30 – De Tanto Bater o Meu Coração Parou
- Dia 21, às 19:00 – Patti Smith Dream Of life
- Dia 22, às 18:30 – 9 Songs
- Dia 23, às 16:00 – Curtas de The Legendary Tigerman e «On The Road To Femina»
- Dia 23, às 18:30 – Joy Division

 

Retirado de Sapo Música



publicado por olhar para o mundo às 17:07 | link do post | comentar

Letra
As coisas vulgares que há na vida
Não deixam saudade
Só as lembranças que doem
Ou fazem sorrir

Há gente que fica na história
da história da gente
e outras de quem nem o nome
lembramos ouvir

São emoções que dão vida
à saudade que trago
Aquelas que tive contigo
e acabei por perder

Há dias que marcam a alma
e a vida da gente
e aquele em que tu me deixaste
não posso esquecer

A chuva molhava-me o rosto
Gelado e cansado
As ruas que a cidade tinha
Já eu percorrera

Ai... meu choro de moça perdida
gritava à cidade
que o fogo do amor sob a chuva
há instantes morrera

A chuva ouviu e calou
meu segredo à cidade
E eis que ela bate no vidro
Trazendo a saudade


publicado por olhar para o mundo às 08:27 | link do post | comentar

Terça-feira, 27 de Setembro de 2011

 

«José Duarte leva ao Clube Literário do Porto (CLP), na Alfândega, um curso livre de jazz, à semelhança do seu programa 5 Minutos de Jazz, na Antena 1.»

 

"Jazz: Audições comentadas com José Duarte" no CLP destina-se ao público em geral (não é necessário possuir qualquer habilitação musical) e vai-se realizar todas as sextas-feiras, ao longo de seis meses, das 18h00 Às 19h30, a começar já no próximo 7 de Outubro.

 

As sessões orientadas pelo Jazzé (como é tradicionalmente conhecido) vão contar também com a participação de músicos de jazz convidados. Semanalmente, via e-mail ou disponibilizadas no blogue oficial das sessões - http://jazzcomjoseduarte.wordpress.com - e na livraria do CLP, os participantes do curso receberão os sumários com nomes de composições, de instrumentistas e outras informações igualmente importantes para as sessões.

 

No final do curso, será atribuído um certificado de frequência do Jazz: audição comentada, assinado pela direcção do CLP e por José Duarte, que prova que o respectivo assistente frequentou o curso.»

 

 

Público: Público em geral (não é necessária formação musical)

 

Datas: De Outubro de 2011 a Março de 2012

 

Horário: Todas as sextas-feiras, das 18h00 às 19h30

 

Local: Clube Literário do Porto

 

 

 

PROGRAMA

 

Audição comentada I Outubro a Dezembro 2011

 

Os Instrumentos Audição comentada II Janeiro a Março 2012

 

Os Melhores

 

 

 

Inscrições: no Clube Literário do Porto

 

Contactos: clubeliterario@fla.pt ou 22 208 92 28



Mensalidade: 50€ preço normal, 40€ preço com desconto (estudantes, aposentados e alunos de Música do CLP)

 

 

 

Retirado do Registrus




publicado por olhar para o mundo às 23:17 | link do post | comentar

Letra
Carteiro Em Bicicleta José Afonso

Quando for grande vou ser, quero ser um realejo
Ter um pedaço de terra, fogo que salta ao braseiro
Dormir no fundo da serra, quero ser um realejo

Carteiro em bicicleta leva recados de amor
Vem o sono com a música ao som do... do realejo

Quando for grande vou ser, quero ser um realejo
Ter um burro viola e cão, chamar a Dança dos Sapos
Correr com a bola na mão, quero ser um realejo

Quando for grande vou ser, quero ser um realejo
Colher amêndoa em telhados, dar banana às andorinhas
Dobrar o cabo do Mundo, quero ser um realejo

Carteiro em bicicleta leva recados de amor
Vem o sono com a música ao som do... realejo
Carteiro em bicicleta leva recados de amor
Vem o sono com a música ao som do... realejo

Quando for grande vou ser, quero ser um realejo
Ter um burro burro viola e cão, chamar a Dança dos Sapos
Correr com a bola na mão, quero ser um realejo

Carteiro em bicicleta leva recados de amor
Vem o sono com a música ao som do... realejo
Carteiro em bicicleta leva recados de amor
Vem o sono com a música ao som do... realejo





publicado por olhar para o mundo às 17:01 | link do post | comentar

Letra
Mudemos de Assunto Sérgio Godinho

Andas aí a partir corações
como quem parte um baralho de cartas
cartas de amor
escrevi-te eu tantas
às tantas, aos poucos 
às tantas, aos poucos
eu fui percebendo
às tantas eu lá fui tacteando
às cegas eu lá fui conseguindo
às cegas eu lá fui abrindo os olhos

E nos teus olhos como espelhos partidos
quis inventar uma outra narrativa
até que um ai me chegou aos ouvidos
e era só eu a vogar à deriva
e um animal sempre foge do fogo
e eu mal gritei: fogo!
mal eu gritei: água!
que morro de sede
achei-me encostado à parede
gritando: Livrai-me da sede!
e o mar inteiro entrou na minha casa

E nos teus olhos inundados do mar
eu naveguei contra minha vontade
mas deixa lá, que este barco a viajar
há-de chegar à gare da sua cidade
e ao desembarque a terra será mais firme
há quem afirme
há quem assegure
que é depois da vida
que a gente encontra a paz prometida
por mim marquei-lhe encontro na vida
marquei-lhe encontro ao fim da tempestade

Da tempestade, o que se teve em comum
é aquilo que nos separa depois
e os barcos passam a ser um e um
onde uma vez quiseram quase ser dois
e a tempestade deixa o mar encrespado
por isso cuidado
mesmo muito cuidado
que é frágil o pano
que veste as velas do desengano
que nos empurra em novo oceano
frágil e resistente ao mesmo tempo

Mas isto é um canto
e não um lamento
já disse o que sinto
agora façamos o ponto
e mudemos de assunto
sim?




publicado por olhar para o mundo às 08:34 | link do post | comentar

Segunda-feira, 26 de Setembro de 2011
Letra
Andas aí a partir corações
como quem parte um baralho de cartas
cartas de amor
escrevi-te eu tantas
às tantas, aos poucos 
às tantas, aos poucos
eu fui percebendo
às tantas eu lá fui tacteando
às cegas eu lá fui conseguindo
às cegas eu lá fui abrindo os olhos

E nos teus olhos como espelhos partidos
quis inventar uma outra narrativa
até que um ai me chegou aos ouvidos
e era só eu a vogar à deriva
e um animal sempre foge do fogo
e eu mal gritei: fogo!
mal eu gritei: água!
que morro de sede
achei-me encostado à parede
gritando: Livrai-me da sede!
e o mar inteiro entrou na minha casa

E nos teus olhos inundados do mar
eu naveguei contra minha vontade
mas deixa lá, que este barco a viajar
há-de chegar à gare da sua cidade
e ao desembarque a terra será mais firme
há quem afirme
há quem assegure
que é depois da vida
que a gente encontra a paz prometida
por mim marquei-lhe encontro na vida
marquei-lhe encontro ao fim da tempestade

Da tempestade, o que se teve em comum
é aquilo que nos separa depois
e os barcos passam a ser um e um
onde uma vez quiseram quase ser dois
e a tempestade deixa o mar encrespado
por isso cuidado
mesmo muito cuidado
que é frágil o pano
que veste as velas do desengano
que nos empurra em novo oceano
frágil e resistente ao mesmo tempo

Mas isto é um canto
e não um lamento
já disse o que sinto
agora façamos o ponto
e mudemos de assunto
sim? 



publicado por olhar para o mundo às 17:31 | link do post | comentar

Letra
Não encontrei a letra desta música


publicado por olhar para o mundo às 08:27 | link do post | comentar

Domingo, 25 de Setembro de 2011
Letra
Não encontrei a letra desta música


publicado por olhar para o mundo às 17:18 | link do post | comentar

Letra
Não encontrei a letra desta música


publicado por olhar para o mundo às 08:15 | link do post | comentar

Sábado, 24 de Setembro de 2011

Dead Combo, Lisboa Mulata

 

Ao 4º álbum de originais os Dead Combo tocam uma Lisboa mestiça, popular, que dança, ora morna ora viva.

 

Esta «Lisboa Mulata» só vai sair para a rua dia 3 de outubro mas o Music Box garantiu o avanço do novo álbum de uma das mais influentes e reconhecidas bandas nacionais e entre os dias 26 de setembro e 2 de outubro, apenas os utilizadores do serviço poderão ouvir as músicas de «Lisboa Mulata», aqui.

 

Para compor o álbum que vai direto à alma, Pedro Gonçalves e Tó Trips rodearam-se de amigos, com destaque para as colaborações do norte-americano Marc RibotCamané,Sérgio Godinho e Alexandre Frazão este disco promete pôr Lisboa e o resto do país a dar às ancas com esta «Lisboa Mulata», desenfreada de chinelo no pé!

 

São os Dead Combo de volta às músicas sem muitos arranjos, diretos à alma e, neste caso, com o volume no máximo para acordar os vizinhos!

Dia 3 de outubro, Tó Trips e Pedro Gonçalves serão ainda editores convidados do SAPO Música onde falarão deste novo álbum, das suas principais influências, dos seus gostos e desgostos musicais, deixando ainda algumas recomendações

 

 

Agenda de espetáculos:

Dia 8 Out - Moita

Dia 14 Out -  Hard Club / Sala 2

Dia 15 Out  - Sintra Misty

Dia 19 Out - Praga / sala PALACAKROPOLIS

Dia 20 Out - Bucareste / sala CLUBUL TARANULUI

Dia 22 Out - Braga / Teatro Circo

 

Music Box é o serviço de música do Grupo PT (MEO, SAPO, TMN) que possibilita o acesso a um catálogo de milhões de músicas em qualquer altura e em qualquer lugar. Está disponível no computador, telefone e televisão com uma única conta e sem publicidade associada. Os utilizadores podem ouvir e partilhar música, construir Playlists, beneficiar de exclusivos e conhecer as novidades do mundo discográfico.

 

Via Sapo Música



publicado por olhar para o mundo às 23:54 | link do post | comentar

Letra
Não encontrei a letra desta música


publicado por olhar para o mundo às 17:39 | link do post | comentar

Letra
Ela Era Só Mais Uma Classificados
Ela era só mais uma
Como tantas outras mais
Tinha dois palmos d cintura, reais
Ela era de mil cores
Era de todos os lugares
Era presa inevitável, de olhares

Tinha a luz da madrugada
E a sombra do dia
Trazia fogo na pele macia
Dança na luz da espada fria
Dá mais um sinal de ti
Do teu espaço vazio
Da tua imensidão
Do teu desejo frio
A tua mão... 

Tinha medo do silêncio
E a mania de cantar
Tinha na voz um segredo, por revelar
Tinha um olhar provocante 
E um andar colegial
Era pedra preciosa, de sal

Tinha a luz da madrugada
E a sombra do dia
Trazia fogo na pele macia
Dança na luz da espada fria
Dá mais um sinal de ti
Do teu espaço vacio
Da tua imensidão
Do teu desejo frio
A tua mão...



publicado por olhar para o mundo às 08:26 | link do post | comentar

Sexta-feira, 23 de Setembro de 2011
Letra
"Agora não quero saber,
O que me fez chegar aqui.
Apostei para ganhar,
E acabei perdido em ti.
Agora não quero dizer,
Que só em ti me reconheço,
Mas por um abraço teu,
Pagava qualquer preço.
Porque eu não sei ficar,
Longe de ti,
Eu já não sei,
O que há para além de ti.
Se te inventei,
Ou descobri.
Desarmaste-me num golpe,
Já rendido baixei armas.
Atiraste à queima-roupa,
Quis voar nas tuas asas.
E se eu ficar,
Viciado em ti,
É só...
Porque eu não sei ficar,
Longe de ti.
Eu já não sei,
O que há para além de ti.
Se te inventei,
Ou descobri."


publicado por olhar para o mundo às 17:21 | link do post | comentar


«A fadista Helena Sarmento é uma das convidadas das “Noites de São Bento”, iniciativa que decorre na Casa de Amália (hoje Museu Amália Rodrigues e sede da Fundação com o seu nome), em Lisboa, actuando no próximo dia 23, às 21.30 horas. 

«Estou muito feliz e sensibilizada com o convite que me foi dirigido por Vítor Duarte Marceneiro. É um privilégio cantar num local tão emblemático, imbuído do espírito da referência maior do Fado, e uma honra, ser destinatária de tal convite», diz Helena Sarmento.O evento, organizado pela Associação dos Comerciantes da Rua de São Bento e que conta com o apoio da Fundação Amália Rodrigues, está agendado para os dias 22, 23 e 24 de Setembro. No primeiro dia actuarão Ana Filipa César e Miguel Ramos; no segundo dia, Helena Sarmento e João Paulo; no último, Carolina Tavares e Vítor Duarte Marceneiro. O acompanhamento musical, no dia 23, ficará a cargo de Luís Ribeiro e Jaime Martins. «É, como imaginam, uma grande emoção estar incluída no cartaz desta iniciativa e ter a oportunidade de cantar à janela da Diva do Fado», reforça Helena Sarmento, cujo reportório para esta noite especial incluirá temas do seu recente e primeiro álbum, Fado Azul, entre os quais se encontra um dos temas imortalizados por Amália: “Caldeirada (Poluição)”.Durante as três “Noites de S. Bento”, para além do comércio se encontrar aberto até às 24 horas, haverá várias actividades e supresas para os visitantes.

No Casino Estoril e em Santarém

Helena Sarmento tem, ainda, três espéctáculos agendados: um no dia 4 de Outubro, no Casino Estoril; outro no dia 22 do mesmo mês, no Teatro Sá da Bandeira, em Santarém; pelo meio, actuará em Penedono, no dia 8.

Tanto no Casino Estoril como no Teatro Sá da Bandeira, o convidado especial da jovem fadista é Vítor Duarte Marceneiro. “Admiro imenso o Vítor. Como fadista, como pessoa, e pela forma como honra o nome que transporta, nome esse que é uma das maneiras mais belas de dizer a palavra fado», explica Helena Sarmento. A autora de Fado Azul, seu primeiro disco, conta com a presença de todos aqueles que apreciam fado, nestes dias de Outono que prometem...encantar.»

Bilhetes à venda nos locais habituais e em http://www.ticketline.pt/

 

 

Retirado do Há Vida em Marta



publicado por olhar para o mundo às 08:43 | link do post | comentar

Letra
Tudo de Novo Klepht

Sei que nem sempre dou o melhor
Penso só depois de me arrepender
Qualquer dia o nosso caso vai prescrever

Não me deito sobre a solidão
Prefiro o colchão onde te deixei
À distância do que tenho, sei dizer

Não te sintas só

Se nos sai mal, faço tudo de novo

2 horas para acabar
O que em 4 anos a gente fez
A rotina sabe responder porquê

Longe de um início
Estava junto mas sozinho
Sei que para ti bem custou
Qual dos dois mudou as regras no fim?

Ambos com razão, ambos sem desejo
E o cansaço deu ordem de despejo
Sem pensar que na verdade só o tempo mudou 
Não te sintas só

Se nos sai mal faço tudo de novo
Vou mudar este jogo
Com as minhas mãos

Se nos sai mal faço tudo de novo
Vem mudar este jogo
Que eu não quero perder
Não quero perder...



publicado por olhar para o mundo às 08:19 | link do post | comentar | ver comentários (1)

Quinta-feira, 22 de Setembro de 2011

 

“Sara Gonçalves & Os Alma” no Auditório Municipal de Portimão

A Sara Gonçalves , uma algarvia que protagoniza o projecto “Sara Gonçalves & Os Alma”, vai estar pelas 22:00 do dia 24 de Setembro, no Auditório Municipal de Portimão para apresentar o seu espectáculo “Com o Fado na Alma”.

 

Sara Gonçalves faz parte da nova geração de fadistas e tem-se distinguido por um estilo muito próprio de interpretar a chamada canção nacional, aliando ao tradicionalismo melodias com sonoridades carregadas de destino e  saudade.

 

A fadista será pelos “Alma”ou seja Carlos Amarelinho, Ricardo Carvalho, Laurentiu Zapciroiu, Rui Martins e Diogo Carvalho, os elementos que compõem este projecto.

 

Os bilhetes custam 8 euros, com 50 por cento de desconto para portadores do Passaporte Sénior e do Cartão Jovem, podendo ser adquiridos na bilheteira do Auditório Municipal de Portimão no próprio dia do espectáculo, entre as 14:00 e as 22:00.

 

Via Hardmusica 

 

 

 



publicado por olhar para o mundo às 23:22 | link do post | comentar

Letra
Tentei Dr1ve

Sinto que fiz de tudo
Sem retorno
Sinto que o tempo desliza sobre nós
Desliza sobre tudo... Desligas-te de nós

Tentei mas sinto que falta algo...

E é na noite que encontro 
As histórias que rejeito...
Memórias sobre nós, memórias sobre tudo

Tentei mas sinto que falta algo...


publicado por olhar para o mundo às 17:14 | link do post | comentar

 
Letra
 
Try Again Lucia Moniz
TRY AGAIN
letra: Nuno Bettencourt
música: Nuno Bettencourt

One look - you know that you've fallen
She knocks you over
You say this is it
Perfect - straight from a movie
He says all the right things
You know he's the one
Next time around try again 
Next time around try again

Weeks pass it's still kind a perfect
My heart's removed now
I gave it to you 
Passion - you constantly move me
Further and further
Reaching my soul
Next time around try again
Next time around try again

Tonight - plans for a movie
You call me to cancel
Girls going dancing
Sundays our romantic picnics
Turn into football
Boys will be boys now
Months pass - knowing you love me
I take you forever
Together for granted
Next time around try again
Next time around try again

Home late - you wont even kiss me
The eyes of my angel
Accuse me i'm guilty
Follow me - to my friends house
Hide cause we're dying
Jealusy is cancer
Next time around try again
Next time around try again
Next time around try again

You never give any space or time
To breath... Try again
Sometimes i wish you'd leave me alone
And get away from me... Try again
I can't believe you'd say these things if
You're in love with me... Try again
I never thought you'd ever say those awful
Things to me... again

Oh no - the roses i gave you
Are suddenly fading
Along with your love
Who cares - the credits are rolling
Love's just a movie
There's always an end
Love's... What it is... It just is
Love's... What it is... It just is


publicado por olhar para o mundo às 08:09 | link do post | comentar

Quarta-feira, 21 de Setembro de 2011
A apresentação ao vivo do novo álbum de Jorge Palma está agendada para 27 de Outubro
A apresentação ao vivo do novo álbum de Jorge Palma está agendada para 27 de Outubro (Foto: Sara Matos/arquivo)
Os fãs de Jorge Palma no Facebook foram os primeiros a ouvir o tema de apresentação de Com Todo Respeito, o novo álbum do compositor, que chega às lojas a 24 de Outubro. A canção, Página em branco, pode ser ouvido naquela rede social desde ontem.

Quatro anos separam este trabalho de originais do seu antecessor, o comercialmente bem sucedido Voo Nocturno. Jorge Palma reconhece um bloqueio criativo no novo single, mas de muito menor duração: “Tenho uma página em branco e uma guitarra na mão/ Ando nisto há quatro dias e não me sai a canção”.

Os Demitidos, a banda que acompanha o músico desde Norte (2004), também estão de volta. Com Todo Respeito conta, de resto, com Cristina Branco, Carlos Barreto, Carlos Bica, Bruno Vasconcelos e Vicente Palma como convidados. Carlos Tê e José Luis Peixoto contribuem com uma letra cada. Flak é o produtor.

Com Todo Respeito é editado a 24 de Outubro, com o selo da EMI Music Portugal. O concerto de apresentação do álbum acontece poucos dias depois, a 27, no espaço TMN Ao Vivo, em Lisboa.

 

Retirado do Público



publicado por olhar para o mundo às 21:25 | link do post | comentar

 
Letra
 
Dr1ve)
Please don't be scared
I won't dissapoint you
Just look at my face
I shouldn't love you anyway

I wanna try it
I think I'm already trying
I'm already trying

Because I believe it
Yes I believe it
And I am trying...

(Lúcia Moniz)
Please keep fighting
Keep fighting...
Together we can build something beautiful
Please keep fighting
Together we'll build love...

(Dr1ve)
I can't live without you
Could I ever learn how to live with you?

(Dr1ve & Lúcia Moniz)
Cause I believe it
Yes I believe it
And I am trying...

Please keep fighting
Keep fighting
Together we can build something beautiful
Please keep fighting
Together we'll build love...

Please keep fighting
Keep fighting
Together we can build something beautiful
Please keep fighting
Keep fighting...

(Dr1ve & Lúcia Moniz)
I won't give up on you...
Please keep fighting
Together we'll build love...

(Dr1ve)
Don't you give up now on me
I won't give up on you...


publicado por olhar para o mundo às 17:07 | link do post | comentar

 

Letra

 

I lay awake and think about you
Are you thinking about me too? 
I close my eyes and see you near me
and I wonder if you see me too

Because I want you to know that I care for you

And when I dream I dream about you
Are you dreaming about me too?
I hope your're dreaming about me too

All I feel for you
All I want to do 

If you only knew my feelings for you
My Love is right here waiting

And everyday I'll find a way to let it show

I go to work and think about you
Are you thinking about me too?

And on the phone I talk about you
Are you talking about me too?
I hope your're talking about me too

If you only knew my feelings for you
My Love is right here waiting
And everyday in every way
My Love is right here waiting 

And everyday I'll find a way
To let it show

If you only knew my feelings for you
My Love is right here waiting
And everyday in every way
My Love is right here waiting 

And everyday in every way
My Love is right here waiting



publicado por olhar para o mundo às 08:02 | link do post | comentar

Quer ver a sua banda ou espectáculo divulgados aqui?,
envie um email para: olharparaomundo (arroba) sapo.pt
Se tem alguma letra que eu não tenha encontrado, pode enviar para o mesmo email
mais sobre mim




posts recentes

GONÇALO TAVARES & SOFIA A...

Já se vive o Festim! Bomb...

Gonçalo Tavares - "Só me ...

THE FLOYD PORTUGAL - TRIB...

Valete, Capicua, Emicida ...

Darth apresneta "A estrad...

Van Breda ft Mickey Shilo...

VAN BREDA LANÇA A SUA PRI...

Valete, Capicua, Emicida ...

MONTEPIO FADO CASCAIS

arquivos

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

tags

todas as tags

links
comentários recentes
A letra deste música refere-se à vida de uma crian...
Gostei
Gostei
Uma boa iniciativa com muito boa música!
Claro que foi, este individuo tem um ego do tamanh...
Boa noite, o texto foi enviado exactamente como es...
O encontro entre o cavaquinho português e o ukulel...
"Será o primeiro disco profissional que deixará o ...
Alguém com os acordes?
Ó filha: muda de ramo!
Posts mais comentados
blogs SAPO
subscrever feeds